Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "inflação"

Porto Alegre deixa de ter inflação mais alta do País

25 de novembro de 2014 0

Depois de quatro semanas com a maior inflação na pesquisa da Fundação Getúlio Vargas, Porto Alegre foi ultrapassada no último levantamento. Ainda assim, o recuo no Índice de Preços ao Consumidor foi pequeno. Passou de 0,57% para 0,56%.

A queda no preço do leite é a principal influência de queda. Caiu 3,85% nos últimos 30 dias.

Além disso, o reajuste da tarifa de energia elétrica da CEEE está suspenso. Deveria ter vigorado a partir de 25 de outubro, mas a distribuidora está inadimplente e a Aneel não permite aplicação do aumento. Planilha da CEEE aponta necessidade de aumento de 34,99%.

foto blog

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Prévia aponta recuo da inflação

19 de novembro de 2014 0

A prévia da inflação oficial do País aponta recuo para novembro. Ficou em 0,38%.

Em outubro, o IPCA-15 foi de 0,48%. Segundo o IBGE, a desaceleração na alta de preços dos alimentos permitiu o recuo. Ainda assim, o aumento da carne foi a principal pressão sobre o indicador.

No acumulado de 12 meses, a inflação passou para 6,42%. Com isso, voltou a ficar abaixo do teto da meta do Governo Federal, que é de 6,5%.

Foto: Tadeu Vilani / Agencia RBS

Foto: Tadeu Vilani / Agencia RBS

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Queda no preço do leite faz inflação recuar em Porto Alegre

18 de novembro de 2014 0
Foto: Diego Vara/Agencia RBS.

Foto: Diego Vara/Agencia RBS.

O preço do leite longa vida caiu, em média, 2,50% nos últimos 30 dias em Porto Alegre. A redução permitiu também o recuo da inflação para o consumidor da Capital. O item foi a principal pressão de queda no indicador.

O Índice de Preços ao Consumidor de Porto Alegre caiu de 0,66% para 0,57% na última apuração. Ainda assim, é a inflação mais alta entre as sete Capitais pesquisadas pela Fundação Getúlio Vargas.

Também ajudaram no recuo da inflação:

Massas congeladas -2,14%
Congelados de carne bovina -2,72%
Cebola -12,45%
Automóvel usado -1,09%

Leia mais: Leite está mais barato

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

 

Mercado eleva novamente previsão para o dólar

17 de novembro de 2014 0
Foto: Marcos Porto.

Foto: Marcos Porto.

 

O mercado elevou novamente a previsão para o dólar. Está apostando agora que o câmbio fechará 2014 a R$ 2,53. Há um mês, os analistas previam dólar a R$ 2,40.

O relatório Focus é divulgado pelo Banco Central. Para 2015, os analistas projetam câmbio a R$ 2,61.

Na divulgação de hoje, aumentaram levemente a previsão para o PIB. Crescimento projetado de 0,21% no ano.

Inflação pelo IPCA: +6,40%

Taxa de juros Selic: 11,5% ao ano

Produção industrial: -2,30%

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Inflação começa novembro com alta em Porto Alegre

11 de novembro de 2014 0
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS.

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS.

Novembro começa com aumento da inflação para o consumidor de Porto Alegre. Depois de um recuo no fim de outubro, o  Índice de Preços ao Consumidor passou de 0,60% para 0,66%.

A pesquisa é feita todas as semanas pela Fundação Getúlio Vargas. A inflação de Porto Alegre é a mais alta entre as sete capitais onde é feito o levantamento.

As principais pressões de alta:

Excursão +4,88%
Congelados de ave +3,95%
Tomate +18,06%
Bergamota +5,9%
Gás de bujão +4,41%

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Análise: O impacto da inflação das ações das empresas na Bovespa

10 de novembro de 2014 0

Mercado Financeiro no Destaque Econômico

Como a pressão inflacionária influencia a avaliação dos investidores em relação às ações de empresas?

Analista de mercado Débora Morsch:

“A pressão inflacionária acaba influenciando de diversas formas a avaliação dos investidores em relação às empresas. Um fator que impacta todas as empresas é que uma taxa de inflação maior leva a taxas de juros maiores na economia, fazendo com que a taxa de desconto utilizada pelos investidores para avaliar as empresas seja maior. Com uma taxa de desconto maior, o valor da avaliação de uma empresa cai.

Do ponto de vista operacional das empresas listadas em bolsa, a inflação repercute de maneiras diferentes, conforme os setores em que elas atuam. Empresas com alta intensidade de mão de obra, por exemplo, acabam sendo prejudicadas, pois os dissídios acompanham a inflação e isso vai aumentar os custos da empresa.

Podemos dizer que as beneficiadas são empresas de concessão, que no geral possuem suas tarifas indexadas com a inflação, como: concessão de rodovias (os pedágios) e empresas ligadas ao setor de energia elétrica. Além destas, empresas que fazem a captura de compras feitas no cartão de crédito ou débito, como Cielo, tendem a se beneficiar, pois sua receita é correlacionada com o valor gasto pelo consumidor.

Para outros tipos de investimentos, como renda fixa, os investidores tendem a ter uma rentabilidade real (descontada da inflação) menor. Investimentos na poupança são os mais prejudicados, pois possuem rentabilidade de 6,17% a.a + TR. Como a TR não acompanha corretamente a inflação, o investidor acaba tendo um retorno significativamente pior com a alta da inflação.”

Ouça o Destaque Econômico, na Rádio Gaúcha. Domingos, às 9h.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Mercado projeta PIB menor e dólar maior

10 de novembro de 2014 0
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS.

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS.

O mercado reduziu novamente a previsão para o PIB. Aposta agora em crescimento de apenas 0,2%.

O relatório Focus, do Banco Central, mostra ainda aumento na projeção para o dólar. Prevê que o câmbio fecha 2014 a R$ 2,50. É R$ 0,10 acima do que o projetado há um mês.

Intensificou a projeção de piora na indústria. Acredita que a produção cairá 2,21%.

No entanto, os analistas amenizaram a previsão para a inflação. Reduziram a aposta no IPCA para 6,39% no fechamento do ano.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Inflação desacelera, mas segue acima do teto da meta

07 de novembro de 2014 0
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS.

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS.

A inflação oficial do País desacelerou em outubro. Passou para 0,42% frente a setembro, quando ficou em 0,57%.

Segundo o IBGE, apesar de ainda com alta de preços, o menor ritmo dos alimentos permitiu o recuo do IPCA. As carnes ainda ficaram mais caras, mas o preço subiu menos.

“Mas outros produtos perderam força de um mês para o outro, especialmente as carnes, que passaram de 3,17% para 1,46%. Mesmo assim, o item carnes, com 0,04 ponto percentual, permaneceu com o status de principal impacto adquirido no mês passado. Seguem outros destaques entre os alimentos.”

O tomate ficou 12,37% mais caro. As passagens aéreas caíram 17,85%.

Meta

O acumulado de 12 meses desacelerou também. Estava em 6,75% e passou para 6,59%.

No entanto, ainda está acima do teto da meta do Governo Federal, que é de 6,5%.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Inflação recua em Porto Alegre

04 de novembro de 2014 1
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS.

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS.

A inflação voltou a recuar em Porto Alegre. Fechou outubro em 0,60%. Na apuração da FGV na semana anterior, foi de 0,66%.
As principais influências de queda:

Gasolina -0,80%
Passagem aérea -7,25%
Costela bovina -3,70%

As principais influências de alta:

Tomate +28,84%
Bergamota +12,04%
Tarifa de celular +2,73%

Apesar do recuo, a inflação para o consumidor de Porto Alegre continua sendo a maior entre as sete capitais pesquisadas. A média nacional em outubro foi de 0,43%.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Ainda sem efeito da eleição, Focus mantém previsões para economia

27 de outubro de 2014 1

O relatório Focus mantém a previsão para os principais indicadores da economia. O documento traz opiniões do mercado, mas os dados coletados pelo Banco Central com os analistas ainda não trazem o resultado do segundo turno das Eleições.

Inflação pelo IPCA +6,45%
Dólar R$ 2,40
Taxa de juros Selic 11% ao ano
PIB +0,27%
Produção industrial -2,24%

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.