Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Leitor pergunta: Ações da Petrobras vão subir após a votação do impeachment no Senado?

19 de agosto de 2016 1

Leitor pergunta. Acerto de Conta$ responde.

 

Divulgação Monte Bravo Investimentos.

Divulgação Monte Bravo Investimentos.

 
Leitor Bruno Bandeira pergunta:

A confirmação do impeachment de Dilma faria com que a Petro desse uma subida no Ibov?

Petro = Ações da Petrobras negociadas em bolsa

Ibov = Ibovespa, índice que considera as ações mais negociadas e serve de termômetro para a bolsa de valores

 

O blog Acerto de Conta$ ouviu três especialistas e também pediu opinião sobre o dólar, pergunta da leitora Natália Pithan:

 

- Alexandre Wolwacz, sócio do Grupo L&S e diretor da L&S Educação:

“No mercado, existe um antigo ditado: ‘a bolsa sobe no boato e cai no fato.’ Esse ditado tenta explicar o seguinte: Os investidores mais pesados tomam suas posições ANTES dos fatos virem a público. Isso recebe o nome de precificação. Nesse caso, se olharmos o movimento de forte alta da bolsa nos últimos meses, já é toda a expectativa do impeachment sendo precificada. Dessa forma, quando o fato for confirmado, o movimento mais esperado seria de algum recuo da bolsa nos primeiros dias. Em um prazo mais longo, esperando-se uma melhor administração, a alta poderia retornar. Resumindo, o mercado tem uma maior chance de corrigir quando sair o impeachment, do que subir mais. De fevereiro para cá, a ação da Petrobras já subiu 220%. Sobre o dólar, neste mesmo entendimento, é esperado um repique já que ele tem recuado muito. No curto prazo. Mas, mais adiante, mais queda.”

 

 

- Bruno Madruga, assessor de renda variável da Monte Bravo Investimentos:

“As ações da Petrobras já estão se valorizando muito bem ao longo do processo de impeachment, devido à expectativa de confirmação do processo. A efetivação do impeachment pode fazer com que as ações se valorizem ainda mais, fazendo com que o Ibovespa também se valorize, pois a Petrobras tem um peso de 9,42% de participação no índice, entre ações ordinárias e preferenciais. Porém, ao longo do processo, outros fatores também foram relevantes para a valorização das ações: mudança de gestão (troca de presidente), venda de ativos, recuperação do preço do barril de petróleo e a queda do dólar. Segue um forte otimismo para as ações de Petrobras e do Ibovespa. Sobre o dólar, a moeda se recuperou nos últimos dias em virtude de comentários de “possível” elevação de juros nos Estados Unidos ainda em 2016. Porém, o relatório do FOMC reduziu essa possibilidade. A tendência segue de recuo da moeda.”

 
- Marco Martins, diretor da Apimec-Sul (Associação dos Profissionais de Investimento no Mercado de Capitais da Região Sul)

“Treino é treino. Jogo é jogo. O mercado já precificou a saída definitiva de Dilma, as expectativas para continuar a alta e a capacidade de entrega de Michel Temer. O mercado está preocupado com o futuro das contas públicas. Em resumo, sem sinais fortes de aprovação da Reforma da Previdência e da dívida dos estados, o mercado pode realizar lucros (que é vender ações e provocar queda no mercado). Previsão específica para Petrobras, acho difícil. Para o dólar, deve voltar a rodar perto de R$ 3,30.”

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Comentários (1)

  • Teresinha Winter diz: 19 de agosto de 2016

    Sim, o país passará, milagrosamente, por um processo de modernização, correção de caminhos, leis novíssimas saídas do forno, enfim, o paraíso, tudo protagonizado pela metade da quadrilha que ainda ficou no governo, agora tudo esquecido porque o PT já saiu e era isso que se esperava. O restante da quadrilha pode agir livremente, porque agora não tem mais problema. O país vai decolar. Tudo às custas dos trabalhadores e dos aposentados. Enfim, o capitalista selvagem Temer, juntamente com outros denunciados na Lava-jato, como ele, poderão fazer o que quiserem, pois a amortecida população vai aceitar tudo.

Envie seu Comentário