Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "consumo"

Frio - Lojas de roupas vendem mais do que no Natal

27 de junho de 2016 0
Foto: Patrick Rodrigues / Agencia RBS.

Foto: Patrick Rodrigues / Agencia RBS.

 

“Vendi 1 mil casacos em poucas semanas. Nunca vi isso.”

“Vendi meu estoque de três anos sem inverno.”

“Pedi reposição de estoque quatro vezes. Só não pedi mais porque a indústria não tinha mais roupa de inverno.”

São alguns dos relatos que o blog Acerto de Conta$ ouviu de lojistas na convenção da CDL Lajeado. O frio salvou o comércio neste inverno, que estava descapitalizado. A crise econômico atingiu o mercado de trabalho, afetando a renda e a segurança dos consumidores.

Segundo o presidente da Associação Gaúcha para o Desenvolvimento do Varejo, é o segmento de roupas e calçados que foi mais beneficiado. Vilson Noer diz que, certamente, estas lojas venderão mais do que no Natal, que é a principal data do ano para o varejo.

 

 

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

 

 

Cota para compras em free shops pode cair para US$ 150 em julho

27 de junho de 2016 4
Foto: Duda Pinto.

Foto: Duda Pinto.

 

Pode cair para US$ 150 a cota para compras em free shops em cidades que fazem fronteira com o Rio Grande do Sul a partir de primeiro de julho. É o limite de isenção de impostos para consumidores que entram no Brasil por terra.

Isso vai ocorrer se não for prorrogada portaria do Ministério da Fazenda que está mantendo a cota em US$ 300. O limite havia sido reduzido para estimular a compra nos free shops brasileiros.

Só que ainda não existem free shops nas cidades brasileiras. A lei que permitiu a criação foi aprovada em 2012, saiu a regulamentação e agora falta ainda o software que precisa ser usado pelas lojas para controlar a cota mensal dos turistas.

- Tem empresário que já construiu até prédio para colocar o free shop brasileiro. – diz o presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Implantação de Free Shops em Cidades Gêmeas de Fronteira, deputado Frederico Antunes.

Quando tudo estiver certo, o comprador terá US$ 300 dólares para comprar nos free shops brasileiros. Mais US$ 150 poderão ser gastos nas lojas do outro lado da fronteira.

Mas o software deve estar pronto em outubro apenas. Enquanto isso, os gastos dos turistas no setor de serviços são importantes para as cidades gaúchas de fronteira. Por isso, pedem prorrogação da portaria que sustenta a cota em US$ 300.

Então, tem reunião nesta segunda-feira em Brasília para pedir a ampliação do prazo. Frederico Antunes tem audiência sobre o assunto com o ministro Chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, e representantes do Ministério da Fazenda. O deputado recebeu empresários durante o fim de semana.

A lei, aprovada em 2012, permite a criação de free shops nas cidades gaúchas de Chuí, Santana do Livramento, Uruguaiana, Aceguá, São Borja, Itaqui, Jaguarão, Porto Xavier e Barra do Quaraí.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

 

Gaúchos preferem comprar menos no supermercado do que cortar gastos com internet

20 de junho de 2016 0
Foto: Félix Zucco / Agencia RBS.

Foto: Félix Zucco / Agencia RBS.

 

Alguma dúvida sobre quanto a internet virou item essencial para o brasileiro? É educação, uso profissional, lazer… A rede vale para tudo.

Com toda essa discussão sobre a limitação da banda larga de internet fixa, a agência nova/sb fez pesquisa sobre a importância da internet para os consumidores. Enviou para a Gaúcha e blog Acerto de Conta$ o recorte da pesquisa sobre o Rio Grande do Sul.

Uma das perguntas foi onde o consumidor cortaria gastos se tivesse que economizar.

66% citaram gastos com internet

Só que apareceu bem menos do que itens como:

compras no supermercado 70%
TV por assinatura 78%
reformas na casa 87%
alimentação fora de casa 90%

Ao mesmo tempo, lojas de internet aparecem como terceira opção quando a pergunta é “em quais lugares aumentaria a frequência de compra”, se precisasse economizar. Citadas por 46%. Ou seja, a internet é vista como opção para economizar, mas não item a ser cortado.

- A internet é oxigênio para o brasileiro, que não está disposto a abrir mão dela. – diz Sérgio Silva, diretor da nova/sb.

Na última semana, o Senado divulgou o resultado da enquete “Você é a favor ou contra a limitação de consumo de dados na internet de banda larga fixa?”. Mais de 600 mil pessoas responderam e – por óbvio – 99% disseram ser contra.

A metodologia do IBGE para a pesquisa da inflação reflete a importância da internet. Os gastos com ela já se assemelham à fatia do orçamento das famílias destinada a comprar arroz e feijão.

 

Um em cada dez atendimentos começa com um sorriso do vendedor na Região Sul

15 de junho de 2016 1
Foto: Tadeu Vilani / Agência RBS.

Foto: Tadeu Vilani / Agência RBS.

 

Apenas um em cada dez atendimentos começa com um sorriso do vendedor nas lojas da Região Sul. É menos do que a média nacional, que atingiu 16%.

A pesquisa Smiling Report é da Shopper Experience, que fez 22 mil entrevistas no Brasil. O índice mais alto é no Sudeste: 46%.

- Em tempos de uma grave crise econômica, a possibilidade de perder vendas por falta de simpatia (e empatia) é muito grave. O outro lado da moeda é que há muito espaço para melhoria no atendimento. – analisa Stella Kochen Susskind, presidente da Shopper.

Stella alerta que o brasileiro era antes chamado de “easy grader”, ou seja, fácil de agradar, tolerante e paciente. Só que isso tem mudado e o consumidor está mais ciente dos direitos sobre a qualidade do produto e o atendimento.

- Em todas as classes sociais. – enfatiza a especialista.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Loja virtual do Mercado Público completa um ano com produtos naturais como carro-chefe

15 de junho de 2016 0

sacola

 

 

A loja virtual do Mercado Público está completando um ano nesta quarta-feira. E os produtos naturais se tornaram o carro-chefe. Respondem por 80% das vendas.

O preço é o grande atrativo, diz o coordenador da loja virtual do Mercado Público, Rafael Zatti.

Confira a matéria completa no blog Lado Natureba: Loja virtual do Mercado Público completa um ano com produtos naturais como carro-chefe

Lá tem cupom de frete grátis para os leitores da Região Metropolitana nesta quarta-feira.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Intenção de consumo aumenta puxada pelas famílias gaúchas de maior renda

24 de maio de 2016 0
Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS

Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS

 

A intenção de consumo das famílias gaúchas teve o segundo mês de alta, quando a comparação é feita com o mês imediatamente anterior. Passou para 66,5 pontos em maio, frente aos 63,7 pontos de abril.

Pela pesquisa da Fecomércio-RS, é possível identificar o avanço bem mais intenso entre as famílias com renda acima de dez salários mínimos. Veja:

Até 10 salários mínimos – 61,5 pontos para 62,5 pontos
Mais de 10 salários mínimos – 72,6 pontos para 83,2 pontos

Apesar disso, os indicadores ainda ficam no chamado nível pessimista da pesquisa. Entre os itens pesquisados, apenas o que questiona os entrevistados sobre a perspectiva profissional vem se mantendo acima dos 100 pontos.

Na comparação com maio do ano passado, no entanto, a intenção de consumo dos gaúchos ainda está bem mais baixa.

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Oito em cada dez namorados pagarão presente à vista

23 de maio de 2016 0
 Foto: Edu Cavalcanti / Agencia RBS.

Foto: Edu Cavalcanti / Agencia RBS.

 

Pesquisa do Dia dos Namorados mostra que quase 81% dos consumidores gaúchos pagarão o presente à vista. Para a Fecomércio-RS, é um destaque do levantamento, mostrando que os consumidores estão evitando maior endividamento. Ainda entre os menos de 20% que pretendem parcelar, a maioria vai fazer o pagamento em até três vezes.

Pela pesquisa, a entidade que representa o comércio está apostando em vendas fracas. As vendas do varejo gaúcho para o Dia dos Namorados devem apresentar uma queda real – já descontada a inflação – entre 3,5% e 4,5% em relação à mesma data do ano passado.

O gasto médio deve ficar em R$ 129,44. Mais alto entre os homens:

Homens: R$ 133,88
Mulheres: R$ 125,58

A pesquisa ouviu 385 pessoas em Porto Alegre, Caxias do Sul, Santa Maria, Pelotas e Ijuí.

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

"Varejo é sensível e reagirá rápido a medidas econômicas" - diz empresário

12 de maio de 2016 0

Repercussão econômica da aprovação do processo de impeachment no Senado e afastamento da presidente Dilma Rousseff:

 

Foto: Diego Vara / Agencia RBS.

Foto: Diego Vara / Agencia RBS.

 

Varejo

Presidente da Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo, Vilson Noer:

“O impeachment foi consequência de um governo que fracassou com um modelo econômico intervencionista. A projeção agora é para um modelo que privilegie a livre iniciativa e empreendedorismo. Há amplas condições de melhorar a grave situação econômica do País em um curto prazo.
A estabilidade política e econômica será possível priorizando o equilíbrio fiscal, controle da inflação, volta de investimentos para geração de empregos e, acima de tudo, restauração da confiança das pessoas, consumidores e agentes econômicos.
O varejo é muito sensível e reage muito rápido e em sintonia com o crescimento da economia com mais empregos, renda, redução do endividamento familiar e volta do crédito com juros ‘palatáveis’.
Neste cenário, teremos condições de perceber melhoras no varejo em dezembro de 2016.”

O varejo sentiu a crise econômica depois da indústria. Por algum tempo, ainda foi beneficiado pelas medidas de incentivo ao consumo iniciadas ainda no governo Lula.

No entanto, a dificuldade nas finanças de governos afetou a “renda certa” que vinha do setor público. Além disso, a dificuldade enfrentada pela indústria se refletiu no mercado de trabalho e, por consequência, na renda. Com isso, as vendas caíram e a inadimplência subiu. Para o varejo, o pior dos mundos.

 

Leia também: FT: Nova equipe tem que enfrentar economia encolhendo e milhões de desempregados

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Vendas do varejo gaúcho caíram mais de 5% no primeiro trimestre

11 de maio de 2016 0
Foto: Ronald Mendes / Agencia RBS.

Foto: Ronald Mendes / Agencia RBS.

 

As vendas do varejo do Rio Grande do Sul caíram 5,1% no primeiro trimestre do ano. O dado é do IBGE e considera o volume comercializado. No País todo, o recuo foi de 7%.

Os piores desempenhos:

Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação -22%
Eletrodomésticos -17,4%
Combustíveis e lubrificantes -14,6%

Onde teve aumento nas vendas:

Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos +7,9%
Móveis +3,1%

Março

Em março, no entanto, o comércio gaúcho teve desempenho pior que a média nacional. Enquanto no País, o volume de vendas foi 0,9% menor do que em fevereiro, a queda aqui foi de 1,5%.

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Interior ganha mais espaço nas projeções de consumo para o Rio Grande do Sul

10 de maio de 2016 0
Foto: Ronald Mendes / Agencia RBS.

Foto: Ronald Mendes / Agencia RBS.

 

A atualização do estudo IPC Maps mostra que segue o fenômeno da interiorização do consumo. Inclusive, no Rio Grande do Sul:

Em 2010, o interior do Rio Grande do Sul detinha 54,5% no potencial de consumo do Estado. Eram R$ 80,6 bilhões, em valores daquele ano.

Já em 2016, a participação do interior subiu para 58,6% do total do Rio Grande do Sul. O potencial de consumo é estimado em R$ 152,7 bilhões.

Responsável pelo estudo, Marcos Pazzini explica que o custo alto das Capitais é o motivo:

- As empresas optam por instalar suas unidades no interior. Com isso, levam empregos e a renda.

Leia mais: 10 municípios gaúchos com maior potencial de consumo em 2016

 


Ouça o Destaque Econômico, na Rádio Gaúcha. Domingos, às 9h.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.