Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Corretora lista cinco ações que estão "baratas" na Bovespa

26 de abril de 2016 1
Reprodução site Bovespa.

Reprodução site Bovespa.

 

Oportunidade na crise. A pedido do blog Acerto de Conta$, a corretora Geral Investimentos elencou cinco ações na Bolsa de Valores de São Paulo que considera “baratas” atualmente, ou seja, com potencial significativo de valorização.

Confira quais são as empresas e as justificativas:
AES Tietê: A recuperação dos níveis dos reservatórios auxiliou na queda do preço da energia elétrica no mercado spot, fazendo com que a companhia se beneficiasse desse cenário, uma vez que a empresa possui energia contratada a preços superiores para os próximos 2 anos.

BRF: Apesar do curto prazo da empresa não estar favorável, acreditamos que o case da companhia no longo prazo segue intacto, com bons fundamentos nas divisões de mercado externo e interno.

Cielo: Após um início de ano bastante turbulento decorrente de rumores de uma possível aquisição por parte dos seus controladores da Elavon (uma concorrente), a Cielo vêm de uma recuperação nas suas cotações nas últimas semanas. No entanto, vemos ainda um grande espaço para valorização em função da sua forte estrutura de capital, presença de mercado e perspectivas de crescimento.

Itaú Unibanco: Assim como a Cielo, o Itaú também apresentou valorizações nas últimas semanas, mas ainda assim vemos o banco como uma ação muito importante e com grande potencial de valorização para o ano. O Itaú é o banco mais rentável do Brasil, possui níveis de inadimplência controlados e uma carteira de crédito robusta.

Suzano: Mesmo com a queda expressiva verificada nas últimas semanas, ocasionada pela desvalorização cambial, rotação de posição de investidores e enfraquecimento do mercado chinês; os fundamentos da companhia permanecem consistentes ao observarmos uma recuperação nos preços de celulose, e do seu crescimento estar atrelado à redução no custo caixa de produção de celulose e não a projetos de expansão, principalmente greenfield.

- Vale destacar que, em função das turbulências que estamos passando tanto no campo político como no econômico, não se pode descartar que essas empresas apresentem desempenhos adversos. No entanto, acreditamos nos seus fundamentos de longo prazo independente do cenário político brasileiro. – comenta o analista-chefe da Geral Investimentos, Carlos Müller.

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Comentários (1)

  • Fábio diz: 27 de abril de 2016

    O “Rali do Impeachment” está proporcionando uma oportunidade rara para lucrar na bolsa. O Ibovespa foi rapidamente de 37 mil pontos (no final de janeiro) para mais de 54 mil pontos.

Envie seu Comentário