Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros
Capa ZH ZH Blogs Assine agora

Posts com a tag "investimento"

Alta da Selic: Poupança perde vantagem para renda fixa

30 de outubro de 2014 1

A elevação da taxa Selic para 11,25% ao ano deixa a poupança menos atrativa em relação a aplicações de renda fixa.

Leia: Copom surpreende e aumenta taxa de juros

Vários fundos de renda fixa têm a rentabilidade atrelada ao movimento do juro básico. São, por exemplo, CDBs pós-fixados, fundos DI e Letras Financeiras do Tesouro. Quando mais sobe a Selic, mais estes fundos rendem. Já a caderneta para de acompanhar a alta da taxa quando ela passa dos 8,5% ao ano.

Mas atenção para a taxa de administração das aplicações. Taxas acima de 1% corroem a rentabilidade e fazem a aplicação perder para a poupança. De qualquer forma, taxas superiores a este percentual estão altas demais.

Eduardo Cairoli, da Privatto Investimentos, lembra que a decisão do Copom mostra que o Banco Central está mais preocupado com a inflação. Isso altera o cenário de investimentos atrelados ao índice.

- Investimentos em DI pós-fixados tornam-se mais atrativos.

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS.

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Franquias de R$ 20 mil a R$ 1,5 milhão

24 de outubro de 2014 0

Franquias com investimento inicial de R$ 20 mil até R$ 1,5 milhão. São os negócios da Franchising Fair, que está em Porto Alegre.

Investimento inicial mais baixo: R$ 20 mil – Doutor Software (Liguesite)
Ramo: Serviços especializados de internet
Previsão de retorno: até 18 meses

Investimento inicial mais alto: R$ 1,5 milhão – Casa X
Ramo: Buffets infantis. Da Xuxa.
Previsão de retorno: até 22 meses

20ª Franchising Fair – Porto Alegre
De 24 a 26 de outubro de 2014
Horário: Sexta e sábado das 14h às 21h e domingo das 14h às 19h
Ingresso: R$ 25 por pessoa, válido para os 3 dias da feira, com direito às palestras.
Local: Av. Assis Brasil, 8787

Empresa chinesa investirá US$ 40 milhões para produzir fumo no Rio Grande do Sul

15 de outubro de 2014 6

A China Tabaco Internacional vai investir mais de US$ 40 milhões para produzir fumo no Rio Grande do Sul. Ainda em 2015, metade deste valor irá para a joint venture China Brasil Tabacos Exportadora.

A informação foi dada pelo vice-presidente da empresa, Ye Hai, em entrevista ao jornal China Daily. Segundo ele, são estudados locais para construir fábricas, armazéns e escritórios. Na disputa, estão Santa Cruz do Sul e Venâncio Aires.

- O local será decidido a partir de políticas fiscais e preço da terra. A construção de armazéns será o primeiro passo. – disse Ye Hai.

O Brasil é o segundo maior exportador de fumo para a China. Foram quase 26 mil toneladas desde 2010.

Imagem: Reprodução China Daily.

Imagem: Reprodução China Daily.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Franquia de perfumes busca investidores no Rio Grande do Sul

06 de outubro de 2014 0
Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação.

Franqueadora de Curitiba, a Di Vetro quer abrir lojas de perfumes no Rio Grande do Sul. Estudo da empresa aponta como locais interessantes: Porto Alegre, Caxias do Sul, Pelotas, Canoas, Santa Maria, Gravataí, Viamão, Novo Hamburgo, São Leopoldo, Rio Grande, Alvorada e Passo Fundo. São municípios com mais de 100 mil habitantes.

A empresa vende perfumes importados e cosméticos. Há opções de lojas de rua e de shopping. O foco são as classes B, C e D.

Atualmente, das 19 lojas da Di Vetro em operação, 14 são franqueadas.

Tipo de negócio: Varejo Multimarcas de Perfumes e Cosméticos Importados
Data de fundação do grupo: 1994
Investimento inicial (sem taxa de franquia): De R$ 350 mil a R$ 750 mil. Os valores não incluem o ponto comercial.
Taxa de franquia: R$ 50 mil
Royalties: 5% do faturamento bruto
Capital de giro: R$ 50 mil (não inclusos no investimento inicial)
Taxa de publicidade: O franqueado investirá um valor anual de 10.000,00 (dez mil reais).
Faturamento médio mensal do franqueado: R$ 80 mil
Prazo médio de retorno do investimento: de 18 a 30 meses
Prazo de contrato: 10 anos
Área mínima da unidade: 25 m2

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Ações da Petrobras: vender? segurar? comprar?

22 de agosto de 2014 0
Foto: Divulgação Petrobras.

Foto: Divulgação Petrobras.

Tem ações da Petrobras? Não sabe se vende ou segura os papéis? Não tem e pensa em comprar?

Leia também: Petrobras volta a ter o maior valor de mercado da América Latina

Confira as dicas de especialistas.

Educador financeiro, Mauro Calil

Analista da Clear Corretora, Fernando Góes

Analista da Geral Investimentos, Carlos Müller

Ouça o Destaque Econômico, na Rádio Gaúcha. Domingos, às 9h.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Fruki vai construir dois novos centros de distribuição no Rio Grande do Sul

22 de agosto de 2014 1

A Fruki vai construir dois novos centros de distribuição no Rio Grande do Sul. A compra dos terrenos já está sendo fechada, disse o presidente da fabricante de bebidas de Lajeado, Nelson Eggers.

Um deles ficará em Farroupilha, para abastecer a Serra Gaúcha. O outro será em Pelotas, para atender encomendas na Zona Sul do Estado. A construção das unidades começa em 2015.

A empresa já tem um centro de distribuição junto à fábrica, em Lajeado. Outro fica em Canoas, para abastecer a Região Metropolitana, que já representa mais da metade das vendas da Fruki. Há ainda o centro de distribuição em Santo Angelo. Já há duas unidades em Farroupilha e Pelotas, mas ficaram pequenas demais para as encomendas nestas regiões.

Eggers conversou com o blog Acerto de Conta$ na Expoagas. Estava muito contente porque soube que supermercadistas estavam cobrando das outras fornecedoras de bebidas o mesmo crescimento de vendas que a Fruki está apresentando no ano.

- Tivemos um erro no planejamento. – brincou o presidente da Fruki – Projetávamos crescer 8% em volume. Mas estamos vendendo 20% mais.

Empresário Nelson Eggers. Foto: Divulgação De Zotti.

Empresário Nelson Eggers. Foto: Divulgação De Zotti.

Para garantir o mercado até o verão, está investindo em uma linha de produção nova. A empresa já ampliou de 300 milhões para 380 milhões de litros a capacidade e, até o fim do ano, quer atingir 420 milhões de litros por ano.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Empresas projetam 10 mil aerogeradores para o Rio Grande do Sul em 20 anos

14 de agosto de 2014 0
Foto: Genaro Joner / Agencia RBS.

Foto: Genaro Joner / Agencia RBS.

O Rio Grande do Sul poderá ter 10 mil aerogeradores nos próximos 20 anos. A previsão é do Sindicato das Empresas de Energia Eólica.

Os empreendimentos exigiriam investimentos de R$ 80 bilhões. Atualmente, o Estado tem 1 mil aerogeradores para geração de energia a partir do vento. Há R$ 8 bilhões em investimentos já contratados até 2018.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Quatro novos investimentos somam mais de R$ 1 bi no Rio Grande do Sul

14 de agosto de 2014 0
Foto:  Hermínio Nunes / Agencia RBS.

Foto: Hermínio Nunes / Agencia RBS.

Quatro projetos confirmados recentemente no Rio Grande do Sul somam R$ 1,111 bilhão em investimentos privados. São eles:

Atlantic Energias – R$ 739 milhões. Instalação de parque eólico em Santa Vitória do Palmar.

Grupo Bigfer – R$ 50 milhões. Ampliação da fábrica em Farroupilha, onde são produzidos acessórios para móveis.

Carraro Drive Tech – R$ 22 milhões. Empresa italiana que vai instalar fábrica de eixos para tratores em Caxias do Sul.

Copelmi Mineração – R$ 300 milhões. Implantação de mina de carvão mineral em Charqueadas. (O Governo do Estado havia informado inicialmente o blog que seria em Guaíba)

Todos entraram para a carteira da Sala do Investidor, na Secretaria Estadual de Desenvolvimento e Promoção do Investimento. O objetivo é agilizar a negociação e a documentação para concretizar os investimentos.

Com estes projetos, a Sala do Investidor alcançou R$ 50 bilhões em 536 negócios, que podem gerar mais de 65 mil empregos. Concluídos e com obras em andamento somam cerca de R$ 23 bilhões. O restante está ainda em negociação ou outros trâmites.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Futebol e finanças

24 de junho de 2014 0

Futebol e finanças

Atletas que ganham grandes quantias em dinheiro precisam cuidar logo do planejamento financeiro porque a carreira é curta. É difícil convencê-los disso, desabafa William Machado, ex-jogador de futebol e hoje consultor financeiro de atletas.

- De resto, é bem parecido com o resto da população. Atletas também têm desejos de consumo.

Parecida também é a vontade de investir em imóveis. Machado lembra que tem muita gente que se aproveita do desconhecimento do jogador. Investir em imóvel exige cuidados essenciais: O imóvel vai se valorizar? O preço está bom mesmo? A construtora é confiável?

Ouça a entrevista de William Machado ao Destaque Econômico:

Ouça o Destaque Econômico, na Rádio Gaúcha. Domingos, às 9h.
===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Análise: Economia fraca afeta investimentos em debêntures

23 de junho de 2014 0

Mercado Financeiro no Destaque Econômico

A economia fraca tem afetado investimentos em debêntures (títulos emitidos por empresas)?

Analista de mercado Débora Morsch

“Sim, a economia fraca acaba postergando investimentos que as empresas fariam caso projetassem um cenário positivo para o País. As empresas emitem debêntures, que são títulos de dívida, para captarem recursos para seus investimentos de longo prazo.

No ano de 2011, o governo isentou de Imposto de Renda as debêntures de financiamento de projeto de infraestrutura. Esse incentivo terminaria no final de 2015, mas foi prorrogado essa semana até o fim de 2020, em um pacote de medidas que o governo lançou para estimular o mercado de capitais. Nesse pacote, o governo decidiu ampliar os setores que podem captar recursos com as chamadas debêntures incentivadas. Foram incluídas nesta modalidade as áreas de educação, saúde, hídrica, irrigação e ambiental. O objetivo do pacote é que as empresas possam captar recursos para seus investimentos a custos menores e os investidores consigam um retorno maior, já que estão isentos do pagamento de Imposto de Renda.

Em 2012, tivemos um volume recorde de emissões de debêntures: R$ 88 bilhões. Em 2013, foram R$ 66 bilhões, uma queda de 25%. Já em 2014, até o momento, o volume foi de apenas R$ 20 bilhões.”

Ouça o Destaque Econômico, na Rádio Gaúcha. Domingos, às 9h.
===

Siga @GianeGuerra no Twitter.