Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Conheça Justine Remond Mlanarczyki

30 de maio de 2016 0

IMG_0152

Dançar e ser feliz

  Justine Remond Mlanarczyki, 36 anos, formou-se em balé. Começou a dançar com três anos. Primeiramente, em escolas de dança da sua cidade, até que decidiu se profissionalizar.

IMG_0108

— Eu entrei então no Conservatoire de Tours-CRR Francis Poulenc (conservatório de dança na França), onde estudei, além do balé, a dança contemporânea, história da arte, da dança e música. Depois, fui para Toulouse (França) continuar a minha formação na escola Professional Académie Besso Ballet. Com 20 anos, me mudei para o Brasil, foi quando comecei a lecionar balé.

Onde nasceu?

— Nasci na França, em Saint-Brieuc, me criei em Saint-Malo e me mudei para o Brasil, para Porto Alegre, aos 20 anos. Depois, vim morar em Joinville, onde estou desde 2004.

Diferencial, talento e trabalho

— O prazer da dança vem em primeiro. Acredito na fidelidade à dança clássica. Não é necessário “inventar” nada. A dança por si só conquista o aluno e, independentemente da experiência dele, todos saem plenamente satisfeitos. Não digo que isto é um talento meu, mas tenho orgulho de poder ensinar em minha escola, mantendo a base da dança que aprendi desde criança.

Soube que faz aulas para mulheres adultas. É necessário saber ou ter experiência em dança? Pode-se iniciar o balé a qualquer idade?

— Sim, tenho um público grande de mulheres adultas que estão começando o balé. Muitas delas me disseram que sempre quiseram fazer ballet quando criança e por um motivo ou outro não puderam. Não precisa ter experiência em dança não, basta querer! Não há idade para começar a dançar balé. Vale lembrar que também tenho uma turma de adultas com mais experiência.

Conquistas

— Minha família e poder trabalhar com o que mais gosto: a dança!

Viagens

— Indispensáveis. Além de conhecer novos lugares, uma vez por ano viajar para minha cidade natal, voltar às minhas raízes, voltar à casa dos meus pais, ver meus irmãos, sobrinhos…

Receita de bem-estar

— Conhecer a si própria e sempre respeitar o seu limite e fazer atividade física.

Pensamento

“Il n’y a que les imbéciles qui ne changent pas d’avis.” (Somente os imbecis não mudam de opinião). Anônimo

CURTAS

Lojas que eu indico

— Zara no Brasil, Maje na França.

O que adoro

— Passar uma “tarde de meninas” com a minha filha Lisa, ficar em casa de bobeira com a minha família, um jantar com os amigos.

O que odeio

— Violência.

Profissionais que admiro

— Meu marido.

Compra indispensável em uma viagem

— Maquiagens, roupas e lembranças para casa.

Não vivo sem

— Minha filha e o meu marido.

Ainda quero

Envie seu Comentário