Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "emprego"

Leitora pergunta se trabalho de três dias cancela seguro desemprego

03 de maio de 2016 1

Leitor pergunta. Acerto de Conta$ responde.

 

17362118 (1)

 

Leitora Emanuelle Borges pergunta:

Estou recebendo seguro desemprego. Peguei apenas a primeira parcela até agora. Fiz um trabalho temporário de três dias que não assinou a carteira, mas influenciou no PIS com “recibo autônomo”. Meu seguro é cortado?

FGTAS/Coordenação Técnica Seguro-Desemprego – SINE responde:

Todo vínculo de emprego com carteira assinada, independente do salário recebido, cancela benefício seguro-desemprego. Renda superior a um salário mínimo pode cancelar benefício. Em caso de dúvida, procure informação nas Agências FGTAS/Sine.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

GM vai demitir 300 trabalhadores em Gravataí

29 de abril de 2016 32

ferias

 

A General Motors vai demitir 300 trabalhadores na fábrica de Gravataí. A montadora informou o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Gravataí, Valcir Ascari. Os funcionários serão comunicados amanhã, por telegrama.

Estes funcionários estão em lay off, que é a suspensão do contrato de trabalho. No total, 791 estavam parados.

A GM emprega no complexo 3 mil pessoas, fora as sistemistas. Mas já teve 4,5 mil.

- A justificativa da GM é que o mercado está retraído e não dá sinais de retomada.

Na semana que vem, o sindicato espera ter reunião com a montadora para garantir direito desses trabalhadores.

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

 

Região Metropolitana tem quase 200 mil desempregados

27 de abril de 2016 0

17362118 (1)

 

Está quase batendo 200 mil o número estimado de desempregados na Região Metropolitana de Porto Alegre. Em março, atingiu 198 mil.

Mais que isso no mês, a pesquisa só registrou em março de 2009. Lá, eram 229 mil. Era a época dos efeitos mundiais da crise do subprime, iniciada nos Estados Unidos.

A taxa de desemprego aumentou de 10,1% em fevereiro para 10,7% em março. Foram registrados 12 mil desempregados a mais.

- A elevação do desemprego se deve ao fechamento de 2 mil postos de trabalho e do ingresso de 10 mil pessoas no mercado de trabalho à procura de emprego. – explica a economista Iracema Branco, coordenadora do Núcleo de Análise Socioeconômica e Estatística da FEE.

Segundo a FEE, o ingresso de pessoas no mercado de trabalho pode estar relacionado com o contingente de pessoas que está no final do seguro desemprego e retorna na busca por trabalho.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Quatro tendências negativas para o mercado de trabalho

25 de abril de 2016 0
Foto: Roni Rigon / Agencia RBS.

Foto: Roni Rigon / Agencia RBS.

 

A partir dos últimos dados do IBGE sobre mercado de trabalho, o Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial lista quatro fatores que apontam tendências negativas para o mercado de trabalho. Chega a alertar que a situação das famílias deve continuar complicada, devendo se agravar nos próximos meses.

1. O desemprego rompeu a barreira dos 10%, atingindo 10,2%. O IEDI chama a atenção para a rapidez deste processo. Um ano antes, a taxa era de 7,4%. Em um ano, ficaram desempregadas 3 milhões a mais de pessoas.

2. A dianteira da queda do emprego é ocupada pela indústria. Bem atrás veio o setor de serviços.

3. Há sinais ruins também no segmento do mercado de trabalho menos sujeito às flutuações da economia: administração pública, defesa, educação, saúde e serviços sociais. Houve redução de 335 mil empregos.

4. Para aqueles que ainda têm conseguido se manter empregados, o rendimento real tem sofrido uma rápida e intensa contração.

“Diante do arrocho do crédito e da expressiva elevação dos juros, as quedas cada vez maiores da massa de rendimentos dificultam ainda mais a gestão da dívida das famílias e reforçam as expectativas negativas para o consumo, e com isso, para o desempenho do comércio e das vendas de bens industriais, bem como dos serviços pessoais.” – analisa o IEDI.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

 

Indústrias gaúchas criaram 5,6 mil empregos em março

22 de abril de 2016 0
Foto: Roni Rigon / Agencia RBS.

Foto: Roni Rigon / Agencia RBS.

 

As indústrias do Rio Grande do Sul criaram 5.598 empregos com carteira assinada em março. O resultado foi bastante positivo para um setor que vem despencando com a crise econômica. Os dados são do Ministério do Trabalho.

No entanto, ainda não é de comemorar porque é cedo para entender como uma tendência. Os destaques ocorreram em dois segmentos de desempenho bastante sazonal. A indústria da borracha e de fumo criou mais de 4 mil vagas e a calçadista, outras 1,7 mil.

Enquanto isso, indústrias importantes na matriz econômica do Rio Grande do Sul seguem com resultado negativo. Principalmente, a metalmecânica e a de material elétrico.

O comércio teve desempenho positivo. No entanto, foi graças ao atacado, que criou mais de 3 mil empregos. O varejo, por outro lado, cortou 1,5 mil postos de trabalho.

A agropecuária, com efeito sazonal também, cortou 2 mil empregos. A construção civil segue ruim, com saldo negativo de quase 800 postos de trabalho.

Geral

No geral, o Rio Grande do Sul fechou março com 4,8 mil empregos gerados. Foi número destaque no País.

Só que, considerando o acumulado dos últimos 12 meses, o resultado ainda é bastante ruim. São 102 mil empregos a menos no mercado de trabalho formal do Estado. Mais da metade disso foi perdida na indústria.

O setor de serviços, importantíssimo na economia, cortou mais de 20 mil empregos. Sendo que foi o último a sentir a crise.

 

 

 

 

 

 

Uma pessoa morre por acidente de trabalho a cada 55 horas no Rio Grande do Sul

21 de abril de 2016 0

 

Foto: Susi Padilha / Agencia RBS.

Foto: Susi Padilha / Agencia RBS.

 

O Rio Grande do Sul segue com o terceiro maior índice de acidentes de trabalho no Brasil. Ainda tem uma média de 163 ocorrências do dia. Fica atrás de São Paulo e Minas Gerais apenas.

O recorte regional dos dados é feito pela Justiça do Trabalho no Rio Grande do Sul para marcar o Dia Mundial em Memória às Vítimas de Acidentes de Trabalhos e Ocupacionais, 28 de abril. No Rio Grande do Sul, foram registrados 59.658 acidentes de trabalho em 2014, redução muito pequena na comparação com 2013.

Os acidentes de trabalho aqui provocaram em 159 mortes. São 19 a mais que em 2013 e uma a cada 55 horas. Além disso, 1.002 trabalhadores ficaram com incapacidade permanente.

Coordenador do Programa Trabalho Seguro no Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região, o desembargador Raul Sanvicente avalia que a situação continua alarmante.

- A Previdência registra apenas os acidentes de trabalhadores com carteira assinada, que representam cerca de 50% da população economicamente ativa. No caso dos trabalhadores informais ou autônomos, que não aparecem nas estatísticas, os índices provavelmente são ainda maiores.

E ainda, estudos indicam que, a cada dez acidentes de trabalho, oito ocorrem em atividades terceirizadas. E, a cada cinco mortes no trabalho, quatro acontecem na terceirização.

Em 2015, foram ajuizadas cerca de 11 mil ações evolvendo acidentes de trabalho na Justiça do Trabalho do Rio Grande do Sul. Tanto que Porto Alegre e Caxias do Sul têm uma Vara do Trabalho específica para julgar esse tipo de ação.

Setores com mais acidentes:

“Comércio e reparação de veículos automotores” (com 13,13% do total)
“Saúde e Serviços Sociais” (12,87%)

Com mais doenças de trabalho:

“Atividades Financeiras” (17,6% do total)
“Fabricação de veículos e equipamentos de transportes” (10,16%)

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Leitor pergunta se pode ser recontratado pela empresa onde trabalhava

15 de abril de 2016 0

Leitor pergunta. Acerto de Conta$ responde:

17362118 (1)

 

Leitor Julio Cesar pergunta:

Saí há dois meses da empresa onde trabalhava. Poderiam me recontratar?

Advogada trabalhista Sonilde Lazzarin responde:

Se o empregado mantinha com a empresa um contrato por prazo indeterminado, após a extinção deste, poderá ser novamente contratado, mas não como contrato de experiência na mesma função. Ou seja, poderá ser contratado como prazo indeterminado desde o início do novo contrato. Entretanto, havendo redução de salário e/ou vantagens em relação ao contrato anterior, poderá ser questionada a validade desta terminação/recontratação.
Já no caso de ser o contrato anterior estipulado por prazo determinado, a nova contratação somente poderia ocorrer, validamente, após o transcurso de seis meses. Salvo se a expiração do contrato dependeu da execução de serviços especializados ou da realização de certos acontecimentos, conforme artigo 452 da CLT.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Trabalhadores com mais de 50 anos são os mais atingidos pela crise

14 de abril de 2016 1

17362118 (1)

 

Em 2015, ano de acirramento da crise econômica, a taxa de desemprego cresceu mais entre homens e mulheres com mais de 50 anos. Foi um aumento de quase 90% no indicador.

Segundo o pesquisador da Fundação de Economia e Estatística, Jorge Verlindo, é um movimento diferente das crises anteriores.

- Os jovens eram os mais atingidos.

Ainda assim, a taxa de desemprego de pessoas entre 50 e 59 anos é a mais baixa. Fica em 4,5%, enquanto a taxa total na Região Metropolitana de Porto Alegre fechou o ano passado em 8,7%.

Chefes de família também foram os mais impactados pela crise. O desemprego cresceu 79% entre pessoas com esta posição dentro de casa. Isso faz com que outros familiares passem a procurar emprego. Com isso, aumenta a base de cálculo da taxa de desemprego.

Com relação ao nível de escolaridade, a elevação do desemprego foi maior para os indivíduos com ensino fundamental incompleto e entre aqueles com o ensino superior completo. Os níveis intermediários foram menos afetados.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Banrisul contrata os primeiros aprovados em concurso

14 de abril de 2016 1

Leitor pergunta. Acerto de Conta$ responde.

Foto: Ricardo Chaves / Agencia RBS.

Foto: Ricardo Chaves / Agencia RBS.

 

O Banrisul faz nos próximos dias as primeiras contratações de aprovados em concurso para o cargo de escriturário. Serão mais de 150 vagas preenchidas.

Blog Acerto de Conta$ – Banco já chamando os aprovados? Desde quando?
Banrisul – Sim. As primeiras correspondências de convocação foram enviadas a partir de 23 de março.

Blog – Quantos foram contratados?
Banrisul – As primeiras 157 contratações ocorrerão nos dias 25 de abril e 2 de maio próximos.

Blog – Tem previsão de chamar mais pessoas? Quando?
Banrisul – As 300 vagas serão preenchidas de acordo com as necessidades do Banrisul, conforme previsto no edital de abertura do concurso.

O concurso teve mais de 100 mil inscritos e as provas ocorreram em dezembro. As vagas ficam no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Varejo projeta novo ano com corte de empregos no Rio Grande do Sul

14 de abril de 2016 0
Foto: Ronald Mendes / Agencia RBS.

Foto: Ronald Mendes / Agencia RBS.

 

A Confederação Nacional do Comércio projetou recentemente queda de 3,3% no emprego no varejo do País em 2016. No ano passado, o recuo foi de 2,3%.

O mesmo deve ocorrer aqui no Rio Grande do Sul, segundo a Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo. Segundo a CNC, o recuo no emprego foi de 1,8% no comércio gaúcho no ano passado.

Para este ano, AGV projeta corte de 25 mil postos de trabalho, o que representa queda de 7%.

- Não há contratação de temporários. Nada para o Dia das Mães. O fim do ano dependerá do cenário político. – analisa o presidente da entidade gaúcha, Vilson Noer.

Segundo ele, os lojistas estão com foco em aumentar o ticket médio, que é o valor médio gasto por cliente. Isso é para compensar a queda de tráfego nas lojas e nos shoppings centers, que pode atingir 30% em 2016.

- É o que chamamos de produtividade funcional. Menos pessoas, mas melhor preparadas. Tem loja conseguindo passar o ticket médio de R$ 80 para R$ 100.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.