Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "varejo"

Bloqueios: Indústrias suspendem envio de mercadorias para lojas

27 de fevereiro de 2015 0
Foto: André Fiedler / Gaúcha Serra.

Foto: André Fiedler / Gaúcha Serra.

As indústrias estão suspendendo o envio de mercadorias para as lojas. Segundo o presidente do Sindicato dos Lojistas de Porto Alegre, Paulo Kruse, os fornecedores estão com receio de mandar a carga e os produtos ficarem retidos nos bloqueios das estradas, correndo o risco de saques.

Kruse diz que a situação piorou quando os bloqueios se intensificaram na BR 101. Vários segmentos do varejo são abastecidos por mercadorias produzidas fora do Rio Grande do Sul. Principalmente, lojas de confecção.

- Quem tinha produto de meia estação, está vendendo. Quem não tem, segue fazendo só liquidação de verão. – conta o presidente do Sindilojas Porto Alegre.

A dúvida é se este consumo ficará represado para quando terminarem os protestos e o transporte for normalizado ou será perdido.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Fazenda pede mais prazo para informar dados do Imposto de Fronteira

25 de fevereiro de 2015 0

Representantes do Movimento Chega de Mordida receberam do secretário estadual da Fazenda, Giovani Feltes, o pedido de mais prazo para informar dados do Imposto de Fronteira. Os lojistas pediram em dezembro informações sobre quanto é arrecadação do diferencial de ICMS para quem está no Simples Nacional.

- São estes pequenos lojistas que não conseguem buscar o imposto depois com crédito tributário. Os grandes conseguem. – explica o presidente do Sindilojas Porto Alegre, Paulo Kruse.

O varejo discorda da informação de R$ 300 milhões de perda de arrecadação com o fim do Imposto de Fronteira. Argumentam que este montante considera o tributo pago por grandes lojistas e que conseguem o retorno do ICMS pago.

Os dados eram esperados para 28 de fevereiro. O prazo foi adiado para dois de março. Com eles, o varejo vai estudar alternativas para apresentar ao governo.

Dívidas atrasadas de quem não pagou confiando na aplicação da lei aprovada na Assembleia Legislativa também preocupam as entidades. Há risco de as empresas serem excluídas do Simples Nacional.

- Criar um Refis especial pode ser também um dos caminhos apresentados. Mas só no segundo semestre. – comenta o presidente da Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo, Vilson Noer.

O Refis é um programa de refinanciamento de dívidas atrasadas com o Fisco. Costuma ser lançado no fim do ano dando desconto em multas e juros para os contribuintes regularizarem a situação.

Leia mais:

Governador acha difícil Estado absorver proposta de empresários

Lojistas retomarão mobilizações se Imposto de Fronteira não acabar

Empresários entregam ao governo proposta para reduzir Imposto de Fronteira

Empresários propõem redução gradativa do Imposto de Fronteira

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Cai segurança do gaúcho em relação ao emprego

24 de fevereiro de 2015 1

Calculado pela Fecomércio-RS, o indicador que mede a segurança com relação à situação do emprego caiu 4,9% em fevereiro na comparação com o mesmo mês de 2014, ficando em 124,4 pontos. O baixo crescimento econômico e a desaceleração do mercado de trabalho contribuem para abater o sentimento de segurança dos trabalhadores, segundo a entidade. A tendência de queda começou em meados de 2013, passou por um período de estabilidade e voltou a cair nos últimos três meses.

Ainda relacionada ao mercado de trabalho, a avaliação sobre renda também caiu. Recuo de 14,1% sobre fevereiro de 2014.

- A diminuição do fluxo de entrada de pessoas no mercado de trabalho ainda mantém o desemprego controlado, mas a baixa confiança de empresários e consumidores trazem um cenário de cautela à investimento e consumo. – avalia o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn.

==

Siga @GianeGuerra no Twitter.

CDL vai fiscalizar promoções de lojistas no Liquida Porto Alegre

24 de fevereiro de 2015 0
Presidente da CDL, Gustavo Schifino. Foto: Ricardo Guimarães/Divulgação.

Presidente da CDL, Gustavo Schifino. Foto: Ricardo Guimarães/Divulgação.

Pela primeira vez, a CDL vai fiscalizar promoções anunciadas por lojistas no Liquida Porto Alegre. Com isso, pretende estimular os participantes a oferecerem ofertas verdadeiras para os consumidores, que vinham questionando a campanha nas últimas edições.

- Contratamos uma empresa especializada em pesquisa de preços. Vamos divulgar as lojas e as promoções mais interessantes. – explica o presidente da CDL Porto Alegre, Gustavo Schifino.

Nesta edição, serão pesquisados os preços de eletrodomésticos e eletrônicos. O slogan do Liquida Porto Alegre deste ano é Preço Baixo é Compromisso.

Para estimular o sentimento de urgência na promoção, o tempo da campanha será reduzido para dez dias. Começa em 26 de fevereiro e termina em oito de março.

- Além disso, é um momento de extrema necessidade para o varejo. Os estoques estão um pouco acima do normal, já que a venda foi menor do que o esperado em dezembro e em janeiro. – completa Schifino.

==

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Lojas de Porto Alegre projetam prejuízo de quase R$ 600 milhões com feriados

20 de fevereiro de 2015 0

O varejo de Porto Alegre projeta prejuízo de R$ 594 milhões com os feriados prolongados em 2015. Serão 12, considerados no levantamento da CDL Porto Alegre.

O montante representa 15,3% do faturamento mensal do varejo da região. Feriados próximos aos finais de semana reduzem as consultas ao SCPC em todos os dias, o que é indicador de vendas.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Saldões salvaram vendas do varejo gaúcho em janeiro

18 de fevereiro de 2015 0
Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS

Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS

As vendas do varejo no Rio Grande do Sul em janeiro foram salvas pelos saldões de Natal, mesmo que tenham sido tímidos. Em relação a janeiro do ano passado, o crescimento nominal foi entre 6% e 6,5%. Descontando a inflação, no entanto, ainda houve uma queda de 0,5% a 1% nas vendas.

- Se não fossem os saldões, o resultado teria sido pior. – analisa o presidente da Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo, Vilson Noer.

Segundo o empresário, o destaque foram as vendas de eletrodomésticos e móveis. Já a comercialização de calçados e confecções ficou estável.

As lojas não estão mantendo grandes estoques porque as empresas estão encomendando as reposições com mais frequência.

- O prazo mais curto de estoque é motivado pelas incertezas. Os lojistas arriscam menos.

Liquida Porto Alegre

O Liquida Porto Alegre começa em 26 de fevereiro.

Leia mais:

Lojistas retomarão mobilizações se Imposto de Fronteira não acabar

Venda do varejo gaúcho cai forte em dezembro, mas fecha ano com crescimento

Natal do comércio gaúcho é o mais fraco desde 2009

Saldão de Natal começa timidamente na internet

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Lojistas retomarão mobilizações se Imposto de Fronteira não acabar

11 de fevereiro de 2015 0

Os lojistas vão retomar as mobilizações em março se o Imposto de Fronteira não acabar. Varejistas gaúchos reuniram-se nessa manhã na Assembleia Legislativa.

foto blogFoto: Vilson Noer/Arquivo Pessoal

Discutiram o prazo de dez de março para ter uma posição do Governo do Estado, o que inclui um encontro com o governador, José Ivo Sartori, e com o vice-governador, José Paulo Cairoli, que era presidente da Federasul e apoiava o fim do tributo. Também é chamado de Diferencial de Alíquota de ICMS, cobrado de mercadorias trazidas de fora do Estado.

Aguardam ainda números que mostrem o impacto aos cofres do Estado prometidos pelo secretário Estadual da Fazenda, Giovani Feltes. Discordam da cifra de R$ 300 milhões. Alegam que ela inclui o ICMS pago pelos grandes varejistas, que conseguem recuperar o dinheiro com o crédito tributário.

- Quem sofre são os pequenos lojistas. Teve empresário chorando hoje, dizendo que vai entregar a chave da loja para o governo. O imposto tem que acabar e tem que ser em março. – afirma o presidente da Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo, Vilson Noer.

AGV, CDL Porto Alegre e Sindilojas lideram o Movimento Chega de Mordida, que realizou protestos em 2013 contra o Imposto de Fronteira. A cobrança começou no governo Yeda, continuou no governo Tarso e o governo Sartori não tem dado sinais de que acabará com o tributo. Há uma lei de autoria do deputado Frederico Antunes acabando com o imposto, mas ela não é reconhecida pelo Governo do Estado.

Ontem, federações empresariais entregaram proposta de redução tributária para o Governo do Estado. Entre as medidas sugeridas, está a redução gradativa do Imposto de Fronteira. A reunião resultou apenas na sinalização de que uma comissão seria criada para avaliar o assunto.

Foto: Jocimar Farina/Rádio Gaúcha.

Foto: Jocimar Farina/Rádio Gaúcha.

Leia mais:

Empresários entregam ao governo proposta para reduzir Imposto de Fronteira

Empresários propõem redução gradativa do Imposto de Fronteira

Sindilojas orienta empresários a refinanciarem Imposto de Fronteira atrasado

Novo secretário da Fazenda não garante fim do Imposto de Fronteira

“Imposto de Fronteira será eliminado”, diz vice-governador eleito

Lojistas gaúchos dizem que Imposto de Fronteira leva empregos para Santa Catarina

Justiça renova liminar que desobrigava lojistas de pagarem Imposto de Fronteira

Fazenda vai colocar na dívida ativa quem não pagar Imposto de Fronteira

Promulgada lei que proíbe cobrança do Imposto de Fronteira

Governo gaúcho vai discutir Imposto de Fronteira no Judiciário

Lojistas dizem que governo gaúcho age com soberba

Tarso não vai vetar projeto de lei contra o Imposto de Fronteira

Governo não deve sancionar lei que acaba com o Imposto de Fronteira

Aprovado projeto de lei que proíbe cobrança do Imposto de Fronteira de pequenas empresas

Federações não entram em acordo sobre lista para isenção do Imposto de Fronteira

Renegociação de dívidas de ICMS é prorrogada

Pequenos lojistas gaúchos pagam quase o dobro em tributo do que os paranaenses

Projeto contra retorno do Imposto de Fronteira deve ser votado em dezembro no Plenário da Assembleia

Advogado recomenda que lojistas façam depósito judicial do Imposto de Fronteira

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

 

 

 

Venda do varejo gaúcho cai forte em dezembro, mas fecha ano com crescimento

11 de fevereiro de 2015 0
Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS

Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS

Foi mês de Natal, mas as vendas do varejo do Rio Grande do Sul caíram 4,5% sobre novembro. A pesquisa é do IBGE e traz ajustes sazonais. O recuo foi bem mais intenso do que a média nacional: -2,6%.

Na comparação com dezembro de 2013, o volume de vendas foi 1,5% menor. O dado vai no mesmo sentido das apurações feitas pela CDL Porto Alegre e pela Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo:

Leia:

Natal do comércio gaúcho é o mais fraco desde 2009

Saldão de Natal começa timidamente na internet

Fechamento de 2014

A venda do varejo gaúcho fechou 2014 com crescimento de 2,3%. Resultado bem semelhante ao do País todo: +2,2%.

O maior crescimento foi na venda de artigos para uso pessoal e doméstico: +7,8%.

A maior queda ocorreu na venda de equipamentos para escritório, informática e comunicação: -15,9%.

O resultado por segmento mostra o depoimento de lojistas ao longo do ano apontando que o consumidor estava comprando mais produtos de menor valor e mais básicos no dia a dia.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Gaúchos comprometem mais renda com dívidas

03 de fevereiro de 2015 2
Foto: Porthus Junior/Agencia RBS.

Foto: Porthus Junior/Agencia RBS.

Aumentou novamente a parcela da renda que está comprometida com dívidas entre os gaúchos. A média passou de 29,5% para 30,4%, segundo a pesquisa da Fecomércio-RS.

O tempo de comprometimento também aumentou. Atingiu 7,5 meses.

O cartão de crédito continua sendo a principal fonte de dívida dos gaúchos. É seguido por carnês e financiamento de carro.

“A elevação dos juros, apesar de conter o endividamento, torna mais cara a dívida da parcela de famílias que se encontra endividada.” - diz a análise da entidade.

30%

No geral, os especialistas em finanças pessoais sempre recomendam que o consumidor não comprometa mais de 30% com dívidas. Sem contar que este percentual não inclui despesas permanentes, como contas de luz e água. Outro ponto é que esta parcela considera a renda líquida, ou seja, já com descontos como impostos.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Confiança do comerciante gaúcho volta a cair

14 de janeiro de 2015 0

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio do Rio Grande do Sul caiu em dezembro. Em relação a novembro, o recuo foi de 2,6%.

A Fecomércio-RS que faz o cálculo. Ressalta que, na comparação com dezembro de 2013, foi a maior queda da série histórica: -18%. A pesquisa começou em 2011.

A retração foi verificada em todos os três componentes avaliados: percepção do empresário quanto ao momento presente da economia, ao setor e à própria empresa; expectativas sobre o futuro de curto prazo; e perspectivas de contratação de funcionários, investimentos e níveis de estoques.

- Os resultados de dezembro de 2014 mostram um aprofundamento na tendência de redução da confiança dos empresários do comércio observada há muitos meses. Pela segunda vez desde que foi iniciado, o indicador atinge um patamar muito próximo da neutralidade. – comenta o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn.

Bohn ressalta que o outro momento em que isso havia ocorrido foi em julho de 2013. Na época, houve o impacto pontual das manifestações populares.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.