Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "preço"

Preços caem nos mercados de vizinhança e sobem nos hipermercados

08 de novembro de 2016 0
Foto: Ronald Mendes / Agencia RBS.

Foto: Ronald Mendes / Agencia RBS.

 

Pela primeira vez, os preços nos chamados mercados de vizinhança ficaram mais baixos do que nas grandes redes de supermercados e hipermercados. A pesquisa está sendo divulgada em evento da Associação Brasileira de Supermercados.

O levantamento mostra preço médio de uma cesta básica com 35 produtos de alimentação, higiene e limpeza em 2016:

Hiper/Supermercados R$ 233,81

Mercado de Vizinhança R$ 232,49

No ano passado, a diferença era de quase R$ 6. Mais caro nos supermercados de grandes redes.

O movimento neste ano foi de aumento de 11% nos preços nos mercadinhos. Já nas grandes lojas, aumento de 15%. Ambos, no entanto, acima da inflação geral.

Na Região Sul, foi assim:

Hiper/Supermercados +14,2%

Mercado de Vizinhança +12,1%

Uma das explicações foi o pequeno empresário buscar o consumidor de volta. Os clientes teriam migrado nos últimos anos para as grandes redes, exatamente em busca de preços menores. As margens de lucro foram reduzidas para o preço ficar competitivo.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

 

Gaúchos criam aplicativo para consultar e cadastrar preços em supermercados e lojas

24 de outubro de 2016 4

Quadro Fique de Olho.

Programa Destaque Econômico, na Rádio Gaúcha. 

Por Mariana Ceccon (mariana.ceccon@rdgaucha.com.br)

===

 

QQcusta 2

 

 

O QQCusta é o que chamamos de plataforma colaborativa. Lançado há quatro meses por uma startup de Canela, o aplicativo permite ao usuário pesquisar os melhores preços praticados nos supermercados, lojas de conveniência e farmácias.

Ao chegar em um supermercado, por exemplo, o usuário pode consultar o preço de um produto através da leitura do código de barras com a câmera do celular. Se preferir, também pode consultar digitando o nome do produto na busca.

O QQCusta exibe uma lista dos estabelecimentos que vendem o item em questão e os preços praticados. A ferramenta identifica onde o usuário está no momento e, com a ajuda da geolocalização, indica os estabelecimentos mais próximos e com os menores preços, proporcionando ao cliente a opção de escolher o melhor custo-benefício.

Por ser uma plataforma colaborativa, os usuários podem e devem contribuir, incluindo no aplicativo novos itens e atualizando o preço de outros produtos. A inclusão ocorre através da leitura do QRCode do cupom eletrônico ou digitando a chave de acesso, como explica um dos idealizadores da ferramenta, João Paulo Vieira de Oliveira.

- A melhor maneira de economizar é através de uma boa pesquisa de preço. Quanto mais usuários o QQCusta tiver, mais pessoas estarão inseridos os seus cupons eletrônicos e recebendo créditos para consultar cada vez mais os melhores preços.

O usuário também pode fazer lista de compras no aplicativo e pesquisar em qual estabelecimento sairá mais barato. Além disso, é possível monitorar promoções de produtos através de alertas. Nesse caso, o cliente marca os produtos do interesse dele para ser alertado quando houverem alterações de preços.

Atualmente, o QQCusta tem 2.500 usuários e mais de 300 mil produtos cadastrados, com abrangência no Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso. O investimento para desenvolvimento do aplicativo foi de R$ 500 mil.

Por enquanto, o a ferramenta está disponível somente para celulares com sistema Android. O download é gratuito. A previsão é que até o final do ano o app ganhe uma versão para o IOS.

Ouça o programa Destaque Econômico, na Rádio Gaúcha:

 

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

Mercado já projeta inflação abaixo de 7%

24 de outubro de 2016 0

Caiu para menos de 7% a previsão do mercado para a inflação em 2016. O relatório Focus aponta projeção de 6,89% para o IPCA, calculado pelo IBGE e considerado a inflação oficial do País.

É a sexta semana consecutiva de queda. A pesquisa é feita pelo Banco Central e divulgada todas as semanas. Os quatro indicadores de inflação considerados no levantamento tiveram recuo.

Caiu também a aposta para o dólar. A previsão é fechar o ano em R$ 3,20.

Outras previsões:

Taxa de juros Selic: 13,5% ao ano

PIB: -3,22%

Produção industrial: -6%

Preços administrados: +6%

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

 

 

 

Prévia aponta nova queda da inflação no País

21 de outubro de 2016 0
Imagem:  CC0 Public Domain.

Imagem: CC0 Public Domain.

 

 

Considerado uma prévia da inflação no mês, o IPCA-15 desacelerou em outubro. Passou de 0,23% em setembro para 0,19%.

No acumulado de 12 meses, também houve recuo da inflação. Passou para 8,27%. Lembrando que o teto da meta do Governo Federal é 6,5%.

Segundo o IBGE, a queda nos preços dos alimentos segue como a principal influência:

“Entre os alimentos que mais pesam na despesa das famílias, a principal contribuição para baixo foi a do leite longa vida (-0,11 p.p.), que ficou 8,49% mais barato. Os preços desse produto só não recuaram em Salvador (0,34%), enquanto a queda mais intensa foi em Curitiba (-18,82%). Outros itens alimentícios ficaram bem mais baratos de setembro para outubro, a exemplo da batata-inglesa (-13,03%), das hortaliças (-6,18%) e do feijão-carioca (-6,17%).”

Já as carnes, por outro lado, seguem com aumento de preço. A redução prometida pela indústria não chegou ao consumidor.

A Região Metropolitana de Porto Alegre teve a terceira maior queda do País nos preços dos alimentos. O recuo médio foi de 1,53%.

Aqui, o IPCA-15 ficou em 0,02%. Foi uma forte desaceleração, que estava em 0,46% no mês passado.

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

 

Lojistas pedirão corte no aluguel e no preço do estacionamento em reunião hoje com BarraShoppingSul

19 de outubro de 2016 0

 

Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS

Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS

 

 

Ocorre hoje, às 15h30, a reunião sobre o desentendimento entre lojistas e o BarraShoppingSul: Lojas param de pagar aluguel de shopping de Porto Alegre e dizem que até preço do estacionamento afasta clientes.

Os empresários reclamam do aluguel e da dificuldade de renegociar com a administração do empreendimento. Afirmam que o valor é cerca de 30% maior do que a média dos aluguéis dos shoppings de Porto Alegre.

Presidente do Comitê CDL POA Shopping, Nilva Bellenzier adianta os principais pontos que serão levados à reunião:

- Pedido de redução no valor do aluguel das lojas.

- Redução do preço do estacionamento para atrair mais clientes.

- Transparência em custos que são repassados aos lojistas, como gastos com energia elétrica.

Aliás, custos de condomínio também estão sendo pauta de reuniões do comitê de lojistas com outros shoppings da Capital.

O BarraShoppingSul foi procurado pela Rádio Gaúcha e blog Acerto de Conta$, mas disse que não se manifestaria.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

 

Petrobras anuncia queda no preço da gasolina e do diesel

14 de outubro de 2016 11

17189131

 

 

A Petrobras anunciou a redução do preço da gasolina em 3,2% e do diesel em 2,7%. A decisão foi informada ao mercado por meio de um comunicado. Entra em vigor a partir da zero hora deste sábado, 15 de outubro.

Segundo a empresa, a decisão considera o aumento forte das importações e também a sazonalidade do mercado mundial de petróleo.

“O aumento das compras externas vem sendo observado especialmente no caso do diesel, onde, a entrada de produtos já responde por 14% da demanda do país. No caso da gasolina, as importações cresceram 28% ao mês entre março e setembro desse ano.”

Os novos preços valem para as refinarias. Portanto, não necessariamente será este percentual de redução que chegará ao consumidor final, na bomba do posto de combustível. A legislação brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis.

“Isso dependerá de repasses feitos por outros integrantes da cadeia de petróleo, especialmente distribuidoras e postos de combustíveis.” – confirma o comunicado da Petrobras.

Mas… a Petrobras faz estimativas de impacto no consumidor:

“Se o ajuste feito hoje for integralmente repassado, o diesel pode cair 1,8% ou cerca de R$ 0,05 por litro, e a gasolina 1,4% ou R$ 0,05 por litro.”

===

Gasolina

Atualmente, o litro da gasolina custa R$ 3,83 em média nos postos do Rio Grande do Sul. A pesquisa é da Agência Nacional do Petróleo.

Em janeiro, estava R$ 3,89. Em outubro do ano passado, R$ 3,50.

Diesel

Já o litro do Diesel custa em média R$ 2,92 no Rio Grande do Sul. Também conforme o levantamento da ANP.

Em janeiro, estava R$ 2,94. Em outubro do ano passado,  R$ 2,89. Portanto, se houver o repasse total previsto pela Petrobras, o diesel ficaria mais barato do que há um ano. Impacto grande, considerando que a inflação gira em torno de 9%.

===

 

Política de preços dos combustíveis muda também

 

Nessa quinta-feira, ocorreu a primeira reunião do Grupo Executivo de Mercado e Preços. No encontro, foi aprovada a redução e também a implantação de uma nova política de preços da gasolina e diesel comercializados em refinarias.

Havia uma expectativa muito forte em relação a essa mudança, para que os preços dentro do País acompanhassem a variação no mercado internacional dos preços do petróleo, principal insumo da gasolina e do diesel. A crítica era que os preços dos combustíveis eram alterados por razões políticas,o que afeta a imagem de transparência da maior estatal do País.

“Essa política terá como base dois fatores: a paridade com o mercado internacional – também conhecido como PPI e que inclui custos como frete de navios, custos internos de transporte e taxas portuárias – mais uma margem que será praticada para remunerar riscos inerentes à operação, como por exemplo volatilidade da taxa de câmbio e dos preços, sobreestadias em portos e lucro, além de tributos. A diretoria-executiva definiu que a Petrobras não praticará preços abaixo desta paridade internacional.”

A principal diferença, segundo a Petrobras, será o prazo para ajustar os preços aqui em relação ao preço no mercado internacional. A nova política da estatal prevê revisões de preços pelo menos uma vez por mês. Ou seja, poderá haver alta, queda e também manutenção nos preços da gasolina e do diesel nas refinarias.

Essa decisão será tomada pelo Grupo Executivo de Mercado e de Preços. É formado pelo presidente da Petrobras, diretor de Refino e Gás Natural e o diretor Financeiro e de Relacionamento com Investidores.

===

Petrobras na Bovespa

E o mercado financeiro reagiu bem ao anúncio da Petrobras. As ações da estatal abriu em alta na Bolsa de Valores de São Paulo.

Petrobras PETR4 = +1,90% a R$ 16,06

Em tese, redução de preços afetaria o caixa da empresa e o impacto seria negativo sobre as ações. Mas…

- A mudança na política de preços é bem vista pelo mercado. E temos também uma expectativa de redução de taxa de juros Selic e uma quedo do dólar, fazendo com que essa diferença seja compensada na redução real da dívida da Petobras. - explica o assessor de renda variável da Monte Bravo Investimentos Bruno Madruga.

Veja o comportamento da ação enviado por Madruga ao blog Acerto de Conta$:

 

12205bb1-cb93-493b-b724-7d32fb745659 (1)

 

 

*** Post sendo atualizado. Acompanhe.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

Porto Alegre volta a ter inflação

11 de outubro de 2016 0

Depois de fechar setembro com deflação, Porto Alegre começou outubro com inflação. O Índice de Preços ao Consumidor ficou em 0,08%.

Houve avanço do IPC-S nas sete capitais pesquisadas pela Fundação Getúlio Vargas. Porto Alegre ficou com o segundo menor índice.

A principal pressão veio do aumento de preços de refrigerantes e água mineral. Em seguida, do reajuste de planos e seguros de saúde.

O leite segue em queda.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

Quanto custa estudar nas escolas privadas de Porto Alegre com notas mais altas no Enem

05 de outubro de 2016 1
Foto: Piero Ragazzi / Agência RBS.

Foto: Piero Ragazzi / Agência RBS.

A lista das melhores escolas privadas de Porto Alegre no Enem foi feita pela editora de educação da Rádio Gaúcha, Angela Chagas, a partir dos dados divulgados pelo Ministério da Educação na terça-feira. A relação leva em conta as notas nas quatro provas objetivas e na redação.

O blog Acerto de Conta$ pesquisou as mensalidades nas cinco que lideram o ranking. Algumas escolas ainda não têm os valores para 2017. Mas o reajuste deve ficar em torno de 10%.

1º ano – Ensino Médio

1- Colégio Leonardo da Vinci – Alfa – Nota 664,40
Mensalidade R$ 1.617 – 2017
2- Colégio João Paulo I – Nota 658,34
Mensalidade R$ 1.467 – 2017
3- Colégio Farroupilha – Nota 654,21
Mensalidade R$ 1.999 – 2016
4- Colégio Israelita Brasileiro – Nota 649,04
Mensalidade R$ 1.828 – 2016 – Aulas todas as manhãs e um dia à tarde.
5- Colégio Marista Rosário – Nota 648,04
Mensalidade R$ 1.462 – 2016

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

 

Preço dos imóveis à venda sobe pelo terceiro mês consecutivo em Porto Alegre

05 de outubro de 2016 0
Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Agencia RBS.

Foto: Ricardo Wolffenbüttel / Agencia RBS.

 

O preço dos imóveis à venda engatou o terceiro mês de alta em Porto Alegre. O Índice FipeZap apontou avanço nominal de 0,47% em setembro, que é o dobro da inflação do mês.

Já tinha aumentado em julho e agosto. A média nacional para setembro foi alta nominal de 0,12%, que considera 20 cidades.

Com isso, avança também o aumento acumulado de 12 meses, que está em 3,85%. A inflação do período, por sua vez, é de 8,79%. Portanto, ainda temos uma queda real nos preços dos imóveis anunciados, reflexo da crise.

O metro quadrado está custando, em média, R$ 5.663 em Porto Alegre.

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

Porto Alegre fecha setembro com deflação

04 de outubro de 2016 0

 

Imagem:  CC0 Public Domain.

Imagem: CC0 Public Domain.

 

Porto Alegre fechou setembro com deflação. O Índice de Preços ao Consumidor ficou em -0,09%.

A pesquisa é feita todas as semanas em sete capitais pela Fundação Getúlio Vargas. Somente Salvador teve deflação também, com -0,04%.

O resultado vem após várias pesquisas em que Porto Alegre liderou o ranking de inflação da FGV. Por grupo de despesas, tivemos quedas nos grupos:

Alimentação -0,31%

Educação, Leitura e Recreação -1,43%

Despesas Diversas -0,03%

 

Considerando os produtos e serviços individualmente, as principais pressões de queda no indicador nos últimos 30 dias foram:

Show Musical -6%

Leite Longa Vida -10,23%

Batata-inglesa -22,13%

Material para reparos em residência -1,71%

Queijo muçarela -8,64%

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.