Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.

Bartolomeu conta a história de um menino inteiro

25 de maio de 2010 1

Uma história criada por Bartolomeu Campos de Queirós é sempre para ser lida, relida, contada e recontada. E o  livro “Menino Inteiro” não é diferente. A obra conta a história de uma criança que estava para nascer. Um nascimento muito esperado! Amor, zelo e carinho habitavam o coração dos pais. Alegria, euforia e felicidade emergiam da natureza, que também se preparava para a chegada daquela nova vida.

Chegado o dia, nasceu um menino. “Depois da chegada do menino, os moradores da cidade descobriram que as árvores estavam mais verdes, as flores mais encarnadas, as águas mais cristalinas, os trovões mais delicados, o infinito mais compreendido. Tudo, naquela pequena vila, mudou sem violência e guerra. E os habitantes encontravam-se nas ruas e trocavam muitos bons-dias, boas-tardes, boas-noites. (…)”.

O menino crescia fraterno, solidário, coração aberto. Ele mostrava amor por pessoas, bichos e coisas. Tinha os sentido humanos: via, ouvia, falava e escutava com paciência. Porém, um dia… “O certo é que o menino nasceu e partiu. Deixou um recado para ser lido no cosmo infinito, no espelho da água, no silêncio da pedra…”.

“Menino Inteiro”, de Bartolomeu Campos de Queirós, com ilustrações de Walter Ono. Global Editora, 32 páginas, R$ 27,00.

Comentários (1)

  • Natal Marchi diz: 26 de maio de 2010

    Prezado Aldo: Em seu perfil de atuação é citado “dicas de português”. Trata-se de um particular importante, incluindo-se, aí, o Acordo Ortográfico, que, alguns, já estão chamando de “desacordo ortográfico”.

    Os países envolvidos no assunto, ainda não estão bem sintonizados, como é o caso de Portugal, onde se registram algumas resistências por parte de intelectuais.

    Muito agradecerei se você puder tecer orientações que enriqueçam os conhecimentos das pessoas que se interessam em aprender sempre mais.

    Sucesso e, um abraço.

    Nota do blog:
    Olá, Natal. Obrigado por acessar o blog. Realmente, o acordo ortográfico ainda não alcançou consenso entre os países de língua portuguesa. Principalmente entre os “donos” da língua. Como forma de ajudá-lo um pouco, repasso o link de um guia do professor Douglas Tufano que a Editora Melhoramentos colocou à disposição para quem quiser baixá-lo de graça. Logicamente que nem todas as dúvidas serão esclarecidas, mas não deixa de ser uma boa ferramenta para o dia a dia.

    http://www.livrariamelhoramentos.com.br/Guia_Reforma_Ortografica_Melhoramentos.pdf

Envie seu Comentário