Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "consumo"

Endividamento dos gaúchos volta a cair

06 de maio de 2015 0
Foto: Porthus Junior/Agencia RBS.

Foto: Porthus Junior/Agencia RBS.

O nível de endividamento dos gaúchos voltou a cair, após duas altas. Em abril, o índice ficou em 49,8% frente a 51,9% em março.

A pesquisa é feita pela Fecomércio-RS. A entidade atribui a redução ao crédito mais difícil e à redução do consumo.

Apareceu também um leve recuo na parcela da renda comprometida com dívidas. Caiu para 30%.

O cartão de crédito continua sendo o principal meio de dívida dos gaúchos, apontado por 84% dos endividados. Em seguida, estão o cheque especial (20,3%) e o financiamento de veículos (17,9%).

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Intenção de consumo das famílias gaúchas bate recorde de pessimismo

04 de maio de 2015 0
Foto: Genaro Joner / Agencia RBS.

Foto: Genaro Joner / Agencia RBS.

A intenção de consumo das famílias gaúchas em abril bateu recorde de pessimismo na série histórica da pesquisa da Fecomércio-RS. Encerrou abril com recuo de 19,5% em relação ao mesmo mês de 2014 e de 5% na comparação com março deste ano.

É a primeira vez, desde o início da série histórica em janeiro de 2010, que o indicador atinge o patamar pessimista. Os motivos são: mercado de trabalho mostrando deterioração, juros altos, inflação elevada, câmbio depreciado e incerteza política, enumera a entidade.

- Essa situação somente irá mudar quando o ajuste fiscal começar a colher os seus frutos. Porém antes, vamos vivenciar ainda um período em que a situação piora para depois melhorar. Precisamos, todavia, tirar de lição dessa situação que toda  política econômica traz consequências para a sociedade: a irresponsabilidade do passado cobra seu preço no nosso presente. – pondera o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Consumo dos gaúchos vai ultrapassar R$ 250 bilhões em 2015

01 de maio de 2015 0
Foto: Rafaela Martins / Agencia RBS.

Foto: Rafaela Martins / Agencia RBS.

O consumo dos gaúchos deve alcançar R$ 251,77 bilhões em 2015. A estimativa aparece na atualização do IPC Maps, calculado todos os anos pela IPC Marketing Editora, especializada em cálculos de potencial de consumo.

Além disso, o Rio Grande do Sul ganhou um pouco da participação no potencial de consumo do País. Subiu de 6,54% para 6,75%.

Mesmo assim, o Estado manteve a quarta posição no ranking nacional. Fica atrás apenas de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro.

Municípios

No ranking de municípios, Porto Alegre permaneceu na sétima posição. O potencial de consumo dos moradores da Capital alcança R$ 44,762 bilhões em 2015.

Mas Porto Alegre perdeu participação. Caiu de 1,3% para 1,2%.

A próxima cidade gaúcha que aparece no ranking nacional é Caxias do Sul. Subiu da posição 35 para a 31. Os caxienses devem gastar R$ 14,36 bilhões neste ano.

No ranking dos 50 municípios com maior potencial de consumo, não há mais cidades gaúchas. No topo, estão as capitais São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Salvador e Curitiba.

Nacional

Nacionalmente, o IPC Maps mostra maior concentração do volume de gastos nos domicílios na classe média e de baixa renda (C e D/E). Além disso, também houve redução nas Classes A e B.

Também prossegue o fenômeno da interiorização do consumo, superando a participação das Capitais no bolo da economia. O consumo da população da área rural chegará a R$ 263,4 bilhões, participando em 7% da economia nacional. Os 50 maiores municípios brasileiros responderão por 40,3% do consumo em 2015, contra 42,6% no ano passado.

“Itens básicos lideram o consumo, como manutenção do lar 26,7%  (incorporam despesas com aluguéis, impostos, luz-água-gás);  alimentação 17,1% sendo 11,9% no domicílio e 5,2% fora dele e 1,2% com bebidas; transportes 7,5%, sendo 4,7% com veículo próprio e transporte urbano 2,8%; saúde, medicamentos, higiene pessoal e limpeza 7,1%; vestuário e calçados 4,6%;  materiais de construção 4,4%;, seguidos de recreação  e viagens 3,2%; eletrônicos-equipamentos  2,3%; educação 2,2%;  móveis e artigos do lar 1,9% e fumo 0,6%.” – detalha o estudo.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Gaúchos consomem mais energia mesmo com aumento das tarifas

28 de abril de 2015 4
Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

O Rio Grande do Sul teve aumento no consumo de luz por clientes residenciais em março mesmo com o aumento das tarifas. Ao contrário da queda registrada em Santa Catarina e no Paraná, os gaúchos elevaram a demanda por energia em 1,5% na comparação com o mesmo mês do ano passado.

Em março, entraram em vigor dois aumentos, com forte impacto no bolso dos consumidores. Houve a revisão extraordinária e também o aumento da bandeira tarifária, mecanismo que repassa mensalmente o custo para geração da energia.

Segundo a Empresa de Pesquisa Energética, o consumidor perceberá o aumento quando chegar a fatura agora no mês de abril. Então, isso pode provocar uma redução no consumo nos próximos meses, mas aliado, principalmente, às temperaturas mais amenas, que reduzem a necessidade de ar condicionado.

Uma contribuição também pode vir da piora da economia brasileira, com alta da inflação. O crédito mais caro e restrito também pode reduzir a compra de novos equipamentos.

Indústria

No setor industrial, as fábricas automobilísticas seguem cortando o consumo de energia. No Rio Grande do Sul, redução de 15% pelas montadoras, que estão cortando produção com a queda de vendas.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Comércio gaúcho projeta crescimento zero nas vendas de Dia das Mães

16 de abril de 2015 0
Foto: Rafaela Martins / Agencia RBS.

Foto: Rafaela Martins / Agencia RBS.

As vendas para o Dia das Mães devem ter crescimento zero em relação ao ano passado. A projeção é da Fecomércio-RS. Segundo a entidade, o aumento será apenas nominal, ou seja, repondo a inflação.

Os consumidores até devem gastar um pouco mais. No entanto, isso é motivado pelo aumento nos preços dos presentes e não por uma decisão das pessoas de comprar presentes melhores ou em maior quantidade.

“Diante do quadro atual da economia brasileira de inflação alta, crédito restrito e caro e baixa confiança do consumidor, a expectativa é que o comércio varejista repita as vendas do ano passado.” – complementa a análise da Fecomércio.

A entidade observa que os gaúchos também estão evitando o endividamento. O pagamento à vista deve ser o mais usado, apontado por 80,5% dos entrevistados na pesquisa.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Porto Alegre lidera no consumo de refrigerante, mas fica em 14º no ranking da carne com gordura

10 de abril de 2015 0

O Ministério da Saúde divulgou a pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel 2014). Confira como Porto Alegre fica no ranking de consumo de alguns alimentos:

Refrigerante

Porto Alegre lidera o consumo de refrigerante. 29% dos moradores toma em cinco ou mais dias da semana.

Feijão

Porto Alegre tem um dos índices mais baixos de consumo regular de feijão. 49,5% comem em cinco ou mais dias da semana. Em Belo Horizonte, que lidera, é 81,3%.

Carne com gordura

Porto Alegre fica no meio do ranking no consumo de carne com excesso de gordura. É 29,3%. O maior consumo é em Cuiabá, 43,7% das pessoas.

Frutas e hortaliças

Porto Alegre fica em quinto lugar no ranking de consumo recomendado de frutas e hortaliças. 29% dos habitantes come cinco ou mais porções por dia, em cinco ou mais dias da semana. Esta recomendação é da Organização Mundial da Saúde.

Livro:

Para incentivar o consumo de alimentos saudáveis, o Ministério da Saúde lançou o livro Alimentos Regionais Brasileiros. O destaque para o Sul é a batata doce.

foto blog

 

Leia mais: Inflação: preços do supermercado X preços da feira

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

 

Chocolate tem menos espaço no presente esperado para a Páscoa

01 de abril de 2015 0

O chocolate está com menos espaço do que outros presentes esperados para a Páscoa. O resultado aparece em pesquisa da Associação Gaúcha para o Desenvolvimento do Varejo.

46,1% querem ganhar chocolate de Páscoa
35,5% querem roupas
18,4% eletrônicos
13,2% livros
7,9% acessórios e cosméticos
14,5% outros presentes

Apesar de não desejarem o chocolate como presente, sete em cada dez entrevistados admitem que acabam comendo o doce na Páscoa.

Bombom

A Associação Gaúcha de Supermercados projeta para sábado a maior venda de bombons desta Páscoa.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Despenca intenção de consumo das famílias gaúchas

23 de março de 2015 0
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Despencou 18,5% a intenção de consumo das famílias gaúchas na comparação com o mesmo período do ano passado. Calculado pela Fecomércio-RS, o indicador passou para 102,5 pontos em março. Fica próximo dos 100 pontos e abaixo disso passa a indicar pessimismo.

Os resultados mostram um aprofundamento da tendência de queda da intenção de consumo observada ao longo dos últimos meses. Segundo a entidade, o resultado se deve à deterioração da economia brasileira, afetando a vida da população. Destaque para os reajustes nos preços da energia elétrica e dos combustíveis.

- Além das questões puramente econômicas, também impacta o indicador a crescente exposição de problemas políticos e institucionais envolvendo o Governo Federal. – afirmou o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn, referindo-se às investigações do caso Lava Jato, problemas com o Congresso Nacional e à organização de manifestações contrárias ao governo.

O indicador que mede a segurança com relação à situação do emprego foi o único que registrou alta no período. O mercado de trabalho ainda apresenta alguma resistência.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Dois motivos podem levar a mais reajustes da energia em 2015, segundo presidente da CEEE

03 de março de 2015 3
Foto: Marco Favero / Agência RBS

Foto: Marco Favero / Agência RBS

Dois motivos poderiam provocar mais revisões extraordinárias da tarifa de energia elétrica em 2015. Em primeiro de março, entraram em vigor os aumentos extras da tarifa aprovados pela Agência Nacional de Energia Elétrica.

Leia mais: Tarifas de energia terão aumento de até 39,5% em março no Rio Grande do Sul

Presidente da CEEE, Paulo de Tarso Pinheiro Machado explica que um dos motivos seria um racionamento. Por enquanto, o Governo Federal usa o termo “eficientização”.

- Um racionamento tem por objetivo reduzir o consumo. E, quando cai o consumo, mexe no equilíbrio econômico-financeiro da distribuidora. Isso por exigir um novo reajuste da tarifa.

O outro motivo, segundo o presidente da CEEE, seria o mesmo que provocou a revisão extraordinária agora de março. É a falta de chuva para geração por hidrelétricas e a necessidade de consumir uma energia mais cara.

- Da RTE (revisão tarifária extraordinária) de março, apenas 14% vem para as distribuidoras. O valor é para cobrir custos e não sobra para investimento.

Lembrando que além da revisão extraordinária, há o sistema de bandeiras tarifárias. Começou a valer em janeiro e agora em março teve também os valores elevados pela Aneel. Um terceiro aumento é o reajuste tradicional na data dos contratos com cada distribuidora.

Taxa de retorno

O presidente da CEEE chama a atenção também para a taxa de retorno dos investimentos no setor elétrica. Segundo Paulo de Tarso Machado, caiu nos últimos anos de 12% para 7,5%. Este movimento deixa, por exemplo, juros mais caros e prazos mais curtos para financiamentos que as distribuidoras tentam tomar.

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Gaúchos estão mais endividados

02 de março de 2015 0

Aumentou o endividamento entre os gaúchos em fevereiro. Passou para 50,9%. É 14% mais do que em janeiro e também é maior do que em fevereiro do ano passado.

A pesquisa é da Fecomércio-RS, que ainda diz não poder afirmar que é uma tendência. A preocupação é com o mercado de trabalho. Caso o nível de emprego caia, será difícil evitar alta do endividamento e da inadimplência.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.