Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de agosto 2009

Leona Cavalli lança obra para atores

31 de agosto de 2009 0


A Editora Livro Falante lançará, dia 3 de setembro, o livro com audiolivro “Caminho das Pedras — Reflexões de uma Atriz”. Concebida a partir do trabalho da atriz Leona Cavalli, a obra apresenta uma “jornada” de reflexão e atuação sobre o trabalho do ator e ainda traz o monólogo “Máscaras de Penas Penadas”, escrito pela dramaturga Ana Vitória Vieira Monteiro. Este lançamento objetiva ajudar os atores a compreender e planejar melhor sua carreira profissional, integrando vida artística, consciência pessoal e cidadania.

Leona e Ana Vitória vêm desenvolvendo este trabalho desde 1999 em entidades culturais de várias cidades do País. Os eventos são sempre concorridos e frequentemente algum participante sugere o registro das palestras em áudio ou em vídeo. As sugestões foram aceitas e Leona elaborou o texto e gravou-o em áudio. São 22 capítulos, ou “pedras”, com temas como ilusão, família, ego e medo, entre outros, que levam os atores a compreender o seu papel e sua interferência na sociedade e no tempo, sendo estimulados a transformar os obstáculos.

Além dos textos de cada uma das 22 “pedras”, a obra inclui o monólogo “Máscaras de Penas Penadas”, de Ana Vitória Vieira Monteiro, que é utilizado na vivência do Caminho das Pedras como um meio de apresentar os “cantos iniciáticos do ator”, como a própria autora informa no subtítulo da obra. O audiolivro contém as 22 “pedras” lidas por Leona Cavalli e o monólogo gravado pela atriz com trilha sonora de Chico César.

“Caminho das Pedras — Reflexões de uma Atriz”, de Leona Cavalli e Ana Vitória Vieira Monteiro. Livro com audiolivro no formato CD de MP3 com cerca de três horas de duração. Editora Livro Falante. Leitura de Leona Cavalli com trilha sonora de Chico Cesar. Preço: R$ 50,00.

Postado por Aldo Brasil, Joinville, SC

Alguém sabe para onde foi a Lua?

30 de agosto de 2009 0


A Lua sumiu, e os bichos reuniram-se para desvendar o mistério. Enquanto os vagalumes forneciam luzes de emergência, palpites pipocavam para todos os lados. A preocupação era única: será que um dia eles teriam a Lua de volta para iluminar a noite escura?

Palpites vão, palpites vêm, mas ninguém chega a uma conclusão, até que aparece um animal de muito experiência: a tartaruga. Apesar de a memória andar meio fraquinha, ela consegue decifrar o que está acontecendo.

O livro “… E a Lua Sumiu”, de Milton Célio de Oliveira Filho, pode ser trabalhado pelos professores em dois aspectos: o diferente, ou melhor, aquilo que para nós é novidade e que muitas vezes nos deixa com um pé atrás; e o respeito aos mais velhos, personificados na tartaruga e em sua sabedoria, adquirida com a experiência de vida (lembrando que esse animal pode viver mais de cem anos).

“… E a Lua Sumiu”, de Milton Célio de Oliveira Filho, com ilustrações de Maté. Editora Brinque-Book. 32 páginas, preço não-divulgado.

Postado por Aldo Brasil, Joinville, SC

Aprendendo a lidar com o que é "diferente"

26 de agosto de 2009 0


Para as profes (e os profes também) que querem falar com os pequenos sobre “diferenças” entre as pessoas, a dica de hoje é o livro “Do Jeito que Você É”, de Telma Guimarães.

A obra conta a história de uma nova menina que chega para morar no prédio. Mas ela parece ser tão “esquisita”! Seus cabelos são estranhos, sua roupa, então, nem se fala. As crianças começam a cochichar e a dar risada. Porém, algumas coisas vão acontecer e fazer com que percebam que é muito legal cada um ser do jeito que é. Já imaginou se no mundo só existisse a cor verde, por exemplo? Não ia ser uma chatice?

Com certeza, muita gente vai se identificar com a história. Então, boa leitura para todo mundo!

“Do Jeito que Você É”, de Telma Guimarães, com ilustrações de Elma. Editora Formato, 24 páginas, R$ 20,90.

Postado por Aldo Brasil, Joinville, SC

Quem quer dinheiro???

24 de agosto de 2009 0

Tem gente que gosta de escrever. Tem gente que gosta de ganhar dinheiro. E tem (muita) gente que gosta das duas coisas: ganhar dinheiro com suas obras. Bisbilhotando na internet, o Blog do Aldo descobriu um site que tem uma porção de dicas de concursos literários.

Esses concursos costumam abrir, se não portas, pelo menos algumas janelas, principalmente para os vencedores, que podem ganhar algum dinheiro ou ver seus trabalhos publicados. Logicamente que não é fácil levantar o troféu, porque esses concursos costumam atrair bastante gente, mas pelo menos vale a pena tentar.

Pensou que eu tinha esquecido de colocar o link? Esqueci nada. Para os interessados, aí vai: http://www.concursosliterarios.com.br/home.php

Postado por Aldo Brasil, Joinville, SC

Clássicos de Shakespeare e Kafka em livro da Atual

23 de agosto de 2009 0


Em mais um volume da coleção “Três por Três”, a Editora Atual apresenta as adaptações de “Hamlet”, de William Shakespeare, e “Carta ao Pai”, de Franz Kafka, além do inédito “Pai Embrulhado para Presente”, de Paulo Bentancur, que também é o adaptador dos dois clássicos.

Em “Hamlet”, o fantasma do rei aparece ao filho Hamlet para lhe fazer uma terrível revelação: fora assassinado por seu irmão Cláudio, que agora ocupa o trono. A verdade transforma a vida do jovem príncipe, que protagonizará uma tragédia, na qual se misturam amor, lealdade, poder, traição e vingança.

Em “Carta ao Pai”, Kafka expõe seus sentimentos em relação ao pai, de personalidade forte e intransigente, em um texto amargurado, que mostra aspectos da complexidade das relações familiares.

Em “Pai Embrulhado para Presente”, o jornalista André, pai amoroso de Júlia e de Sofia, vive um dilema: mudar-se para Brasília e realizar uma importante conquista profissional ou permanecer em Porto Alegre, perto das filhas, mas distante do centro das decisões políticas do País.

As três histórias apresentam as relações entre pais e filhos tratadas sob diferentes e instigantes perspectivas.

“Três Pais” (coleção “Três por Três”) — com obras de William Shakespeare, Franz Kafka e Paulo Bentancur. Ilustrações de Ana Maria Moura. Atual Editora, 80 páginas, R$ 28,90.

Postado por Aldo Brasil. Joinville, SC

Saraiva apresenta mais um clássico

19 de agosto de 2009 0


A Editora Saraiva apresenta mais um título da coleção “Clássicos Saraiva”, que traz versões integrais e oferecem ao jovem leitor e o público em geral um amplo panorama de livros de leitura fundamental. Cada livro traz como leitura de apoio várias seções no seu final:

Diários de um clássico — uma versão sobre o autor, seu obra, linguagem e estilo, do mundo em que viveu e muito mais;

Contextualização histórica — um painel de textos de outras obras e de outros autores da mesma época;

Entrevista imaginária — uma conversa fictícia com o autor.

O livro da vez é “Brás, Bexiga e Barra Funda”, de Antônio de Alcântara Machado, que trata da vida e dos primeiros imigrantes italianos estabelecidos nos famosos bairros de São Paulo. Desde o impacto da nova língua, que gera o chamado português “macarrônico”, à paixão pelo futebol, temos aqui retratado o dia a dia desse povo que contribuiu para a formação do Brasil.

“Brás, Bexiga e Barra Funda”, de Antônio de Alcântara Machado. Editora Saraiva, 88 páginas, R$ 15,90.

Postado por Aldo Brasil, Joinville, SC

Devir lança "Psicomagia"

18 de agosto de 2009 0


Psicomagia é o nome que o escritor chileno Alejandro Jodorowski dá a uma técnica por ele criada e exercida de suposta cura espiritual. A técnica se baseia na premissa de que o inconsciente aceita os atos simbólicos como se fossem acontecimentos reais de modo que um ato mágico-simbólico-sagrado poderia modificar o comportamento do inconsciente e, portanto, se bem aplicado, curar certos traumas psicológicos. Estes atos são criados sob medida e são prescritos depois que o psicomago analisa as peculiaridades pessoais do consulente e estuda sua árvore genealógica.

A técnica é uma mistura de arte, psicoterapia moderna, filosofia oriental (em particular o zen-budismo), misticismo, culturas antigas em geral, reencarnação, gnosticismo e nova era com uma influência especial de autores como Gurdjieff e Carlos Castaneda.

Na terapia psicoanalítica se tentaria traduzir a linguagem dos sonhos que pertencem ao inconsciente, mas, segundo Jodorowski o inconsciente não é traduzível, ele é totalmente caótico, por esse motivo, o inconsciente não seria capaz de adotar uma expressão racional. Na psicomagia, se propõe que se utilize o caminho inverso na comunicação consciente-inconsciente, que seja a parte racional das pessoas a aprender a linguagem do inconsciente.

A psicomagia parte do pressuposto de que em toda enfermidade há uma proibição (o sujeito é proibido de ser o que é), uma falta de consciência (o sujeito não se dá conta do que é) ou uma falta de beleza (quando perde a beleza espiritual, a pessoa adoece).

Segundo Jodorowski, a psicomagia não pretende ser uma ciência e sim uma forma de arte que possui virtudes terapêuticas. Vale lembrar que o conceito de arte de Jodorowski é bastante particular. Para ele, a finalidade da arte é curar.

“Psicomagia”, de Alejandro Jodorowski. Devir Livraria, 295 páginas, R$ 34,00.

Postado por Aldo Brasil, Joinville, SC

Lançamento de livro é suspenso

14 de agosto de 2009 0

Acatando portaria da Fundação Cultural de Joinville, a Livrarias Curitiba suspendeu o lançamento o livro “Os Palhaços”, que seria realizado dia 17. O evento será remarcado em data a ser divulgada.

Por causa da gripe A, a portaria nº 047/2009 determina que a realização de eventos culturais promovidos por terceiros, patrocinados pela Fundação Cultural de Joinville por meio do Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura (Simdec), bem como eventos promovidos por terceiros, nos espaços públicos mantidos pela Fundação Cultural de Joinville, deverá ser avaliada e decidida por seus responsáveis legais. Para estes casos, a Fundação Cultural de Joinville recomenda o adiamento por tempo indeterminado.

Postado por Aldo Brasil, Joinville, SC

Ana Maria Machado conta a história de um reino

14 de agosto de 2009 0


Passarinho me contou que certa vez havia um reino. E, nesse reino, um rei havia. Havia também muita coisa bonita, coisa que nem se imagina. Havia sol e havia mar. Muito sol. Muito mar.

Assim começa mais uma história criada por Ana Maria Machado, em que um rei acreditava que seu país era deslumbrante, perfeito, um verdadeiro paraíso para se viver.

Por essa razão, ele é surpreendido quando um viajante bem velhinho o procura para lhe dizer que no reino havia um problema. Mas um fato inesperado acontece: o visitante morre antes de revelar o que estava errado. Para o rei, que não via problema algum, descobri-lo se transformou numa tarefa difícil.

Por meio da história, a autora busca discutir o contexto social numa linguagem acessível às crianças.

“Passarinho me Contou”, de Ana Maria Machado, com ilustrações de Lúcia Brandão. Editora Global, 32 páginas, R$ 25,00.

Postado por Aldo Brasil, Joinville, SC

Texto censurado em 1968 será lançado em Joinville

13 de agosto de 2009 0


Em 17 de agosto de 1968, o Grupo Teatro Renascença desejava estrear o espetáculo “Os Palhaços”, escrito por Miraci Dereti e organizado por Cristovão Petry, mas foi impedido pela censura local. Quarenta e um anos depois, o texto, que ainda não foi encenado, será lançado em forma de livro, no próximo dia 17 de agosto, na Megastore da Livrarias Curitiba em Joinville.

“A peça não fazia propaganda contra a ditadura, mas levava à reflexão. Num país onde não se podia mostrar a realidade, falar em mentira, fome, exploração era uma antipropaganda e um `desrespeito` ao poder constituído. Mostrar de forma humorada o poder da Igreja, dos políticos e a família desestruturada não poderia ser bem-visto pelos conservadores de plantão. Não é à toa que a peça foi proibida pelos dirigentes locais. É possível perceber que se `Os Palhaços` fosse apresentada aos técnicos censores em Brasília, com certeza seria proibida e enquadrada dentro das leis previstas no regime vigente do Brasil”, afirma Cristovão Petry.

Para o escritor e diretor de teatro Borges de Garuva, “a publicação de `Os Palhaços` traz um outro Dereti, cuja fala mais nervosa e juvenil retrata o militante de espírito democrático rebelando-se contra o estado de coisas totalitário que se instalara já nos primeiros anos do governo militar. Uma voz que também se impacientava com a acomodação e a insensibilidade das pessoas. Em `Os Palhaços`, parece que a palavra é insuficiente para sacudir o marasmo da ideologia que se tornava dominante e que se fechava sobre os brasileiros como as portas da Lyra, sob a mão da censura, se fecharam sobre o grupo de moços que tentava manter acesa na comunidade a chama da consciência política.”

OS AUTORES 

Miraci Dereti é natural de Jaraguá do Sul, nascido em 1942. Foi professor, ator, diretor, escritor e dramaturgo. Ingressou na política como vereador em Joinville em 1973, chegando à Assembleia Legislativa para um mandato entre 1975 e 1979. Foi o primeiro presidente da Fundação Cultural de Joinville. Foi coordenador do Patrimônio Histórico e do Arquivo Histórico da Fundação Cultural de Joinville. Atuou também no Ministério da Cultura e faleceu em 2006.

Cristovão Petry é graduado em história pela Universidade da Região de Joinville e especialista em metodologia do ensino de história pelo IBPEX/Facinter. Realizou vários cursos de atuação no Brasil e na Argentina, tendo trabalhado como ator nos espetáculos “Seis Personagens à Procura de um Autor”, de Luigi Pirandello; “Computa, Computador, Computa”, de Millôr Fernandes; “Édipo Rei (para os Íntimos)”, de Tatiane Belinky; “Ausência”, de Antônio Guedes e Fátima Saadi; e “Aonde Você Vai? Uma Comédia sobre o Amor”, de Benjamin Bradford, entre outros.

Foi assessor cultural do Projeto Comunidade na Udesc em Joinville e coordenador do Projeto Cultural Sextas Alternativas no Bairro Itinga. Atualmente, além de trabalhar como ator, pesquisador e produtor da La Trama Companhia Teatral e pesquisador na área de história sobre Teatro e Censura, é membro do Conselho de Cultura e gerente de difusão cultural e eventos da Fundação Cultural de Joinville.

O EVENTO

“Os Palhaços” (Ed. Naemblu Ciência & Arte, 80 páginas, R$ 15,00) terá sessão de autógrafos no próximo dia 17 de agosto, a partir das 19h30, na Megastore da Livrarias Curitiba em Joinville. Mais informações: (47) 3433-6400.

Postado por Aldo Brasil, Joinville, SC