Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "varejo"

Lojistas de rua de Porto Alegre gastam quase R$ 1,5 mil por mês com segurança

17 de abril de 2015 0
Foto: Betina Humeres / Agencia RBS.

Foto: Betina Humeres / Agencia RBS.

Os lojistas de rua de Porto Alegre gastam, em média, R$ 1.460 por mês com segurança. O dinheiro vai, por exemplo, para contratar profissionais que fazem a vigilância da loja durante o horário de atendimento. Segundo o Sindilojas, os empresários precisam prevenir-se do risco de vandalismo das vitrines e furtos de mercadorias.

Conforme o levantamento do Sindilojas, há redes maiores que podem chegar a gastar em torno de R$ 30 mil. O gasto mínimo, para lojas menores, é de cerca de R$ 500.

Mesmo assim, a pesquisa feita ainda em março apontou que um terço das lojas entrevistadas já tinha sido assaltada em 2015. Foi em horário comercial e com a abordagem de clientes. E, destas, metade sofreu dois ataques. Na maior parte, com arma de fogo.

Outro dado é que metade dos comerciantes informa que tem funcionários que já foram assaltados indo para o trabalho ou voltando para casa. Em média, são dois empregados que já foram vítimas.

- Estamos vulneráveis em Porto Alegre com cada vez menos policiais nas ruas. – comenta o presidente do Sindilojas Porto Alegre, Paulo Kruse, que participa em Maceió nesta tarde de uma passeata por segurança, ato que integra a programação do 31º Congresso Nacional de Sindicatos Patronais.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Emenda sobre comércio à distância fará Rio Grande do Sul perder R$ 90 milhões em ICMS

16 de abril de 2015 0
Foto: Porthus Junior / Agencia RBS.

Foto: Porthus Junior / Agencia RBS.

O Senado aprovou ontem e já promulga nesta quinta-feira a Proposta de Emenda à Constituição 7/2015, que trata da repartição entre os Estados da arrecadação do ICMS cobrado sobre mercadorias e serviços vendidos à distância. Considera comercialização tanto por internet como por telefone. A PEC foi aprovada por unanimidade.

O texto altera gradualmente as alíquotas. Atribui aos Estados de destino 100% da diferença de alíquotas apenas em 2019. Até lá, vale a seguinte regra de transição: 20% para o destino e 80% para a origem (2015); 40% para o destino e 60% para a origem (2016); 60% para o destino e 40% para a origem (2017); e 80% para o destino e 20% para a origem (2018).

A ideia é que o Estado onde fica o comprador tenha retorno do ICMS. O Rio Grande do Sul, no entanto, terá uma perda de arrecadação de R$ 90 milhões no fim da alteração das alíquotas.

Segundo a Secretaria Estadual da Fazenda, caso a emenda tratasse apenas do comércio pela internet, o Rio Grande do Sul seria beneficiado, já que a maior parte das grandes varejistas fica no Sudeste. No entanto, o texto engloba também as vendas por telefone. Isso vai tirar do Estado, principalmente, a arrecadação de ICMS na venda de implementos agrícolas – negócios encaminhados em feiras e fechados por telefone depois -, equipamentos de construção civil e armas adquiridas principalmente pelo Governo Federal e Estaduais.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

 

Comércio gaúcho projeta crescimento zero nas vendas de Dia das Mães

16 de abril de 2015 0
Foto: Rafaela Martins / Agencia RBS.

Foto: Rafaela Martins / Agencia RBS.

As vendas para o Dia das Mães devem ter crescimento zero em relação ao ano passado. A projeção é da Fecomércio-RS. Segundo a entidade, o aumento será apenas nominal, ou seja, repondo a inflação.

Os consumidores até devem gastar um pouco mais. No entanto, isso é motivado pelo aumento nos preços dos presentes e não por uma decisão das pessoas de comprar presentes melhores ou em maior quantidade.

“Diante do quadro atual da economia brasileira de inflação alta, crédito restrito e caro e baixa confiança do consumidor, a expectativa é que o comércio varejista repita as vendas do ano passado.” – complementa a análise da Fecomércio.

A entidade observa que os gaúchos também estão evitando o endividamento. O pagamento à vista deve ser o mais usado, apontado por 80,5% dos entrevistados na pesquisa.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Venda do varejo gaúcho volta a cair

14 de abril de 2015 0
Foto: Genaro Joner / Agencia RBS.

Foto: Genaro Joner / Agencia RBS.

As vendas do varejo gaúcho voltaram a cair em fevereiro sobre o mês anterior. Em janeiro, tinham crescido após forte queda de dezembro, apesar do Natal.

Em volume, o recuo foi de 1,2% nas vendas do comércio do Rio Grande do Sul. Com isso, atinge patamar menor do que em dezembro. O dado é do IBGE. A média nacional teve queda menor: -0,1%.

12 meses

No acumulado de 12 meses, o varejo gaúcho aponta crescimento de 0,4% no volume de vendas. A média nacional é crescimento de 0,9%.

Maior queda no Rio Grande do Sul: Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação -13%
Maior alta: Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos +6%

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Supermercados gaúchos reduzem produtos de marca própria e abrem menos aos domingos

07 de abril de 2015 0
Foto: Julio Cavalheiro / Agencia RBS.

Foto: Julio Cavalheiro / Agencia RBS.

Sensação no início dos anos 2000, os produtos de marca própria perderam espaço nos últimos dois anos nos supermercados do Rio Grande do Sul. O resultado apareceu na pesquisa da Associação Gaúcha de Supermercados.

Em 2012, 39% dos supermercados gaúchos disponibilizavam itens de marca própria nas lojas. No ano passado, o número caiu para 16,9%.

- Nenhuma empresa estampará seu nome em um produto de baixa qualidade e, por isso, a marca própria só é produzida quando seu custo-benefício é interessante ao supermercadista e ao consumidor. – comenta o presidente da AGAS, Antônio Cesa Longo.

Atualmente, os consumidores gaúchos podem encontrar 3,8 mil itens de marca própria nos supermercados no Rio Grande do Sul.

Domingos e Feriados

A abertura aos domingos e feriados é uma das questões que preocupam a entidade. Há diversos acordos sindicais sendo fechados em municípios do interior que impedem o funcionamento das lojas nestes dias. O índice de empresas que não operam aos domingos e feriados cresceu de 20,1% em 2013 para 28,5% em 2014.

Tíquete médio

O Ranking Agas 2014 mostrou ainda uma redução do tíquete médio de compra dos gaúchos. Em 2013, cada consumidor desembolsou em média R$ 41,97 por visita ao supermercado. Já em 2014, o valor médio de compras caiu para R$ 40,49.

- É reflexo da preocupação dos consumidores em economizar. – explica Longo.

Concentração do mercado

A pesquisa mostra outra curiosidade: juntas, as dez maiores empresas de supermercados somaram um faturamento de R$ 13,1 bilhão, representando 54,3% do total do setor. Ainda há concentração, mas é menor do que em 2013, quando a participação era de 55,2%.

- Enquanto isso, a participação das dez maiores na contratação de mão de obra é de somente 46%, com 43,1 mil colaboradores, mostrando que as empresas de médio e pequeno porte apostam nos diferenciais de atendimento para conquistar mercado. – salienta o presidente da Agas.

Pelo quinto ano consecutivo, as empresas de porte médio foram as que mais cresceram no setor supermercadista gaúcho. Superaram as grandes e as pequenas.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Vendas de Páscoa são as piores dos últimos anos

06 de abril de 2015 2

O indicador da Serasa aponta que as vendas de Páscoa foram as piores desde 2007 no País. O fim de semana até teve aumento de 3,2% com as promoções de última hora. Porque durante a semana o crescimento foi nulo.

Segundo os economistas da Serasa Experian, com menos dinheiro no bolso devido à alta da inflação, os consumidores deixaram para comprar os presentes de Páscoa nos últimos dias. Aguardaram as promoções do varejo.

Outro indicador é o da Boa Vista Serviços, que identificou recuo de 0,3% nas vendas do comércio. Este resultado negativo é o primeiro da série histórica, que teve início em 2008. O movimento das vendas na Páscoa segue a tendência do varejo geral e antecipa um ano de menor crescimento para o comércio, segundo a empresa.

Já o acompanhamento do SPC Brasil mostrou queda de 4,93% nas vendas. Atingiram o pior resultado dos últimos seis anos, desde quando existe a pesquisa.

- O resultado nunca foi tão baixo. Já projetávamos o pior crescimento dos últimos anos por conta da forte piora nos indicadores econômicos. – disse o presidente da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas, Honório Pinheiro.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Dólar alto anima alguns lojistas do Rio Grande do Sul

06 de abril de 2015 0
Foto: Gisele Loeblein / Agencia RBS.

Foto: Gisele Loeblein / Agencia RBS.

No geral, a alta do dólar eleva preços de importados e provoca inflação. No entanto, alguns lojistas estão animados com a valorização no câmbio. São segmentos que enfrentavam a concorrência com as compras no exterior. Entre eles, destaque para o varejo de confecções.

- As pessoas aproveitavam viagens de negócios e de passeios para “se fardarem” em Miami, Nova York… – comentou o presidente da Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo, Vilson Noer, no programa Destaque Econômico.

A concorrência era sentida por lojas de roupas femininas e também masculinas. Artigos esportivos também eram bastante procurados no exterior. Outro segmento que atraia muitas consumidores era o de artigos para bebês.

- Futuras mamães viajavam para os Estados Unidos apenas para fazer enxoval. Agora, com o dólar alto, estão refletindo mais antes.

O ideal seria que as lojas no Brasil conseguissem reduzir preços e não contar com o aumento do custo para compras no exterior. Mas isso envolve questões como cartga tributária elevada, margem de lucro de alguns segmentos e até custos altos de logística.

Outro ponto: há produtos que os lojistas ainda têm estoques no Brasil de antes da disparada do dólar. Inclusive, eletrônicos. Alguns chegam a estar custando atualmente o mesmo do que comprar no exterior. Mas isso vai durar até que os empresários renovem os estoques com encomendas feitas já com o dólar alto…

Ouça a entrevista do presidente da AGV, Vilson Noer, ao Destaque Econômico:

 

Ouça o Destaque Econômico, na Rádio Gaúcha. Domingos, às 9h.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Trimestre de pessimismo no comércio gaúcho

06 de abril de 2015 0

O primeiro trimestre do ano fechou registrando pessimismo dos empresários do comércio do Rio Grande do Sul. O índice calculado pela Fecomércio-RS apontou, pela primeira vez na pesquisa, índices abaixo de 100 pontos e isso ocorreu em janeiro, fevereiro e também março.

Além disso, março fechou em 88,5 pontos. É o menor resultado já identificado para a confiança dos comerciantes gaúchos. Também significa queda de 24,5% na comparação com março do ano passado. Em relação a fevereiro, recuo também, de 6,5%.

- O aprofundamento do pessimismo é disseminado em todos os componentes avaliados pelos empresários, mas se mostra mais acentuado no que diz respeito à percepção em relação à economia brasileira, especialmente em função de fatores como inflação elevada, aumento dos juros, déficit nas contas públicas e baixo nível da atividade econômica. – comenta o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

Promoção ainda tímida de ovos de Páscoa e na internet

03 de abril de 2015 1

Menos ovos do que em Páscoas anteriores, poucos compradores e ainda sem promoções foi o que a Rádio Gaúcha e o blog Acerto de Conta$ encontrou nos supermercados que visitou nesta manhã em Porto Alegre. As promotoras das marcas ainda não tinham previsão de quando seriam autorizadas a reduzir preços.

Difícil encontrar ovos de chocolate por menos de R$ 25. O aumento de preços e a economia complicada já tinham sido apontados pelo comércio para uma estabilidade e até queda nas vendas nesta Páscoa.

A aposta está nas caixas de bombom. A Associação Gaúcha de Supermercados projeta que este será o presente de última hora mais comprado neste sábado. No total, a venda de chocolates deve ter faturamento de 1% a 2,5% apenas de aumento real (acima da inflação).

Na internet, já é possível encontrar algumas promoções de ovos de Páscoa. No entanto, muito menos do que em anos anteriores. O período de entrega, no entanto, é superior a uma semana.

Reprodução site.

Reprodução site.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

 

Liberado alvará para obras do Passo Fundo Shopping

02 de abril de 2015 1

Foi liberado o alvará para o início da construção do Passo Fundo Shopping. O documento já foi entregue pela prefeitura.

O início das obras deve ocorrer em até 90 dias. A inauguração fica, então, para abril de 2017.

O próximo passo é a liberação da licença de instalação. Previsão de que ocorra nos próximos dias.

Já são feitas negociações com lojas âncoras. O Passo Fundo Shopping terá aproximadamente 79 mil metros quadrados de área construída e aproximadamente 280 lojas. Serão seis salas de cinema e um hipermercado.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.