Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "inflação"

Preço da fralda sobe o dobro da inflação

26 de fevereiro de 2015 0
Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS.

Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS.

O preço das fraldas descartáveis subiu 13,29% nos últimos 12 meses. A pesquisa é do IBGE e considera estabelecimentos na Região Metropolitana de Porto Alegre.

É quase o dobro da inflação do período. Além disso, foi o segundo maior aumento entre as regiões que entram no levantamento do instituto.

Para fabricantes que importam matéria-prima, a alta do dólar está pesando nos custos. É o caso de quem compra gel e celulose do exterior.

Mesmo com a alta de preço, o consumo segue crescendo. Considerado item de luxo há poucas décadas, a fralda descartável virou necessidade básica para pais com bebês.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Prévia da inflação oficial do País tem a maior taxa desde 2003

24 de fevereiro de 2015 1
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS.

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS.

Considerado uma prévia da inflação oficial do País, o IPCA-15 avançou forte em fevereiro. Passou de 0,89% para 1,33%. É a maior taxa desde 2003.

Em 12 meses, o índice acumula inflação de 7,36%. Cada vez mais longe do teto da meta do Governo Federal, que é 6,5%.

Ainda houve pressão dos reajustes das mensalidades escolares de início do ano. Teve também o impacto das tarifas de energia elétrica, que foi a principal pressão individual sobre o cálculo do IBGE. No grupo Transportes, a alta reflete, principalmente, os reajustes nas tarifas dos ônibus urbanos em sete regiões.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Passagem aérea e leite fazem inflação recuar em Porto Alegre

24 de fevereiro de 2015 1

A inflação para o consumidor de Porto Alegre teve novo recuo. Passou de 0,86% para 0,74% na última apuração da Fundação Getúlio Vargas. Com isso, passou a ser a mais baixa entre as sete capitais pesquisadas.

A principal influência para a queda foi da passagem aérea, que acumula queda média nos preços de 24,19% nos últimos 30 dias. Em seguida, o leite longa vida ficou 4,98% mais barato no período.

O recuo não foi maior porque refeições em bares e restaurantes ficaram 2% mais caras e, pelo peso no cálculo, foram a principal influência de alta. Em segundo lugar, apareceu o aumento da gasolina (+3,55%).

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Aluguéis sobem menos do que a inflação em Porto Alegre

19 de fevereiro de 2015 3
Foto: Tatiana Cavagnolli, Agência RBS.

Foto: Tatiana Cavagnolli, Agência RBS.

Os preços dos imóveis para alugar subiram 2,42% em Porto Alegre nos últimos 12 meses. É um terço da inflação do período para o consumidor.

O Índice FipeZap de Locação passou a considerar também Porto Alegre no cálculo. Em janeiro, houve uma queda de 0,77% nos valores aluguéis.

A média do metro quadrado está em R$ 22 na Capital Gaúcha. O Rio de Janeiro tem o valor mais alto, R$ 41.

Rentabilidade do aluguel

O FipeZap também compara o preço do aluguel com o de venda. É uma medida da rentabilidade para o investidor que quer colocar o imóvel para alugar.

Em janeiro de 2015, o retorno médio com aluguel em Porto Alegre era de 5,3% ao ano, enquanto a taxa de juros real no Brasil era de 5,4%. A poupança teve retorno real negativo, de -0,7%. A caderneta, no entanto, não paga Imposto de Renda.

Leia mais:

Expectativa de queda no preço reduz intenção de compra de imóveis

Construtoras pisam no freio e lançam menos imóveis em Porto Alegre

Imóveis à venda começam ano com nova queda de preços em Porto Alegre

Bairros com os imóveis mais caros e os mais procurados de Porto Alegre

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Inflação desacelera em Porto Alegre

19 de fevereiro de 2015 0

A inflação desacelerou para o consumidor Porto Alegre, após começar o ano em forte alta. Passou de 1,26% para 0,86% na última apuração da Fundação Getúlio Vargas.

As principais influências de queda foram:

Passagem aérea -25% em 30 dias
Show musical -3,10%
Congelados de ave -3,55%

No entanto, o índice também desacelerou porque o reajuste das mensalidades escolares apareceu no cálculo de janeiro principalmente, dando uma folga em fevereiro. Além disso, o reajuste da conta de luz da CEEE começa aos poucos a se dissipar no cálculo, ficando agora as bandeiras tarifárias. Sem falar no aumento previsto para março e que vem na conta de luz que chega em abril.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Dólar alto por mais uma semana terá impacto forte nos supermercados gaúchos

16 de fevereiro de 2015 1
Foto: Julio Cavalheiro / Agencia RBS.

Foto: Julio Cavalheiro / Agencia RBS.

Se o dólar se mantiver neste patamar por mais uma semana, vai chegar com tudo nos supermercados gaúchos. O impacto virá nas carnes, óleos, farinha de trigo e açúcar. Além disso, a Associação Gaúcha de Supermercados alerta que os derivados também sentirão os reflexos com aumento nos preços.

Por enquanto, só os produtos que são importados já prontos ficaram mais caros. Azeites e vinhos, por exemplo. No entanto, representam apenas 1,5% do mix de produtos do supermercado.

Semana passada, a Associação Paulista de Supermercados já alertava para os impactos: Supermercados de São Paulo alertam para impacto da alta do dólar    

A tendência para o dólar é de alta. Fechou sexta-feira em R$ 2,83. Nesta semana, o mercado aguarda documento do Fomc, o comitê de política monetária dos Estados Unidos. Caso sinalize aumento de juros, o país vai atrair mais dólares, pressionando a moeda mundialmente. Além disso, as incertezas quanto à economia brasileira também desenham este cenário de alta do dólar.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Supermercados de São Paulo alertam para impacto da alta do dólar

13 de fevereiro de 2015 0
Foto: Julio Cavalheiro / Agencia RBS.

Foto: Julio Cavalheiro / Agencia RBS.

A Associação Paulista de Supermercados alerta para o impacto do aumento do dólar nos preços. Já cita até os produtos:

“azeites, vinhos importados, bacalhau, alguns itens de higiene e beleza, como desodorante (os que possuem insumos importados ou são fabricados fora do País) e os que são relacionados diretamente com o trigo – já que parcela do trigo é importada -, como o pão francês e massas em geral.”  

Se a alta for temporária, a concorrência ainda conseguirá manter os preços competitivos para o consumidor, pondera a APAS. No entanto, os supermercados terão que se esforçar na negociação junto à indústria para não repassar o aumento, comenta o gerente do departamento de Economia e Pesquisa da Associação Paulista de Supermercados, Rodrigo Mariano. O aumento é direto em alguns produtos, mas também indireto em outros:

- O aumento do dólar deixa os produtos importados mais caros e pressiona os preços para cima. Também encarece as importações de máquinas e equipamentos, além de tornar as linhas de financiamento externo menos atrativas.

O economista sugere optar por produtos nacionais e pesquisar mais antes de comprar.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Aumento da energia eleva preços dos materiais de construção

12 de fevereiro de 2015 1

Os reajustes da energia elétrica do início do ano provocarão aumentos em torno de 15% nos preços dos materiais de construção. A conta de luz da indústria destes produtos chegou 20% mais cara, segundo Pedro Antônio Reginato, presidente do Sindicato da Indústria da Mineração de Brita, Areia e Saibro do Estado do Rio Grande do Sul e da Associação Gaúcha dos Produtores de Brita, Areia e Saibro.

- Vai refletir no preço do produto final, seja areia, brita, cimento ou asfalto. Em maio, o consumidor já vai sentir o reajuste dos preços.

A energia elétrica representa cerca de 10% dos custos do setor. Junto com a economia fraca, provoca cancelamento de investimentos.

- Já descartamos investimentos em novas áreas de extração e aquisição de equipamentos. É um momento de muita cautela, pois estamos diante de um cenário de redução de horas e demissões na indústria. As construtoras já não investem em tantos empreendimentos, pois está começando a sobrar apartamentos.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Banco Central alerta para baixa confiança dos empresários e consumidores no Rio Grande do Sul

10 de fevereiro de 2015 0

O Banco Central acredita que a economia será moderada no Rio Grande do Sul no início de 2015. Com isso, se retrai após uma trajetória de recuperação, observada pela autoridade monetária no fim de 2014. Refere-se ao avanço de 1,8% no IBCR-RS, calculado pelo banco e que aponta a atividade econômica do Estado.

Esta moderação, segundo o Banco Central, se deve ao ambiente de confiança reduzida tanto de empresários quanto de consumidores. Mas, ao mesmo tempo, considera efeitos positivos sobre a renda agrícola com o aumento na safra de grãos. A análise está no relatório trimestral sobre a economia regional.

Longo prazo

Considerado um prazo mais longo, o PIB do Rio Grande do Sul cresceu 2,7% ao ano em média, de 2002 a 2014. No mesmo período, o País teve avanço médio de 3,2% na economia.

“Como destaques positivos, no período, tem-se os desempenhos da agropecuária, no Estado, e da indústria, no Brasil.”

foto blog

Investimentos

Estão previsos investimentos de R$ 2,2 bilhões no Rio Grande do Sul. O Banco Central usa informações do Ministério do Desenvolvimento.

Deste montante, mais de R$ 1,5 bilhão vai apenas para o setor de energia. A maior parte para o setor eólico, que gera energia a partir do vento.

bacen dois

===

Siga @GianeGuerra no Twitter

 

 

 

Inflação desacelera em Porto Alegre

10 de fevereiro de 2015 0

A inflação para o consumidor teve uma desaceleração na primeira semana de fevereiro. O Índice de Preços ao Consumidor passou para 1,26%. Na apuração anterior da Fundação Getúlio Vargas, estava em 1,48%.

O reajuste das mensalidades escolares reduz aos poucos o impacto, já que a maioria ocorreu em janeiro. Com isso, a despesa deixa de aparecer nas principais pressões da inflação da Capital.

O aumento da conta de luz da CEEE também. No entanto, pela intensidade do aumento e o peso no cálculo do índice – que reflete a importância no orçamento -, a tarifa de energia elétrica segue como o principal impacto de alta sobre o indicador.

Na outra ponta, as quedas de preços mais relevantes foram: alimentos congelados de aves, leite longa vida, computador e passagem aérea.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter