Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "orçamento"

Cartão de crédito nem sempre é vilão

11 de março de 2014 0

Confira a coluna Acerto de Conta$, no Diário Gaúcho. Todas as terças.

Nem sempre é um vilão

A coluna está sempre alertando os endividados, mas o cartão de crédito nem sempre é um vilão. Quem é bem organizado e controlado pode usá-lo como uma boa ferramenta no orçamento.

Uma das coisas boas é que o cartão reúne a maior parte dos gastos do mês em um único lugar: a fatura. O documento ajuda, então, na organização dos gastos.

Outra dica é ter um bom programa de pontos. Podem ser trocados por produtos ou milhas para passagens aéreas.

Superintendente de investimentos da Agiplan, Eliseu Colman resume bem:

- Crédito é como cerveja. Beba, mas com moderação.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Vale comprar um carro?

26 de dezembro de 2013 4
Foto: Agencia RBS.

Foto: Agencia RBS.

O Estúdio de Finanças, da PUCRS, fez uma tabela interessante sobre os gastos com um automóvel por ano. Veja a simulação:

Seguro = R$ 3 mil
IPVA = R$ 1,6 mil
Desvalorização = R$ 4 mil
Manutenção = R$ 500
Combustível = R$ 3,6 mil
Total = R$ 12,7 mil

Conclusão: Os gastos equivalem a quase R$ 35 por dia. Se andasse de táxi, usaria todo este valor? E observe que a tabela nem inclui o valor pago pelo carro ou a parcela do financiamento!

Mais caro estacionar e consertar o carro

Seu bolso sentiu que nos últimos cinco anos estacionamentos e mecânicos ficaram 50% mais caros em Porto Alegre. Tudo começou lá em 2008, com a crise que começou nos Estados Unidos e se alastrou pelo mundo. Para estimular a economia, o governo brasileiro reduziu o imposto de carros novos.

A indústria de automóveis bombou, o comércio também e as estradas ficaram lotadas. Mas não foi só isso. Exigiu mais serviços, sendo estacionamento e mecânico os principais, e isso aumentou os valores cobrados.

- É oferta e demanda. Mais gente disposta a pagar, o dono do estabelecimento tem espaço para reajustar valores. – acrescenta Marcio Silva, coordenador da FGV/RS, que fez o levantamento para a coluna.

Zero quilômetro x Usado

O preço do carro novo realmente foi segurado pelas reduções de IPI, o Imposto sobre Produtos Industrializados. Só que, com isso, o carro usado ficou mais difícil de vender e os valores caíram. Bom para quem quer comprar um usado. Ruim pra quem quer dar um usado na troca para comprar um carro novo, já que as revendas também estão pagando menos.

Prateleira de preços

Inflação IPCS/FGV nos últimos cinco anos em Porto Alegre: +29,70 Automóvel novo: +1% Automóvel usado: -15% Estacionamento +54% Serviço de reparo em automóvel +46%

Aplicativo de estacionamentos

Para ajudar no drible dos preços salgados dos estacionamentos, tem um aplicativo para usar em celulares com acesso à internet chamado Lets Park. Ele informa preço, endereço e horário de funcionamento. No Rio Grande do Sul, 200 locais já estão cadastrados.

Confira a coluna Acerto de Conta$, no Diário Gaúcho. Todas as terças.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

 

Dicas para proteger o bolso do impacto da inflação

31 de maio de 2013 0

Foto: Julio Cavalheiro/Agencia RBS.

A inflação tira o poder de compra das pessoas. Principalmente, quando atinge alimentos e serviços, o impacto é direto no bolso. O dinheiro do consumidor vale menos no fim do mês.

O Indicador Serasa Experian de Educação Financeira mostrou que 49% da população não sabe quanto fechou em 2012 a taxa acumulada de inflação no Brasil. Para os economistas, o brasileiro conhece o fenômeno da inflação, mas têm dificuldades em compreender e administrar recursos e dívidas quando os preços sobem. O indicador também apontou que quanto mais pessoas da família são envolvidas nas decisões financeiras, maior o nível de educação financeira.

“Por isso, para controlar o orçamento mensal, a principal dica é se reunir com os outros integrantes da casa e anotar todos os produtos e serviços consumidos no mês, desde as despesas com aluguel e combustível até os pequenos gastos com o pão de queijo e o cafezinho na padaria, para comparar com o mês seguinte. Com isso, é possível saber o que sofreu ou não reajuste de preço no período e acordar entre todos o que precisa ou não ser cortado.”

5 dicas para adaptar o orçamento aos tempos de inflação:

1ª Procure alimentos substitutos aos que estão subindo de preço. Por exemplo, o feijão por lentilha. Evite as frutas e verduras fora da estação. Não deixe nunca de pesquisar preços;

2ª Verifique quanto custa os serviços, peça desconto e racionalize os gastos. Adotar planos familiares de internet, celular e televisão a cabo podem ajudar a economizar;

3ª Cuidado com o cartão de crédito, o cheque especial e compras financiadas. A tendência é de alta nos juros;

4ª O cartão de crédito também tem serviços parceiros que oferecem descontos (cinemas, escolas, restaurantes, assinatura de jornais). Aproveite;

5ª Os remédios estão mais caros. Procure comprar os genéricos e informe-se sobre descontos que as farmácias dão a determinados planos de saúde e laboratórios. Além disso, alguns laboratórios oferecem descontos de até 50% para remédios de uso contínuo, mas é preciso fazer um cadastro no site da empresa. Vá no site do fabricante ou entre em contato com o Serviço de Atendimento ao Cliente.

Leia também: Orientações para endividados e dicas para investidores

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Decreto destina quase R$ 26 milhões para Porto de Rio Grande

27 de maio de 2013 0

Foto: Tadeu Vilani / Agencia RBS.

O Porto de Rio Grande receberá R$ 25,83 milhões para recuperação dos molhes do canal de acesso. O valor está em decreto publicado hoje no Diário Oficial da União.

O recurso foi denominado de crédito suplementar. No total, houve um remanejamento de mais de R$ 215 milhões no orçamento da Secretaria dos Portos. A maior parte é de investimentos cancelados para obras do Porto do Rio de Janeiro. Já o maior beneficiado foi o Porto de Suape, em Pernambuco.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Orientações para endividados e dicas para investidores

24 de maio de 2013 0

Gaúchos têm o terceiro maior gasto do País com seguro pessoal

19 de maio de 2013 0

Os gaúchos gastam em média R$ 85,21 por mês com seguro pessoal. A média nacional é de R$ 67,12.

No ranking brasileiro, o Rio Grande do Sul fica em terceiro lugar. Atrás apenas de São Paulo e Rio de Janeiro. Os dados levantados pela Life Consultoria são da Superintendência de Seguros Privados.

Vice-presidente da Câmara de Corretores do Rio Grande do Sul e presidente da Life Consultoria, Alberto Júnior conta que, dos R$ 13 bilhões de faturamento que o setor de seguros pessoais alcançou no ano passado, R$ 917 milhões foram no Estado. É 7,05% e o mercado já se mexeu. Hoje, 50 das 77 empresas do setor atuam no Rio de Grande do Sul.

Saiba mais na entrevista de Alberto Júnior ao programa Destaque Econômico, na Rádio Gaúcha:

Ouça o Destaque Econômico, na Rádio Gaúcha. Domingos, às 9h.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Bergamota 30% mais barata

17 de maio de 2013 2

Foto: Julio Cordeiro/Agencia RBS.

Boa notícia para os gaúchos com a chegada do frio, o preço da bergamota caiu 33% nos últimos 30 dias em Porto Alegre. Foi, inclusive, a principal influência para o recuo da inflação da Capital na última apuração da FGV.

- É a entrada da safra. – diz o coordenador da FGV/RS, Márcio Mendes Silva.

A bergamota tem peso grande no cálculo da inflação de Porto Alegre pela presença forte no hábito de consumo do portoalegrense. Para comparação, é o dobro do peso do feijão.

Inflação

O Índice de Preços ao Consumidor de Porto Alegre recuou. Passou de 0,35% para 0,24%.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Inflação de Porto Alegre começa março em alta

11 de março de 2013 0

A primeira apuração de março da FGV apontou aumento da inflação em Porto Alegre. O Índice de Preços ao Consumidor acelerou de 0,56% para 0,71%.

As altas que mais pressionaram o indicador (variação dos últimos 30 dias):

Taxa de água e esgoto +5,9%
Gasolina +4,28%

Quedas que ajudaram a segurar o índice:

Tarifa de eletricidade residencial -11,1%
Sapato feminino -4,04%

Coordenador da FGV no Rio Grande do Sul, Márcio Mendes Silva volta a destacar o aumento dos preços dos alimentos.

Hortaliças e legumes +7,67%  
Tomate +17,12%
Cebola +12,07%
Aipim +21,96%
Feijão preto +4,89%

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.


Inflação oficial acumula 6,31% em 12 meses

08 de março de 2013 0

Considerado a inflação oficial do País, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo ficou em 0,60% em fevereiro. Desacelerou frente a janeiro, quando o IPCA registrou 0,86%.

Segundo o IBGE, as contas de energia elétrica ficaram 15,17% mais baratas em fevereiro, refletindo boa parte da redução de 18% no valor das tarifas aplicada pelo Governo Federal no fim de janeiro. O peso é alto e a redução foi a principal influência para o recuo da inflação.

Pelo lado das altas, o destaque ficou com o grupo Educação, com aumento de 5,40%. Reflete ainda os reajustes nas mensalidades escolares. O segundo maior impacto veio do aumento da gasolina.

Foto: Divulgação.

12 meses

Considerando os últimos doze meses, o índice foi para 6,31%, acima dos 6,15% relativos aos doze meses encerrados em janeiro. O teto da meta de inflação do Governo Federal é 6,5%.

Porto Alegre

O IPCA da Região Metropolitana de Porto Alegre também desacelerou. Passou de 0,68% para 0,35%. No acumulado de 12 meses, o indicador fica em 6,07%, menor que a média nacional.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Mais da metade das jovens gaúchas tem independência financeira

06 de março de 2013 1


Foto: Jefferson Bottega/Agência RBS.


Das gaúchas entre 20 e 30 anos, 53% já alcançaram a independência financeira. Destas, metade investe. Em relação a compras, 64% demoram no máximo uma hora em lojas. Um terço não fica mais de meia hora.

Estes dados estão em pesquisa da Rohde&Carvalho divulgada em parceria com a Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo. O levantamento mostrou ainda que seis em cada dez mulheres gaúchas que moram sozinhas já têm imóvel próprio.

Quanto ao consumo, 33% das gaúchas fazem prestações em várias lojas ao mesmo tempo. Já sete em cada dez acreditam que vale esperar as promoções.

E atenção: eletroeletrônicos e produtos de beleza são aqueles onde as marcas mais influenciam o público feminino na hora compra. E as mulheres da Classe A e B se declaram mais impactadas que as da Classe C.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.