Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "varejo"

Mais da metade de líderes lojistas gaúchos não vai investir em 2015

12 de maio de 2015 0
Foto: Genaro Joner / Agencia RBS.

Foto: Genaro Joner / Agencia RBS.

Investimento

Investimentos estão fora dos planos de mais da metade de líderes de entidades lojistas do Rio Grande do Sul. A pesquisa foi feita na reunião da Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo, que juntou 30 representantes do comércio de todo o Rio Grande do Sul. Menos de 40% disseram que vão investir no negócio e o restante ainda está decidindo.

Emprego

Sobre contratações, o resultado não é tão ruim, segundo o presidente da AGV. Vilson Noer informa que mais de 40% projetam ainda contratar empregados. Menos de um terço descarta a possibilidade para 2015.

Agronegócio

Para um terço dos empresários que responderam a pesquisa, o agronegócio tem um peso alto. Para quase quatro em cada dez lojistas, o setor tem um impacto médio.

Crise RS

A crise do Rio Grande do Sul tem um peso médio para seis em cada dez lojistas entrevistados. O impacto é alto para 30% deles.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Comércio gaúcho tem o pior Dia das Mães em seis anos

11 de maio de 2015 0
Foto: Genaro Joner / Agencia RBS.

Foto: Genaro Joner / Agencia RBS.

O comércio gaúcho teve o pior Dia das Mães em vendas em seis anos. O dado foi fechado há pouco pela Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo. Descontando a inflação, queda de 3,7% sobre o faturamento do ano passado.

- Era o previsto pelas pesquisas com lojistas e com os consumidores. – lembra o presidente da AGV, Vilson Noer.

Região da Produção, Vale do Rio Pardo e Taquari tiveram resultados melhores.

Leia também: Venda de Dia das Mães caiu nas lojas de Porto Alegre

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Venda de Dia das Mães caiu nas lojas de Porto Alegre

11 de maio de 2015 0
Foto: Rafaela Martins / Agencia RBS.

Foto: Rafaela Martins / Agencia RBS.

A venda do Dia das Mães foi menor do que no ano passado nas lojas de Porto Alegre. Descontando a inflação, a queda no faturamento foi superior a 5%.

A informação é do presidente do Sindilojas de Porto Alegre, Paulo Kruse. Segundo ele, a queda não ocorre tanto no número de itens, mas no valor dos presentes comprados pelos consumidores.

- Ainda assim, a confecção foi ajudada pelo frio no Rio Grande do Sul.

Na pesquisa feita antes da data, o Sindilojas chegou a projetar empate com as vendas de 2014.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Pesquisa mostra metade das avós ajudando a cuidar dos netos

05 de maio de 2015 0

Pesquisa no Rio Grande do Sul mostrou que 49% dos entrevistados contam com ajuda das avós para cuidar dos netos. A pergunta faz parte da sondagem de Dia das Mães feita pela Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo.

Sua mãe ajuda no cuidado dos netos?

Sim 49,1%
Não 29,6%
Ela não tem netos 21,3%

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Intenção de consumo das famílias gaúchas bate recorde de pessimismo

04 de maio de 2015 0
Foto: Genaro Joner / Agencia RBS.

Foto: Genaro Joner / Agencia RBS.

A intenção de consumo das famílias gaúchas em abril bateu recorde de pessimismo na série histórica da pesquisa da Fecomércio-RS. Encerrou abril com recuo de 19,5% em relação ao mesmo mês de 2014 e de 5% na comparação com março deste ano.

É a primeira vez, desde o início da série histórica em janeiro de 2010, que o indicador atinge o patamar pessimista. Os motivos são: mercado de trabalho mostrando deterioração, juros altos, inflação elevada, câmbio depreciado e incerteza política, enumera a entidade.

- Essa situação somente irá mudar quando o ajuste fiscal começar a colher os seus frutos. Porém antes, vamos vivenciar ainda um período em que a situação piora para depois melhorar. Precisamos, todavia, tirar de lição dessa situação que toda  política econômica traz consequências para a sociedade: a irresponsabilidade do passado cobra seu preço no nosso presente. – pondera o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Dia das Mães deve perder para a inflação em Porto Alegre

29 de abril de 2015 0

As vendas para o Dia das Mães devem alcançar R$ 80 milhões no comércio de Porto Alegre. É o mesmo faturamento do ano passado. Portanto, não haverá crescimento suficiente nem para repor a inflação do período, que, segundo o IBGE, já alcança 8,99% em 12 meses aqui na região.

A pesquisa é feita pela CDL e pelo Sindilojas Porto Alegre.

Quem vai ganhar presente:

89% vai presentar as mães
13% vão comprar presentes para as esposas
10%, para as sogras.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

 

Quatro em cada dez brasileiros já compraram em sites internacionais

29 de abril de 2015 0
Foto: Agencia RBS.

Foto: Agencia RBS.

Quatro em cada dez brasileiros já compraram em sites internacionais. Pelo menos, uma vez. O levantamento é do SPC Brasil, feito em todas as Capitais.

Quase metade destes compradores é das classes A e B, mais escolaridades e mais jovens. Os sites mais procurados são dos Estados Unidos e da China. Os produtos mais citados são roupas, acessórios de vestuário, itens para celular e tablet e artigos para bebês e crianças.

O preço baixo é o atrativo para 88% dos entrevistados. Depois, aparece a variedade de produtos.

Só que a demora na entrega é a desvantagem mais apontada. O prazo costuma ser quatro vezes maior do que nos sites nacionais.

Em segundo lugar, citam as taxas de importação.

- Com exceção dos livros, que contam com isenção tributária, muitos produtos podem ficar retidos ao passarem pela alfândega, na chegada ao Brasil. O custo pode subir em mais de 60%. – diz a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Lojistas gaúchos apontam insegurança econômica como principal impacto nos negócios

27 de abril de 2015 0
Foto: Reprodução site Shopping Total.

Foto: Reprodução site Shopping Total.

Quase metade (47,4%) dos lojistas gaúchos apontou a instabilidade e a insegurança econômica como os fatores que mais impactaram no desempenho do negócio no primeiro trimestre deste ano. A pesquisa é da Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo.

O reflexo da queda da confiança do empresário e do consumidor passou, de longe, o aumento de custos e de impostos. Este item foi apontado por 21,1% dos entrevistados. Em terceiro lugar, com 10,5%, apareceu a falta de confiança dos clientes na economia local.

Inadimplência

Ainda assim, 47% dos lojistas conta que a inadimplência dos clientes manteve-se moderada. O mercado tem dito que a restrição de crédito e a alta de juros têm evitado o aumento do endividamento. Além disso, o mercado de trabalho, mesmo com sinais de enfraquecimento, ainda sustenta a renda, permitindo que as famílias paguem as contas.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Leitor quer saber motivo de ter crédito negado nas lojas

22 de abril de 2015 6
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

Leitor Fabiano Costa pergunta:

Estou tentando comprar um produto e todas as lojas de eletroeletrônicos estão me negando crédito. Não estou com o nome no SPC e nem na Serasa. Como isso funciona? O que posso fazer?

Resposta:

Presidente da Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo, Vilson Noer afirma que é bem difícil várias lojas negarem crédito para um consumidor se ele não está com os nomes em cadastros de restrição de crédito. Os mais conhecidos são SCPC, SPC e Serasa. O indicado é que o leitor entre em contato com essas empresas para ver se realmente não há algum registro.

Outras situações que podem levar a loja a negar crédito é falta de comprovação de renda ou de emprego. Principalmente, quando são produtos de valores mais altos, como alguns casos de eletroeletrônicos.

Um sistema usado é o scoring (score), em que é atribuída uma pontuação ao consumidor, que indica o potencial que ele tem de honrar ou não as dívidas. No entanto, Vilson Noer afirma que é raro o score somente fazer com que a loja negue a venda para o consumidor. Geralmente, há uma diferença na cobrança do juro. E, segundo o presidente da AGV, leva um tempo para o cliente mudar seu score, que considera diversos fatores, como renda, tipo de bens, histórico de pagamentos e até formação cultura.

Mas atenção: Mesmo que a loja não seja obrigada a liberar crédito para o consumidor, a diretora do Procon do Rio Grande do Sul, Flávia do Canto Pereira, alerta que é preciso explicar o motivo de estar negando o pedido. Explica que, caso contrário, é considerado prática abusiva pelo Código de Defesa do Consumidor.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Lojistas de rua de Porto Alegre gastam quase R$ 1,5 mil por mês com segurança

17 de abril de 2015 0
Foto: Betina Humeres / Agencia RBS.

Foto: Betina Humeres / Agencia RBS.

Os lojistas de rua de Porto Alegre gastam, em média, R$ 1.460 por mês com segurança. O dinheiro vai, por exemplo, para contratar profissionais que fazem a vigilância da loja durante o horário de atendimento. Segundo o Sindilojas, os empresários precisam prevenir-se do risco de vandalismo das vitrines e furtos de mercadorias.

Conforme o levantamento do Sindilojas, há redes maiores que podem chegar a gastar em torno de R$ 30 mil. O gasto mínimo, para lojas menores, é de cerca de R$ 500.

Mesmo assim, a pesquisa feita ainda em março apontou que um terço das lojas entrevistadas já tinha sido assaltada em 2015. Foi em horário comercial e com a abordagem de clientes. E, destas, metade sofreu dois ataques. Na maior parte, com arma de fogo.

Outro dado é que metade dos comerciantes informa que tem funcionários que já foram assaltados indo para o trabalho ou voltando para casa. Em média, são dois empregados que já foram vítimas.

- Estamos vulneráveis em Porto Alegre com cada vez menos policiais nas ruas. – comenta o presidente do Sindilojas Porto Alegre, Paulo Kruse, que participa em Maceió nesta tarde de uma passeata por segurança, ato que integra a programação do 31º Congresso Nacional de Sindicatos Patronais.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.