Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de julho 2009

Corretor Aurélio 2.0 vem com a nova ortografia

28 de julho de 2009 5


A Positivo Informática, maior fabricante de computadores do Brasil e líder no segmento de tecnologia educacional, está lançando o Novo Corretor Aurélio 2.0, nova edição do conhecido pacote de ferramentas linguísticas e o primeiro a oferecer suporte total às alterações propostas pelo Acordo Ortográfico, incluindo um conversor automático de textos para a nova grafia.

A nova versão também inclui diversas melhorias para a correção sintática e ortográfica, além de um novo dicionário temático de linguagem informal e milhares de novas palavras. Compatível com os principais aplicativos da Microsoft para o Windows, entre eles o pacote Office (Word, Excel, Power Point e Access), Outlook, Works, FrontPage e Publisher, o editor de texto incluído no novo Corretor Aurélio 2.0 oferece suporte ao formato docx do Microsoft Office. O software permite ao usuário optar a qualquer momento se pretende usar a grafia segundo o novo Acordo Ortográfico ou a grafia pré-acordo.

O Novo Corretor Aurélio 2.0 também conta com um conversor de textos para a grafia segundo o Acordo Ortográfico. Este programa é capaz de converter de forma totalmente automática o texto de um livro com duzentas páginas em menos de um minuto, usando um computador com configuração média de mercado.

Além das novidades relativas ao Acordo Ortográfico, foram feitas várias melhorias no corretor ortográfico e sintático, permitindo a detecção e correção de novos tipos de erro. O corretor ortográfico detecta erros de ortografia e de digitação, conferindo cada palavra isoladamente e sugerindo opções para correção. Nesta nova edição, o Novo Corretor Aurélio 2.0 traz milhares de novas palavras, tanto nos léxicos gerais como nos dicionários temáticos.

Outra novidade é um dicionário de linguagem informal que reúne palavras não recomendadas para uso formal ou corrente. São expressões de língua familiar ou popular, entre elas palavras consideradas grosseiras ou obscenas, e que normalmente não recebem sugestões de correção.

O dicionário de linguagem informal vem se somar aos outros oito dicionários presentes desde a edição anterior, com termos específicos de oito diferentes áreas de conhecimento – artes; ciências da saúde; ciências exatas, engenharias e técnicas; ciências históricas, geográficas e afins; ciências naturais; ciências sociais; filosofia, lingüística, letras e teologia e nomes próprios estrangeiros.

Já o corretor sintático analisa as frases completas que compõem o texto, detectando e sugerindo a correção de erros estruturais ou de concordância, assim como erros de ortografia que não são detectados pelo corretor ortográfico, pois dependem do contexto. Um exemplo de possível erro ortográfico detectado pelo corretor sintático envolve as palavras “a”, “à” e “há”. Só é possível saber qual a grafia completa quando o corretor analisa a função da palavra na frase – se é artigo, contração de preposição ou forma verbal do verbo haver. Com o corretor sintático é possível detectar erros em frases como “O mesa é bonita.”, “A critica foi excelente.” ou “Fui lá à um ano”, que estão corretas de um ponto de vista meramente ortográfico.

Além disso, o corretor também verifica erros de estilo, apontando casos de redundância (por exemplo, na frase “Decidiram todos unanimemente”, o corretor sugere eliminar a palavra “unanimemente”), uso de expressões informais (“Nos vemos no dia de São Nunca à tarde) ou abreviações (em vez de “A Eng.ª aprovou o projeto”, substituir a abreviatura pela forma por extenso), entre outros.

O Novo Corretor Aurélio 2.0 possui uma base de palavras 100% maior do que o corretor pré-instalado do Office. O produto dá continuidade à filosofia que deu novo perfil ao dicionário mais importante e popular do nosso idioma. Desde que os direitos autorais passaram para o Grupo Positivo, em 2003, a obra do professor Aurélio Buarque de Holanda Ferreira ganhou versatilidade, modernidade e, especialmente, acessibilidade, consolidando-se como o mais importante e popular da Língua Portuguesa no Brasil.

O famoso dicionário impresso para uso generalizado passou a ser uma obra disponibilizada para diferentes públicos e em diferentes versões, das tradicionais, impressas, a edições eletrônicas e digitais que o colocam ao alcance de um clique no dia-a-dia dos usuários de PCs.

Especificações técnicas

Para instalar o Novo Corretor Aurélio 2.0, o computador deve ter Microsoft Windows 2000 (SP4), XP (SP3), Vista (SP1), Server 2003 (SP2) ou Server 2008 (SP1); 50 MB de espaço disponível em disco; mínimo de 256 MB de memória; leitor de CD-ROM. Não é necessário leitor de CD-ROM caso o produto seja adquirido por download. Preço sugerido ao consumidor: R$ 99,90.

Postado por Aldo Brasil, Joinville, SC

Houaiss com nova ortografia já está à venda

27 de julho de 2009 0


Meio ano depois da assinatura do acordo ortográfico, sai o primeiro “grande” dicionário já com as novas regras. A Editora Objetiva, responsável pela publicação do “Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa” diz que ele está “integralmente adaptado ao novo Acordo Ortográfico”, além de ter o texto da nova ortografia.

Em suas mais de 2 mil páginas, com capa dura, traz 442 mil entradas, locuções e acepções. Também conta com um quadro para consulta do hífen, assunto que deixa muita gente em dúvida na hora de usá-lo.

Acompanhando a publicação impressa, vem um CD-ROM com o texto completo do Houaiss, mais o “Dicionário Houaiss de Elementos Mórficos”, além de conjugação eletrônica completa dos verbos, navegação por hipertexto e busca por semelhantes. Enfim, o dicionário promete não deixar quem o consulta na mão.

Pena que o preço (R$ 250,00) não seja lá muito convidativo. O valor representa cerca de 43% de um salário mínimo (R$ 465,00), o que pode deixar a publicação um pouco distante de algumas bibliotecas.

“Dicionário Houaiss da Língua Portuguesa”, Editora Objetiva. 2.048 páginas mais CD-ROM. Preço: R$ 250,00.

Postado por Aldo Brasil, Joinville, SC

Vô é pai duas vezes

25 de julho de 2009 0


Sabia que avô é pai duas vezes? É o que Júlio fala para Igor quando o amigo lhe diz que ele não tem pai. O avô é o grande companheiro de Júlio e está sempre junto dele: no jogo de futebol, na ajuda com a lição, fazendo mágicas ou contando histórias. Por isso, ele o chama de pai. A história mostra que o amor e o companheirismo definem as relações verdadeiras.

O livro de Telma Guimarães mostra como é importante às crianças ter uma figura que pelo menos represente o papel de pai. E nada melhor do que um vovozinho atencioso e que dá aquele colinho quando o neto, que é filho duas vezes, precisa. Uma história singela que vale a pena ser lida.

“Duas Vezes Pai”, de Telma Guimarães, com ilustrações de Roni. Editora Formato, 20 páginas, R$ 24,90.

Postado por Aldo Brasil, Joinville, SC

Ana Carolina e o galo Barnabé

23 de julho de 2009 0


Já que estamos na época do Festival de Dança de Joinville, nada melhor que falar de uma menina que gosta de dançar. O livro “Galo Barnabé Vai ao Balé”, de Jonas Ribeiro, conta a história de Ana Carolina, uma menina que não conseguia parar de dançar e, por isso, decidiu para o balé entrar.

Um dia, de tanto rodar, acabou caindo e ganhando um tremendo dum galo, mas não um galo qualquer. Era o galo Barnabé. De tão galanteador, Barnabé foi eleito o coreógrafo da turma.

Entre ensaios e cortejos à Madame Rococó, o galo insiste em “fazer festa na testa” de Ana Carolina, o que leva a professora a não querer mais que a menina dance. Então, surge um impasse: sem a Ana Carolina e o galo Barnabé, as outras bailarinas se recusam a dançar. Será mesmo que não haverá espetáculo?

“Galo Barnabé Vai ao Balé”, de Jonas Ribeiro, com ilustrações de Ana Terra. Editora Brinque-Book, 32 páginas, preço não-divulgado.

Postado por Aldo Brasil, Joinville, SC

Lya Luft e o silêncio dos amantes

22 de julho de 2009 0


Em “O Silêncio dos Amantes”, seu retorno à ficção, Lya Luft mais uma vez nos surpreende com histórias ligadas por alguns de seus temas prediletos desde os primeiros livros: a incomunicabilidade e o silêncio entre pessoas que se amam ou deviam se amar, os conflitos familiares, a busca de um sentido da vida, rancores, incompreensão, mas também magia e amor nos relacionamentos.

Um casal supera as dores do passado e encontra um novo caminho bastante singular; a rotina não permite enxergar o drama de quem está ao nosso lado; a mágoa e a revolta explodem numa libertação violenta; o preconceito em relação ao diferente pode ser mortal; a superficialidade impede de viver um verdadeiro amor; a morte revela o valor da vida: todos somos tocados pelo mistério.

Com coragem e delicadeza, Lya Luft nos provoca a vermos sob um novo prisma o nosso cotidiano, pressentindo a imprevisibilidade, que o torna mais rico. “Ser humano, com toda a miséria e grandeza que isso significa, não é apenas precisar de amparo e consolo, mas também enxergar, abaixo da superfície e atrás das paredes, novas possibilidades de viver e se relacionar”, completa a autora.

“O Silêncio dos Amantes”, de Lya Luft, Editora Record. 160 páginas, R$ 28,00.

 

Postado por Aldo Brasil, Joinville, SC

Será que homem não chora?

20 de julho de 2009 0


Em edição reformulada, “Homem não Chora”, de Flavio de Souza, chega em novo formato e com belas ilustrações de Riba Tavares, a partir da montagem de cenários com bonecos de massinha, fotografados por Edu Barcellos.

Diante das atitudes do pai ao perder o emprego (tristeza, preocupação, introversão) e ao encontrar outro (choro de alegria), um menino pequeno passa por um momento de insegurança, pontilhado por dúvidas, inquietações, descobertas.

Seus questionamentos a respeito do tema “homem não chora” são balizados pelas diversas possibilidades de pontuação que o narrador usa para a frase-título, criando fechos originais para cada episódio. Tudo isso faz do texto uma história rica e terna, com um desfecho que reafirma o homem como um ser que sente – e, portanto, ri, chora, sofre, ama.

►Assunto/tema: a capacidade de manifestar emoções por meio do choro é inerente ao ser humano de ambos os sexos. Temas secundários: os papéis sociais do homem x os papéis sociais da mulher; diferenças entre meninos e meninas; coisas que fazem rir x coisas que fazem chorar; as emoções do ser humano.

“Homem não Chora”, de Flavio de Souza, ilustrações de Riba Tavares e fotografia de Edu Barcellos. Editora Formato, 24 páginas, R$ 18,50.

Postado por Aldo Brasil, Joinville, SC

Leia a história de uma bruxinha curiosa

18 de julho de 2009 0


É noite clara e estrelada e o mundo inteiro está dormindo — menos uma bruxa pequenina, mas curiosa, que voa pelos ares com sua vassoura em busca de aventura.

O brilho forte que vem de uma janela aberta no sótão é exatamente o que ela vem procurando, mas ainda não está preparada para a caótica e fantástica família de quatro bruxas muito diferentes que moram lá.

Junte-se a Nita, a Bruxinha Curiosa, enquanto explora esta casa incrível.

“A Bruxinha Curiosa”, de Lieve Baeten, com tradução de Gilda de Aquino. Editora Brinque-Book, 32 páginas, R$ 14,00.

Postado por Aldo Brasil, Joinville, SC

Brincadeira no sítio com supermouse

15 de julho de 2009 0


Para a criançadinha que quer aprender e se divertir ao mesmo tempo, a Editora Caramelo lançou “Supermouse — Meu Sítio”, da Sandvik Innovations, é um livro interativo que ensina as crianças sobre os animais da fazenda.

Por meio do livro, os pequenos vão descobrir qual é o som das vacas, onde dormem os cavalos, o que comem os coelhos. Basta colocar o mouse que acompanha o livro sobre a figura e clicar. Se a resposta estiver certa, sairá um som diferente. As crianças ficam felizes quando ouvem o som da resposta certa.

Sobre a Sandvik Innovations: o objetivo da Sandvik Innovations é aliar diversão e desenvolvimento cognitivo e social em sua linha de produtos para crianças. Usando recursos que propiciam interatividade, estimulam os pequenos leitores em suas grandes descobertas.

“Supermouse — Meu Sítio”, Sandvik Innovations. Editora Caramelo. 12 páginas, R$ 39,90

Postado por Aldo Brasil, Joinville, SC

Uma história de quando vem a lua

14 de julho de 2009 0


Na história contada por Antonio Ventura e ilustrada por Elena Odriozola, os brinquedos ganham vida. Para eles, a farra começa quando o clarão da lua entra pela janela. No quarto de Pablo, o pinguim de borracha, o elefante de tecido e o rato de madeira saem da caixa às escondidas para… brincar!

Ventura cria um poema breve, despretensioso e cheio de encanto, e permite ao leitor espiar o quarto da criança, cúmplice do que acontece quando todos adormecem. Ou quase todos. Para a nossa surpresa, há alguém que observa tudo de longe e intervém quando a algazarra toma conta… Elena Odriozola utiliza aquarela e acrílico para retratar os brinquedos com cores vivas e muitas estampas, alternando perspectivas cinematográficas.

Nas palavras da escritora Fanny Abramovich, que assina o texto de quarta capa: “Um livro bom de ler junto com os pais, ouvindo a mãe a cantarolar cantigas de ninar, com colegas pra tirar a limpo as noites escurentas. Gostoso!”.

“Quando Vem a Lua”, texto de Antonio Ventura, ilustrações de Elena Odriozola e tradução de Josely Vianna Baptista. Editora Cosac Naify, 32 páginas, R$ 32,00.

Postado por Aldo Brasil, Joinville, SC

Sugestão de leitura: "Eu Acredito em Unicórnio"

11 de julho de 2009 0


Ambientado na Europa conturbada pela Segunda Guerra, “Eu Acredito em Unicórnio”, de Michael Morpurgo, fala sobre o poder transformador que as histórias têm sobre a nossa vida.

Tomas, um menino de oito anos, detesta a escola, detesta livros e detesta histórias. Prefere passar os dias brincando livre nos bosques de sua cidade. Obrigado em um dia de chuva a ir à biblioteca, ele ouve as histórias contadas pela bibliotecária, a Dama do Unicórnio. Essas histórias começam a seduzi-lo, tornam-se parte dele e mudam o curso de sua vida para sempre – levando-o a acreditar em unicórnio.

Certa vez, a biblioteca fica em chamas por causa de um ataque aéreo à cidade de Tomas. Ele, seu pai e a Dama do Unicórnio salvam os livros e mobilizam a população para que os abrigue e os conserve até que uma nova biblioteca seja construída.

“Eu Acredito em Unicórnio”, de Michael Morpurgo, com ilustrações de Gary Blythe. Editora WMF Martins Fontes, 72 páginas, R$ 29,80.

Postado por Aldo Brasil, Joinville, SC