Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

A diferença que faz um acento diferencial

24 de fevereiro de 2009 1

Muita gente não gosta dos acentos usados na língua portuguesa. Essas pessoas acham que “deveria ser tudo igual ao inglês: sem acento nenhum”. Tudo bem, não cabe discutir a preferência de cada um, mas que existem casos em que um acento faz diferença, ninguém pode negar.

Eu estava analisando umas frases e títulos de jornais quando vi a palavra para. Antes, tínhamos “duas versões”: para (sem acento), indicando preposição, e pára (com acento diferencial), do verbo parar.

No jornal, saiu uma reportagem sobre um protesto de moradores contra o corte de árvores num local de Joinville. Fiquei imaginando outras formas de montar o título para a matéria. Uma delas ficaria assim: “Protesto para corte de árvores”.

Um título assim, sem se saber o contexto, poderia gerar duas situações bem diferentes uma da outra. Uma delas faria com que o leitor fosse levado a pensar que alguém ou algum grupo estaria querendo suspender o corte de árvores. Escrito do jeito “antigo”, o título com essa linha de raciocínio seria assim: “Protesto pára corte de árvores”. Dessa forma, a palavra “para” tem função de verbo.

Outra versão que poderia ser dada à mesma frase é que alguém estaria protestando justamente porque queria cortar árvores e não estava tendo autorização. Nesse caso, a palavra “para” teria função de preposição.

Viram só como a queda de um acento diferencial faz uma tremeda diferença? Então, olho vivo na hora de escrever uma frase para não gerar dupla interpretação.

Postado por Aldo Brasil, Joinville, SC

Comentários (1)

  • Renni A. Schoenberger diz: 24 de fevereiro de 2009

    Em muitos casos, se o leitor não para a leitura para reler o parágrafo, não entende o contexto. Vai demorar para ser assimilado de forma a não gerar dúvidas. É a força do hábito…

Envie seu Comentário