Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Pelo menos 15% dos gaúchos já entregaram o imposto de renda

24 de março de 2017 0

Restituição Imposto de Renda 2012.

babi mugnol

 

 

 

A quase um mês do prazo final da declaração do imposto de renda, a Receita Federal recebeu mais de 5 milhões de declarações no país. São esperadas no Estado em torno de 2 milhões de declarações e 318 mil já acertaram as contas com o leão. Isso representa cerca de 15% do total esperado.

Nesta semana, dúvidas dos contribuintes começaram a ser atendidas pelos alunos do curso de ciências contábeis da Faculdade de Desenvolvimento do Rio Grande do Sul (Fadergs), em parceria com a Receita Federal, no edifício-sede do Ministério da Fazenda em Porto Alegre, conhecido como “Chocolatão”. O horário de funcionamento é das 15h às 17h.

As orientações devem ocorrer até o encerramento do prazo para a declaração , no dia 28 de abril.

Caixa anuncia novas regras para uso rotativo do cartão de crédito

24 de março de 2017 0
 Daniela Xu / Agencia RBS

Daniela Xu / Agencia RBS

babi mugnol

 

 

Foi publicado no Diário Oficial da União desta sexta-feira (24) as novas condições para o uso rotativo do cartão de crédito da Caixa. É para aquela pessoa que não paga o valor total da fatura no vencimento.

Um dos objetivos é reduzir o comprometimento de renda, já que banco anunciou as novas condições atendendo à determinação do Conselho Monetário Nacional (CMN) que limitou o uso do rotativo pelo prazo máximo de 30 dias. Assim, o valor não liquidado integralmente da fatura anterior estará totalmente contido no saldo para pagamento mínimo da próxima fatura.

O diretor executivo de Cartões da Caixa, Márcio Recalde, também ressaltou que, para isso, serão seis opções diferentes de parcelamento. O cliente continuará tendo as mesmas opções de pagar o valor mínimo, o valor total ou qualquer valor entre o mínimo e o total, mas terá ainda a possibilidade de parcelar em 4, 8, 12, 16, 20 ou 24 meses. As taxas ofertadas ficarão entre 3,30% a 9,90% ao mês.

A Caixa oferecerá, ainda, a opção do parcelamento automático do valor da fatura quando o cliente pagar qualquer valor abaixo do mínimo e diferente das seis opções de parcelamento citadas. As novas regras valem a partir do dia 3 de abril.

Rio Grande do Sul é líder em cooperação para projetos de inovação

23 de março de 2017 0
Diorgenes Pandini/Agencia RBS

Diorgenes Pandini/Agencia RBS

babi mugnol

Análise do economista Ivá Tartaruga da Fundação de Economia e Estatística (FEE) do Estado aponta a consolidação do Rio Grande do Sul como líder, no país, em cooperação nos projetos de pesquisa e desenvolvimento e de inovação em parceria com outras organizações.

O levantamento toma por base a Pesquisa de Inovação (Pintec), organizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), no período de 1998 a 2014. O percentual de empresas que cooperaram foi maior no Estado durante todo o tempo, com exceção do triênio 2009-11

Na última edição da Pintec, o Rio Grande do Sul alcançou a maior taxa de cooperação, de 19,7%, o que equivale, em números absolutos, a 915 empresas. Ainda assim, os patamares de cooperações nacionais são muito inferiores aos dos países desenvolvidos.

Os principais parceiros gaúchos são os próprios fornecedores e os clientes ou consumidores, seguidos das instituições de testes, ensaios e certificações. Embora os números indiquem uma tendência de aumento dos índices e de uma superioridade do Rio Grande do Sul no Brasil na relação cooperação-inovação, o economista prevê Impacto negativo, em 2015 e 2016, pela crise econômica.

 

Construção civil e agricultura estão entre os setores mais impactados com a liberação da terceirização

23 de março de 2017 2
Mauro Vieira/Agência RBS

Mauro Vieira/Agência RBS

babi mugnol

 

 

Um dos setores que mais comemorou a aprovação das novas regras da terceirização é o da indústria da construção civil. De acordo com Ricardo Antunes Sessegolo, presidente do Sindicato das Indústrias da Construção Civil no Estado do Rio Grande do Sul (Sinduscon-RS), a ampliação da terceirização para todos os setores vem regular o que o mercado já pratica. A construção civil trabalha com subempreitadas, mas sofria penalização porque recaía o entendimento de funcionário próprio, conforme Sessegolo.

Ele cita como exemplo uma empresa de pintura que presta serviço para uma construtora. Antes, a empresa poderia ser cobrada por não ter assinado a carteira do funcionário da empresa terceirizada, o que não vai ocorrer mais a partir de agora, segundo o presidente do Sinduscon.

Já a Federação dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil e do Mobiliário do Rio Grande do Sul (Feticom-RS) questiona as mudanças. O vice-presidente da entidade, Paulo Sérgio Alves de Souza, diz que da forma como foi aprovada a terceirização o trabalhador perde benefícios, remuneração e representação no movimento sindical.

Outro setor que vê com atenção a terceirização é o da agricultura. De acordo com o presidente da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul), Carlos Sperotto, a legislação veio para se adequar às demandas do setor, que precisa de safristas. Além de dar mais segurança nas contratações, Sperotto acredita que vai trazer mais resultados para a economia.

O presidente da Federação dos Trabalhadores Assalariados e Assalariadas Rurais do Rio Grande do Sul (Fetar), Nelson Wild, acredita que a ampliação da terceirização vai trazer mais problemas para a área rural. A entidade até admitia a prática em atividades meio, mas diz que o texto que passou traz maior precariedade ao setor, tanto na segurança dos trabalhadores quanto nos benefícios.

O presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul, Carlos Joel da Silva, diz que para a agricultura familiar o melhor não é a terceirização, mas a flexibilização para A contratação de mão de obra eventual sem gerar vínculo empregatício.

No setor do varejo, o presidente da Fecomércio, Luiz Carlos Bohn, diz que a mudança vem em boa hora e garantiu que não haverá precarização das relações trabalhistas. Já para o presidente da Central dos Trabalhadores do Brasil, Guimar Vidor, o projeto é inconstitucional e anunciou que irá questionar a legalidade da proposta no Supremo Tribunal Federal. O presidente da Fiesp disse que a terceirização não é nenhuma novidade, visto que é praticada no Brasil há mais de 40 anos. Paulo Skaf lembrou ainda que, mesmo terceirizado, o trabalhador segue protegido pela CLT. Após votação de destaques, a proposta irá à sanção do presidente Michel Temer.

Exportações gaúchas têm o maior crescimento para o mês desde 2011

22 de março de 2017 0
Miro de Souza / Agencia RBS

Miro de Souza / Agencia RBS

babi mugnol

 

 

As vendas gaúchas para o exterior cresceram tanto em valor quanto em volume no mês de fevereiro, somando US$ 934 milhões,  8,8% a mais do que no mesmo mês do ano anterior. De acordo com a análise da Fundação de Economia e Estatística (FEE), esta foi a maior taxa de crescimento do valor exportado para o mês, desde 2011, antes da crise.

É o quarto mês consecutivo em que o valor exportado cresce. Mesmo com recuo de 7,8% dos preço, o aumento de 18,1% no volume embarcado puxou também o recorde de valores.

Os principais produtos vendidos no mês foram carne de frango (10,1% da pauta exportadora), plásticos (8,9%), fumo em folhas (7,6%), automóveis de passageiros (4,2%) e calçados (4,2%).

Prévia da inflação de março é a menor desde 2009

22 de março de 2017 0
Foto: Germano Rorato/Ag. RBS

Foto: Germano Rorato/Ag. RBS

babi mugnol

 

 

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) teve variação de 0,15% em março, menor do que os 0,54% de fevereiro. Desde março de 2009, o índice não é tão baixo para os meses de março. No acumulado dos últimos 12 meses, a prévia da inflação acumula 4,73%, um pouco acima do centro da meta do governo de 4,5%.

Umas das explicações para a queda da inflação neste mês é que não há os efeitos dos reajustes das mensalidades escolares que habitualmente ocorrem no início do ano e se concentram nos índices do mês de fevereiro. Outro destaque é a queda dos preços dos alimentos, como o feijão preto que ficou 8,27% mais barato e o frango (-2,39%).

Em Porto Alegre, o IPCA-15 teve variação de 0,08%. Em janeiro, foi 0,55%. Com isso, a inflação acumulada em um ano é de 4,47%.

Projeto da terceirização pode ser votado nesta quarta-feira

22 de março de 2017 0
Foto: Divulgação Agência Petrobras.

Foto: Divulgação Agência Petrobras.

babi mugnol

 

 

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia,  pretende iniciar a votação do projeto que regulamenta a terceirização em empresas privadas e no serviço público, às 11h, desta quarta-feira (22).

O projeto divide opiniões. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, defende o projeto que flexibiliza as regras como forma de facilitar a contratação de trabalhadores. A Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (FIERGS) também tem como uma de suas bandeiras o que chama de regularização da terceirização.

Já o Ministério Público do Trabalho (MPT) reafirma a posição contrária ao projeto. Chama a proposta de inconstitucional, de retrocesso e elenca perdas que vão desde a remuneração até a organização sindical. O órgão se baseia em pesquisa do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) sobre a jornada de trabalho, que aponta que os terceirizados trabalham, em média, três horas a mais por semana em relação a um trabalhador contratado diretamente pela empresa.

Preços dos imóveis em Porto Alegre apresentam nova queda em fevereiro

22 de março de 2017 0
Ronaldo Bernardi / Agencia RBS

Ronaldo Bernardi / Agencia RBS

babi mugnol

 

 

O preço dos imóveis voltou a cair em fevereiro de acordo com o Índice FipeZap divulgado nesta quarta-feira (22). O recuo para a venda foi de 0,23% e 0,20% para o aluguel. Nos últimos 12 meses, os preços de venda acumulam queda de 2,95, e os de locação, de 7,55%.

Em Porto Alegre, o índice teve variação negativa de 0,47% em fevereiro, mas o índice acumulado em um ano é positivo, de 0,28%. Nos primeiros meses de 2017, registrou-se apenas quedas de preços na Capital. O valor médio do metro quadrado anunciado é de R$ 8.035 para venda e R$ 31,49 para aluguel.

Demanda por crédito volta a reduzir em fevereiro

21 de março de 2017 0

Cartão de crédito.

babi mugnol

 

 

A queda nos juros ainda não se reflete em aumento da demanda por crédito no país. Levantamento da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) aponta que caiu 4% a busca por crédito na comparação com o mês de janeiro e chega a 8,4% em relação ao mês de fevereiro do ano passado. A demanda por crédito já havia recuado 1,9% em janeiro, na comparação com a registrada no mesmo período de 2016.

Em um ano, a redução das compras a prazo acumula 9,5% de queda. As instituições financeiras registram a maior retração, de 14%, enquanto o comércio e outros segmentos tiveram diminuição de 6,7%.

Conforme o SPC, os resultados apontam que a demanda por crédito ainda não apresenta recuperação por conta da insegurança das famílias com relação ao mercado de trabalho e a taxa de juro, que segue alta embora acumule reduções nos últimos meses.

Aumento de ambulantes no Centro Histórico preocupa comerciantes

21 de março de 2017 0
Rosane de Oliveira / Aquivo Pessoal

Rosane de Oliveira / Aquivo Pessoal

babi mugnol

 

 

Levantamento do Sindilojas de Porto Alegre aponta que cresceu a preocupação dos comerciantes com os ambulantes no Centro Histórico. Na pesquisa divulgada agora, 85% dos lojistas sentem o aumento de comerciantes informais na região. Em outubro do ano passado, 54% manifestavam essa situação.

Além disso, mais da metade, 55% dos entrevistados se sente prejudicado pela concorrência, mas também pelo fato dos ambulantes atrapalharem a entrada e saída dos clientes das lojas, por obstrução das vias públicas e a visualização das vitrines.

Segundo o Sindilojas, os comerciantes informais no Centro Histórico movimentaram aproximadamente R$ 268 milhões em 2016. Para se ter uma ideia da dimensão, são R$ 125 milhões a menos do que o comércio formal da Capital estimou vender no Natal do ano passado. A pesquisa também mostrou que 42,7% dos consumidores da Capital compraram de vendedores ambulantes em 2016, com um gasto médio de R$ 23,27 nas compras. Na liderança dos produtos mais adquiridos estão itens de vestuário e cosméticos.

Feira para regularizar

A CDL Porto Alegre, em parceria com a prefeitura de Porto Alegre, promovem a ação Seja Legal, até quinta-feira (23), no Largo Glênio Peres, em frente ao Mercado Público, das 8h30min às 18h. A feira também oferece oportunidades para vendedores ambulantes consultar a certidão de débitos gratuitas, emissões de alvarás e licenças, além de atualização de documentos. Os interessados também serão encaminhamentos para cursos gratuitos de capacitação e programas sociais. Mais de 113 mil itens foram apreendidos pela Secretaria Municipal da Produção, Indústria e Comércio (SMIC) em ações de combate ao comércio informal no Centro Histórico da Capital em 2016.