Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts na categoria "Seu Bolso"

De olho no extrato do banco

16 de junho de 2015 0

Coluna Acerto de Conta$, no Diário Gaúcho.

Quando olha o extrato do banco, você tem o costume de conferir quanto o banco está descontando de taxas de serviço? Já somou o quanto isso chega em um ano?

Pois pode ser uma quantia significativa. E, pior ainda, ter aumentado bastante nos últimos tempos.

Pesquisa do Instituto de Defesa do Consumidor apontou aumento de quase metade dos 75 pacotes de serviços oferecidos por seis bancos pesquisados. Em um ano, teve alta de superior a 75%, ou seja, quase dez vezes a inflação. Os reajustes foram mais intensos nos pacotes intermediários, que são os mais usados.

Os serviços avulsos, então! O aumento praticado por um banco chegou a 136% para a anuidade do cartão de crédito.

Como funciona?

Em geral, o cliente contrata um pacote quando abre a conta no banco. É um número limitado de serviços, como retiradas de talão de cheque. Ao ultrapassar isso, uma tarifa avulsa é cobrada.

Dica do Acerto de Conta$: Que tal botar ordem na casa, pedindo para o banco as informações sobre o seu pacote e as tarifas? Depois, tente negociar com o gerente. Há casos em que a pessoa movimenta tanto o dinheiro ou tem uma aplicação financeira de valor elevado, que o cliente consegue isenção parcial e até total das taxas.

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS.

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Pesquisa aponta baixa concorrência entre postos de combustível de Porto Alegre

12 de junho de 2015 0
Foto: Diego Vara / Agencia RBS.

Foto: Diego Vara / Agencia RBS.

O mercado de postos de combustível de Porto Alegre passou a ser considerado de “não concorrência” na pesquisa mensal da Universidade Federal de Rio Grande. O levantamento constatou alinhamento de preços no litro da gasolina usando dados da pesquisa da Agência Nacional do Petróleo no fim de maio.

Com isso, Porto Alegre passou a ser uma das cinco capitais brasileiras consideradas com baixa concorrência de preços. Além disso, no Rio Grande do Sul, foi a quarta cidade que apresentou o maior alinhamento de preços da gasolina. São cerca de 40 pesquisadas e lideram este ranking Santana do Livramento, Lajeado e Bagé.

O valor médio do litro estava em R$ 3,286 para o consumidor. Na distribuidora, o litro custava em média R$ 2,836.

Coordenador da pesquisa, Tiarajú de Freitas acredita que é um movimento sazonal.

- O ponto é sabermos se o preço praticado é o esperado para o mercado Porto Alegre. Pode-se usar o comportamento da margem de revenda, que é a diferença entre o preço que o posto paga ao seu distribuidor e o que cobra na bomba de combustível. É uma variável equivalente à margem de lucro e pode mostrar se o alinhamento que está ocorrendo em Porto Alegre é com preço elevado.

A margem média de revenda entre os municípios gaúchos é de 16%. A margem de Porto Alegre é de 14%.

- Portanto, mesmo com Porto Alegre entrando em alinhamento de preços, como a margem não está elevada, não parece estar havendo alinhamento em decorrência do aumento da margem de revenda (de lucro). Só que o consumidor vai ter dificuldade para encontrar um posto com preço inferior ao médio.

Diferença

Hoje, a diferença de preços chega a R$ 0,30 por litro da gasolina comum. Considerando os últimos dados da pesquisa da ANP:

Litro mais barato: R$ 2,99 – Combustíveis Pegasus – Avenida Ipiranga, 2495

Litro mais caro: R$ 3,299 – Em diversos postos.

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Corretora de Porto Alegre inclui empresas de farmácia e turismo na carteira de ações

12 de junho de 2015 0

Corretora de Porto Alegre há quase 50 anos, a Geral Investimentos acrescentou duas empresas nos seus fundos de investimento em ações neste semestre. Uma delas é a Raia Drogasil, do varejo farmacêutico, e a outra é a CVC, que presta serviços de turismo. O analista-chefe, Carlos Müller, explica:

“A Raia Drogasil é a companhia líder no mercado brasileiro de drogarias, com 1091 lojas em operação, predominantemente na região Sudeste. Atualmente, possui foco em expansão orgânica. Inserida em um setor resiliente à atual conjuntura econômica, a companhia deverá apresentar bons resultados ao longo de 2015, mantendo taxas de crescimento bastante expressivas.
A CVC é a maior operadora de turismo no Brasil. O segmento turístico tem apresentado crescimento expressivo nos últimos anos, apesar do ambiente macroeconômico mais difícil. Para 2015, a companhia está focada no lançamento de serviços no mercado de intercâmbio, crescimento online e na incorporação da Duotor. Apesar de um ano de desaceleração macroeconômica a empresa espera crescimento de duplo dígito, gerar um caixa robusto e ganhar market share de concorrentes menores.”

Os fundos da Geral Investimentos são formados por companhias, em sua maioria, representantes de setores como Alimentos e Bebidas, Financeiro, Tecnologia e Consumo, com foco no segmento farmacêutico. Outra posição, que vem ganhando relevância desde o final do ano passado, é em empresas com forte atuação no mercado internacional e, portanto, com operações atreladas ao dólar.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Consumidor do Sul compra menos e reduz idas às lojas

12 de junho de 2015 0
Foto: Julio Cavalheiro / Agencia RBS.

Foto: Julio Cavalheiro / Agencia RBS.

O consumidor da Região Sul reduziu em 8,2% o volume de compras no comércio no primeiro trimestre do ano. O dado está na atualização da pesquisa Consumer Insight, da Kantar Worldpanel. O levantamento mostra ainda que o morador do Sul reduziu em uma vez a média de idas ao ponto de venda.

“A Região Sul mostra perfil mais racional” – analisa a Kantar.

A pesquisa mostra que todas as classes sociais tiveram mudança no comportamento. Mas a maior queda foi na Classe C, principalmente na redução de 12% no consumo.

A Classe DE teve a menor queda. Consumiu 3% menos no primeiro trimestre, apesar de ter reduzido também as idas ao mercado. A Classe AB não cortou as visitas ao ponto de venda, mas também diminui o consumo.

Entre os canais de venda, o atacarejo foi o que registrou o ticket médio mais elevado, R$ 74,12, e um crescimento de 22% no volume comercializado. Já o mais impactado pela mudança geral no comportamento foi o hipermercado, que vendeu 15% menos em volume.

Destaques de aumento no consumo: cream cheese, molho para salada, alvejante sem cloro, batata congelada e linguiças.

Destaques de queda no consumo: complemento alimentar, cloro, leite fermentado, pasteurizados e bebida à base de soja.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Procon recorre na Justiça e alerta que vendas da Oi devem seguir suspensas

11 de junho de 2015 0
Foto: Agencia RBS.

Foto: Agencia RBS.

O Procon do Rio Grande do Sul prepara recurso contra decisão judicial que permite a retomada das vendas de linhas de celular e telefone fixo pela Oi no Estado. É um agravo de instrumento alegando que o argumento da operadora na ação não está correto.

- A empresa afirmou à Justiça que já tinha assinado um Termo de Ajustamento de Conduta com o Procon. Mas a Oi se referia a um TAC firmado sobre outro processo e não esta ação cautelar em que determinamos a suspensão de vendas por mau atendimento ao consumidor. – diz a diretora do Procon-RS, Flávia do Canto Pereira.

Segundo Flávia, o Procon também não foi notificado da decisão e, portanto, as vendas devem seguir suspensas. No entanto, Procons do interior relatam que a comercialização foi retomada. No site, também não há mais o aviso de suspensão de venda.

Leia mais:

Oi suspende vendas após determinação do Procon

Procon suspende venda de linhas telefônicas da Oi no Rio Grande do Sul

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Leitor pergunta o que fazer com o cartão de crédito não solicitado, mas enviado pelo banco

10 de junho de 2015 0

Leitor Emerson Dutra pergunta:

“Um banco me enviou um cartão de crédito sem eu pedir. Agora, estão me cobrando anuidade. O que faço? Cabe uma indenização por dano moral na Justiça? Eu nem cheguei a desbloquear o cartão.”

Enviar um cartão não solicitado pode ser considerada prática abusiva, segundo o Código de Defesa do Consumidor. O Procon do Rio Grande do Sul orienta enviar uma correspondência com aviso de recebimento (AR) para o banco ou a administradora demonstrando que não tem interesse no cartão de crédito, exigindo o imediato cancelamento e pedindo para que a empresa se manifeste em até dez dias. Se não houver resposta no prazo, o consumidor deve procurar um Procon.

“CDC artigo 39, inciso III, veda aos fornecedores de serviços, dentre outras práticas, ‘enviar ou entregar ao consumidor, sem solicitação prévia, qualquer produto ou fornecer qualquer serviço’.”

O consumidor também pode acionar a Justiça. Súmula recente do Superior Tribunal de Justiça determinou que enviar cartão de crédito sem conhecimento do cliente gera dano moral com indenização.

   “Constitui prática comercial abusiva o envio de cartão de crédito sem prévia e expressa solicitação do consumidor, configurando-se ato ilícito indenizável e sujeito à aplicação de multa administrativa”.

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS.

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Juro no crediário subiu 38% no Rio Grande do Sul desde o início do aperto monetário

10 de junho de 2015 0

Desde março de 2013, o juro no crediário das lojas gaúchas aumentou 38%. Desde lá, o Banco Central iniciou o ciclo de aperto monetário, deixando de reduzir a taxa básica de juros Selic.

Atualmente, o juro médio do crédito no varejo do Rio Grande do Sul atinge 84,36% ao ano. A taxa mensal média fica em 5,23%.

A pesquisa é da Associação Nacional dos Executivos de Finanças. Entre os sete Estados pesquisados, o maior juro é cobrado em Minas Gerais.

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Fabricante terá que indenizar vendedor que teve que comprar mercadorias para atingir meta

10 de junho de 2015 0

O Tribunal Superior do Trabalho condenou uma fabricante de bebidas a indenizar um vendedor que foi pressionado a comprar mercadorias para atingir as metas estipuladas. Do Rio Grande do Sul, o trabalhador alegou que a Ambev fixava metas de venda quando a comercialização estava baixa ou refrigerantes, chás e cervejas pretas estavam prestes e atingir a data de validade.

Se descumpridas estas metas, a comissão sofria “redução drástica”. Então, os vendedores compravam em nome dos clientes.

Baseado em depoimentos de testemunhas, o Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região condenou a empresa a pagar 10% da remuneração do vendedor, que recebia cerca de R$ 1,8 mil por mês, pela compra de mercadorias, e R$ 50 mil de indenização por dano moral.

A Ambev recorreu da decisão ao TST, dizendo que as acusações não ficaram comprovadas. Mas o relator, ministro Walmir Costa, entendeu que a lei não foi violada pelo TRT.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Justiça decide que cliente tem ser notificado pessoalmente sobre cancelamento do seguro

10 de junho de 2015 0

A Justiça de Porto Alegre entendeu que o cliente tem que ser notificado pessoalmente quando o seguro for cancelado. No caso analisado, a Mapfre Seguros Gerais rescindiu unilateralmente por atraso na prestação e a decisão foi que a consumidora tinha que ser indenizada por danos materiais e morais. O valor supera R$ 40 mil.

A autora da ação envolveu-se em acidente com o automóvel Chevrolet Captiva e o ressarcimento do prejuízo, de R$ 23.609,99, foi negado pela seguradora, que alegou atraso em parcelas. Como o pagamento era com débito em conta, também culpou o Sicredi. Os réus sustentaram que a responsabilidade pelo atraso era da cliente, contestaram o valor do conserto e rechaçaram a hipótese de dano moral.

Na decisão, o juiz Ramiro Cardoso lembrou que há mais de década o Superior Tribunal de Justiça entende que apenas a inadimplência não é suficiente para a rescisão do contrato, sendo indispensável a notificação pessoal do segurado. Responsabilizou a seguradora apenas. Entendeu que o banco não tem que indenizar porque a Mapfre deveria ter mandando o cliente regularizar o pagamento.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Inflação oficial acelera para mais longe ainda da meta do Governo Federal

10 de junho de 2015 0
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS.

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS.

Inflação oficial do País, o IPCA avançou para 8,47% no acumulado de 12 meses. Na pesquisa anterior, estava em 8,17%. Os dados foram divulgados pelo IBGE nesta quarta-feira.

Com isso, se afasta ainda mais da meta do Governo Federal. O teto para 2015 é IPCA em 6,5%. O centro da meta seria 4,5%.

Maio

Em maio, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo apresentou variação de 0,74%, avançando sobre os 0,71% de abril.

A energia elétrica voltou a ser a maior contribuição individual. O IBGE ressalta que é um dos principais itens na despesa das famílias e, por isso, pesa na estrutura do cálculo.

Na Região Metropolitana de Porto Alegre, o aumento da energia não foi tão alto em maio: +3,94%. Em 12 meses, no entato, é a quarta maior entre os locais pesquisados pelo instituto, acumulando aumento de 70,07%.

IPCA de Porto Alegre

A Região Metropolitana acumula inflação maior do que no País. Em 12 meses, fica em 8,85%.

Mesmo sem aumento de energia significativo em maio, também teve IPCA acima da média nacional. Ficou em 0,97%.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.