Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Férias chegando, preços das passagens aéreas disparam

09 de dezembro de 2016 0

De uma pesquisa para a outra, o preço das passagens aéreas passou a ser a principal pressão da inflação de Porto Alegre. Considerando os últimos 30 dias, é um aumento de 30%.

A pesquisa é da Fundação Getúlio Vargas. Considera voos domésticos que liguem Porto Alegre a destinos nacionais.

É tradicional ocorrer estes aumentos próximo das temporadas de férias.

Há sites que monitoram preços e permitem que o consumidor cadastre alertas. Ou seja, quando alcançar o preço desejado pelo cliente, um e-mail é enviado.

Alguns exemplos: SkyscannerKayakMomondo e Google Flights 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

Gás fica mais caro. De novo.

09 de dezembro de 2016 2

O gás está ficando mais caro no Rio Grande do Sul, de novo. Outro aumento ocorreu no início de novembro: Gás de cozinha fica mais caro.

O aumento agora será de 12,3% por cento, segundo o Sindicato das Distribuidoras e Revendedoras de Gases do Rio Grande do Sul. O aviso foi feito nesta semana pela Petrobras.

Atinge o preço do GLP (gás liquefeito de petróleo), conhecido por gás de cozinha. Vale para botijões de maior porte e a granel.

Mas não terá efeito sobre botijões de 13 quilos. Então, serão mais afetados consumidores comerciais, industriais e grandes condomínios.

“A empresa pratica preços diferentes de acordo com o uso desde 2003. Na época, a política era justificada pelo maior impacto dos botijões de 13 quilos na população de baixa renda.” – explica o Singasul. -

O GLP vendido para botijões de 13 quilos custa em torno de R$ 1 mil por tonelada. Já o produto vendido em vasilhames maiores sai a R$ 1,8 mil.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

 

 

 

Fábricas gaúchas cortam produção e interrompem dois meses de alta

09 de dezembro de 2016 0

A produção industrial caiu 1% no Rio Grande do Sul em outubro. A comparação é com setembro já com ajuste sazonal.

A pesquisa é do IBGE. Com o resultado de outubro, as fábricas gaúchas interrompem dois meses de desempenho positivo.

No acumulado de janeiro a outubro de 2016, o setor industrial gaúcho recuou 4,6%. Dez das 14 atividades apontaram queda na produção.

As principais influências negativas vieram de produtos de fumo (-32,2%) e de veículos automotores, reboques e carrocerias (-10,3%).

Por outro lado, o impacto positivo mais importante sobre o total da indústria foi observado no ramo de celulose, papel e produtos de papel (38,2%).

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

Tensos com a crise no estaleiro, empregados da Ecovix são liberados do trabalho em Rio Grande

09 de dezembro de 2016 0
Foto: Nauro Junior / Agencia RBS.

Foto: Nauro Junior / Agencia RBS.

 

Com a colega da Gaúcha Zona Sul Karoline Avila.

O Estaleiro Rio Grande está liberando os trabalhadores nesta amanhã para irem embora. O pedido é do Sindicato dos Metalúrgicos de Rio Grande, que argumento muita tensão por parte dos funcionários com a possibilidade de mais demissões e até mesmo ingresso na Justiça do pedido de recuperação judicial da empresa.

- Temos medo até que os trabalhadores sofram acidentes devido ao nervosismo. – diz o representante do sindicato, Benito Gonçalves.

Os ônibus que levam os trabalhadores até o estaleiro vão buscá-los no fim da manhã.

Crise Naval

O Estaleiro Rio Grande é da Ecovix, braço da Engevix. Há dias, a empresa negocia com a Petrobras pagamentos e a continuidade de contrato para construção de mais três cascos de plataformas no Rio Grande do Sul.

Caso não haja acordo, aumenta a probabilidade que a empresa peça recuperação judicial. Isso poderia suspender pagamentos que já estão atrasados.

Atualmente, a Exovix emprega 3,5 mil pessoas. Mas já chegou a 12 mil trabalhadores. São cerca de R$ 6 bilhões em dívidas.

Leia mais: Ameaça de mais demissões e recuperação judicial em estaleiros de Rio Grande

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

 

 

 

Inflação tem novo recuo no País e é a menor para novembro desde 1998

09 de dezembro de 2016 0

A inflação caiu de novo em novembro. Ficou em 0,18%. Em outubro, foi de 0,26%.

Foi então o menor índice para novembro desde 1998. A pesquisa é do IBGE.

O acumulado de 12 meses caiu para 6,99%. É abaixo dos 7,87% relativos aos 12 meses imediatamente anteriores.

Lembrando que o IPCA é a inflação oficial do País. O teto da meta de inflação é de 6,5%.

No grupo alimentação e bebidas, a queda se aprofundou para -0,20%. Alimentos consumidos em casa caíram. A maior queda foi nos preços do feijão carioca (-17,52%), seguido pelo tomate (-15,15%) e pela batata inglesa (-8,28%).

E as perspectivas são de pressão de queda da energia elétrica em Porto Alegre. Mas de alta da gasolina.

Aqui na Região Metropolitana de Porto Alegre, o IPCA avançou. Passou de 0,25% para 0,37%.

Gaúcho gastará R$ 1,48 mais com o presente de Natal

09 de dezembro de 2016 0

17816426

 

O presente de Natal dos gaúchos custará R$ 1,48 mais. É o que o pessoal está disposto a gastar a mais do que no ano passado.

Conforme pesquisa do Sindicato dos Lojistas de Porto Alegre e CDL POA, o preço médio por presente neste Natal será de R$ 51,22. Perguntaram também quanto os entrevistados gastaram no ano passado e, atualizando pela inflação, o valor médio foi de R$ 49,74.

O presente deste Natal em cada Classe Social:

Classe A/B – R$ 61,50
Classe C – R$ 52,40
Classe D/E – R$ 49,20

Mas…

O valor fica muito abaixo do que os lojistas relataram ter sido o ticket médio gasto no ano passado pelos consumidores. Os empresários estimaram gasto de R$ 87 no Natal de 2015, quando as vendas já tinham caído 10% em relação ao ano anterior.

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

Dez de março é o prazo para 43 mil pequenas empresas gaúchas parcelarem tributos atrasados

09 de dezembro de 2016 0
Foto:  CC0 Public Domain

Foto: CC0 Public Domain

 

Foi publicado no Diário Oficial da União desta sexta-feira o regulamento para parcelar dívidas tributárias de micro e pequenas empresas. O Ministério da Fazendo esclareceu o prazo para adesão:

I – deverá ser apresentado a partir do dia 12 de dezembro de 2016 até o dia 10 de março de 2017, exclusivamente por meio do sítio da PGFN na Internet, no endereço www.pgfn.gov.br, no Portal e-CAC PGFN, opção “Parcelamento”, na modalidade “Parcelamento Especial Simples Nacional”

Vale para optantes do Simples Nacional. Ou seja, envolve tributos federais, estaduais e municipais. Não vale para o microempreendedor individual.

O prazo do parcelamento foi ampliado de 60 para 120 meses. A parcela mínima é de R$ 300. A correção é pela Selic mais 1%.

No Rio Grande do Sul, há 43 mil micro e pequenas empresas inadimplentes. Representam 13% do total. Estão, principalmente, em Porto Alegre. Em seguida, Caxias do Sul, Novo Hamburgo e Canoas.

O Estado fica em quinto lugar no País em inadimplência de MPEs. Somam R$ 2 bilhões. Metade se concentra em dez municípios.

Se não pagarem ou aderirem ao parcelamento, serão excluídas do Simples Nacional.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

Agenda Econômica e Empresarial 09.12

09 de dezembro de 2016 0

Regulamentado parcelamento de dívidas com a PGFN pelas Micro e Empresas de Pequeno Porte. Ministério da Fazenda publicou no Diário Oficial da União.

Leia mais: Mutirão mobiliza pequenos empresários inadimplentes para parcelarem dívidas tributárias em até dez anos

IBGE divulga:

- IPCA de novembro
- Produção Industrial Mensal – Regional

Cerimônia de posse dos novos reitor e vice-Reitor da PUCRS. O atual reitor, Joaquim Clotet, transmitirá o cargo para o atual vice-reitor, Evilázio Teixeira.

===

Rápidas:

Neste sábado, festa de lançamento ONNi na Fundação Iberê Camargo

Domingo, em Camaquã, Leilão Premium: Arte em Movimento

 

Quase 50 mil gaúchos estão na malha fina do Imposto de Renda

08 de dezembro de 2016 0
Foto: CC0 Public Domain.

Foto: CC0 Public Domain.

São 47.954 contribuintes que estão na malha fina no Rio Grande do Sul. A informação é da Superintendência da Receita Federal. Foi terminado o processamento das declarações de 2016.

Foi liberada hoje a consulta ao último lote do ano de restituições do Immposto de Renda. Foram sete no total liberados desde junho.

O dinheiro será depositado na semana que vem na conta informado na declaração. Neste lote, são quase 94 mil contribuintes do Estado. Somam restituições de R$ 113,349 milhões.

As principais causas da malha fina são:

- omissão de rendimentos do titular ou dependentes
- deduções de previdência e pensão alimentícia
- despesas

O contribuinte pode consultar a sua situação no Extrato de Processamento da DIRF. Está no site da Receita Federal. Tem que usar código de acesso ou certificação digital.

Confira lá no espaço “Pendências”. Ali, o contribuinte consegue ver se está na malha fina e qual a pendência que precisa regularizada.

Se houver problemas, é possível consultar orientações sobre o procedimento. Confirmando erro na declaração, é preciso apresentar uma retificação.

Se o contribuinte verificar que não há erro, mas está em malha fina, pode aguardar a intimação ou agendar ida à Receita Federal pela internet. Tem que levar documentos que comprovem engano do Leão. O agendamento começa no primeiro dia útil de 2017.

Tesouro Direto ou Plano de Previdência - Qual o melhor para investir no longo prazo e pagar menos imposto?

08 de dezembro de 2016 0

Leitor pergunta. Acerto de Conta$ responde. 

 

Foto: Jean Pimentel / Agência RBS.

Foto: Jean Pimentel / Agência RBS.

 

 

Leitor Carlos pergunta:

“Para quem pretende investir mensalmente um valor, recomenda-se compra de título público ou uma previdência privada? Será um investimento a longo prazo e tentando fugir ao máximo do Leão.”

Sócio da Monte Bravo Investimentos, Pier Mattei respondeu à pergunta no programa Destaque Econômico da Rádio Gaúcha:

“As duas estratégias são boas. Na verdade, são complementares.

Os títulos públicos do Tesouro Direto são de renda fixa e um investimento conservador. São considerados os mais seguros de todo o mercado.

Para quem pensar ao longo prazo, é bom pensar nos títulos chamados tesouro+IPCA ou então NTN (Nota do Tesouro Nacional). São papéis interessantes para quem pensa em aposentadoria porque remunera com inflação pelo IPCA mais uma taxa fixa, que tem superado 6%. Os prazos são definidos pelo investidor, 2019, 2020, 2024…

Sobre otimização fiscal, a NTN-B é mais recomendada. Ela não paga juros semestralmente. Então, a cobrança é no final. Lembrando que é possível investir nos títulos públicos a partir de R$ 30.

Já previdência privada é uma ferramenta de planejamento financeiro. É guardar dinheiro para usar no futuro.

Para planos, é preciso escolher entre VGBL e PGBL. Quanto à tributação, a oportunidade está no regime regressivo, com alíquota de apenas 10% sobre o lucro (VGBL) ou capital total (PGBL). É menor do que a grande maioria de aplicações de renda fixa.

Planos de previdência podem ter duas taxas. Uma é a taxa de administração cobrada pela empresa para administrar o fundo de investimento. A outra é a taxa de carregamento, que pode cobrar um valor pela aplicação e pelo resgate de dinheiro. Há seguradoras que não cobram. Portanto, é bom pesquisar para escolher e evitar essas taxas.

Lembrando que não há certo e errado. O que é melhor para um pode não ser para o outro. E tanto a previdência quanto títulos do tesouro são boas ferramentas para acumular dinheiro no longo prazo. Os títulos exigem mais acompanhamento e disciplina do que planos de previdência.

O importante é ter a preocupação de guardar dinheiro para o futuro e começar o quanto antes.”

 

Ouça o programa Destaque Econômico, na Rádio Gaúcha:

 

 

===

Leia mais sobre finanças pessoais:

Quatro perguntas que devem ser respondidas antes de escolher onde investir o dinheiro

Cinco coisas que o brasileiro faz errado e o impedem de guardar dinheiro

O preço de comprar agora e pagar depois

Reserva financeira – Se perder o emprego, teria dinheiro para viver quantos meses?

Cinco passos para programar a aposentadoria e não depender apenas da previdência pública

Sete coisas que levam as pessoas a gastarem mais do que ganham

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.