Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "eleições"

48 horas democracia: projeto colaborativo na cobertura das eleições

31 de outubro de 2010 0

Desde a última quinta-feira, 28 de outubro, está rolando na Internet o projeto 48 horas democracia, que pretende fazer uma cobertura cidadã das Eleições 2010. No primeiro turno, o site convidou internautas a interagirem entre si e também com convidados para participar da maratona. Neste segundo turno, o 48horasdemocracia novamente está no ar e conta com jornalistas, ativistas e blogueiros, além dos internautas que participam e comentam em redes sociais.

Para acompanhar a cobertura, basta acessar o site do projeto. Lá você encontra um chat ao vivo, além da transmissão em vídeo de um debate entre os convidados (que você também confere logo abaixo), com uma análise destas eleições. Também é possível participar através da hashtag no Twitter – #48hvotobr -, por Skype – adicione o usuário Quarentaeoitohoras_Democracia – e por e-mail – envie sugestões para 48horasdemocracia@gmail.com.

Quem mora na cidade de São Paulo ainda está convidado a aparecer na redação e colaborar. Anote o endereço:

Estúdio Blimp
Rua Dr. Paulo Vieira, 101 – Perdizes – São Paulo-SP
Próximo à Estação Vila Madalena de Metrô


Exibir mapa ampliado

Bookmark and Share

Multidão se reúne em flashmob para limpar a sujeira eleitoral da Redenção

03 de outubro de 2010 0

Aproximadamente 300 pessoas se juntaram no Chafariz do Parque da Redenção, em Porto Alegre, para um mutirão de recolhimento da sujeira deixada pela campanha eleitoral. A mobilização, combinada principalmente pelas redes sociais, começou a partir das 16h30 deste domingo e marca o lançamento do projeto Redenção.cc, que deve reunir em um site colaborativo histórias e depoimentos sobre o Parque. Os papeis recolhidos serão encaminhados pelos organizadores a uma cooperativa de reciclagem.

Camisetas roxas deram destaque aos voluntários no mutirão

“Ão-ão-ão, limpando a Redenção”, cantava o grupo de camisetas roxas. Levando em punho vassouras e sacos de lixo, os participantes recolheram santinhos e conseguiram chamar a atenção de quem passeava pelo Parque. O estudante Wesley Calado, de 16 anos, foi um dos curiosos que se juntou ao movimento: “Vi um monte de gente e fui ver o que era”.

Limpeza entre as bancas do Brique

Por enquanto, os organizadores do Redenção.cc ainda preferem fazer suspense sobre a origem do projeto, mas garantem que a iniciativa não se restringe à ação de hoje. Na próxima semana, deve entrar no ar pelo site do grupo uma série de recursos criados para falar sobre o passado, o presente e o futuro da Redenção, que completou 75 anos recentemente. “A ideia é que se possa olhar para o Parque como algo nosso”, explica Domingos Secco, organizador do evento, que adianta que o site terá fotos 3D e um mapa onde se marcarão os conteúdos. O modelo será estilo wiki, todo colaborativo.

Inovação também no ar

Câmera voadora é comandada por um controle remotoAntes mesmo da limpeza começar, a Hexacopter, câmera acoplada a um sistema de hélices, já impressionava pousada no gramado do Parque. Quando a multidão começou a andar, aí sim é que os olhares, volta e meia, miravam o céu, para acompanhar a câmera voadora que fazia, literalmente, a cobertura do evento. O criador, Eduardo Lavratti, conta que a invenção surgiu como hobby, mas que a ideia é aperfeiçoá-la para, futuramente, poder vendê-la. O equipamento funciona com uma bateria de duração de aproximadamente dez minutos. Este foi o segundo teste do sistema, que já havia sido usado na Expointer deste ano.

Confira mais:

- Para ver mais fotos da mutirão, acesse o Flickr do Redenção.cc

- Para ver os comentários no Twitter, siga o perfil @redencaocc ou busque pela hashtag #redencaocc

Fotos de Giuliana de Toledo.

Bookmark and Share

Flashmob pós-eleições para limpar a Redenção

02 de outubro de 2010 0

Com um site misterioso e provocador e com movimentação nas redes sociais, o projeto Redenção.CC pretende mobilizar para uma grande limpeza do Parque da Redenção, em Porto Alegre, amanhã às 17h, logo depois do fim da votação. O ponto de encontro será o Chafariz. Segundo o blog Update or Die!, haverá no local distribuição de camisetas, sacos para lixo e “espetos” para catar os papeis espalhados.

Para mais informações sobre a flashmob, confira o Facebook (o evento, até o momento, está com pouco mais de cem presenças confirmadas), o Twitter e o Orkut do grupo.

Veja abaixo o vídeo de divulgação, que faz um apelo especial aos jovens:

Domingo, 17h, no Chafariz da Redenção! from redencao.cc on Vimeo.

Bookmark and Share

Blog reúne fotos rabiscadas de candidatos

27 de setembro de 2010 0

A brincadeira é de criança, mas o assunto é de gente grande. O blog Sujo sua Cara reúne fotos enviadas pelos que aderiram à ideia de rabiscar a cara de candidatos em cartazes espalhados pelas cidades brasileiras. A intenção é manifestar desagrado à poluição gerada pela propaganda política através de uma espécie de “vingança”: “Você suja minha cidade, eu sujo sua cara”, sintetiza o lema do grupo. No blog, há também espaço para escrever protestos em forma de texto e enviar comentários sobre as mensagens deixadas.

Pelo Twitter, dá para acompanhar as atualizações do Sujo sua Cara.

No vídeo abaixo, vai uma amostrinha do material:

Bookmark and Share

Ferramentas online contribuem para fiscalização de candidatos e censura eleitoral

25 de setembro de 2010 0

A internet não pode mudar a situação do país sem que haja uma mobilização política na sociedade (conforme o sociólogo espanhol Manuel Castells, em entrevista à Folha de S. Paulo, que publicamos aqui). Mas ela pode, sim, ser uma aliada na fiscalização dos candidatos e das eleições. Segundo Manuella Ribeiro, do Global Voices Online, o uso da internet vem apliando o acesso às informações, e permite que políticos e cidadãos interajam por meio de campanhas online, debates e diálogos em redes sociais.

Se para Castells o uso da internet nas campanhas é considerado decepcionante, os eleitores, por sua vez, contam com inúmeras ferramentas e espaços para debater, fiscalizar, acompanhar e fazer denúncias sobre as eleições deste ano. Na lista compilada por Manuella Ribeiro (em inglês), reproduzida no blog Jornalismo nas Américas, do Centro Knight, figuram alguns projetos dos quais já falamos aqui: Votenaweb, Eleitor 2010 e EuLembro.

Eleições Brasil 2010, canal criado pelo Google, é uma das ferramentas para acompanhar e fiscalizar o pleito deste ano/ ReproduçãoHá também a plataforma Eleições Brasil 2010, criada pelo Google e que exibe mapas interativos, onde o eleitor pode acompanhar o trajeto dos candidatos e conferir resultados de eleições passadas. No YouTube, o canal Eleições recebe perguntas dos cidadãos, e as melhores são selecionadas pelos próprios usuários para serem respondidas na televisão.

Entre as demais ferramentas de política 2.0, o site da Campanha Ficha Limpa, que acompanha se os candidatos estão seguindo a Lei do Ficha Limpa, e o Quanto vale seu candidato?, que exibe informações sobre o patrimônio dos políticos que estão concorrendo nestas eleições. Para conferir a lista completa, clique aqui.

Censura eleitoral também pode ser acompanhada via online

O blog do Centro Knight organizou um mapa da censura aos meios de comunicação no Brasil durante o período eleitoral. O mapa reúne informações sobre decisões judiciais, marcos legais e atos de instituições governamentais que proíbem a divulgação de matérias, nomes e denúncias envolvendo candidatos (o que caracteriza censura prévia), com multas em caso de descumprimento da ordem, além de apreensão de publicações impressas. As medidas atingem jornalistas, TVs, rádios, jornais, revistas e blogs de notícias.

As informações são atualizadas com informações do noticiário, dados obtidos em pesquisa nos sites dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) e com a contribuição dos usuários, através do e-mail knightcenter@austin.utexas.edu. O mapa, compilado pela jornalista Maíra Magro, é inspirado no projeto do também jornalista Marcelo Soares, que mapeou casos de censura nas eleições de 2008 (quando a população votou para prefeito e vereadores em todo o país).

Até o momento, o estado que mais contabiliza denúncias é a Paraíba, com sete episódios. Ao todo, onze estados registram casos de censura prévia.


Visualizar Mapa da Censura Eleitoral no Brasil – Centro Knight para o Jornalismo nas Américas em um mapa maior

Saiba mais:

Centro Knight publica mapa da censura eleitoral no Brasil

Bookmark and Share

'Se um país não quer mudar, não é a internet que irá mudá-lo', diz sociólogo espanhol

25 de setembro de 2010 1

Na contramão do que se previa para as eleições brasileiras este ano, o uso da internet em campanhas de candidatos vem sendo apontado como decepcionante. No entanto, em entrevista à Folha de S. Paulo, durante passagem pelo Brasil, o sociólogo espanhol Manuel Castells não se mostrou surpreso. “Quando há estabilidade, não se pode esperar que a internet produza uma mudança que as pessoas não querem”, disse.

Na conversa que teve com o jornalista Alec Duarte, Castells falou sobre o emprego das novas tecnologias pelos governos, discussões políticas via online e a necessidade de uma mobilização efetiva, não limitada somente à troca de provocações e ao meio virtual. Dentre os principais trechos da entrevista, destacamos o seguinte:

[...] Falando em realpolitik, como essas mobilizações virtuais chegam ao âmbito do real?

Castells – As mudanças fundamentais na sociedade são as que se produzem na mente das pessoas. É aí que surge a mudança: quando as pessoas mudam sua forma de pensar e, portanto, de atuar. As ideias não passam necessariamente pela mudança política, mas sim pelas mudanças que os governos têm de implementar em função da pressão da sociedade.

A leitura da entrevista publicada na página da Folha nos permite uma reflexão sobre o papel do cidadão no sistema político do país e a importância de uma democracia mais participativa – onde a interação entre povo e governo não se limita ao voto. Vale a indicação.

Clique aqui para ler os trechos publicados pela Folha de S. Paulo.

Bookmark and Share

Eleições 2010 sob a fiscalização dos internautas

07 de setembro de 2010 0

Pela primeira vez no Brasil, a internet e as redes sociais vêm sendo fortemente utilizadas em campanhas eleitorais. São candidatos aos cargos de Presidente, Governador, Senador, Deputado Federal e Deputado Estadual que se esbaldam em tweets, postagens em blogs e vídeos publicados em sites como o YouTube. Mas as ferramentas online não beneficiam somente os políticos, pelo contrário. Duas iniciativas na web vêm cumprindo o papel de aliadas da população para fiscalizar as eleições deste ano. Confira abaixo:

EuLembro reúne informações de candidatos disponíveis em redes sociais /Reprodução- EuLembro: dos mesmos idealizadores do Vote na Web (já comentado aqui no blog), o EuLembro funciona como um mecanismo de busca pelo nome dos candidatos em sites como Wikipédia, YouTube, Busk e Twitter. A reprodução do conteúdo é automática – por isso, os criadores advertem para a possibilidade de falhas ou de apresentação de resultados que não tenham a ver com o desejado. A vantagem é que se pode ter uma visão ampla daquilo que o candidato vem proporcionando aos eleitores na web, além de ler notícias publicadas pelos sites jornalísticos. Também é possível tirar dúvidas sobre papel que desempenha cada cargo à frente do país.

O site também funciona como a memória do próprio eleitor. Cada usuário pode cadastrar-se e escolher o candidato em que vai votar, e os dados ficam disponíveis para futuras consultas. Assim, ninguém terá a desculpa de não saber em quem votou nas eleições passadas. É possível ainda seguir candidatos de quem se deseja obter informações, comentar nos fóruns e acompanhar os resultados da votação no site. O curioso é que, ao contrário das pesquisas de intenção de voto divulgadas na imprensa, a candidata à Presidência Marina Silva (PV) desponta com 52% dos votos dos usuários (até o momento da publicação desse post), enquanto Dilma Roussef (PT) aparece com 17%. José Serra (PSDB) fica em segundo lugar, com 24% (importante ressaltar que os dados não têm valor de pesquisa oficial).

Eleitor 2010 convoca usuários a contribuir com relatos de irregularidades no processo eleitoral deste ano /Reprodução- Eleitor 2010: utilizando a plataforma do Google Maps, o site propõe que os usuários sejam cidadãos-repórteres e compartilhem online denúncias de irregularidade no processo eleitoral, como distribuição de brindes ou envio de spam com propaganda política (são mais de 40 categorias). As informações ficam disponíveis para o público em geral, inclusive para as autoridades e para a imprensa.

Os relatos são distribuídos no mapa conforme a localidade, e é possível filtrar por cidade, região, categoria e período em que aconteceu (pré-campanha, campanha ou dia da eleição). Pode-se verificar também os chamados candidatos “ficha-suja”, que possuem contra eles algum tipo de processo correndo na Justiça brasileira. O site, um instrumento de fiscalização inédito no país, é inspirado no Ushahidi (testemunha, em Swahili), destaque de cobertura colaborativa durante a onda de violência que sucedeu às eleições do Quênia em 2008.

Não é necessário se cadastrar para enviar um relato. Basta preencher o formulário com os dados da ocorrência, atentando para a clareza dos fatos. Também é possível enviar denúncias por e-mail ou pelo Twitter, usando a hashtag #eleitor2010. Todas as mensagens são avaliadas pelos idealizadores do projeto, a fim de evitar discussões, opiniões preconceituosas, palavrões e divulgação de fatos inverídicos. São eles também que definem o grau de credibilidade da fonte (indicando se foi testemunha ou vítima, por exemplo). Saiba mais sobre os critérios de publicação do site.

Quem estiver interessado nas informações do Eleitor 2010 pode inscrever-se para receber alertas, via e-mail ou SMS, conforme a região desejada. O perfil no Twitter @Eleitor_2010 também traz atualizações das denúncias enviadas ao site.

Confira aqui a entrevista com os criadores do Eleitor 2010, realizada pelo blog Jornalismo nas Américas.

Bookmark and Share