Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Lojas e supermercados ficarão fechados no domingo

29 de abril de 2016 0
Foto: Tadeu Vilani / Agência RBS.

Foto: Tadeu Vilani / Agência RBS.

 

Lojas e supermercados ficarão fechados no domingo. É dia primeiro de maio, feriado de Dia do Trabalho.

A data não está prevista na convenção coletiva entre Sindilojas e Sindicato dos Comerciários. O documento autoriza a abertura em alguns feriados, mas não neste.

A Associação Gaúcha de Supermercados informa também que os estabelecimentos de Porto Alegre não vão abrir.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Agenda Econômica 29.04

29 de abril de 2016 0

IBGE divulga resultados do mercado de trabalho para Brasil (PNAD Contínua Mensal) de março de 2016 e Índice de Preços ao Produtor (IPP) de março de 2016.

Leilão A-5 para contratação de energia. Vários projetos do Rio Grande do Sul estão na disputa.

Para marcar os 12 anos da Revista Voto, tem debate Brasil de Ideias especial.

Começa a 21ª Feira Nacional de Soja (Fenasoja), em Santa Rosa.

Fim do prazo para declarar o Imposto de Renda em 2016. Depois, a multa para quem não entregou o documento é de 1% ao mês, sendo o valor mínimo de R$ 165,74 e o máximo de 20% do imposto devido.

4º Seminário Direitos & Deveres do Consumidor de Seguros
Horário: 8h às 17h30
Local: Federação das Indústrias do RS – Plenário MERCOSUL – (Avenida Assis Brasil, 8787 – Sarandi – Porto Alegre/RS)
Leia mais: Seguro popular de carros deve começar no fim do semestre

Seminário Sociedade Contra a Corrupção e as 10 Medidas do MP, na Amcham Business Center.

Donna realiza o debate Carreira & Empreendedorismo. Neste sábado.

Lançamento do livro As Rodas da Fortuna – Parte II, de Felipe Daiello, neste sábado, na Livraria Cameron, Shopping Bourbon Wallig, Porto Alegre.

Sindilojas Porto Alegre informa que no próximo domingo, dia 1° de maio, Dia do Trabalho, as lojas de Porto Alegre não poderão funcionar com empregados. Não está autorizado pela Convenção Coletiva de Trabalho firmada entre a Entidade e o Sindicato dos Empregados no Comércio de Porto Alegre – Sindec.
===
Sobre a suspensão temporária do encaminhamento da Carteira de Trabalho em 34 municípios gaúchos para migração de sistema offline para online, onde buscar atendimento de 28 de abril a 10 de maio.
Para quem reside em Porto Alegre, as Agências FGTAS/SINE mais próximas são Novo Hamburgo, São Leopoldo, Sapucaia do Sul, Esteio, Sapiranga e Campo Bom. Ao todo, são 118 unidades de atendimento em todo o Estado
Também já é possível agendar o atendimento no site da FGTAS (www.fgtas.rs.gov.br) para datas a partir de 11 de maio nas unidades onde há suspensão do encaminhamento da CTPS.

Seguro popular de carros deve começar no fim do semestre

28 de abril de 2016 2
Foto: Diego Vara.

Foto: Diego Vara.

 

Deve começar a ser oferecido em junho o seguro popular de carros. A expectativa é da Federação Nacional de Seguros Gerais.

A lei já tinha sido aprovada e a regulamentação foi publicada agora em abril. Só tem um fator que ainda faz com que seguradoras não oferecem o seguro mais barato: a disponibilidade de peças, informa o diretor-executivo da FenSeg, Neival Freitas.

A regra hoje é usar peças novas no conserto dos carros. A regulamentação permite o uso de peças usadas com origem comprovada, mas ainda não há empresas funcionando e com certificação das peças. Só em São Paulo, a Lei dos Desmanches está mais avança.

Então, as seguradoras propuseram para o Conselho Nacional de Seguros Privados uma complementação à norma. Querem que possam ser usadas peças novas, mas não originais, ou seja, de outros fabricantes.

- Isso não inclui, é claro, peça alguma de segurança. Freios, por exemplo. – assegura o diretor Freitas.

O conselho tem reunião no fim de maio. A ideia é que a permissão seja autorizada e, assim que publicada, o seguro popular chega ao mercado para o consumidor.

Preço e público alvo

O consumidor alvo do seguro popular deve ser das Classes C e D, com carros de mais de cinco anos de uso. São clientes que não têm como pagar um seguro normal.

No mercado, falam que o seguro popular seria 30% mais barato. O diretor da FenSeg, Neival Freitas, no entanto, só confirma que a redução no preço ocorrerá naqueles locais onde os sinistros por colisão predominam.

A cobertura mínima do novo seguro tem que garantir indenização por danos causados ao veículo por colisão. Não pode prever apenas a indenização integral por colisão. Qualquer pessoa poderá optar pelo seguro, desde que seja avisado de que os reparos serão feitos com peças usadas ou, caso a nova regra seja aprovada, peças de outros fabricantes.

Freitas participa, nesta sexta-feira, do 4º Seminário de Direitos & Deveres do Consumidor de Seguros. O evento ocorrerá a partir das 8h no Plenário Mercosul, da Fiergs, com entrada franca. É promovido pelo Instituto Nacional de Educação do Consumidor e do Cidadão. O painel que encerra o encontro, às 16h, é sobre O Seguro Popular como Alternativa de Acesso ao Seguro com Respeito aos Direitos dos Consumidores.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Região Sul - Crise política adia compra de imóveis

28 de abril de 2016 0

16676587

 

A crise política está afetando a decisão dos moradores da Região Sul sobre a compra do imóvel. Pesquisa do site imobiliário VivaReal buscou entender a influência do cenário político sobre os consumidores. As entrevistas foram feitas logo após a passagem do processo de impeachment pela Câmara dos Deputados.

Resultados para a Região Sul:

Os atuais eventos da política brasileira mudaram sua decisão de comprar um imóvel?

Não 62%
Sim 38%

É menos, mas ainda assim, quatro em cada dez consumidores ouvidos mudaram de ideia.

Se sim, o que mudou em relação ao valor do imóvel?

Decidi comprar um imóvel mais barato 64%
Mais caro 6%
Não influenciou 30%

Se sim, o que mudou em relação ao tempo de compra?

Decidi acelerar o processo de compra 17%
Decidi esperar e não comprar o imóvel agora 58%
Não influenciou 25%
- Além do momento político, também temos a dificuldade de acesso ao crédito imobiliário. Todo esse cenário justifica a cautela do consumidor. comenta Lucas Vargas, executivo chefe de Operações do portal VivaReal.

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

 

Juro mantido - Como ficam investimentos em renda fixa e variável

28 de abril de 2016 0

Como o mercado esperava, o Comitê de Política Monetária do Banco Central manteve a taxa básica de juros Selic. Com a crise política, não seria o momento de mexer na política monetária. Mas o recuo da inflação e a economia travada sinalizam para a necessidade de um corte futuro na Selic, que está em 14,25% ao ano.

E os investimentos?

Renda Fixa

Blog Acerto de Conta$ – Alguma orientação especial na renda fixa com a decisão do Copom?

Pier Mattei, da Monte Bravo Investimentos – Crescem apostas para uma queda no juro já na metade do ano. O aplicador tem, obrigatoriamente, que realocar algo na carteira para papéis prefixados.

Blog – Para “travar” o juro alto, né?

Mattei – Exato. É hora de travar. O melhor do prefixado já passou, mas ainda há tempo. A janela está se fechando rapidamente. O melhor é CDB de bancos médios, que pagam ainda acima de 14% ao ano.

Renda Variável

Blog Acerto de Conta$ – O investidor de renda variável precisa ficar atento a que, após a manutenção da Selic?

Bruno Madruga, da Monta Bravo Investimentos – O benefício seria uma redução da Selic, tornando o dinheiro mais barato quando as empresas tomam empréstimos, a fim de fazerem seus investimentos. Mantendo a taxa, o custo do investimento se mantém também. Mas tivemos uma votação unânime no Copom, dando um bom sinal de possível redução nas próximas reuniões.

Esse é o gráfico diário da Taxa de Juro Futura, com vencimento em Janeiro de 2022:

ac8c7018-7354-43af-a2a9-2d04083bb42e (1)

 

Existe a negociação da Taxa de Juros Futura no mercado financeiro. Vemos claramente uma queda nas taxas negociadas com prazos maiores, mais longas. O mercado financeiro está precificando que existe uma possibilidade de recuos futuros na taxa Selic. Agora, se vai ocorrer realmente, não sabemos, pois o impeachment poderia mudar a equipe do Banco Central.

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

 

Endividamento dos gaúchos atinge maior nível em quatro anos

28 de abril de 2016 2
Foto: Emílio Pedroso / Agencia RBS.

Foto: Emílio Pedroso / Agencia RBS.

 

O endividamento das famílias gaúchas alcançou em abril o índice de 70,4%. No mesmo período do ano passado, o percentual era de 49,8%.

A última vez que o indicador tinha ultrapassado a casa dos 70% foi no início de 2012. O dado é da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, divulgada pela Fecomércio-RS.

Estar endividado não quer dizer, necessariamente, estar inadimplente. As contas podem não estar atrasadas. Só que a pesquisa mostra que o percentual de entrevistados com dívidas vencidas continua aumentando.

- Esse comportamento já era esperado, conforme temos alertado nos últimos meses. E a expectativa é de que esse cenário persista, como novos endividamentos involuntários. – afirma o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn.

Motivos: queda do emprego e renda; e inflação elevada.

O que é endividamento involuntário?

É o endividamento não planejado, que decorre das restrições derivadas da atual situação econômica. Ou seja, em um cenário de deterioração do mercado de trabalho, junto à uma inflação elevada, há uma diminuição da renda das famílias. Muitas vezes, por não terem condições de efetuar o pagamento nem de suas despesas correntes, acabam por ter que endividar-se. Este tipo de endividamento não necessariamente ocorre por empréstimos, mas por uso do cheque especial ou do não pagamento de faturas de cartão de crédito.

Por outro lado, o endividamento voluntário está relacionado à uma decisão racional do indivíduo, previamente planejada. Ele ocorre quando compramos um imóvel ou bens em geral de forma parcelada. Isto é, decidimos tomar esta dívida.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Fator Athena: número de bilionárias cresce 560% em duas décadas

28 de abril de 2016 0

 

 

 

Quadro Fique de Olho

Por Mariana Ceccon

 

mulher_executiva_-_sxc.hu_

 

O número de mulheres bilionárias no mundo cresceu 559% nas últimas décadas. Relatório do Grupo UBS, empresa internacional de serviços financeiros, mostra que há sete vezes mais bilionárias do que há 20 anos. Este fenômeno é chamado de Fator Athena, em homenagem a deusa grega da sabedoria, coragem e inspiração.

Em dados absolutos, o número de mulheres bilionárias aumentou de 22, em 1995, para 145, em 2014. Já o número de novos bilionários homens cresceu 420% neste mesmo período.

Empreendedora e jornalista gaúcha, Thaise Saeter estudou o fenômeno e acrescenta: a riqueza acumulada dessas mulheres cresce mais rapidamente do que a dos homens. Destaca que o Fathor Athena representa o potencial das mulheres na administração de grandes fortunas e na geração de riqueza.

- O Fator Athena mostra uma habilidade dessas mulheres tanto na geração de riqueza a partir do zero, quanto na gestão de negócios de família. O interessante é que o Fator Athena representa mudanças significativas nos padrões e modelos femininos pré-concebidos. Nós passamos a ter exemplos que reforçam a mulher como empresária, gestora e líder mundial, que está administrando e também criando riquezas do zero.

Características em comum dessas mulheres:

- visão estratégica para os negócios
- tendência por investimentos sustentáveis que, além de gerar retornos financeiros a longo prazo, produzem impactos sociais e ambientais positivos
- capacidade de mensurar riscos
- preocupação com a formação e qualificação profissional

Outra curiosidade: a China é o país que tem mais mulheres bilionárias que saíram do zero

 

Ouça o programa Destaque Econômico, na Rádio Gaúcha. Domingos, às 9h.

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

 

Agenda Econômica 28.04

28 de abril de 2016 0

FGV divulga o IGPM, índice de inflação usado para contratos.

Estados Unidos divulga o PIB.

IBGE disponibiliza o Mapa Hidrogeológico da Região Sudeste e o Mapa de Cobertura e Uso da Terra do Mato Grosso.

Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo realiza reunião mensal de diretoria para debater como o varejo poderá enfrentar os acontecimentos políticos e econômicos e seus desdobramentos para os próximos seis meses.

Inauguração do Sonegômetro RS, da AFOCEFE Sindicato dos Técnicos Tributários da Receita , na Avenida Assis Brasil, 4101, em Porto Alegre.

Estúdio de Finanças da PUCRS promove Grupo de Debates de Economia e Política, das 18h às 19h15.

ABRH-RS realiza o Café Conosco sobre o tema Matriz de Sustentabilidade do RH: uma ferramenta de apoio para tornar o RH estratégico.

XXIV Simpósio Brasileiro de Direito Previdenciário, no Hotel Continental, em Canela.

Seminário Cenário de Crise: Caminhos e Soluções, na Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul.

Amcham promove debate sobre o tema Diversidade Corporativa: Um Dever com a Sociedade e um Fator de Competitividade.

Inauguração do Laboratório de Criatividade do Parque Científico e Tecnológico da PUCRS (Tecnopuc), no Global Tecnopuc.

Associação Brasileira das Indústrias de Calçados e a Associação Comercial e Industrial de Novo Hamburgo, Campo Bom e Estância Velha promovem o 1º Fórum Econômico do Vale do Sinos. No Teatro Feevale, em Novo Hamburgo.

Comportamento do consumidor frente à crise é tema de evento do Sindilojas Porto Alegre.

Porto Alegre terá painel eletrônico Sonegômetro para mostrar ICMS não pago

27 de abril de 2016 1

Será inaugurado nesta quinta-feira o Sonegômetro. O painel eletrônico ficará a Avenida Assis Brasil, 4101, em Porto Alegre.

O objetivo é mostrar o quanto o Rio Grande do Sul deixa de arrecadar devido à sonegação de ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). É o principal tributo do Estado.

O equipamento é da AFOCEFE Sindicato dos Técnicos Tributários da Receita Estadual. Terá atualização em tempo real.

Também pode ser consultado no site www.sonegometro-rs.org.br.

 

sonega

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Região Metropolitana tem quase 200 mil desempregados

27 de abril de 2016 0

17362118 (1)

 

Está quase batendo 200 mil o número estimado de desempregados na Região Metropolitana de Porto Alegre. Em março, atingiu 198 mil.

Mais que isso no mês, a pesquisa só registrou em março de 2009. Lá, eram 229 mil. Era a época dos efeitos mundiais da crise do subprime, iniciada nos Estados Unidos.

A taxa de desemprego aumentou de 10,1% em fevereiro para 10,7% em março. Foram registrados 12 mil desempregados a mais.

- A elevação do desemprego se deve ao fechamento de 2 mil postos de trabalho e do ingresso de 10 mil pessoas no mercado de trabalho à procura de emprego. – explica a economista Iracema Branco, coordenadora do Núcleo de Análise Socioeconômica e Estatística da FEE.

Segundo a FEE, o ingresso de pessoas no mercado de trabalho pode estar relacionado com o contingente de pessoas que está no final do seguro desemprego e retorna na busca por trabalho.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.