Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "pib"

Mercado melhora apostas para inflação e PIB

19 de setembro de 2016 0

O mercado melhorou as previsões para a inflação e o PIB. Estão no relatório Focus, divulgado para o Banco Central.

As principais projeções:

Inflação pelo IPCA: +7,34%
PIB: -3,15%

Taxa de câmbio: R$ 3,30

Taxa de juros Selic: 13,75% ao ano

Produção industrial: -5,93%

Preços administrados: +6,3%

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Prévia do PIB volta a recuar em julho

19 de setembro de 2016 0
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

 

 

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central voltou a cair em julho. O IBC-Br é considerado uma prévia do PIB.

Foi uma pequena queda. O indicador recuou 0,09% sobre junho. Vem alternando avanços e recuos ao longo dos últimos meses.

Mercado estava esperando avanço do IBC-Br. Indústria e serviços tiveram aumento nos seus indicadores. Mas teve queda nas vendas no varejo, segundo os dados divulgados nos últimos dias pelo IBGE.

Na comparação com julho do ano passado: -3,45%.

No acumulado de 12 meses: -5,61%. A previsão do mercado é que o PIB feche 2016 com recuo de 3,15%. Está no relatório Focus divulgado nesta segunda-feira.

 

 

Economia gaúcha acumula queda de 3,7% em 2016

13 de setembro de 2016 3
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS.

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS.

 

O PIB do Rio Grande do Sul acumula queda de 3,7% no primeiro semestre de 2016. O dado foi divulgado nesta terça-feira pela Fundação de Economia e Estatística.

É um recuo mais intenso do que o registrado no mesmo período do ano passado. Naquele período, foi de 0,8%.

Mas, se considerar o segundo semestre do ano passado, o recuo foi menor. A queda tinha sido de 6,2%.

A FEE lembra que o efeito positivo da agropecuária concentra-se no primeiro semestre. Até por isso, o PIB brasileiro caiu 4,6% no período em que a economia gaúcha encolheu 3,7%.

 

2º trimestre / 1º semestre 2016

Solicitamos à Fundação de Economia e Estatística o desempenho do PIB do segundo trimestre em comparação ao primeiro. No País, a queda foi de 0,6%, conforme a divulgação do IBGE.

 

2º trimestre 2016 / 2º trimestre 2015

A FEE sempre prefere esta comparação, argumentando que o ajuste sazonal não tira bem o efeito da agropecuária sobre o PIB. Nesta relação, a economia gaúcha teve recuo de 3,1%. Foi o segundo trimestre com uma retração menor do que o anterior.

Todas as atividades econômicas tiveram retração menor. O desempenho da agropecuária foi negativo: -0,8%, mas menor do que o período anterior. A safra de soja se concentrou no período. Mas arroz e milho foram influências ruins.

A indústria caiu 2,5%. Destaque positivo para a construção, que teve crescimento de 1%. É tímido, mas o primeiro avanço após oito trimestres de redução.

- É um setor com peso significativo tanto  na geração de emprego quanto na estrutura econômica do Estado. – explica Roberto Rocha, coordenador do Núcleo de Contas Regionais da FEE.

No setor de serviços, o comércio reduziu a queda para -6,8%. O setor de transporte até cresceu, +1,4%.

 

Tendência?

Segundo o diretor Martinho Lazzari, as perspectivas para o curto prazo dependem das exportações e da construção.

- No médio prazo, dependerá de uma melhora geral no quadro da economia brasileira. E também do clima que pode afetar a agropecuária na próxima safra de verão.

 

 

Mercado alivia previsão de queda no PIB

12 de setembro de 2016 0

Foi um alívio pequeno, mas o mercado reduziu a projeção de queda no PIB em 2016. Passou para 3,18% no recuo da economia.

A inflação, no entanto, piorou para os analistas consultados no relatório Focus, do Banco Central. IPCA de 7,36%.

Outras previsões:

Dólar R$ 3,25

Taxa de juros Selic 13,75%

Produção industrial -5,93%

Preços administrados +6,2%

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Mercado começa setembro prevendo PIB pior

05 de setembro de 2016 0

Os analistas de mercado pioraram a previsão para o PIB. No primeiro relatório Focus de setembro, projetam recuo de 3,20% na economia brasileira em 2016.

O documento divulgado pelo Banco Central também mostrou alteração na projeção para o câmbio. Dólar previsto a R$ 3,26 no fechamento do ano.

Outras apostas:

Taxa de juros Selic 13,75% ao ano
Produção industrial -6,03%
Inflação pelo IPCA 7,34%
Preços administrados +6,20%

 

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

PIB recua 0,6% no segundo trimestre e acumula queda de 4,6% no semestre

31 de agosto de 2016 0

 

Foto: Porthus Junior / Agência RBS

Foto: Porthus Junior / Agência RBS

 

Principal indicador da economia brasileira, o PIB recuou 0,6% no segundo trimestre. A comparação é sobre o primeiro trimestre de 2016 e já traz o ajuste sazonal.

É o sexto resultado negativo consecutivo. A divulgação foi feita há pouco pelo IBGE.

O pior desempenho foi no setor de serviços. Recuo de 2,1%. Nos Serviços, Transporte, armazenagem e correio (-2,1%), Outros serviços (-1,7%), Intermediação financeira e seguros (-1,1%), Comércio (-0,8%) e Serviços de informação (-0,6%) apresentaram queda.

Em seguida, aparece a agropecuária, com queda de 2%.

E mais:

Indústria -0,2% - “Na Indústria, houve variação negativa de 0,2% na Construção. A Extrativa mineral e a atividade de Eletricidade e gás, água, esgoto e limpeza urbana cresceram, respectivamente, 0,7% e 1,1%. Já a Indústria de Transformação (0,0%) manteve-se estável no trimestre.” - detalha o IBGE.

Consumo das famílias -0,7%

Consumo do governo -0,5%

Único crescimento: Formação Bruta de Capital Fixo (Investimento pelas empresas) +0,4% – Primeiro desempenho positivo após dez trimestres consecutivos de queda.

 

Semestre

No acumulado do semestre, a queda é de 4,6%. Neste dado, a relação é com o mesmo período do ano passado.

Nesta base de comparação, destaque para o desempenho negativo da Indústria (-5,2%). Já a Agropecuária caiu 3,4% e os Serviços caíram 3,5%.

12 meses

No acumulado de 12 meses, a economia brasileira registra recuo de 4,9%.

Comentário economista da FGV Mauro Rochlin:

“A retração do comércio, motivada pelo redução do consumo das famílias que, por sua vez, é reflexo da inflação da alta taxa de juros e do desemprego. É o principal fator que explica a queda de 0,8% do setor de serviços. O País ainda não consegue enxergar um horizonte de recuperação, apesar da ligeira melhora da indústria e dos investimentos, indicados nesta última pesquisa. A alta de 0,3% na indústria, depois de cinco trimestres em queda, e do aumento dos investimentos em máquinas e equipamentos, são boas notícias, mas ainda muito tênues para dizer que há uma tendência de melhora.” 

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Mercado melhora previsão para o PIB e piora para a inflação

29 de agosto de 2016 0

O mercado melhorou a previsão para o PIB. Prevê uma queda menor, de 3,16% em 2016.

Para a inflação, no entanto, piorou. Projeta IPCA maior, de 7,24% no fechamento do ano.

As previsões estão no relatório Focus, divulgado pelo Banco Central. Outras projeções:

Dólar R$ 3,29

Taxa de juros Selic 13,75% ao ano

Produção industrial -5,98%

Preços administrados +6,20%

 

Economia brasileira voltou a crescer em junho, mas ainda tem forte queda no ano

12 de agosto de 2016 0
Foto: Porthus Junior / Agência RBS

Foto: Porthus Junior / Agência RBS

 

A economia brasileira teve um avanço de 0,23% em junho. A comparação é sobre maio pelo Índice de Atividade Econômica, com ajuste sazonal. O IBC-Br é calculado pelo Banco Central e considerado uma prévia do PIB.

No mês, o varejo teve avanço de 0,1% e a indústria, de 1,1%. Só que o setor de serviços caiu 0,5% e a previsão de safra foi de -9,8% para o ano. São indicadores do IBGE e que são considerados para o cálculo da autoridade monetária.

 

Semestre

Apesar do crescimento de junho, o acumulado do ano ainda é de queda e forte. O recuo da economia brasileira é de -5,96%, segundo o IBC-Br.

 

Outras comparações:

Junho 2016 sobre Junho 2015 -4,26%

Acumulado 12 meses -5,67%

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

 

 

 

Mercado melhora um pouco previsão para inflação e PIB

08 de agosto de 2016 0

16967668

 

As reduções foram pequenas, mas indicam pequenas melhoras nas previsões do mercado. A previsão aparece no relatório Focus, pesquisa feita pelo Banco Central todas as semanas com analistas e instituições.

Para o IPCA, pequena redução na previsão. Aposta agora de inflação de 7,20% no fechamento do ano. Meta do Governo Federal é 4,5%.

Já para o encolhimento da economia, amenizaram a previsão. PIB deve cair 3,23%.

Outras previsões:
Produção industrial -6%
Preços administrados +6,2%
Dólar R$ 3,30
Tasa de juros Selic 13,5% ao ano

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Mercado volta a projetar queda menor no PIB

01 de agosto de 2016 0

banco

 

 

O mercado voltou a reduzir a projeção de queda da economia brasileira em 2016. A previsão agora é de retração de 3,24% no PIB.

O relatório Focus é uma pesquisa feita pelo Banco Central. São ouvidos analistas e instituções do mercado.

Também reduziu pela quinta vez consecutiva a aposta no dólar. Acham que fecha o ano em R$ 3,30.

Aumento para o juro. Selic prevista em 13,5% ao ano.

Outras previsões:

Inflação pelo IPCA +7,21%
Produção industrial -5,95%
Preços administrados +6,25%

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.