Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Cinco coisas que o brasileiro faz errado e o impedem de guardar dinheiro

03 de novembro de 2016 1

21556872

 
O brasileiro não sabe economizar e isso é cultural. Começando pelas famílias lidarem com dinheiro como um tabu pouco falado em casa e continuando com o preconceito com a educação financeira na escola.

O educador financeiro Robinson Trovó lista cinco coisas que o consumidor faz errado e que o impedem de juntar dinheiro. Vamos lá:

1 – Gastar mais do que ganha

É óbvio. Mas um dos motivos para isso ocorrer é que o brasileiro não estabelece metas e limites de gastos. O ideal é economizar, todo mês, pelo menos 10% do salário. Pelo menos! Se conseguir mais, melhor. Trovó sugere que as pessoas usem envelopes para se planejar financeiramente e assim começar o processo de poupar.

- Você vai até a papelaria e compra 10 envelopes de carta. Em cada um deles você vai escrever itens dos quais serão destinados o seu dinheiro. Em seguida, você vai escrever, também no envelope, qual o valor você acha que gasta no mês com aquele item. Depois, cada compra ou pagamento que fizer, você vai colocar o comprovante dentro do envelope que for daquele item.

Envelope 1 – Casa: aluguel, energia, água, telefone, IPTU, condomínio, etc.
Envelope 2 – Carro: seguro, IPVA, manutenção, etc.
Envelope 3 – Saúde: convênio, remédio, academia, etc.
Envelope 4 – Supermercado: alimentos, produtos de limpeza, etc.
Envelope 5 – Educação: escola, faculdade, cursos ou afins. Livros, revistas, etc.
Envelope 6 – Lazer: cinema, passeio, viagem, etc.
Envelope 7 – Compras: vestuário, perfume, presente, etc.
Envelope 8 – Reserva: dinheiro separado para gastos emergenciais.
Envelope 9 – Dívidas: empréstimos, cheque especial, etc.
Envelope 10 – Investimento: 10% do seu salário, lembra?

 

2 – Ceder a tentações

Em geral, as pessoas gastam mais do que podem em roupas, tecnologia e outras coisas supérfluas. O educador financeiro pondera que educação e saúde são exemplos de prioridades para onde o dinheiro deve ir, mas nas outras áreas é importante aprender a ser forte.
3 – Querer “se mostrar”

Um problema sério: preocupar-se demais com o que os outros pensam.

- Nunca troque de carro só porque todos os amigos compraram um novo, e mude de celular quando realmente precisar de outro, em vez de querer a nova edição do smartphone porque todo mundo está comprando. – exemplifica Robinson Trovó.
4 – Acreditar que parcelamento é algo bom

É preciso ter a mentalidade de um investidor. Tem que encarar toda compra parcelada como uma dívida. E isso inclui os parcelamentos no cartão de crédito, principalmente. Quem parcela está antecipando o consumo e essa antecipação custa dinheiro para o consumidor. Seja na forma de juros, seja por não conseguir o desconto que seria oferecido para pagamento à vista.
5 – Achar que “o futuro a Deus pertence”

Viver apenas o presente não funciona muito bem quando falamos de finanças. Ao contrário do que muitos pensam, a ideia de curtir a vida e se divertir exige preocupação com o futuro.

- Os investidores profissionais sabem trabalhar o suficiente e aproveitar as coisas boas da vida justamente porque souberam pensar no futuro, economizar e investir. – conclui Trovó.

===

Leia mais:

O preço de comprar agora e pagar depois

Básico para boas finanças – Padrão de vida da família tem que ficar abaixo do que a renda permite

Reserva financeira – Se perder o emprego, teria dinheiro para viver quantos meses?

Cinco passos para programar a aposentadoria e não depender apenas da previdência pública

Sete coisas que levam as pessoas a gastarem mais do que ganham

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

Comentários (1)

  • Larissa diz: 3 de novembro de 2016

    “Acreditar que parcelamento é algo bom”. Avisem isso ao caipira do governador.

Envie seu Comentário