Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "varejo"

Comércio projeta queda de 8% nas vendas para o Dia dos Pais

21 de julho de 2016 1
Foto: Félix Zucco / Agencia RBS.

Foto: Félix Zucco / Agencia RBS.

 

 

As vendas do comércio gaúcho devem ser 8% menores neste Dia dos Pais. É queda real, ou seja, já considerada a inflação.

A projeção é da Fecomércio-RS, na pesquisa divulgada nesta quinta-feira. Para o comércio no ano, é esperado o pior resultado em mais de uma década.

Presentes de valor mais baixo serão os destaques. Especialmente itens como vinhos e chocolates.

- Essa migração ocorre pelo grau de restrição orçamentária das famílias. – pontua o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn.

A avaliação mostra, também, que a incidência de baixas temperaturas pode reforçar as vendas de vestuário, calçados e vinhos. A expectativa é que o tíquete médio seja menor do que o verificado no ano passado, refletindo o que já ocorreu no Dia das Mães.

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

 

Intenção de consumo dos gaúchos tem pior nível desde 2010

18 de julho de 2016 0
Foto: Charles Guerra / Agencia RBS.

Foto: Charles Guerra / Agencia RBS.

 

A intenção de consumo das famílias gaúchas permanece em nível pessimista no mês de julho e atingiu o menor patamar desde o início da pesquisa da Fecomércio-RS, em janeiro de 2010. A queda foi de 30,2% em relação ao mesmo período do ano passado, ficando em 55,5 pontos.

O único item que não foi negativo no mês foi a perspectiva profissional. Para a entidade, a pesquisa evidencia que, após alguns meses de recuos mais amenos, o indicador de consumo volta a apresentar queda mais expressiva, o que reforça a perspectiva de continuidade nos resultados negativos para as vendas do varejo.

- Após um resultado atípico em junho, o indicador de satisfação em relação à situação atual da renda voltou a refletir a redução de salários que vem sendo observada atualmente, fator que não é revertido no curto prazo. – afirma o presidente, Luiz Carlos Bohn.

O dado de consumo de bens duráveis bateu novo recorde negativo e atinge um nível bastante baixo. A venda – ou não – destes itens reflete as restrições relacionadas ao crédito, juros altos, renda real e confiança.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter

 

Inadimplência caiu em todas as regiões do Rio Grande do Sul pela primeira vez no ano

14 de julho de 2016 0

 

Foto: Jefferson Botega / Agencia RBS.

Foto: Jefferson Botega / Agencia RBS.

 

A inadimplência caiu em todas as regiões do Rio Grande do Sul em junho. O dado é da Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo a partir das consultas ao banco de dados do SCPC. A entidade divide o Estado em sete regiões.

Na média do Estado, a inadimplência caiu para 13,1%. Em maio, estava em 13,6%. Mas ainda fica acima do mesmo período do ano passado.

A inadimplência mais baixa:

Região 2
Centro Oriental
Índice de Inadimplência: 10,7%
PIB: R$ 20,86 Bilhões

A inadimplência mais alta:

Região 3
Região Metropolitana
Índice de Inadimplência: 14,4%
PIB: R$ 131,04 Bilhões
Presidente da Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo, Vilson Noer acredita que a queda da inadimplência seja influenciada pela redução na compra de bens duráveis.

Leia mais: Serasa aponta primeira queda na inadimplência no Rio Grande do Sul

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Varejo gaúcho teve o segundo melhor desempenho do País em maio

12 de julho de 2016 0
Foto: Patrick Rodrigues / Agencia RBS.

Foto: Patrick Rodrigues / Agencia RBS.

 

As vendas do varejo gaúcho aumentaram 0,8% em maio, sobre abril. Depois de dois meses em queda. A pesquisa é do IBGE e apontou queda de 1% na média nacional do volume de vendas do comércio.

O Rio Grande do Sul teve o segundo melhor desempenho do País no mês. Ficou atrás apenas de Santa Catarina, que teve crescimento de 2,5%.

Já era esperado um bom desempenho para maio no varejo gaúcho. Foi quando o Estado registrou frio intenso, o que, segundo os lojistas, “salvou” as vendas. Principalmente, no segmento de confecções.

Na comparação com maio do ano passado, no entanto, as vendas no Rio Grande do Sul foram 9,4% menores. É um desempenho pior do que a média nacional, que teve recuo de 9%.

12 meses

Rio Grande do Sul: -7,2%
Brasil: -6,5%

Segmentos com pior desempenho: -16,8%
Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação
Eletrodomésticos

Único com aumento de vendas em 12 meses:
Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos: +2,5%

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

 

 

 

Menos de 10% dos lojistas gaúchos vão contratar ainda 2016

11 de julho de 2016 0
Foto: Ronald Mendes / Agencia RBS.

Foto: Ronald Mendes / Agencia RBS.

 

Receio de criar gastos sem sinais de uma retomada consistente da economia que resulte em mais vendas. É o que parece haver entre os lojistas do Rio Grande do Sul.

A Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo perguntou aos lojistas se contratariam funcionários para o segundo semestre, incluindo Natal, e enviou os resultados para o blog Acerto de Conta$. Apenas 8% disseram que sim.

- Calculamos, então, que serão em torno de 3 mil a 4 mil vagas para tradicionais temporários de Natal. – informa o presidente da AGV, Vilson Noer.

É um número baixo. Em 2011, foram 35 mil trabalhadores temporários.

Ainda assim, os temporários que serão contratados serão para a área de vendas. E serão vagas abertas por grandes empresas de varejo, essencialmente.

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Taxa de juros supera 99% no varejo gaúcho

07 de julho de 2016 0
Foto: Cleber Gomes / Agencia RBS.

Foto: Cleber Gomes / Agencia RBS.

 

A taxa de juros do crediário atingiu 99,18% ao ano no varejo do Rio Grande do Sul. Por mês, é 5,91%. A média apareceu no levantamento de junho.

A pesquisa é feita todos os meses em sete Estados pela Associação Nacional de Executivos de Finanças. Assim como as taxas de outras operações de crédito, os juros das lojas estão subindo há tempo.

Apesar das elevações, ainda estão entre os mais baixos no mercado. O rotativo do cartão de crédito está em 447%.

Em junho do ano passado, a taxa estava 84,78% no crediário do varejo gaúcho. Tivemos, portanto, forte aumento nos últimos 12 meses.

Leia também:

Se puder, saque o FGTS

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

 

 

 

Endividamento dos gaúchos cai pelo segundo mês

05 de julho de 2016 0
Foto: Jefferson Botega / Agencia RBS.

Foto: Jefferson Botega / Agencia RBS.

O endividamento das famílias gaúchas fechou junho em 61,2%, que é a parcela de entrevistados que disse ter dívidas. Comparado a maio, teve queda. Estava em 62,3%. Foi o segundo mês consecutivo de queda.

Pela primeira vez, desde o fim de 2015, houve alívio na tendência de alta do endividamento e da inadimplência das famílias gaúchas. O dado aparece na Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, da Fecomércio-RS.

- Mesmo que esse seja um primeiro sinal positivo, ainda é cedo para se falar em reversão de tendência. Os reflexos da crise ainda afetam o mercado de trabalho. – ponderou o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn.

O cartão de crédito ainda é o principal meio de dívida dos gaúchos, apontado por 79,3% dos endividados. É seguido por carnês (41,3%), crédito pessoal (10,1%) e cheque especial (9,9%).

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Varejo de alimentos já fechou quase 1,4 mil lojas no Rio Grande do Sul em 2016

28 de junho de 2016 1
Foto: Ricardo Wolffenbüttel/ Agência RBS.

Foto: Ricardo Wolffenbüttel/ Agência RBS.

 

A queda nas vendas do varejo atingiu o segmento de alimentos. Por consequência, temos um movimento forte de fechamento de lojas.

Só no Rio Grande do Sul, foram encerradas 1.370 operações de janeiro a abril. O levantamento é da Confederação Nacional do Comércio, considerando estabelecimentos com empregados com carteira assinada.

O Estado foi o quarto com maior número de fechamentos no segmento de varejo de alimentos. No País todo, foram 14,3 mil lojas que encerraram as atividades. São Paulo, Paraná e Minas Gerais lideram o ranking negativo.

O varejo de alimentos, bebidas e fumo – o que inclui os supermercados – até tem registrado quedas menos intensas do que os demais setores. No entanto, o recuo de vendas atingiu 3,2%, que é o maior desde 2003 (-6,2%).

A CNC avalia que houve uma forte pressão dos preços administrados no ano passado e do aumento dos preços no atacado. A conta de energia elétrica costuma ser a principal reclamação. Com o consumo caindo, ficou difícil o repasse para os clientes.

Acompanhando o fechamento de lojas, foram extintos 29,7 mil empregos com carteira assinada no período.

Leia mais: Supermercados gaúchos têm primeira queda de vendas em dez anos

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

 

 

 

Cade tem voto contra cláusula de raio em shoppings de Porto Alegre

28 de junho de 2016 0
Foto: Bruno Alencastro / Agencia RBS.

Foto: Bruno Alencastro / Agencia RBS.

 

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica começou o julgamento da imposição de cláusula de raio em um shopping de Porto Alegre. É uma restrição por exclusividade em contratos de locação de espaços para lojas.

A cláusula de raio obriga o lojista que aluga o ponto comercial no shopping a não exercer as mesmas atividades em estabelecimentos que estejam situados a um raio de distância pré-determinado. O dispositivo não é ilegal. Só que tem potencial de prejudicar a competitividade dependendo das condições.

O Cade analisou dois casos. Um deles apurou a prática de adoção de cláusula de raio em contratos de locação de espaços comerciais por shopping centers e suas administradoras em Porto Alegre.

Segundo o conselheiro relator, Márcio de Oliveira Júnior, as cláusulas de raio impostas nos contratos analisados têm o potencial de fechar o mercado, unilateralmente e por tempo indeterminado, em uma área equivalente à quase toda a cidade. Outro ponto apontado: o acordo de locação com os lojistas, principalmente os de menor porte, teve como base contrato modelo oferecido pelo shopping com previsão de sanções em caso de descumprimento, sem uma negociação efetiva das cláusulas entre as partes.

- Essas restrições foram estipuladas pelos shoppings a lojistas de forma arbitrária, sem qualquer fundamentação em lógicas concretas de mercado que demonstrassem algum tipo de racionalidade econômica. Logo, sem qualquer justificativa e com escopo tão amplo, as cláusulas de raio apresentadas nos autos são manifestamente anticompetitivas e devem ser punidas. – afirmou Oliveira Júnior.

O relator votou pela condenação dos administradores responsáveis pelos shoppings Iguatemi, Rua da Praia, Praia de Belas, Moinhos Shopping, Shopping Bourbon Country, Shopping Bourbon Assis Brasil e Shopping Bourbon Ipiranga. Além do pagamento de multas, que somam mais de R$ 15 milhões, Oliveira Júnior determinou a exclusão dessa cláusula de todos os contratos dos shoppings.

Só que o julgamento do processo administrativo foi suspenso em razão de pedido de vista do conselheiro João Paulo de Resende.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Confiança dos comerciantes gaúchos volta a subir

27 de junho de 2016 0
Foto: Ronald Mendes / Agencia RBS.

Foto: Ronald Mendes / Agencia RBS.

 

Sem aumentar desde março, a confiança dos comerciantes do Rio Grande do Sul voltou a subir em junho. Passou para 85,7 pontos. Fica até acima do patamar de junho do ano passado.

No entanto, segue no campo pessimista. A pesquisa é feita todos os meses pela Fecomércio-RS.

Foram determinantes para esse avanço a melhoria nas expectativas quanto ao futuro e no indicador de investimentos. Já em relação às condições atuais da economia, houve uma queda de 9,6% na comparação com junho de 2015.

Alguns indicadores começam a apontar dados melhores. Este foi o assunto de entrevista com o economista Lucas Schifino, da Fecomércio-RS, no programa Destaque Econômico: