Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "dívida"

Mais de 40 mil pequenas empresas poderão renegociar dívidas no Rio Grande do Sul

29 de novembro de 2016 1

Será lançado na segunda-feira o Mutirão de Renegociação, direcionado a empresas que estão no Simples Nacional. Segundo Sebrae-RS e Receita Federal, atinge 43.268 micro e pequenas empresas no Rio Grande do Sul. No País todo, são 600 mil.

A ação pretende mobilizar as empresas optantes pelo Simples com impostos atrasados a renegociarem seus débitos com condições especiais. O projeto é uma parceria entre Sebrae/RS, Receita Federal e Sescon-RS (Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis).

O presidente do Sebrae Nacional, Guilherme Afif Domingos, havia antecipado que o mutirão ocorreria quando foi sancionado o projeto “Crescer sem Medo”. Uma das medidas é ampliar o prazo de parcelamento de dívidas tributárias de micro e pequenas empresas de 60 meses para 120 meses.

As 600 mil micro e pequenas empresas brasileiras devem R$ 21,3 bilhões para a Receita Federal. Foram notificadas para quitar os débitos até 31 de dezembro sob pena de exclusão do Simples a partir de janeiro de 2017.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

 

 

Inadimplência nas mensalidades aumentou em oito de cada dez escolas gaúchas

17 de outubro de 2016 0

14556083

 

 

Assim como outras contas do mês, as mensalidades escolares sentiram o aumento da inadimplência na crise. É o que mostrou levantamento divulgado nesta segunda-feira pelo Sindicato do Ensino Privado do Rio Grande do Sul.

Em julho de 2015, as escolas de Educação Básica registravam uma média de 8,97% de inadimplência e um ano depois, em julho de 2016, esse número subiu para 11,44%. Ou seja, é um aumento de 27,5%. Das instituições que responderam à pesquisa, 77% registraram alta na inadimplência.

No Ensino Superior, foi registrado 10,6% de inadimplência em 2015 e 13,40% em 2016. Aumento, portanto, de 26,4%. Atinge 85% das instituições que responderam à pesquisa.

O presidente do Sinepe/RS, Bruno Eizerik, afirma que já era previsto:

- Já prevíamos essa alta. O setor da educação privada não está em uma bolha. Fomos afetados pela crise que assola o País.

Outro dado que também mostra a dificuldade de pagamento, é o aumento do número de famílias que procuram a instituição para negociar as mensalidades. Em 63% das escolas houve aumento na procura das famílias para negociação da dívida. Na Educação Superior, 92,3% registraram esse aumento.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

 

Dívida das famílias de Porto Alegre é a maior da Região Sul

17 de outubro de 2016 1
Foto: Ricardo Duarte / Agência RBS.

Foto: Ricardo Duarte / Agência RBS.

 

 

As dívidas de uma família de Porto Alegre somam, em média, R$ 2.296. É o maior valor da Região Sul. Em segundo lugar está Curitiba e depois Florianópolis.

O ranking aparece ne pesquisa Radiografia do Crédito e do Endividamento das Famílias Brasileiras, realizada pela Fecomércio de São Paulo.

Quanto às operações de crédito, a Região Sul abriga 14,7% das famílias brasileiras e concentra 20,2% do volume de crédito do País. Os dados são do primeiro semestre.

“Os dados de distribuição regional do crédito pelo Banco Central justificam a causa da forte concentração de endividados na região Sul, pois indicam uma assimetria entre população e crédito nessa região, respondendo por menos de 15% do número de famílias, a região captou pouco mais 20% do total de crédito.” – analisa a Fecomércio/SP.

Veja outros dados da pesquisa sobre a Região Sul:

1 – Número de famílias endividadas (porcentual)
Curitiba/PR – 538.939 (86%)
Florianópolis/SC – 144.131 (85%)
Porto Alegre/RS – 334.336 (61%)

2 – Parcela da renda mensal comprometida com dívidas
Curitiba/PR – 32%
Porto Alegre/RS – 32%
Florianópolis/SC – 31%

3 – Valor médio de dívida por família
Porto Alegre/RS – R$ 2.296
Curitiba/PR – R$ 2.133
Florianópolis/SC – R$ 2.042

4 – Porcentual de famílias com dívidas em atraso
Curitiba/PR – 30%
Florianópolis/SC – 23%
Porto Alegre/RS – 23%

5 – Número de famílias
Curitiba/PR- 630.261
Porto Alegre/RS – 545.919
Florianópolis/SC – 169.889

6 – Renda Média (R$)
Porto Alegre/RS – 7.135
Curitiba/PR – 6.687
Florianópolis/SC – 6.606

7 – Massa de rendimentos (R$)
Curitiba/PR – 4.214.482.466
Porto Alegre/RS – 3.894.963.973
Florianópolis/SC – 1.122.299.951

8 – Participação da massa de rendimentos no total Brasil (%)
Curitiba/PR – 2,4%
Porto Alegre/RS – 2,2%
Florianópolis/SC – 0,6%

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

Leitor pergunta como pagar aos poucos fatura atrasada do cartão de crédito

07 de outubro de 2016 0

Leitor pergunta. Acerto de Conta$ responde.

 

Foto: Emílio Pedroso / Agencia RBS.

Foto: Emílio Pedroso / Agencia RBS.

 

 

Leitor mandou:

Colega de trabalho deve R$ 8 mil no cartão de crédito mais os juros. Um amigo deu cheque de R$ 12 mil pra ele pagar o débito e devolver o empréstimo “pingadinho”. Foi ao caixa eletrônico do banco pra fazer o depósito, mas a quantia excede o valor-limite para este tipo de transação. Enquanto isso… os juros do cartão continuam. O que ele deve fazer?

Diretor do Procon Porto Alegre, Cauê Vieira responde:

Depósito de cheques com valor superior ao permitido nos envelopes ou redes alternativas, quando não puderem ser feitos de forma parcelada (vários cheques) devem ser disponibilizados pelo banco do consumidor. Para saber em qual agência há atendimento disponível, ele deve ligar para o SAC do banco e pedir a informação. Caso não seja disponibilizado, nossa sugestão é que compareça no atendimento presencial do PROCON para buscarmos essa alternativa via Ouvidoria do banco. Para pagamento de cartão com valor superior: realizar pagamentos avulsos. O sistema de todas as bandeiras reconhece o valor somado dos pagamentos para fazer o abatimento ou quitação da dívida. Exemplo: fatura de R$ 3 mil e pagamento máximo no caixa eletrônico de R$ 1,5 mil, basta fazer dois pagamentos avulsos. Por garantia, ligar para o SAC do cartão e comunicar o pagamento desta forma e, após 48h, confirmar a entrada dos valores no sistema.

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

Endividamento dos gaúchos volta a subir após quatro quedas

03 de outubro de 2016 0

O endividamento das famílias gaúchas voltou a subir. A alta de setembro ocorre após quatro meses de queda.

Com isso, atingiu 62,5% dos entrevistados. No mês anterior, estava em 56,6%.

A pesquisa é da Fecomércio-RS. A entidade estima 332 mil endividados. Destes, 140 mil estão já com contas atrasadas.

O presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn, destaca que taxa de juros, nível de confiança e restrições de oferta continuam contribuindo para conter a formação de novas dívidas. Mas está ocorrendo o chamado “endividamento involuntário”, quando a pessoa não consegue pagar contas fixas do mês.

- Por outro lado, as restrições da renda real seguem pressionando a tomada de novas dívidas em função da necessidade das famílias.

 
===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

Procon abre processo contra sete empresas por cobrança abusiva de dívidas de clientes

30 de setembro de 2016 1
Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação.

 

O Procon Porto Alegre instaurou processo administrativo contra sete empresas por cobrança abusiva. São elas: Vivo, Claro, BV Financeira, Lojas Lebes, supermercados Carrefour, Hipercard (Itaú) e Losango.

O órgão constatou abuso de direito nas cobranças de dívidas dos clientes. Entre as práticas consideradas abusivas, estão a cobrança em momentos inapropriados fora do horário comercial; fornecimento de informações conflitantes sobre os débitos; número exagerado de contatos diários e uso de “artimanha” nas cobranças, como usar diferentes números de telefone da mesma empresa durante os contatos.

- Tal comportamento normalmente é verificado na fase extrajudicial, ou seja, antes da empresa cobrar a dívida judicialmente do cliente. – destaca o diretor executivo do Procon, Cauê Vieira.

Segundo o Código de Defesa do Consumidor, o cliente não pode ser exposto ao ridículo ou submetido a constrangimento e ameaça na cobrança de uma dívida.

- O artigo 71 do CDC prevê pena de detenção e multa ao fornecedor que utilizar, na cobrança de dívidas, ameaça, coação, constrangimento físico ou moral, afirmações falsas, incorretas ou enganosas ou qualquer outro procedimento que exponha o consumidor a ridículo ou interfira com seu trabalho, descanso ou lazer.

Resposta Lebes: “a empresa não foi notificada do caso e desconhece o teor do processo administrativo.”

Inadimplência

A inadimplência cresce na crise, mas Vieira diz que a cobrança não pode ultrapassar os limites estabelecidos em lei.

- Não é admissível, por exemplo, uma mesma dívida ser cobrada do consumidor por três empresas diferentes no mesmo dia. Se o cidadão informa pela manhã não dispor de dinheiro para quitar uma dívida, o que levaria uma empresa a acreditar que durante a tarde ele teria? Neste momento nasce a abusividade e a pressão psicológica sobre o consumidor pelo constrangimento ilegal imposto pela empresa de cobrança.

O Procon Porto Alegre atende ao público na Rua dos Andradas, 686, das 10h às 16h. O telefone para informações é (51) 3289-1774. O órgão também atende pelo site www.portoalegre.rs.gov.br/procon e pelo aplicativo App Procon, disponível gratuitamente para sistemas operacionais Android e IOS.

Leia mais:

Cobranças abusivas de dívidas crescem com a crise. Até onde as empresas podem ir?

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Cobranças abusivas de dívidas crescem com a crise. Até onde as empresas podem ir?

19 de setembro de 2016 0
Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação.

 

A crise aumentou o número de cobranças abusivas. As pessoas estão com mais dificuldade de honrar pagamentos e as empresas estão mais preocupadas em garantir a quitação.

Dívida feita é para ser paga. Não há dúvida quanto a isso. Mas as empresas precisam respeitar limites na hora de cobrar.

Ligações insistentes demais, contato com familiares e chamadas para o trabalho do devedor. São alguns exemplos de cobranças abusivas e que até podem gerar ações por dano moral, explica o diretor do Procon Porto Alegre, Cauê Vieira. Só em 2016, o órgão recebeu 71 reclamações de cobranças exageradas por telemarketing.

- O que é bastante significativo em relação ao tipo de reclamação. – explica Vieira.

Recentemente, TRC Taborda Recuperação de Crédito e Banco Santander foram proibidos de ligar mais de duas vezes ao dia para cobrança. Foi uma ação coletiva de consumo. A decisão ainda estabelece um número máximo de dez ligações ao consumidor para cobrança da dívida. E vai ter pagamento de dano moral para consumidores.

Ouça a entrevista ao programa Destaque Econômico com o diretor do Procon Porto Alegre, Cauê Vieira:

Ouça o programa Destaque Econômico, na Rádio Gaúcha. Domingos, às 9h.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

 

 

Justiça apreende carteira de motorista e passaporte de devedor e decisão gera polêmica

08 de setembro de 2016 4

19319163

 

 

Advogados já avisavam que isso poderia ocorrer. E teve agora uma decisão inédita da Justiça de São Paulo, que apreendeu passaporte e carteira de habilitação de uma pessoa que devia R$ 253 mil para uma empresa. A ação é de 2013.

Na decisão, a Justiça usou o artigo 39 do novo Código de Processo Civil. O dispositivo passou a valer para dívidas em março de 2016 e foram permitidas “medidas coercitivas” para obrigar a pessoa a pagar o que deve. Até então, só poderia se a aplicar penhora ou expropriação de bens.

O argumento da juíza Andrea Musa foi que, se a pessoa não tem dinheiro para pagar o que deve, também não tem para manter um carro ou viajar para o exterior. Os documentos estão apreendidos até a dívida ser quitada.

Polêmica

A possibilidade ainda gera muita divergência entre advogados. A decisão pode – ou não – ser usada como referência por outros juízes para casos semelhantes.

Para a Associação de Consumidores Proteste, são pedidos exagerados que estão aparecendo nos processos judiciais. Há casos em que é solicitada até a proibição de prestar concurso público.

- Apesar de baseadas no novo Código de Processo Civil, são solicitações inconstitucionais. As empresas têm outros meios para cobrar seus devedores, como a penhora. – argumenta Maria Inês Dolci, coordenadora institucional da Proteste.

A coordenadora entende como uma restrição de direitos.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

 

Endividamento dos gaúchos cai pelo quarto mês consecutivo

05 de setembro de 2016 0
Foto: Ricardo Duarte / Agência RBS.

Foto: Ricardo Duarte / Agência RBS.

 

O endividamento das famílias gaúchas caiu pelo quarto mês consecutivo. Com isso, atingiu em agosto 56,6% dos entrevistados na pesquisa da Fecomércio-RS.

Com o resultado, a entidade estima que o Rio Grande do Sul tenha 300 mil endividados. São 70 mil pessoas a menos do que em abril, quando o índice começou a cair.

Destes endividados em agosto, 107 mil estariam com as dívidas em atraso. E mais: 62 mil não teriam condições de pagar.

Em relação ao ano passado, no entanto, o endividamento segue maior. Em agosto de 2015, estava em 52,5%, sendo 282 mil endividados.

- Famílias gaúchas vêm se ajustando ao cenário restritivo. A inadimplência também vem registrando sinais de contenção. No entanto, que ainda não é possível caracterizar melhoras substanciais das condições das famílias gaúchas. – afirma o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn.

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

 

 

Rio Grande do Sul fechou junho com 32 mil inadimplentes a menos

18 de agosto de 2016 0

 

 

Foto: Jefferson Botega / Agencia RBS.

Foto: Jefferson Botega / Agencia RBS.

 

O Rio Grande do Sul fechou junho com 32 mil inadimplentes a menos do que em maio. O recorte regional foi enviado ao blog Acerto de Conta$ pela Serasa Experian.

No total, eram 2,92 milhões de inadimplentes. Sim… É 25% da população do Rio Grande do Sul que tem contas atrasadas, segundo a empresa.  Mas há poucos meses, tínhamos ultrapassado 3 milhões.

Considerando o resultado para o País em junho, o Rio Grande do Sul tem 4,9% dos inadimplentes brasileiros. No mês anterior, eram 5%.

Segundo economistas da Serasa Experian, os dados de junho denotam certa acomodação no número de negativados no país em 2016.

- Ainda é prematuro dizer que houve uma mudança de comportamento, mas, ainda assim, é uma boa sinalização, que pode indicar que a inadimplência está perdendo força. – diz o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.