Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

"Meu salário vai todo em empréstimos e cartões de crédito" - leitor pede ajuda.

15 de abril de 2016 2

Leitor pergunta. Acerto de Conta$ responde:

Foto: Jefferson Botega / Agencia RBS.

Foto: Jefferson Botega / Agencia RBS.

 

Leitor Robson pergunta:

Tenho 27 anos e estou cheio de dívidas. Meu salário vai todo em empréstimos e cartões de crédito. Não sei o que fazer para sair dessa bola de neve. Já pensei em vender o carro, mas ainda está financiado. Mesmo vendendo, ainda ficaria com algumas dívidas e sem o carro. Tem alguma dica sobre como começar a me livrar das dívidas?

Educador financeiro, economista Everton Lopes responde:

Seu problema não é muito diferente de quase 60 milhões de brasileiros, conforme tem sido divulgado nos principais órgãos de pesquisas sobre o endividamento das famílias.
Para que você possa começar a sair deste “atoleiro de dívidas”, primeiramente é preciso se conscientizar de que você não vem tendo um bom relacionamento com o seu dinheiro.
É preciso se relacionar de uma forma mais consciente com o seu dinheiro e com a participação de sua família, se for o caso. Na hora de consumir, é preciso fazer perguntas básicas e simples para evitar o endividamento, são elas:
1) Eu preciso comprar este bem ou produto que desejo?
2) Tem que ser hoje?
3) Tenho dinheiro para pagar à vista
4) Se for com prestações, cabe em meu orçamento? Ou seja, vou poder honrar o pagamento das parcelas?
Se você responder sim a todas estas questões, as chances de você cair no endividamento diminuem significativamente.

Minha dica para você após sair do endividamento na hora de sair as compras é usar os 3 P’s: Poupe, Pesquise e Pechinche.
Sanado o problema de seu relacionamento com o dinheiro, vamos às recomendações para sair de seu atual endividamento:
1) Tente verificar em casa se você não tem algo que possa se desfazer. Sim! Desfazer-se! Pois, com esta ação, você não precisará tomar novos empréstimos.
2) Veja se existe a possibilidade de pedir dinheiro emprestado a amigos e ou familiares. Mas tome muito cuidado nesta decisão, pois se você não honrar seu compromisso com eles poderá perder o amigo ou ficar de mal com um familiar.
3) Se nenhuma dessas alternativas for possível, e você não estiver negativado, procure seu banco e proponha uma “renegociação de suas dívidas”. Pois, nem o banco e nem você vão querer perder um ao outro, você não acha? Mas veja bem: é preciso que você alongue o prazo de pagamento com uma taxa atrativa. Ou seja, bem menor do que os juros que você vem pagando atualmente em suas dívidas. Isto chamamos de “Consolidação das Dívidas”.
4) Por último, caso você esteja negativado e sem margem para negociação em seu banco, a saída é procurar seu advogado. Boa sorte!
E o blog Acerto de Conta$ acrescenta:

A conta do orçamento é simples: o dinheiro que entra tem que ser, no mínimo, igual ao que sai no mês. Maior, de preferência. Então, tente também buscar uma renda extra. Trabalhar bastante, pelo menos, até sair da situação de forte endividamento e inadimplência.

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

 

Comentários (2)

  • Chicão diz: 15 de abril de 2016

    Robson,
    Tu está de sacanagem, né?
    Contrair dívidas tu és campeão, e agora não sabes como se desfazer delas?!
    Das duas uma, meu:
    Paga ou não paga.
    Se não tens a quantia suficiente, vai até os teus credores e parcela o que deves, simples, alegando que se não for feito desta forma não poderás saldar os teus compromissos.
    Ou, então, deixa explodir as contas.
    Ficarás cinco anos no SPC e Serasa e depois estarás com o nome limpo – teoricamente – para novas aventuras consumidoras.
    Perderás o carro, pois o veículo terá busca e apreensão pela falta de pagamento, e te prepara que o pessoal vai te encher o saco com cartas, telefonemas, ameaças, vão te protestar alguns títulos, quem sabe sofrerás processo na Justiça, enfim, se não buscares acordos a tua vida será sinônimo de inferno.
    Se entenderes que tens estrutura psíquica para tantas pressões e cara de pau para enfrentares os cobradores, declina dos pagamentos, caso contrário – é esta a minha sugestão -, entra em contato com os credores e vai para o acordo, que diante dessa situação mais vale um mau acordo que uma boa demanda.
    E cria juízo, pô!
    Saúde e Paz!

  • Alex diz: 15 de abril de 2016

    Tenho uma dica muito melhor, vá na Caixa ou BB e peça 80 bilhões emprestados por um ano, diga que é para uma causa justa, que é pagar suas contas. Pegue parte dos 80 bilhões e pague todas suas dividas e o restante (provavelmente vai sobrar bem mais de 79 bilhões) você aplica num fundo de investimentos.

    Depois de um ano, esses 79 bilhões aplicados certamente vão gerar muitos ativos, você poderá sacar em torno de 90 bilhões, pegue o dinheiro da aplicação e devolva os 80 bilhões para os bancos públicos, você terá quitado suas contas e ainda será um bilionário somente com os juros recebidos.

    Se alguém falar que você está fazendo algo errado, diga: não vai ter golpe!

Envie seu Comentário