Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "varejo"

Endividamento dos gaúchos atinge maior nível em quatro anos

28 de abril de 2016 2
Foto: Emílio Pedroso / Agencia RBS.

Foto: Emílio Pedroso / Agencia RBS.

 

O endividamento das famílias gaúchas alcançou em abril o índice de 70,4%. No mesmo período do ano passado, o percentual era de 49,8%.

A última vez que o indicador tinha ultrapassado a casa dos 70% foi no início de 2012. O dado é da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor, divulgada pela Fecomércio-RS.

Estar endividado não quer dizer, necessariamente, estar inadimplente. As contas podem não estar atrasadas. Só que a pesquisa mostra que o percentual de entrevistados com dívidas vencidas continua aumentando.

- Esse comportamento já era esperado, conforme temos alertado nos últimos meses. E a expectativa é de que esse cenário persista, como novos endividamentos involuntários. – afirma o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn.

Motivos: queda do emprego e renda; e inflação elevada.

O que é endividamento involuntário?

É o endividamento não planejado, que decorre das restrições derivadas da atual situação econômica. Ou seja, em um cenário de deterioração do mercado de trabalho, junto à uma inflação elevada, há uma diminuição da renda das famílias. Muitas vezes, por não terem condições de efetuar o pagamento nem de suas despesas correntes, acabam por ter que endividar-se. Este tipo de endividamento não necessariamente ocorre por empréstimos, mas por uso do cheque especial ou do não pagamento de faturas de cartão de crédito.

Por outro lado, o endividamento voluntário está relacionado à uma decisão racional do indivíduo, previamente planejada. Ele ocorre quando compramos um imóvel ou bens em geral de forma parcelada. Isto é, decidimos tomar esta dívida.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Intenção de consumo do gaúcho tem leve alta

25 de abril de 2016 0
Foto: Rodrigo Philipps / Agencia RBS.

Foto: Rodrigo Philipps / Agencia RBS.

 

Subiu, bem pouco, mas subiu a intenção de consumo das famílias gaúchas em abril. Passou de 63,5 para 63,7 pontos, após uma forte queda em março.

Só que a Fecomércio-RS, que faz a pesquisa, alerta que o indicador caiu 35% na comparação com abril do ano passado. Segue, portanto, em patamar pessimista.

- Como a pesquisa é aplicada nos últimos 10 dias do mês anterior, fica claro que a incerteza no campo político e as expectativas quanto aos ‘próximos capítulos’ deterioraram as expectativas de ações no sentido de conter a degradação do cenário econômico. – avalia o presidente da entidade, Luiz Carlos Bohn.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Consumidor de rua gasta menos, mas paga em dinheiro

22 de abril de 2016 0

 

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS.

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS.

 

O consumidor de rua tem um ticket médio menor, ou seja, gasta menos. Para o presente do Dia das Mães, quatro em cada dez moradores de Porto Alegre vão gastar entre R$ 50 e R$ 100.

É bem menor do que o gasto médio no shopping. Nestas lojas, deve atingir R$ 140.

Só que o consumidor de rua tem uma vantagem para o lojista. Ele, preferencialmente, paga à vista e, o melhor, em dinheiro. É bom principalmente para pequenos e médios comerciantes. Evita custo extra com as operadoras de cartão de crédito.

Estas informações foram antecipadas ao blog Acerto de Conta$. Estão na pesquisa de Dia das Mães do Sindilojas Porto Alegre e a CDL.

Nesta edição, o objetivo foi entender melhor o perfil do cliente que prefere fazer compras nas lojas de bairro ou do Centro de Porto Alegre. Quem fez o estudo foi o instituto Zooma.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Calor de abril derruba ainda mais vendas do varejo gaúcho

20 de abril de 2016 0

- Este calor detona as vendas em abril!

Desabafa para o blog o presidente da Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo. Vilson Noer lembra que as coisas já não vêm bem no setor, mas que não há nada pior para o comércio do que “estações fora do lugar”.

- Sério! Tem até sabiá cantando, achando que o verão chegou.

O frio tradicionalmente aumenta vendas e os lojistas se preparam para a chegada do inverno sempre. As pessoas compram mais roupas e calçados, além de ficarem mais em casa e têm vontade de adquirir coisas para o lar.

Se as temperaturas não caem, o estoque fica parado e, em alguns casos, sobra para liquidação. O consumidor comemora, mas o lojista amarga o prejuízo.

- Março teve crescimento nominal de 8% nas vendas. Mas abril deve ir de novo para o zero.

Comércio que trabalha com moda sofre como um todo. Sendo que o varejo de confecções vinha equilibrando o setor, já que a venda de bens duráveis – eletroeletrônicos, principalmente – vem amargando a crise econômica.

 

Foto: Patrick Rodrigues / Agencia RBS.

Foto: Patrick Rodrigues / Agencia RBS.

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Trabalhadores da Manlec encerram greve em Porto Alegre

14 de abril de 2016 0
Divulgação.

Divulgação.

Os trabalhadores da Manlec de Porto Alegre aceitaram a proposta da empresa. Já estão organizando a loja da Avenida Assis Brasil para reabri-la nesta sexta-feira. A unidade do depósito ainda não tem previsão.

São cerca de 65 funcionários, segundo o diretor do Sindicato dos Comerciários de Porto Alegre. Ezequias Machado da Silva disse que o dinheiro já entrou na conta do Sindec e será repassado aos trabalhadores.

A proposta da empresa foi pagar R$ 1,5 mil por trabalhador de Porto Alegre. Ainda conforme o advogado da Manlec, João Medeiros Fernandes Junior, outros 50% da venda líquida diária da loja serão repassados para pagar os salários atrasados.

A Manlec está em recuperação judicial. O plano, que envolveu renegociação de dívidas com bancos, já foi aprovado e homologado pela Justiça. Além disso, será leiloado em maio um imóvel avaliado em mais R$ 20 milhões, dinheiro que será usado para pagar dívidas.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Varejo projeta novo ano com corte de empregos no Rio Grande do Sul

14 de abril de 2016 0
Foto: Ronald Mendes / Agencia RBS.

Foto: Ronald Mendes / Agencia RBS.

 

A Confederação Nacional do Comércio projetou recentemente queda de 3,3% no emprego no varejo do País em 2016. No ano passado, o recuo foi de 2,3%.

O mesmo deve ocorrer aqui no Rio Grande do Sul, segundo a Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo. Segundo a CNC, o recuo no emprego foi de 1,8% no comércio gaúcho no ano passado.

Para este ano, AGV projeta corte de 25 mil postos de trabalho, o que representa queda de 7%.

- Não há contratação de temporários. Nada para o Dia das Mães. O fim do ano dependerá do cenário político. – analisa o presidente da entidade gaúcha, Vilson Noer.

Segundo ele, os lojistas estão com foco em aumentar o ticket médio, que é o valor médio gasto por cliente. Isso é para compensar a queda de tráfego nas lojas e nos shoppings centers, que pode atingir 30% em 2016.

- É o que chamamos de produtividade funcional. Menos pessoas, mas melhor preparadas. Tem loja conseguindo passar o ticket médio de R$ 80 para R$ 100.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Varejo gaúcho tem segundo mês de alta nas vendas

12 de abril de 2016 0
Foto: Ronald Mendes / Agencia RBS.

Foto: Ronald Mendes / Agencia RBS.

O varejo gaúcho engatou o segundo mês consecutivo de alta nas vendas. E acelerou o avanço, segundo a pesquisa do IBGE.

Em janeiro, sobre dezembro, o crescimento tinha sido de 0,1%. Agora em fevereiro, o aumento foi de 1% no volume comercializado pelas lojas do Rio Grande do Sul.

O mês, tradicionalmente, tem as liquidações. Na comparação com fevereiro do ano passado, há queda de 1,6%.

12 meses

No acumulado de 12 meses, o varejo ainda registra uma queda de 6,2% no volume de vendas.

Eletrodomésticos têm a queda mais intensa: -14,3%

Alta de vendas somente no segmento de Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos: +2,2%

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Homens gastarão 90% mais do que as mulheres com presente para as mães

11 de abril de 2016 0
Foto: Rafaela Martins / Agencia RBS.

Foto: Rafaela Martins / Agencia RBS.

O presente das mães dos gaúchos não acompanhou inflação. O gaúcho vai gastar o mesmo do que no ano passado para comprar o presente de Dia das Mães. Em média, R$ 135,14.

O valor não repõe a inflação do período, que foi de cerca de 10%. É o destaque da pesquisa feita pela Fecomércio-RS.

36,2% pretendem gastar muito menos ou menos
35,7% devem investir o mesmo valor com os presentes
28% disseram que irão gastar mais ou muito mais

As mulheres vão gastar, em média, R$ 99,12 por presente. Já os homens gastarão R$ 186,54. É um valor quase 90% superior.

Roupas são os presentes mais procurados. Em seguida, perfumes e cosméticos.

Almoço ou jantar para comemorar o Dia das Mães deste ano será em casa para 87,8% dos entrevistados. Outros 10,1% dos consumidores vão para restaurantes.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Vendedor da Apple será indenizado por montar vitrine e decorar loja

08 de abril de 2016 11
Foto: Rodrigo Philipps / Agencia RBS.

Foto: Rodrigo Philipps / Agencia RBS.

 

Um vendedor de produtos Apple deverá receber 10% em diferenças salariais por exercer atividades extras, que não estavam previstas no contrato. Entre elas: organização de vitrines, contagem de estoques, análise de crédito de clientes e decoração da loja.

O autor da ação era funcionário em Porto Alegre da Global Distribuição de Bens de Consumo, revendedora dos produtos Apple. A decisão é da 3ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho no Rio Grande do Sul, que reformou sentença da Vara do Trabalho de Porto Alegre. A discussão foi se as atividades eram ou não de vendedor.

- O vendedor era remunerado exclusivamente por comissões e, neste contexto, qualquer atividade que exigisse sua ausência das vendas propriamente ditas prejudicaria sua remuneração mensal. – entendeu o relator do recurso, desembargador Gilberto Souza dos Santos.

Cabe recurso ao Tribunal Superior do Trabalho.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Juro no crediário se aproxima de 100% no varejo gaúcho

08 de abril de 2016 0
Foto: Emílio Pedroso / Agencia RBS.

Foto: Emílio Pedroso / Agencia RBS.

 

Continuando a sequência de altas, o juro no crediário se aproxima dos 100%. Na última pesquisa da Associação Nacional de Executivos de Finanças, a taxa no varejo gaúcho ficou em 97,83% ao ano.

Por mês, são 5,85%. Ou seja, atrasando o pagamento do carnê ou cartão da loja, a dívida pode dobrar em um ano.

O Rio Grande do Sul fica acima da média nacional, mas há algum tempo não tem mais o juro de crediário mais alto entre os Estados pesquisados pela Anefac. Minas Gerais está com a taxa mais alta.

Juros

As taxas no geral têm aumentado. O juro no cartão de crédito em março, por exemplo, foi o maior desde 1995. Atingiu 432% ao ano!

Previsão

A Anefac projeta novas altas nos juros:

“Tendo em vista o cenário econômico atual que aumenta o risco de elevação dos índices de inadimplência a tendência é de que as taxas de juros das operações de crédito voltem a ser elevadas nos próximos meses.”

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.