Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de junho 2009

O balanço segue

30 de junho de 2009 0

O Robi sugeriu num post anterior sobre o Michael Jackson que o balanço continua, mesmo que um dos seus reis tenha partido. Ele fala de Prince e sua ginga, que dá para ser conferido neste vídeo:

Postado por Carlinhos Santos,

Uma perda

30 de junho de 2009 0

Pina Bausch morreu nesta manhã, na Alemanha, aos 68 anos, quatro dias depois de ter sido diagnosticado um câncer em seu corpo. Figura central da renovação da dança alemã, ficará eternizada como um dos grandes nomes da dança contemporânea mundial pela inovação do que se passou a chamar de dança-teatro. Pina viria ao Brasil em setembro, para dançar Café Müller, uma das suas peças antológicas, da qual se pode ver um trecho neste vídeo. Desde o ano passado o cineasta alemão Wim Wenders vinha preparando a cinebiografia de Pina.

Postado por Carlinhos Santos,

Jacko 2

30 de junho de 2009 2

Kevin Mazur/AP

Mais Michael: começaram a circular ontem na internet fotos que dão uma idéia de como seria o show que o popstar preparava para sua volta aos palcos, neste mês de julho, em Londres. O detalhe é que foram gravadas 100 horas de ensaios do cantor, inclusive o último deles, quarta-feira passada, Staples Center, de Los Angeles, um dia antes de sua morte. Alguém duvida que esse material será lançado comercialmente?

Postado por Carlinhos Santos,

Jacko 1

30 de junho de 2009 0

Divulgação

As celebridades todas embarcaram na onda de comoção pela morte de Michael Jackson. Madonna postou uma foto sua com o astro em seu site pessoal. E a top Naomi Campbell também lamenta a mostra de Michael, conforme disse ao colunista do site da Vogue RG, Bruno Astuto:

“Eu cresci com Michael Jackson, ele era um bom amigo e o mais incrível e inovador homem de entretenimento que jamais existiu. Nenhum artista se conectou tanto com seu público e nenhum conseguira reunir suas conquistas. Ele devolveu o carinho às pessoas através de um grande trabalho de caridade e sendo um excelente pai e ser humano. Michael tocou pessoas de todas as raças, nacionalidades e idades e realmente foi a primeira superstar global. Seu papel na cultura popular jamais será ultrapassado ou esquecido.”

Postado por Carlinhos Santos

Trailer

30 de junho de 2009 0

Eis o trailer do curta Família Felizes de Parecem, dirigido por Marcelo Müller e Conrado Heoli, com roteiro de Rafa Müller. A produção vai estrear dia 18 de julho, às 18h, na Sala Ulysses Geremia, em Caxias. Com o título inspirado numa obra de Tolstoi, o filme mostra o relacionamento conflituoso entre mãe (Elaine Braghirolli) e filho (Raulino Prezzi). Para baixar wallpapers clique aqui.

Postado por Carlinhos Santos,

Cinemathèque

29 de junho de 2009 1

Divulgação

Será em homenagem ao Ano da França no Brasil a programação de julho da Sala de Cinema Ulysses Geremia. Em foco, a cinematografia do cineasta Jacques Demy, que dirigiu longas já clássicos como O Guarda-Chuvas do Amor, com Catherine Deneuve, e A Baia dos Anjos, com Jeanne Moureau (foto), que estarão na programação. O programa inclui o documentário Jacquot de Nantes, sobe a vida e obra do diretor, dirigido pela mulher dele, a também cineasta Agnes Varda, logo após a morte de Jacques, em 1990. Além disso, a programação incluirá os cinco primeiros longas de cinco novos diretores do cinema francês. Tudo isso em parceria com a Cinemateca da Embaixada da França e com entrada gratuita. O pacote começa quinta-feira, às 20h, com a exibição de Lola.

Postado por Carlinhos Santos,

Dial 3por4

28 de junho de 2009 1

A rádio (pirata) do blog 3por4 sugere para os ouvidos antenados uma sugestão (sic) recebida de outro ouvido antenado (sic, 2): da Argentina, Federico Aubele. E un saludo a los hermanos!

Postado por Carlinhos Santos,

Vanguarda reverenciada

27 de junho de 2009 0

Mauro Peregrina, Divulgação

Essa imagem aí representa um momento em que a dança caxiense foi vanguarda. Trata-se de uma sequência da coreografia Palhaços, do Grupo Raízes, cuja história será reverenciada de quinta a domingo próximos, com múltiplas atividades do projeto Raízes: história, memória e movimento, na Casa de Cultura de Caxias. Na quinta abre a exposição Um Tempo em Movimento, com fotos, objetos, cartazes e figurinos que mostram essa trajetória. Na sexta e sábado serão dançados trechos de obras do repertório da companhia. No sábado, às 10h e 14h, e domingo, às 10h, tem o Tá na Mesa, série de três mesas de debates com Helena Katz, crítica de dança do jornal O Estado de São Paulo, Christine Greiner, pesquisadora e doutora em Comunicação e semiótica pela PUC/SP, Thereza Rocha, pesquisadora, dramaturgista e doutoranda em artes cênicas na UNIRIO, Marcos Bragato, jornalista e doutor em comunicação e semiótica pela PUC/SP, e Patricia de Rossi, especialista em métodos de catalogação. Em tempo: a coreografia Palhaços foi uma criação do consagrado coreógrafo Luiz Arrieta, que estará em Caxias para a programação festiva. 

Postado por Carlinhos Santos,

Revisão de conceitos

27 de junho de 2009 0

Juan Barbosa

Terça-feira, quando entrevistei Michel Maffesoli, com a ajuda da tradutora Vanise Dresch, deu para perceber o quanto o sociólogo francês se preocupa em esclarecer suas idéias. Um dos teóricos mundiais da pós-modernidade, ele criou uma teoria sobre a harmonia no planeta que, mesmo em tribos, encontra jeitos diferentes de se conectar. Entre estes recursos estão a moda e a internet. Leia, abaixo, um complemento à entrevista publicada na 3por4 impressa deste fim de semana.

3por4:  Sendo a moda uma grande interlocutora das tribos pós-modernas, há um embate entre aparência e essência?
Maffesoli:
Nietzsche nos diz que, em determinados momentos, a profundidade se esconde na superfície. Nesta perspectiva, não existe essência ou aparência. Existe a pele. Então, significa que reconhecemos a importância da pele. Uma semente para se desenvolver precisa da pele. O corpo é individual e pode ser assim por que existe a pele. Em relação ao corpo social, é a mesma coisa. Existe a pele do corpo social. É claro que na grande tradição racionalista sempre se procurou buscar além da pele. É isso que significa a essência. E a aparência sempre foi estigmatizada de uma forma bastante moralista. Meu posicionamento é uma simples constatação, a de que aquilo que considerávamos secundários, como parte das aparências, se torna essencial.

3por4: Como a feminitude que o senhor fala tem se manifestado hoje em dia, entre homens e mulheres?
Maffesoli:
Parece-me que é o que está se difundindo atualmente. De uma forma concreta. Isto pode ser observado até na moda. No estilismo parisiense, por exemplo, Saint Laurent preconizava o terno bem cortado. Quando ele veste as mulheres, veste-as como homens. O famoso tailleur feminino, que é um terno masculino. E este é o apogeu da concepção masculina na moda. Atualmente há uma inversão, sob a influência oriental, japonesa, por exemplo, desestrutura este terno, transformando-o numa forma de vestido, como são os quimonos. Isto é um símbolo muito forte da feminização.

3por4: A publicidade como mitologia da pós-modernidade não aciona o consumo desenfreado?
Maffesoli:
Não penso que  publicidade estimule o consumo. Uma outra velha idéia moderna é de que se fazia uma propaganda para vender um produto. As pessoas que trabalham com publicidade percebem que o conceito publicitário não vai senão cristalizar aquilo que está na cabeça das pessoas. É uma inversão: não é a publicidade que vai criara a publicidade. A bela publicidade não vai senão expressão o desejo. Foi por isso que usai a metáfora de que ela é mitologia da pós-moderniadde. O que era a mitologia grega, por exemplo? Os personagens de Júpiter, Zeus, Eros e Afrodite, não faziam nada além de cristalizar os desejos das pessoas. E eram contados em belas histórias. Isso era projetado no Panteon. Claro que falo da publicidade da Europa, não conheço a do Brasil. Na França a publicidade traz pequenas histórias que contam os nossos desejos e muito secundariamente têm uma função de venda. Não quero dizer que não existe, mas é algo marginal.

3por4: Lula e o Brasil têm imagem em ascensão no mundo. Qual a contribuição brasileira para a melhoria das relações entre as tribos globais?
Maffesoli:
Como estrangeiro, em geral gosto de falar muito de políticos dos outros países. Não é nem uma questão de diplomacia. É que às vezes é uma pretensão dos intelectuais franceses de quer dizer as verdades sobre os países. De modo geral, diria que no mundo existem algumas pessoas que mudam a concepção do político. Lula é uma dessas pessoas. Estou fazendo uma comparação entre Lula, Chaves, Obama, Sarkozi. Eles não fazem política tal qual ela foi pensada tradicionalmente, mas que provocam curto-circuitos que cutucam, são como elefantes numa loja de cristais. Isso é interessante. Estou sendo cauteloso. Na quero me pronunciar sobre o programa político de Lula. Isto cabe aos brasileiros. Mas, de um ponto de vista formal e geral, penso que ele dinamita e dinamiza toda uma concepção antiga de política. Podemos criticá-lo por fazer populismo. Mas, na verdade, ele dá comida e saúde e acho isso bom.

3por4: Três coisas que gosta do Brasil?
Maffesoli:
Tudo. Foi com Juremir Machado da Silva, há muito tempos, antes dele ser meu orientando, que eu dizia que o Brasil era o laboratório da pós-modernidade. E mantenho isso. Mas mais uma vez insisto que não sou especialista do Brasil, sou amante do Brasil. Quando falo em laboratório, quero dizer que há algo que é uma acentuação do presente, um culto do corpo e a importância da imaginação e, por fim, é um país onde há mestiçagem entre portugueses, italianos, alemães, africanos. E foi Nietzsche quem disse que: país em que as raças se misturam, país de grande cultura. Deste ponto de vista, acho que o Brasil é um país de grande cultura.

Postado por Carlinhos Santos,

A canção de Michael

26 de junho de 2009 1

Silvio Avila, BD

A morte de Michael Jackson vai revolver o manto em torno o talvez mais bizarro popstar da modernidade. Dentre as tantas coisas que estão vindo à tona, descobriu-se que o astro era viciado em analgésicos. Um deles, chamado Demerol, que é derivado de morfina, era de seu uso frequente e pode estar relacionado com sua morte. É sobre ele uma letra até então inédita. Confira a letra de Morphine, com a tradução de duas estrofes em português e a íntegra, em inglês. Na letra, Michael Jackson sugere que o paciente feche os olhos e conte até dez. Em seguida, descreve um paciente tentando convencer a enfermeira e dobrar a dose do medicamento.

 

Relaxe, isso não irá machucá-lo

Antes de eu colocar isso em você

Feche os seus olhos e conte até dez

Não há necessidade de se sentir desencorajado

Feche os olhos e flutue para longe Demerol, Demerol

Oh, Deus, ele está tomando Demerol

Demerol, Demerol

Oh, Deus, ele está tomando Demerol

Ele está se esforçando para tentar convencê-la

Para dar a ele uma dose maior

Hoje ele quer o dobro

Não chore, eu não vou magoar você

Ontem, você conquistou a confiança dele

Hoje ele está tomando o dobro

Demerol, Demerol

Oh, Deus, ele está tomando Demerol

Demerol Demerol

Ele está tomando o seu Demerol

Ooww!

Música na íntegra

He got flat, baby

Kicked in the back, baby

A heart attack, baby

I hate your power

A hot bitch, honey

He dug the ditch, baby

You make me sick, baby

So unreliable

I`m such a swine, baby

All down the line, debby

I hate your kind, baby

So unreliable

A hot buzz, baby

He want the buzz, baby

Another drug, baby

You don`t deserve it

Trust in me

Trust in me

Put all your trust in me

You`re doin` morphine

“You heard what the doctor said?”

He got the place, baby

Kicked in the face, baby

He hate your race, baby

You`re not a liar

You`re every lick, baby

Your dog`s a bitch, baby

You make me sick, baby

You talk survival

She never come for me

She never want, baby

I got you up, baby

You`re just a rival

Always a play, daddy

Right up your league, debby

You`re throwin` shade, daddy

So undesirable

Trust in me

Just in me

Put all your trust in me

She doin` morphine

Go on, baby

Relax, this won`t hurt you

Before I put it in

Close your eyes and count to ten

Don`t cry, I won`t convert you

There`s no need to dismay

Close your eyes and drift away

Demerol, Demerol

Oh God, he`s taking Demerol

Demerol, Demerol

Oh God, he`s taking Demerol

He`s trying hard to convince her

To give him more of what he had

Today he wants it twice as bad

Don`t cry, I won`t resent you

Yesterday you had his trust

Today he`s taking twice as much

Demerol, Demerol

Oh God, he`s taking Demerol

Demerol, Demerol

Oh my, he`s got his Demerol

Ooww!

“You heard what the doctor said?”

He got shit, baby

Your dog`s a bitch, baby

You make me sick, baby

You are a liar

He shoot the game, daddy

Deep in the pain, baby

You`re all the same, baby

You`re so reliable

Trust in me

Trust in me

Put all your trust in me

She`s doin` morphine

You just sit around

You`re talkin` of it

You`re takin` morphine

Go on, baby

You just sit around

Try talkin` about it

You`re takin` morphine

Just sit around

Just talkin` nothin` about it

She takin` morphine

You just sit around

You talkin` about it

You`re takin` morphine

You just sit around

Just talkin` nothin`

And takin` morphine

Somethin`s goin` down, baby

You`re talkin` morphine

Go on, baby

Morphine

Do it

She`s takin` morphine

Morphine

Morphine

Postado por Carlinhos Santos,