Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts na categoria "Seu Bolso"

Violência: Seguro do carro varia mais de 20% dependendo do bairro de Porto Alegre

21 de abril de 2017 0

 

Foto: Fernando Gomes / Agência RBS.

Foto: Fernando Gomes / Agência RBS.

 

 

O aumento nos roubos e furtos de carro pesa muito no cálculo do seguro, como a gente vem noticiando. Então, o blog Acerto de Conta$ pediu ao corretor Jorge Kath, da Bika Corretora de Seguros, um comparativo dos valores para identificar o quanto a insegurança está pesando no bolso do consumidor.

Kath comenta que o carro mais roubado hoje no Brasil é o Celta, da GM, seguido por Fiat Stilo, Hyundai HB20, Fiat Siena, Peugeot 308, VW Voyage, VW Amarok, Peugeot 307 e Fiat Strada. Os dados são da Superintendência dos Seguros Privados (SUSEP).

- Em Porto Alegre, o custo do seguro do HB20 é o maior do Brasil. Isso considerando valores feitos com base em um perfil mediano e masculino. O valor varia muito com perfil do condutor.

Segundo o corretor, há uma variação que chega a 22% no preço do seguro, dependendo do bairro de Porto Alegre. Zona Norte tem liderado o ranking de ocorrências.

- Por exemplo: no centro da cidade, custaria R$ 1.000. Na Zona Sul, no Bairro Aberta Morros, custa R$ 1.040. Na Zona Norte, no Bairro Jardim Itu-Sabará, custa R$ 1.220. No Bairro Petrópolis, R$ 1.090.

O corretor fez também comparativos de quanto custa hoje a renovação do seguro de alguns carros e quanto o cliente pagava em 2014. Para perfil de motorista igual e a mesma seguradora, Kath identificou duas situações:

Queda média de 10% no preço dos carros, conforme a tabela Fipe.
Aumento médio de 15% no preço do seguro.

Kath conta que os clientes reclamam muito do aumento: “Se o meu carro está valendo menos, como o seguro não ficou mais barato.”

- Ainda assim, as famílias têm mantido o seguro do carro porque o fator risco está muito presente no dia a dia.

Se é para cortar, o seguro de vida e até o residencial passam na frente.

Leia também: Corretor orienta como deixar o seguro do carro mais barato

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

 

Negociações salariais: mais ganho real nos reajustes e menos redução de jornada

21 de abril de 2017 0

A Fipe divulgou hoje o boletim salariômetro de março que apontou redução dos efeitos da crise nas negociações salariais das categorias com os empregadores. Mais sinais de alívio para o mercado de trabalho.

Março foi o terceiro mês consecutivo com aumentos acima da inflação, na mediana das negociações analisadas. O indicador ficou em 1,8%.

Segundo a Fipe, também tem a influência da queda da inflação. E observa que os acordos estão mais favoráveis aos trabalhadores do que convenções.

Como a projeção é que a inflação siga caindo até setembro, dá espaço para a continuidade dos aumentos reais. Mesmo com a economia ainda em recessão.

Outro ponto de destaque da pesquisa de março: houve apenas três acordos de redução de jornada e de salários. O mecanismo foi muito usado pelas empresas no auge da crise.

Em março do ano passado, foram 12 casos. Mas em abril de 2016, por exemplo, foram 39 acordos de redução de jornada de trabalho com corte também nos salários.

 

Inadimplência em condomínios atinge maior nível desde 2014

20 de abril de 2017 1
Foto: Rafaela Martins / Agencia RBS.

Foto: Rafaela Martins / Agencia RBS.

 

 

A inadimplência nos condomínios atingiu o maior nível desde agosto de 2014 em Porto Alegre. O alerta é do Sindicato da Habitação do Rio Grande do Sul (SECOVI/RS).

A pesquisa traz o dado de fevereiro. No mês, o atraso no pagamento atingiu 14,9% nos condomínios.

- A situação econômica ainda difícil para muitos e o retorno às aulas, que oneram em matrícula, material escolar e uniformes, podem ter impactado nesse resultado. – analisa Lucineli Martins, do Departamento de Economia e Estatística.

Junto com a pressão da crise na elevação da inadimplência, tais situações podem ter neutralizado eventuais efeitos da legislação que entrou em vigor no ano passado prometendo agilizar a cobrança de dívidas atrasadas.

Leia mais:

Novas regras buscam agilizar cobrança de condomínio atrasado

Leitor pergunta como negocia dívidas atrasadas de condomínio

Isso que as despesas dos condomínios tiveram crescimento de 2,30% em 12 meses. Abaixo da inflação. Lucineli acredita que os orçamentos estão mais enxutos, buscando uma redução nos custos condominiais e adiando obras ou reparos.
===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

 

Leitora demitida será recontratada e pergunta se solicita seguro-desemprego

20 de abril de 2017 0

Leitor pergunta. Acerto de Conta$ responde.

Leitora Thaís pergunta:

“Estou trabalhando há 1 ano e 4 meses. A empresa onde trabalho perdeu contrato e estamos sendo desligados. Uma nova empresa irá nos contratar. Porém, como trabalho na área da cozinha de um hospital, a implantação é muito estressante e tenho artrite. A nova empresa ofereceu para eu voltar depois da implantação, o que demora em torno de dois meses. Se, durante esse tempo em que ficar desempregada, eu não entrar com pedido do seguro-desemprego, eu perco o meu tempo caso entre na nova empresa e seja desligada novamente?”

FGTAS/Coordenação Técnica Seguro-Desemprego – SINE responde:

“Esta demissão sem justa causa dá direito ao Requerimento do Seguro Desemprego. Aconselhamos o encaminhamento.

Durante o período de desemprego, poderá ocorrer o recebimento do benefício: em 30 dias a primeira parcela, 45 a segunda, 75 a terceira e assim por diante.

Havendo nova contratação, ocorre a suspensão do recebimento e a possibilidade de retomá-lo – por término de contrato temporário ou nova demissão sem justa causa (por até 16 meses a partir da demissão que deu origem ao benefício).

É comum ocorrerem duas situações:
1ª – o trabalhador não encaminha o requerimento e o novo emprego não ocorre: em 120 dias da demissão perde o direito de requerer.
2ª – não encaminha e o novo contrato finda por ser temporário: não há o que retomar pois não ocorreu o encaminhamento em tempo hábil do contrato com demissão sem justa causa.

A recomendação é sempre encaminhar o requerimento, garantindo o seu direito.”

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

Graças à gasolina, prévia aponta inflação de abril mais baixa desde 2006

20 de abril de 2017 1

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) teve variação de 0,21% em abril. Ficou acima da taxa de 0,15% de março.

Muito pelo reajuste dos medicamentos, autorizado no fim de março e aplicado ao longo de abril. Também com o aumento de alguns alimentos, como batata, ovos e leite.

Mas… A boa notícia vem da comparação com os outros meses de abril. Segundo o IBGE, desde 2006, quando o índice ficou em 0,17%, não há registro de índice mais baixo para os meses de abril.

Com isto, o índice acumulado de 12 meses caiu para 4,41%. É abaixo dos 4,73% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores.

“constituindo-se na menor variação acumulada em períodos de 12 meses desde janeiro de 2010 (4,31%).” – observa o IBGE.

E o acumulado de 12 meses é o parâmetro usado para acompanhar as metas de inflação. Neste mês, caiu para abaixo do centro da meta de inflação do Governo Federal para 2017.

Destaque para a queda nos preços dos combustíveis (-2,77%). O litro da gasolina ficou 2,24% mais barato e o litro do etanol atingiu queda de 5,48%.

Na Região Metropolitana de Porto Alegre, o IPCA-15 ficou em 0,35% em abril. No acumulado de 12 meses, fica em 4,05%.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

O que ganhou e perdeu espaço no carrinho de supermercado dos gaúchos

19 de abril de 2017 0

17207262

 

O que mudou no carrinho dos gaúchos em 2016? Pesquisa da Associação Gaúcha de Supermercados mostra o que o consumidor passou a comprar mais e o que deixou de comprar. Veja os líderes do ranking:

Compraram mais:

Cervejas especiais
Café em cápsula
Inseticidas
Rações
Produtos saudáveis

Compraram menos:

Sucos de soja
Cortes bovinos
Óleos de soja
Sabão em pó

 

Canadá confirma e divulga regras para entrada livre de brasileiros com visto dos Estados Unidos

19 de abril de 2017 0

18479652

 

Intenção tinha sido anunciada em novembro de 2016 e hoje foi confirmada: a partir do dia 1º de maio, às 10h, brasileiros com visto dos Estados Unidos poderão entrar no Canadá. Será necessária apenas uma Autorização Eletrônica de Viagem. Vale também para cidadão com visto canadense emitido nos últimos 10 anos, mesmo que vencido.

“Através dessa iniciativa, cidadãos do Brasil que tiveram um visto canadense emitido nos últimos 10 anos, ou que possuam um visto americano de não imigrante válido, serão elegíveis a solicitar um eTA.” – informa o governo canadense.

O processo de solicitação é simples e de baixo custo. São apenas sete dólares canadenses. Atualmente, custa de R$ 700 a R$ 1.000 para emitir um visto para o Canadá, explica Alan Lunardi, da Porto Vistos, de Porto Alegre.

Além disso, a solicitação é feita pela internet e leva apenas alguns minutos. A autorização é válida por cinco anos ou até que o passaporte perca a validade. Permite que pessoas viagem ao Canadá quantas vezes desejarem por curtos períodos para estudar, visitar, fazer negócios ou transitar por um aeroporto canadense.

Alan Lunardi, da Porto Vistos, comemora porque vai baixar muito o gasto do viajante, ainda mais com a abertura do consulado em Porto Alegre. Olha um comparativo que o empresário fez para o blog Acerto de Conta$:

Hoje:

- Custo de um visto americano e com viagem ao consulado: R$ 1,5 mil a R$ 2 mil

- Visto Canadense: R$ 700

Depois:

- Visto americano: U$ 160, o que fica R$ 512

- Visto canadense: 7 dólares canadenses, o que fica R$ 16

===

Sobre o consulado dos EUA, leia:

Consulado dos Estados Unidos reforça previsão de abrir até junho em Porto Alegre

Consulado dos Estados Unidos será aberto até junho em Porto Alegre

===

Resumo das novas regras para o Canadá:

canada

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

Crise aumentou o emprego doméstico na Região Metropolitana e reduziu salário

19 de abril de 2017 0

Com a crise econômica, aumentou o emprego doméstico. E além disso, a jornada de trabalho ficou maior e os rendimentos caíram.

Isso apareceu no recorte feito na pesquisa da Fundação de Economia e Estatística. Considera a Região Metropolitana de Porto Alegre.

Conforme a pesquisa, o serviço doméstico apresentou crescimento de 2,3% em 2016. No mesmo período, o chamado nível ocupacional geral registrou a mais intensa retração de toda a série histórica, iniciada em 1993.

No ano passado, a participação dos serviços domésticos foi 5,5% no total dos ocupados na Região Metropolitana de Porto Alegre. As mulheres representam 97,3% do segmento.

- O crescimento por dois anos seguidos acompanha a trajetória de comportamento adverso por dois anos consecutivos do mercado de trabalho, frente uma conjuntura de forte recessão da atividade econômica. O serviço doméstico é uma importante alternativa de trabalho, principalmente, para as mulheres maduras e com baixa escolaridade. – comenta a economista da FEE Iracema Castelo Branco.

A pesquisa estimou em 90 mil as trabalhadoras domésticas na RMPA, em 2016. É  um acréscimo de 2 mil em relação ao ano anterior.

- Elas são contratadas como mensalistas com ou sem carteira de trabalho assinada, ou trabalham por conta própria como diaristas.

As mulheres não negras seguem sendo maioria das trabalhadoras domésticas. Já com relação à idade, a pesquisa revela que o serviço doméstico passou a ser atrativo para mulheres com menos de 40 anos, já que a parcela relativa das trabalhadoras acima dessa idade reduziu de 77,2% em 2015 para 75,3% em 2016, comportamento que não era observado desde 1996.

A maior parte das trabalhadoras domésticas segue sendo de baixa escolaridade, 43,5% não haviam concluído o ensino fundamental em 2016 contra 47,4% em 2015.

- A redução desse indicador deveu-se ao aumento daquelas com o ensino fundamental completo, que passou de 27,0% para 30,0%, no período analisado. Esse comportamento deve estar relacionado ao fato de mulheres com menos de 40 anos terem ingressado no serviço doméstico em decorrência do fechamento de postos de trabalho em outras ocupações.

Em 2016, a jornada média semanal de trabalho das domésticas aumentou em uma hora em relação ao ano anterior. Desde 2013, com a aprovação da Emenda Constitucional n° 72, a jornada de trabalho das empregadas domésticas limita-se em 44 horas semanais. Só que, em 2016, 23% das empregas domésticas com carteira assinada tiveram uma jornada acima disso.

Já o rendimento médio real para o total de trabalhadoras domésticas apresentou redução de 6,3%. Em valores monetários, o rendimento médio real correspondeu a R$ 1.126.

Com relação à proteção social, a situação das mensalistas sem carteira assinada é uma das mais precárias, considerando as garantias de seus direitos trabalhistas. Situação verificada entre as diaristas também.

- Essa condição pode ser agravada com a proposta de reforma que está em debate, uma vez que são mulheres maduras e teriam idade avançada para iniciar uma contribuição com vistas à aposentadoria. A tendência é ficarem à margem de alguma proteção social, gerando custos em outros segmentos, como a saúde pública. –  analisa a economista do DIEESE, Virgínia Donoso.

12 dicas para pagar menos Imposto de Renda (sem infringir a lei)

18 de abril de 2017 2
Foto: CC0 Public Domain.

Foto: CC0 Public Domain.

 

O prazo para envio da declaração termina dia 28 de abril. Mas muita gente ainda está empenhada com o Imposto de Renda.

Diretor Operacional da Fortus Consultoria Contábil, Evanir Aguiar dos Santos, dá 12 dicas para pagar menos imposto:

1 – COMO PAGAR MENOS IMPOSTO DE RENDA PESSOA FÍSICA?

- Escolha do melhor modelo para declarar
a. Existem dois modelos: o Simplificado e Completo
i. Simplificado – 20% dedução direta
ii. Completo – permite deduzir despesas

b. Sugestão: mesmo que antes tenha entregue a simplificada, utilize as despesas e faça a simulação

2. ANALISAR A DECLARAÇÃO EM CONJUNTO

a. Conjunto – soma as rendas

b. Só é vantajosa se o cônjuge possui pouca renda ou somente rendas isentas e tem despesas dedutíveis

c. Sugestão: simular as duas situações

3. DECLARAÇÃO EM SEPARADO DE FILHOS QUE RECEBEM PENSÃO

a. Quando se informa um dependente na declaração, é obrigatório informar sua renda e ela somará aos seus rendimentos e aumentará a base de cálculo do imposto

4. É POSSÍVEL DIVIDIR RENDAS DE ALUGUÉIS DE IMÓVEIS DO CASAL?

a. Com isso, o valor a ser somado cai pela metade

b. Além disso, é possível declarar apenas para aquele que está na menor alíquota

c. Sugestão: simular as situações

5. RENDA DE ALUGUEL – É POSSÍVEL ABATER TODOS OS GASTOS QUE O PROPRIETÁRIO TENHA QUE PAGAR, COMO POR EXEMPLO, IPTU, TAXA DE ADMINISTRAÇÃO DA IMOBILIÁRIA, ENTRE OUTRAS?

a. Necessário informar nos pagamentos os dados da imobiliária que administra o bem

6. DESPESAS COM EDUCAÇÃO DE DEPENDENTES COM DEFICIÊNCIA PODEM SER LANÇADAS COMO DESPESAS MÉDICAS?

a. Dessa forma, todo o valor será dedutível, sem limites, como há nas despesas com educação

b. É necessário ter laudo médico e guardar os comprovantes

7. PENSÃO ALIMENTÍCIA JUDICIAL

a. O valor pago como pensão alimentícia judicial é totalmente dedutível

b. O detalhe é que algumas vezes valores pagos mensalmente como doação para pais, avós etc. que possuem renda e não podem ser seus dependentes, seriam dedutíveis se houvesse decisão judicial.

8. ACRESCENTE GASTOS COM REFORMAS AO CUSTO DO IMÓVEL

a. Ganho é tributado com 15% sobre a diferença

b. Quanto maior o valor, menor o ganho

c. Receita não permite atualizar o valor

d. Necessário manter guardados os comprovantes por 5 anos

i. Também podem: corretagem, ITBI e despesas do financiamento

9. IMÓVEL RECEBIDO COMO HERANÇA: AVALIAR A TRANSFERÊNCIA PELO VALOR DE MERCADO

a. Quando finalizado o formal de partilha e os bens forem divididos, é possível optar pela transferência do bem pelo valor da declaração ou pelo valor de mercado

b. Neste caso, quando o imóvel tiver sido adquirido há vários anos, é possível utilizar o valor de mercado e transferir pelo novo valor

c. Cuidado, que neste caso deve ter de realizar o GCAP e calcular o valor devido

d. O imposto será pago antecipado, mas com descontos

e. Quando o herdeiro for vender, o ganho poderá ser menor e pagará menos imposto

10. PREVIDÊNCIA PRIVADA – DEDUÇÃO DE ATÉ 12% DO RENDIMENTO TRIBUTÁRIO

a. Valores pagos para PGBL são dedutíveis até 12%

b.Cuidado, VGBL é bem e será tributado somente quando houver o resgate ou recebimento mensal

11. EMPREGADO DOMÉSTICO

É possível efetuar dedução do valor pago a título de inss no IRPF

12. LIVRO CAIXA – PARA QUEM É AUTÔNOMO

a. Mesmo que preste serviços somente para PJ, é possível utilizar as despesas do Livro Caixa.
===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

 

Lojas de calçados e roupas do interior sentem reação nas vendas

18 de abril de 2017 0

17510968

 

Frio chegando, queda na venda de chocolates, liberação do FGTS… Estão entre os motivos que fizeram as vendas do varejo reagirem na primeira quinzena de abril.

A avaliação é dos lojistas do interior do Rio Grande do Sul. As informações foram coletadas pelo presidente da Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo, Vilson Noer.

- A Páscoa veio na hora certa. Vendas de artigos de moda, como prevíamos, foram boas.

Na comparação com o mesmo período do ano passado, aumento nominal de 5% no faturamento das lojas de calçados. No caso das roupas, alta nominal de 8%. Ambos resultados ficam acima da inflação.

Continuando assim, os lojistas do interior acreditam que abril fecha positivo. Mesmo com os vários feriados, que afetam um bocado as vendas.

Porto Alegre e Região Metropolitana, no entanto, não estão com estes números, avisa o presidente da AGV. Interior está em outra sintonia, diz ele. Aqui, o aumento de vendas fica entre 3% e 4%.

- Acho que, por aqui, o feriadão matou o sábado, que tem participação muito forte nas vendas.

===

Leia também:

Dono de lojas vira garoto-propaganda da liquidação e eleva vendas em 50%

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.