Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "comércio"

Justiça nega redução da conta de energia de rede de lojas de Porto Alegre

08 de maio de 2017 0
Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

 

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região negou pedido de liminar de uma rede de lojas do Rio Grande do Sul para suspender a cobrança na conta de luz da chamada Conta de Desenvolvimento Energético. A CDE é um dos encargos que compõem a fatura.

A rede que fez o pedido judicial é a lojista gaúcha de artigos esportivos Ughini. Terá, então, que seguir pagando a totalidade das faturas de energia elétrica das quatro lojas que tem em Porto Alegre.

A empresa ajuizou ação na 5ª Vara Federal de Porto Alegre com pedido de tutela antecipada em novembro do ano passado. A liminar foi indeferida e a autora recorreu ao Tribunal.

O TRF lembra que a CDE é um encargo setorial cobrado pelas concessionárias de distribuição de energia elétrica:

“com o objetivo de promover a universalização do serviço em todo o território nacional, conceder descontos a usuários de baixa renda e custear sistemas elétricos isolados, entre outros.”

Os advogados alegam que as novas finalidades para a CDE, estipulada por decreto, são inconstitucionais. Acrescentam que a empresa é usuária intensiva de energia elétrica nas suas operações e a elevação do custo provoca perda de competitividade. Argumentam que este alto custo impede o sucesso do plano de recuperação e pagamento dos credores.

Relator no Tribunal, desembargador federal Luís Alberto Aurvalle disse que há os requisitos para a concessão de uma liminar como o perigo da demora. Para o desembargador, é um pedido estritamente econômico e não há elementos concretos que apontem para a possibilidade de quebra da empresa ou de inviabilização das atividades econômicas por pagar os valores enquanto tramita o processo.

Apesar da liminar negada, a ação segue tramitando na 5ª Vara Federal de Porto Alegre.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

 

Depois de 27 meses, comerciantes gaúchos recuperam otimismo

03 de maio de 2017 0

Após 27 meses longos meses pessimistas, a confiança dos empresários gaúchos do comércio voltou para o chamado “patamar otimista”. É a pesquisa mensal da Fecomércio-RS.

O indicador rompeu a barreira dos 100 pontos, que divide o pessimismo do otimismo pela metodologia da pesquisa. A alta em abril foi de 22,7% em relação ao mesmo período do ano passado. Então, o Índice de Confiança do Empresário do Comércio do Rio Grande do Sul atingiu 100,4 pontos.

- Aos poucos, a confiança volta para a economia brasileira, ainda que muito motivada pela expectativa de melhora futura do que de uma percepção efetiva de melhora no momento presente. – pondera o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn.

Os motivos são os que já estamos falando: redução mais acelerada dos juros e inflação, além do andamento de reformas no Congresso.

No caso das condições atuais (ICAEC): Elevação de 50,9% sobre o mesmo mês de 2016, registrando 72,4 pontos.

Já nas expectativas dos empresários do comércio (IEEC): crescimento de 25,7% sobre abril de 2016, atingindo 146,7 pontos.

Mas… Esta melhor não aparece com tanta força na perspectiva de contratação de funcionários ou de investimento.

- Ainda vai demorar para retomarmos o investimento e as contratações, pois há muita ociosidade na economia brasileira. Todavia, a melhora da confiança pode nos mostrar que esse tempo pode ser reduzido. – destacou o presidente da Fecomércio-RS.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

Internet e shoppings ganham espaço para compra do presente de Dia das Mães

26 de abril de 2017 0
Foto:  Rafaela Martins / Agencia RBS.

Foto: Rafaela Martins / Agencia RBS.

 

A intenção do pessoal de Porto Alegre de comprar o presente de Dia das Mães no shopping aumentou bastante em relação ao ano passado. A opção era citada por 25% dos entrevistados em 2016 e passou para 37% agora em 2017.

O resultado apareceu na pesquisa encomendada por CDL e Sindilojas Porto Alegre. Mas os dados exclusivos enviados para o blog Acerto de Conta$ têm outra informação que chama mais atenção ainda:

Aumentou – e muito! – a intenção de comprar presentes pela internet. Era opção de 1,3% dos entrevistados no ano passado. E pulou para 8% em 2017. Ainda é um percentual baixo, mas aumentou um bocado.

E fica a dica: a pesquisa mostra ainda que desconto e preço lideram disparados a lista do que define o local de compra.

Estadual

A pesquisa estadual muda de resultado. É feita pela Fecomércio-RS e mostra que as lojas de centro das cidades mais uma vez despontam como as preferidas para as compras de Dia das Mães. Foram citadas por 53% dos entrevistados. Os shopping centers aparecem como segunda opção, apontados por 17,9%.

O frio chegando anima o comércio. Era o ingrediente principal para vendas melhores para o Dia das Mães, avisa o presidente Vilson Noer, da Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo.

 

 

 

Tradicional loja de roupa de Caxias do Sul vira feira de chocolate

11 de abril de 2017 0

Quadro Serra de Negócios, no Destaque Econômico.

Por Babiana Mugnol (babiana.mugnol@rdgaucha.com.br)

 

Foto: Babiana Mugnol / Gaúcha Serra.

Foto: Babiana Mugnol / Gaúcha Serra.

 

Uma das mais tradicionais lojas de Caxias do Sul, na Avenida Júlio de Castilhos esquina com a Rua Garibaldi, virou uma feira de Páscoa. Não é a primeira vez que a loja de roupas Fedrizzi ficou meses fechada, mas depois acabou sendo reaberta. Desta vez, não há previsão que ela volte a funcionar e o dono da marca, Gilberto Fedrizzi, não quis comentar o futuro do empreendimento, já que o aluguel para a feira de chocolates é só de um mês. Com histórico recente de dificuldades financeiras e baixa nas vendas, a loja Fedrizzi chegou a ser palco de um protesto de ex-funcionários no final de 2015.

João Ricardo da Silva Melo, que alugou o espaço, promove feira de páscoa há 15 anos em Caxias e disse que o preço maior cobrado pelo aluguel temporário compensa justamente pelo ponto tradicional na cidade. Nos outros anos, ele já alugava espaços centrais, inclusive na Avenida Júlio de Castilhos, mas reconhece a força do Edifício Estrela, que tem mais de 45 anos, como referência na cidade.

A movimentação maior de Páscoa é esperada para agora, mas desde a metade da semana o comerciante tem percebido aumento de procura. As feiras são opções para quem busca chocolates mais artesanais e com preços diferentes de mercado. Outro gerente de feiras na cidade de Caxias, Luiz Flavio Bastos, está vendendo chocolates em quatro pontos diferentes da cidade e percebe uma melhora do mercado neste ano, mas principalmente para chocolates menores ou grandes, os médios ainda estão tendo menos saída.

 

Caxias do Sul - Obras do comércio criado na antiga Eberle estão quase prontas

03 de abril de 2017 0

Quadro Serra de Negócios, no programa Destaque Econômico.

Por Babiana Mugnol (babiana.mugnol@rdgaucha.com.br)

 

Foto: Babiana Mugnol / Gaúcha Serra.

Foto: Babiana Mugnol / Gaúcha Serra.

 

Obras na antiga metalúrgica Eberle para comércios na Rua Os Dezoito do Forte serão concluídas até o final de abril

Quem passa pelo prédio histórico da antiga Metalúrgica Eberle, na Rua Os Dezoito do Forte (Caxias do Sul), percebe que as obras de reforma estão em fase final. A empresa que adquiriu a estrutura, a GCI Investimentos, projeta para o final de abril a inauguração. Faltam acabamentos, como pintura, iluminação e jardins.

O prédio nesta rua vai abrigar 11 lojas de rua. Pelo menos, três comércios – no segmento de lanches, financeiro e informática – já têm contratos fechados.

- A procura tem sido boa até porque a marca Eberle como ponto de referência é muito forte. – destaca José Luiz Michelin, executivo da GCI Investimentos.

A primeira parte de recuperação do prédio na Rua Sinimbu foi inaugurada ainda no início do ano passado. A terceira e última fase, na Rua Borges de Medeiros, deve ser finalizada em três meses.

- Ainda estamos trocando todo o reboco externo, o que exige um prazo maior.

O investimento total na recuperação passa de R$ 10 milhões.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

Pesquisa do IBGE aponta forte alta na venda do varejo gaúcho

30 de março de 2017 0

A pesquisa divulgada hoje pelo IBGE surpreendeu o varejo do Rio Grande do Sul. Veio apontando uma forte alta de 11,7% no volume de vendas em janeiro, sobre dezembro. É feito o ajuste sazonal.

Foi o maior crescimento do País. Na média nacional, o comércio apontou queda de 0,7% nas vendas.

Comparando com janeiro de 2016, as vendas ficaram estáveis. Não cresceram, nem caíram. Nesta comparação, chama a atenção o crescimento de 38,8% no segmento de têxteis, vestuário e calçados.

Presidente da Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo, Vilson Noer contesta a metodologia do IBGE.

- Não alcança as médias e pequenas empresas. Acredito que só entrem empresas com mais de cinco empregados. Em Porto Alegre, em janeiro, as vendas gerais cresceram 7%. Moda “beliscou” 10% ou 12%.

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

Endividamento do gaúcho começa ano em queda e inadimplência cresce

26 de janeiro de 2017 0

O nível de endividamento dos gaúchos encerrou o primeiro mês de 2017 em queda em todas as faixas de renda. Ficou em 65,1%. Queda na comparação com janeiro do ano passado e recuo ainda mais intenso na comparação com dezembro.

Os dados são da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, da Fecomércio-RS. Indica que a parcela da renda comprometida com dívidas em janeiro, na média em 12 meses, foi de 31,9%. Já o tempo de comprometimento da dívida no período de 12 meses ficou em 7,7 meses.

O cartão de crédito ainda é o principal meio de dívida dos gaúchos, apontado por 78,6% dos entrevistados. É seguido por carnês (22,6%), cheque especial (14,8%) e financiamento de veículos (10,8%).

Só que…

O percentual de famílias com contas em atraso (27,7%) cresceu em relação ao mesmo mês do ano passado. Mostra que o número de famílias com dificuldade de sair da inadimplência é cada vez maior.

- Apesar de esperarmos que a atividade econômica se recupere em 2017, como há ainda muita ociosidade nas empresas, a retomada vai demorar para impactar no mercado de trabalho. Por isso é razoável observar indicadores de inadimplência altos ao longo de 2017. – destaca o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn.

Apesar de o cenário restritivo do mercado de trabalho ser um estímulo à inadimplência, a queda da taxa de juros pode contribuir para a renegociação das dívidas.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

 

Famílias do Sul têm o maior endividamento do País

24 de janeiro de 2017 0

A Região Sul fechou 2016 com o maior endividamento das famílias. O resultado está na pesquisa da Confederação Nacional do Comércio.

Aqui, o endividamento das famílias estava em 80,3% em dezembro. A média nacional é de 56,6%.

A Região Sul fechou 2016 com média de 77,3%. Média nacional de 58,7%.

O Sul também liderou em dezembro no índice de famílias que dizem não ter condições de pagar as dívidas: 12,3%. Média nacional de 8,7%.

Principais tipos de dívida no Sul:
Cartão de crédito 74,1%
Financiamento do carro 13,1%
Financiamento da casa 9,8%
Carnê 9,2%

Cai endividamento e aumenta inadimplência no País

O número de famílias brasileiras endividadas recuou 3,9% ano passado. O balanço é da Confederação Nacional do Comércio.

Apesar da queda no endividamento, as famílias com contas ou dívidas atrasadas avançaram 18,4%. E as que não tiveram condições de pagar suas contas em atraso e permaneceram inadimplentes alcançou 8,9%, um aumento de 25,2% na comparação com 2015.

- A queda do nível de endividamento e o aumento da inadimplência foram reflexos da retração da economia doméstica em 2016. A desaceleração do consumo proveniente da piora do mercado de trabalho e das altas taxas de juros ocasionou maior dificuldade às famílias para honrar os seus compromissos no período. – explica a economista da CNC, Marianne Hanson.

O cartão de crédito segue como o principal responsável pelo endividamento. Citada por 77,1% das famílias. O carnê vem em segundo lugar, apontado por 15,4% do público.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

 

 

Gaúcho cria plataforma que ajuda a escolher e comprar eletrônicos

23 de janeiro de 2017 0

Quadro Fique de Olho, no Destaque Econômico.

Por Mariana Ceccon (mariana.ceccon@rdgaucha.com.br)

 

shoptutor-mobile

 

Escolher uma televisão ou um notebook requer tempo e paciência. Afinal, existe uma variedade muito grande de produtos e marcas; e muitas especificações técnicas. Pensando nisso, uma startup de Porto Alegre criou uma plataforma para ajudar consumidores que não têm conhecimento técnico. O Shoptutor é um assistente virtual para escolher e comprar eletrônicos de forma fácil e personalizada.

Usa um algoritmo próprio e reduz tempo de pesquisa para poucos minutos, além de sugerir o produto com a maior afinidade com o consumidor.

- Nós desenvolvemos um algorítimo que auxilia nesse processo. Ele faz algumas perguntas simples para as pessoas sobre o uso que elas vão fazer do produto. No caso de uma TV, por exemplo, é preciso informar a distância do aparelho do sofá, a claridade do ambiente ou quais aplicativos serão mais utilizados. Essas informações são necessárias para o algorítimo avaliar o perfil do usuário, a demanda que ele tem do produto e, assim, indicar o modelo com maior afinidade para essa pessoa. É um sistema de recomendação de produtos. - explica o CEO da startup, Marcos Berghahn.

O consumidor deve indicar qual uso vai dar para o eletrônico, quais funções são consideradas mais importantes, tamanho, faixa de preço, entre outros. O Shoptutor vai indicar qual produto tem maior afinidade com o consumidor, mas vai listas outras opções, comparando modelos e ofertas das principais lojas virtuais.

Há um ano no ar, a plataforma já teve 70 mil acessos. São mais de 700 eletrônicos, entre televisores e notebooks, cadastrados no banco de dados do assistente de compras. Em breve, o Shoptutor também conter recomendações para smartphones.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

Confiança do comércio gaúcho tem primeira queda em sete meses

26 de dezembro de 2016 0

A confiança dos empresários do comércio teve uma leve queda em dezembro. Mas foi o primeiro recuo em sete meses. Piorou a expectativa e a intenção de investimento.

Passou de 97 para 96,3 pontos. É o indicador calculado pela Fecomércio-RS. Só é considerado otimismo acima de 100 pontos.

Ainda assim, fica bem acima de dezembro do ano passado. Nessa comparação, o indicador teve aumento de 23,7%.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.