Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Comer fora custa em média R$ 21,51 para o trabalhador de Porto Alegre

24 de abril de 2015 1

O preço médio do almoço para o trabalhador de Porto Alegre é de R$ 21,51. O levantamento é da Associação das Empresas de Refeição e Alimentação Convênio para o Trabalhador. É o segundo valor mais baixo encontrado nas cidades pesquisadas na Região Sul:
foto blog
No entanto, o valor é apenas uma média. Há uma grande diferença entre o chamado Self-Service e a refeição A La Carte. No caso de Porto Alegre, a segunda opção custa mais do que o dobro da primeira.

imagem 2

A pesquisa divulgada pela Ticket considera preços de padarias, bares, lanchonetes e restaurantes de 51 cidades do País. A média nacional da refeição é R$ 27,36. Considera prato principal, uma fruta e/ou um suco.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Leitor pergunta como declarar imposto devolvido no Nota Fiscal Paulista

24 de abril de 2015 0

Leitor Alex pergunta:

No site da Nota Fiscal Paulista, tem o informe de rendimentos por CPF. No ano que vem, terei que lançar este ressarcimento de ICMS. É isento ou tributável?

Contador Célio Levandovski responde:

“O valor pago pela Nota Fiscal Paulista é isento, item 24 (outros). Mas, se o contribuinte receber algum prêmio do sorteio da Nota Fiscal Paulista, é rendimento tributado exclusivamente na fonte. O documento que o governo de São Paulo fornece é bem informativo.”

Leia mais: Gaúchos recuperam R$ 7 milhões em ICMS de compras feitas em lojas de São Paulo

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Leitor pergunta como declarar ressarcimento por atraso na entrega do imóvel

24 de abril de 2015 0

Leitor Alex pergunta:

Em 2014, comprei um apartamento à vista em término de construção por R$ 344 mil. Deveria ser entregue em março, mas foi entregue em julho. Fui à construtora e pedi um ressarcimento pelo atraso. Recebi R$ 3 mil.

1 – Este valor é rendimento isento ou tributável?

Contador Célio Levandovski:

“Isento. Deve lançar no item 24 (outros), pois foi uma indenização para ressarcir o contribuinte dos prejuízos com este atraso na entrega. Tal valor não tem natureza de rendimento tributável, pois serve para ressarcir o adquirente de custos que ele tenha por não ter recebido o imóvel no prazo estipulado em contrato, como aluguel de outro imóvel e eventuais prejuízos em negociações com prestadores de serviço.”

2 – Ou tenho o direito de lançar o imóvel como R$ 341 mil, se considerar uma devolução ou desconto?

“Mantém o valor de 344 mil.”

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Leitor pergunta sobre imposto a ser pago na venda do imóvel depois de comprar um novo

24 de abril de 2015 0

Leitor Joabel pergunta:

Como declarar o que foi pago de sinal na compra de apartamento, promessa de compra e venda, em torno de 20% do valor do imóvel. Só receberei o imóvel em junho e, então, terei a escritura. Entendo que só aí serei proprietário e terei efetivado a compra.
Agora, vendi o meu apartamento. Tenho que pagar ganho de capital ou prevalece a isenção para quem vende e compra outro antes de 180 dias?
É a minha dúvida, pois entendo que “promessa de compra a venda” com pagamento de sinal não seja compra do imóvel.

Contador Célio Levandovski responde:

“O entendimento da Federal Receita é que deves lançar o contrato, independentemente da escritura. Porém, ela admite que, em casos de contratos com cláusula resolutiva em função de aprovação de financiamento bancário, o contribuinte considere o valor como arras, pois o negócio só se efetiva se o financiamento for aprovado.

Acho que o leitor deve buscar um profissional e aprofundar esta análise. A Receita não reconhece a isenção quando a compra for anterior à venda.

Veja o que informa a Receita Federal no Perguntas e Respostas:
CONTRATO DE GAVETA
453 – Como declarar as aquisições efetuadas por meio de contrato particular de compra e venda ou contrato de gaveta, quando a aquisição ocorre num determinado ano-calendário e a escritura em cartório em outro ano-calendário?
O contrato particular firmado entre construtora/agente financeiro ou pessoa física e o adquirente é instrumento válido para configurar a aquisição do imóvel, mesmo que o adquirente não tenha desembolsado qualquer quantia. Assim, o adquirente deve informar os dados da aquisição no campo “Discriminação” e o valor pago até 31 de dezembro, no campo da situação referente ao ano-calendário do contrato.”

Foto: Agencia RBS.

Foto: Agencia RBS.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Produtores devem reduzir plantio de trigo no Rio Grande do Sul

24 de abril de 2015 0

A área plantada de trigo no Rio Grande do Sul deve ser menor neste inverno. Segundo a Emater-RS, regiões importantes na produção do grão dão sinais de que a redução pode chegar a 20%.

O número, no entanto, ainda está sendo analisado. A valorização do trigo nos últimos dias pode até estimular, mesmo que timidamente, os agricultores a revisarem o planejamento de plantio.

A Emater pretende finalizar até dez de maio o primeiro levantamento. O trigo é o principal grão da safra de inverno no Rio Grande do Sul. A colheita da safra de verão está sendo finalizada.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Região Metropolitana de Porto Alegre é onde os domésticos mais têm carteira assinada

24 de abril de 2015 0

A Região Metropolitana de Porto Alegre tem o maior índice de formalização do emprego doméstico no País. Aqui, 46% da categoria tem carteira assinada.

Nas demais regiões pesquisadas pelo Dieese, o índice é menor. A região de São Paulo é a que mais se aproxima de Porto Alegre, com 40%. Fortaleza é a região com índice mais baixo, com 28%.

- Houve aumento dos rendimentos, aumento do número de empregadas com proteção social, redução do contingente de empregadas domésticas, o que pode indicar migração para outras funções. Além disso, vale destacar a redução do percentual de trabalhadoras que praticam jornadas superiores a 44 horas semanais. Era 35,45% em 2012 e passou para 25,6% em 2014. – resume a pesquisadora Virgínia Donoso.

As mulheres representaram, em 2014, 96,9% dos empregados domésticos. Eram 83 mil trabalhadoras, contratadas como mensalistas com ou sem carteira de trabalho assinada, ou trabalhando como diaristas.

Aqui, a pesquisa é feita também com FEE e FGTAS.

Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Consumo de energia deve crescer 11% no próximo verão no Rio Grande do Sul

24 de abril de 2015 0
Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

O consumo de energia deve crescer 11% no próximo verão no Rio Grande do Sul. A comparação é com a estação passada e a previsão foi apresentada em reunião do Operador Nacional do Sistema na Secretarial Estadual de Minas e Energia.

Apesar do aumento, não há previsão de problemas no abastecimento desde que se confirmem as obras de transmissão e distribuição que estão em andamento. Gerente-executivo da ONS, Manoel Botelho enfatizou, no entanto, a necessidade de se antecipar todas as obras possíveis, sob risco de novos problemas no suprimento de energia no verão de 2017/2018.

Ainda conforme a ONS, o inverno gaúcho será ameno. Haverá um período de chuva e a entrada frequente de frentes frias. O Rio Grande do Sul tem suprido o sistema nacional de energia elétrica nesse período de crise hídrica, o que deverá se manter ao longo de 2015.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Operários aprovam suspensão de contratos na Pirelli de Gravataí

24 de abril de 2015 0

Operários da Pirelli aprovaram a suspensão de contratos de trabalho na unidade de Gravataí. É o chamado lay-off.

Serão suspensos os contratos de 450 funcionários, durante cinco meses. Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria da Borracha, Moacir Bitencourt, a negociação com a empresa conseguiu manter remuneração semelhante, igualdade no plano de participação nos resultados, férias e décimo terceiro salário.

A Pirelli negocia lay-off também em outras fábricas de pneus do País. O motivo é a necessidade de reduzir a produção com o freio nas encomendas, o que reflete a retração nas vendas do setor automotivo.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Federasul considera frustrante reunião sobre Imposto de Fronteira

24 de abril de 2015 0

Vice-presidente da Federasul, Simone Leite classificou de frustrante e sem avanços a terceira reunião do Fórum de Estudos do Imposto de Fronteira, ocorrida na tarde dessa quinta-feira. Segundo ela, alguma definição sobre a cobrança do Diferencial de Alíquota de ICMS de pequenas empresas do Simples Nacional será “uma decisão política”.

No encontro de ontem, as entidades empresariais entregaram novamente uma proposta de redução gradual do tributo. É o mesmo material já entregue ao governo gaúcho no início de fevereiro. Tinha sido elaborado pela Fecomércio-RS e assinado por Federasul, Fiergs e FCDL-RS.

Em tempos de crise, a Secretaria Estadual da Fazenda resiste em abrir mão da arrecadação do DIFA, que é de R$ 238 milhões por ano. Além disso, o subsecretário da Receita Estadual, Mário Luís Wunderlich dos Santos, voltou a ressaltar o quanto a adoção do modelo do Simples Gaúcho já beneficia o segmento das micro e pequenas empresas na comparação com outros estados.

- Em torno de 70% das nossas micro e pequenas empresas estão na faixa de isenção do ICMS.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Agenda Econômica 24.04

24 de abril de 2015 0

Fundação Getulio Vargas divulga a prévia da Sondagem Industrial de abril.

Cotrijuí fará assembleia com associados para deliberar sobre a proposta da plataforma de negócios Northstar Capital Partners, dos Estados Unidos. A empresa mostrou interesse em garantir em até dez anos a compra da produção de grãos e produtos beneficiados.

Palestra sobre gestão financeira pessoal “Mande no $eu Dinheiro”, na Livraria Cultura, com o economista Rogério Cauduro.

Políticas estratégicas e incentivos fiscais em um ciclo de palestras promovido pelo Martinelli Advocacia Empresarial, no Intercity Premium Hotel, em Caxias do Sul.

Curso de Legislação do Trabalho que a ABRH-RS, em Santa Maria.

Começa amanhã a FEIPET – 3ª Feira de Negócios para Animais de Estimação, em Novo Hamburgo.

Último dia da 18ª PrevenSul – Feira de Saúde, Segurança do Trabalho e Emergência.