Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "venda"

Postos de combustível alertam para volta do tributo sobre o álcool

29 de dezembro de 2016 2

17737098

 

Representantes do comércio de combustíveis estão divulgando nota avisando para a volta da cobrança de tributo sobre o álcool combustível a partir de janeiro:

“A partir do dia 1º de janeiro de 2017, será retirada a isenção do PIS/Cofins sobre o etanol. A mudança é decorrente do fim do benefício presente na Lei 12.859/13, que dava aos importadores e produtores de álcool um crédito para abatimento de valores durante sua comercialização.
O crédito correspondia a R$ 21,43 por metro cúbico comercializado para o PIS, e R$ 98,57 por metro cúbico comercializado para a Cofins. O benefício permanece até o dia 31 de dezembro deste ano, mas, de acordo com o governo federal, o prazo não será prorrogado.”

Segundo a Fecombustíveis, o tributo volta a ser cobrado sobre os dois tipos de etanol. Sendo que o etanol hidratado é o comum vendido nos postos, enquanto o etanol anidro é aquele misturado à gasolina.

A entidade não divulga impacto em preços para o consumidor. Mas avisa que terá. E na gasolina também.

Setor vinha falando que achava difícil o Governo Federal prorrogar a isenção. Conta com receita extra de R$ 1,5 bilhão em 2017 com a volta da cobrança de PIS/Cofins de R$ 0,12 por litro do etanol hidratado a partir de 1º de janeiro. O tributo sobre o combustível renovável será uma das poucas novas fontes extras de receita tributária automática no próximo ano, ou seja, sem necessidade de ato presidencial ou aprovação do Congresso.

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

 

 

 

Estoque de imóveis para venda e aluguel mais que dobrou em Porto Alegre

27 de dezembro de 2016 2
Foto: Tatiana Cavagnolli / Agência RBS.

Foto: Tatiana Cavagnolli / Agência RBS.

 

O estoque de imóveis para venda e aluguel mais do que dobrou em Porto Alegre nos últimos cinco anos. Em alguns casos, quase triplicou! Os dados são do Sindicato da Habitação (Secovi/RS).

Venda:
+136% na oferta de imóveis residenciais
+121% entre os imóveis comerciais

Locação:
+185% imóveis residenciais
+167% imóveis comerciais (salas, lojas e casas comerciais)

- Seja porque há menos pessoas comprando e alugando, mas também porque muitas pessoas assumiram financiamentos e não conseguiram bancar as prestações. – explica o presidente do sindicato, Moacyr Schukster.

Os cinco bairros com maior volume de ofertas de imoóveis para alugar:
- Centro Histórico
- Petrópolis
- Menino Deus
- Floresta
- Sarandi

Bairros com o aluguel mais caro:

- Praia de Belas (R$ 42,37)
- Três Figueiras (R$ 41,73)
- Bela Vista (R$ 36,07)

Bairros com mais preço de venda:

- Bela Vista R$ 6.374,77
- Três Figueiras R$ 6.115,14
- Boa Vista R$ 6.099,80
- Moinhos de Vento R$ 6.084,53
- Mont’Serrat com R$ 5.981,26

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

 

Liquidações magrinhas neste Natal

27 de dezembro de 2016 2

Coluna Acerto de Conta$, no Diário Gaúcho. Todas as terças.

Não lembro de um saldão de Natal tão tímido quanto este. Em outros anos, quando não tinham mais prazo para entregar, as lojas já anunciavam as liquidações pelos sites. O varejo de rua e shopping acabava indo atrás.

A explicação tem sido a economia no geral. Com receio de um consumidor retraído, os lojistas encomendaram pouco e ficaram com estoque baixo, mesmo com queda na venda.

Antes mesmo do Natal, uma pesquisa do GS Group mostrou que 88% dos shoppings fizeram estratégias promocionais para a data. É o menor índice desde 2013. Segundo a consultoria, a expectativa de vendas era tão baixa, que empresas avaliaram que não compensaria investir na estratégia.

Mas…

Alguma coisa sobrou e talvez haja espaço para pechincha. A dica é a de sempre: pesquisar.

Cerca de 40% dos consumidores pesquisam preços na internet antes de comprar. Já adquiriu esse hábito? É beeem saudável para o bolso.

Use sites comparadores de preços. Ou vá direto no site da própria loja. Muitas vezes, o preço é diferente.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

Três barbeiragens que estragam o carro e elevam gastos com manutenção

23 de dezembro de 2016 1

rodapé2

 

 

Barbeiragem no trânsito tem preço! E pode ser alto. O alerta é do engenheiro mecânico Anderson de Paulo, professor de cursos de extensão no laboratório de Motores da PUCRS.

- Prestar atenção em alguns detalhes ao volante pode render uma boa economia na hora de levar seu carro para a revisão.

Veja alguns exemplos de erros na forma de dirigir o carro:

1 – Dirigir com o pé apoiado sobre o pedal do freio ou embreagem. Não faça isso! Gera um desgaste prematuro das sapatas e um superaquecimento das molas e acionadores. Pode reduzir a vida útil do equipamento em mais de 60% e diminui a capacidade de frenagem. Ou seja, você pode ficar sem freio!

2 – Forçar a direção hidráulica. Gire o volante até o limite e retorne “um pouquinho” assim você não fica forçando a bomba hidráulica. Se não, provoca vazamentos e consumo de fluido da direção, podendo causar até a falha do equipamento.

3 – Cuidado com buracos e com o meio fio da calçada. Sempre que possível, desvie dos buracos ou diminua a velocidade. Cuide ao estacionar próximo do meio fio. Se bater ali, estraga pneus e rodas e afeta toda a suspensão do carro! Acaba levando a trocas repentinas de amortecedores, buchas de suspensão e rolamentos.

Leia mais: Gasolina ou etanol? Engenheiro mecânico alerta que cálculo do rendimento no motor mudou

Assista à entrevista completa:

rodapé2

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

 

Vendas do varejo gaúcho interrompem queda

14 de dezembro de 2016 0

As vendas do varejo gaúcho não cresceram, mas também não caíram em outubro. A pesquisa é do IBGE e considera o volume comercializado.

Ao menos, interrompeu a sequência de quedas. Em setembro, tinha caído 0,5% sobre agosto. No mês anterior, 1,3%.

No acumulado de janeiro a outubro, a queda chega a 5,5%. Recuo, no entanto, menos intenso do que a média nacional.

Maior retração:
Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação -22,6%

Maior crescimento:
Móveis +9,8%

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

 

 

Mais um Natal de queda nas vendas, dos pequenos presentes e do carnê

12 de dezembro de 2016 0
Foto: Félix Zucco / Agência RBS.

Foto: Félix Zucco / Agência RBS.

 

Devemos ter mais um Natal de pequenos presentes e com compras no carnê. A previsão do presidente da Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo, Vilson Noer.

- Cosméticos, produtos mais baratos de moda e até livros de valor baixo. Presentes mais baratos fecham com o atual quadro de penúria financeira.

Quanto à forma de pagamento, carnês e dinheiro devem se destacar. O crédito está mais restrito e o acesso ao parcelamento fica mais fácil no carnê, que depende mais do lojista.

- Mesmo com a inflação mais baixa, continuamos a vender abaixo do ano passado.

Conforme a AGV, o comércio gaúcho espera movimentar R$ 6,1 bilhões com o Natal no Rio Grande do Sul. É um valor 3,4% acima do ano passado. Descontando a inflação, queda real de cerca de 3,5%.

Segundo a AGV, o site Adzuna.com.br tem 336 vagas no varejo do Rio Grande do Sul. A média salarial é de R$ 1.344.

Porto Alegre tem o maior número de vagas. A Capital é seguida por Caxias do Sul, Cachoeirinha, Gravataí, São Leopoldo, Novo Hamburgo e Canoas.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

 

Crise quase triplica tempo para alugar imóvel em Porto Alegre

25 de novembro de 2016 1

Antes da crise econômica atingir o setor imobiliário, o proprietário levava cerca de quatro meses para conseguir que alguém alugasse seu imóvel em Porto Alegre. Atualmente, a média está em onze meses de espera. O dado aparece em pesquisa do Sindicato da Habitação, o Secovi-RS.

Segundo o presidente da entidade, Moacyr Schukster, a queda na procura não foi significativa. O que ocorreu foi que aumentou muito a oferta de imóveis para locação.

É resultado, principalmente, do período em que as vendas aumentaram muito. Inclusive, pessoas que assumiram financiamentos, mas ficaram sem condições de arcar com as parcelas.

- Os preços de locação até caíram, mas ainda estão acima da inflação nos últimos cinco anos. Ainda há uma “gordura” para quem colocou imóvel para alugar e não está perdendo dinheiro.

 

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

Renda extra - Empresa busca pessoas para comprar e entregar mercadorias para clientes de Porto Alegre

23 de novembro de 2016 1
Imagem: Divulgação Shoppr.

Imagem: Divulgação Shoppr.

 

A Shoppr está buscando shoppers. São vagas para pessoas comprarem e entregarem mercadorias de supermercados para clientes em Porto Alegre.

A empresa é da Capital e faz o serviço de compra e entrega de alimentos e outros produtos de supermercado. A Shoppr foi criada com foco em consumidores com pouco tempo para as compras ou que não têm carro para carregar as sacolas.

Leia mais: Empresa de Porto Alegre faz as compras de supermercado e entrega na casa do consumidor

Não há número de vagas definido. O ganho por pedido varia entre R$ 27 e R$ 28, aproximadamente. O pagamento é feito por pedido, com um percentual da compra mais taxa de entrega.

- Tem pessoal que trabalha meio turno, tem gente que trabalha turno integral, conforme disponibilidade e interesse. A gente busca oferecer flexibilidade de horário. Cada um escolhe o horário. – explica Chris Maina, da Shoppr.

Ficou a fim dessa renda extra? Aí vai serviço, então:

O que um shopper faz?
- Recebe um pedido
- Vai no supermercado e faz as compras
- Realiza a entrega

Turnos: manhã / tarde / noite (Segunda a Sexta-feira)

Perfil:
- Ágil, organizado e atento aos detalhes. A entrega tem que ser feita em até uma hora.
- Ter carro próprio e smartphone.
- Conseguir carregar 10 quilos.

Enviar currículo para: equipe@shoppr.com.br

 

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

 

Compras pela internet já superam gastos em shoppings em Porto Alegre

23 de novembro de 2016 0
Foto: Divulgação.

Foto: Divulgação.

 

Essa virada já estava batendo na porta. O gasto mensal com compras pela internet atingiu R$ 404,66, em média. Enquanto nos shoppings, ficou em R$ 238,91.

A pesquisa engloba entrevistas na Região Metropolitana de Porto Alegre. É da Ipsos Connect e ouviu quase 2 mil pessoas que acessam a internet.

Os supermercados, no entanto, ainda lideram. O gasto nestes estabelecimentos ainda soma R$ 774,40.

Entre os entrevistados, 18% compraram pela internet nos últimos 12 meses. E mais: 14% compraram nos últimos 30 dias.

56% Procuro informações na Internet antes de realizar uma compra
80% A minha maior preocupação na Internet é a segurança
12% Eu prefiro fazer compras online que nas lojas físicas

- O e-commerce brasileiro tem mostrado forte evolução nos últimos anos, mas a modalidade tem muito ainda a desenvolver. O acesso à internet, exacerbado pelo rápido crescimento de smartphones, faz com que mais pessoas se aproximem desta modalidade de compra. O interessante será ver as estratégias das marcas para conseguir derrubar mitos e conseguir que essa busca por informação na hora da compra que se dá na internet possa se concretizar na compra dos seus produtos. – afirma Diego Pagura, diretor de negócios de Ipsos Connect.

Nove regiões metropolitanas integram o levantamento e os dados regionais foram enviados ao blog Acerto de Conta$ e Rádio Gaúcha. A pesquisa foi realizada entre julho de 2015 e junho de 2016 com 22.576 entrevistas presenciais. A margem de erro é de 0,65% para mais ou para menos.

===

Siga @GianeGuerra no Twitter.

E também curta a página Giane Guerra, no Facebook.

Setor imobiliário gaúcho engata terceiro mês de otimismo

11 de novembro de 2016 0

O setor imobiliário engatou o terceiro mês otimista no Rio Grande do Sul. Atingiu 109 pontos em setembro, conforme pesquisa da Alphaplan.

Acima de 100 é considerado otimista. O indicador foi criado em agosto de 2015 e ficou acima deste patamar apenas nas três últimas pesquisas.

O otimismo é maior entre as construtoras e menor entre as imobiliárias. Veja:

Incorporadoras / Construtoras 125,2 pontos

Imobiliárias e Corretores 90,3 pontos

Consumidores 111,5 pontos

Ouça entrevista com o diretor da Alphaplan, Tiago Dias, no programa Destaque Econômico: