Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Produtores de leite sem perspectiva de receber pagamentos de indústrias em crise financeira

27 de fevereiro de 2015 0

Os produtores de leite do Rio Grande do Sul estão sem perspectiva de quando vão receber pagamentos atrasados das indústrias que estão em crise financeira. A Fetag fez reunião com representantes das empresas, mas os produtores são credores que entram no fim da lista em casos de recuperação judicial ou falência.

A Latvida está cumprindo o plano de recuperação judicial. Tem até dezembro de 2016 para pagar a primeira parcela da dívida.

A Promilk já apresentou o plano de recuperação. Vai publicar os editais para credores se manifestarem. Ainda terá uma assembleia para ver se a proposta é aprovada ou haverá falência.

A Santa Rita decretou falência. Os bens precisam ser vendidos e não se sabe se vão cobrir as dívidas.

Em dois de março, o presidente da Fetag-RS, Carlos Joel, reúne-se em São Paulo com o administrador da recuperação judicial da LBR, Ricardo Hasson Sayeg, para discutir a falta de pagamentos.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Bloqueios: Indústrias suspendem envio de mercadorias para lojas

27 de fevereiro de 2015 0
Foto: André Fiedler / Gaúcha Serra.

Foto: André Fiedler / Gaúcha Serra.

As indústrias estão suspendendo o envio de mercadorias para as lojas. Segundo o presidente do Sindicato dos Lojistas de Porto Alegre, Paulo Kruse, os fornecedores estão com receio de mandar a carga e os produtos ficarem retidos nos bloqueios das estradas, correndo o risco de saques.

Kruse diz que a situação piorou quando os bloqueios se intensificaram na BR 101. Vários segmentos do varejo são abastecidos por mercadorias produzidas fora do Rio Grande do Sul. Principalmente, lojas de confecção.

- Quem tinha produto de meia estação, está vendendo. Quem não tem, segue fazendo só liquidação de verão. – conta o presidente do Sindilojas Porto Alegre.

A dúvida é se este consumo ficará represado para quando terminarem os protestos e o transporte for normalizado ou será perdido.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Transportadoras querem reajustar frete em mais de 14%

27 de fevereiro de 2015 1
Foto: André Fiedler / Gaúcha Serra.

Foto: André Fiedler / Gaúcha Serra.

As transportadoras querem reajustar os fretes rodoviários em 14,11%. Esta é a defasagem, segundo 250 empresários do setor reunidos na Bahia pelo Conselho Nacional de Estudos em Transporte, Custos, Tarifas e Mercado.

O estudo foi feito pela NTC&Logística. Considerou números médios de empresas pesquisadas. O principal custo é o aumento do diesel, que responde por 40% do total.

- Entre os custos diretos, aqueles pagos no momento da viagem, como: combustível, arla, salário do motorista e pedágio; entre os indiretos: impostos, despesas administrativas, seguro, manutenção do veículo, entre outros itens. Quando o empresário analisa apenas os custos diretos, ele pode ter até 40% de lucro, mas se observar os indiretos, o lucro real fica em aproximadamente 10%. – argumenta o engenheiro Antônio Lauro Valdivia, assessor técnico da NTC.

Entidades regionais farão reuniões locais para analisar o índice. O Sindicato das Transportadoras de Cargas do Rio Grande do Sul tem reunião na semana que vem sobre o assunto.

Os fretes não são tabelados. As entidades sugerem reajustes. As transportadas vêm reclamando que não conseguem passar os reajustes para os clientes devido ao período de economia fraca.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Agenda Econômica 27.02

27 de fevereiro de 2015 0

Divulgação do PIB dos Estados Unidos. Fechamento de 2014.

Agência Nacional de Energia Elétrica realiza Reunião Pública Extraordinária que decidirá sobre o orçamento da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) para o ano de 2015, o aprimoramento do Sistema de Bandeiras Tarifárias e o aperfeiçoamento da metodologia a ser aplicada na Revisão Tarifária Extraordinária (RTE) das distribuidoras de energia.

Inauguração do maior empreendimento eólico do Rio Grande do Sul, o Parque Geribatu, pertencente à Eletrosul e FIP Rio Bravo Energia I, em Santa Vitória do Palmar.

Confederação Nacional da Indústria divulga a Sondagem Indústria da Construção de janeiro.

ABRH-RS realiza o curso de Analista Estratégico de RH.

FGV divulga a Sondagem Conjuntural da Indústria de Transformação.

Preço da fralda sobe o dobro da inflação

26 de fevereiro de 2015 1
Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS.

Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS.

O preço das fraldas descartáveis subiu 13,29% nos últimos 12 meses. A pesquisa é do IBGE e considera estabelecimentos na Região Metropolitana de Porto Alegre.

É quase o dobro da inflação do período. Além disso, foi o segundo maior aumento entre as regiões que entram no levantamento do instituto.

Para fabricantes que importam matéria-prima, a alta do dólar está pesando nos custos. É o caso de quem compra gel e celulose do exterior.

Mesmo com a alta de preço, o consumo segue crescendo. Considerado item de luxo há poucas décadas, a fralda descartável virou necessidade básica para pais com bebês.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Argentina promete liberar produtos brasileiros e anima calçadistas

26 de fevereiro de 2015 0

A Argentina prometeu eliminar em 15 meses todas as barreiras à importação de produtos brasileiros. O país tinha recorrido de uma determinação da Organização Mundial do Comércio, mas agora diz que vai acatar a decisão. Caso não o faça, outros países podem retaliar a entrada de produtos argentinos sem contrariar a OMC.

A notícia anima calçadistas, um dos setores que mais sofre com as restrições às exportações para a Argentina. Já havia previsão de melhora de embarques com a alta do dólar.

Fabricantes brasileiros de calçados já estavam desistindo de vender para compradores argentinos porque a mercadoria era barrada. O processo começou em 2012.

- Em 2011, chegamos a exportar o equivalente a US$ 189,8 milhões para a Argentina, número que caiu a US$ 79,45 milhões no ano passado. O calçado brasileiro já chegou a representar 70% do total comprado do exterior por aquele mercado, espaço que foi tomado pelos asiáticos. Hoje, apenas 25% dos calçados comprados pela Argentina são brasileiros. – conta o presidente-executivo da Associação Brasileira das Indústrias de Calçados, Heitor Klein.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Indústria puxa queda nas exportações gaúchas

26 de fevereiro de 2015 0

As exportações do Rio Grande do Sul caíram em janeiro 10,5%. A comparação da Fundação de Economia e Estatística é com janeiro do ano passado. Fecharam o mês em US$ 113,7 milhões.

Até houve aumento no volume de embarques. No entanto, caíram os preços dos produtos, fazendo com que o faturamento total fosse menor.

As exportações da indústria de transformação caíram 18,6%, enquanto as agropecuárias aumentaram 371,7%. Na indústria, derivados de petróleo puxaram o desempenho negativo. Já na agropecuária, o aumento foi puxado pelos embarques de trigo.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Gaúcho tem a terceira maior renda do País

26 de fevereiro de 2015 0
Foto: Marcelo Oliveira / Agencia RBS.

Foto: Marcelo Oliveira / Agencia RBS.

A renda média por morador dos domicílios do Rio Grande do Sul foi de R$ 1.318 em 2014. É a terceira maior do País. Fica atrás do Distrito Federal (R$ 2.055) e de São Paulo (R$ 1.432).

A média nacional é R$ 1.052. Os dados são divulgados pelo IBGE e servem de base para o rateio do Fundo de Participação dos Estados.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

GM suspende produção do segundo turno em Gravataí por falta de peças

26 de fevereiro de 2015 0

A General Motors suspendeu a produção no segundo turno desta quinta-feira por falta de peças na unidade de Gravataí. Os funcionários estão recebendo mensagens avisando da dispensa.

Segundo o diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de Gravataí, Valcir Ascari, o segundo turno tem aproximadamente 1,6 mil operários. Quanto ao terceiro turno, o trabalho está mantido por enquanto, mas dependerá da evolução dos bloqueios nas estradas e do atraso na entrega das peças para a fabricação dos carros.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

 

Indústrias de laticínios conseguem mais três liminares para desbloqueio de rodovias

26 de fevereiro de 2015 0
Foto: André Fiedler / Gaúcha Serra.

Foto: André Fiedler / Gaúcha Serra.

A Justiça Federal concedeu mais três liminares para o Sindicato da Indústria de Laticínios do Rio Grande do Sul determinando desbloqueio de rodovias. São elas: BR-285 e BR-344, região de Santo Ângelo; BR-158 e BR-392, na região de Santa Maria; e BR-285 e BR-386, na região de Santa Maria. Há multas em caso

Segundo o advogado Eduardo Plastina, de todas as ações protocoladas, faltam decisões sobre Pelotas e as rodovias estaduais.

Regiões e rodovias que o Sindilat já tem liminares:

- Palmeira das Missões (BRs 386 e 468)

- Santa Rosa (BR 472)

- Carazinho (BRs 285 e 386)

- Santo Ângelo (BRs 285 e 344)

- Santa Maria (BRs 158 e 392)

- Passo Fundo (BR 285)

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.