Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de agosto 2010

A mãe da Isabela é um lobo!

31 de agosto de 2010 0

A dica de hoje é o livro “Mamãe é um Lobo”, de Ilan Brenman, tem uma narrativa bem-humorada que mostra muitas curiosidades e inquietações das crianças, que o autor retrata bem em seus textos criativos. Também se destacam as ilustrações coloridas e alegres que atraem e envolvem a atenção dos leitores e ressaltam a riqueza do texto. O livro é indicado para leitores de três a nove anos.

O teatro foi criado pelos antigos gregos. Eles apresentavam suas peças ao ar livre. Muitos séculos depois, a personagem Isabela, protagonista da história, descobriu que podia fazer teatro em qualquer lugar. Num sábado à tarde, depois do almoço, algo extraordinário aconteceu na sala da casa dessa menina sonhadora. De repente, ela leva um baita susto. Você pode imaginar o que ocorreu?

“Mamãe é um Lobo!”, de Ilan Brenman, com ilustrações de Gilles Eduar. Editora Brinque-Book, 28 páginas, R$ 31,70.

Uma coleção feita para os bebês

30 de agosto de 2010 0

Quem tem criança – principalmente bem pequenas – em casa sempre se preocupa em ter boas leituras, seja para passar o tempo se divertindo ou para ensinar algo. A dica de hoje reúne esses dois aspectos: a coleção “Bebê Mais”, publicada por meio do selo Caramelo, reúne seis volumes de livros infantis com uma temática cada: Bichos, Casa, Cores, Formas, Números e Vogais.

Os livros foram cuidadosamente elaborados para que adultos e crianças possam interagir e fazer descobertas juntos.  Os primeiros anos de vida são decisivos para o desenvolvimento intelectual e emocional dos pequenos, e pais e cuidadores têm papel essencial nesse processo de aprendizagem.

Cada livro é repleto de orientações a serem seguidas, que apresentam os conceitos à criança de maneira interativa: apontando as figuras, repetindo os nomes e cantigas e mostrando objetos semelhantes no ambiente em que se encontrarem.

As abas estimulam a curiosidade e a habilidade motora, além de surpreenderem os bebês com as belas imagens coloridas e visualmente estimulantes escondidas debaixo delas. Os personagens são curiosos, aventureiros e muito amigáveis, a maioria deles da fauna brasileira. A coleção é perfeita para crianças de zero a quatro anos.

Coleção “Bebê Mais” (seis livros de 12 páginas cada em papel rígido). Editora Caramelo, R$ 29,90 cada livro.

A história de Pituxa

27 de agosto de 2010 0

O Blog do Aldo apresenta hoje outro livro escrito pelo novelista Walcyr Carrasco. Em “Pituxa, a Vira-lata”, a menina Alice vive em uma mansão cercada de riquezas e mimos. Ela tem muito orgulho dos seus cães pastores, Sissi e Ludovico, filhos de campeões da raça. A garota não gosta que sua mãe, Clara, dê atenção para o morador de rua Jeremias, que tem uma cachorrinha vira-lata chamada Pituxa.

Quando Jeremias morre, Clara acaba adotando Pituxa, deixando Alice muito contrariada – ainda mais ao descobrir que a cadelinha vira-lata estava grávida. Sissi também engravida, mas não resiste ao parto. Pituxa adota os filhotes de Sissi e conquista o coração de Alice, que aprende que ser ou não de raça não é importante.

O livro estimula reflexões e conversas sobre os desafios da convivência – como já sugere o nome da série da qual o título faz parte – “Todos Juntos” –, principalmente sobre os desafios da convivência com o diferente. A obra busca mostrar que é preciso compreender a desigualdade social como um problema de todos e como uma realidade passível de mudanças.

“Pituxa, a Vira-lata”, de Walcy Carrasco, com ilustrações de Simone Mathias. Editora Ática, 40 páginas, R$ 24,90.

Um tapete mentiroso

26 de agosto de 2010 0

Num cômodo de uma casa enorme, uma garotinha desperta na sala de uma mansão achando que é uma estátua, tendo como única companhia um tapete em forma de tigre. É nesse ambiente, aparentemente normal, que se desenrola a história de “O Tapete Mentiroso”, de David Lucas.

Será que é um tigre de verdade, uma imitação ou um tapete mágico? Será que a menina é mesmo uma estátua ou foi encantada e transformada em pedra? Será que algum dia ela poderá voltar à vida?

Por reviravoltas engraçadas e lúgubres, o tigre dá à garotinha várias versões da verdade. Como ela saberá qual é a verdade e como isso poderá libertá-la?

O livro quer mostrar que o mais importante é a imaginação, e que até as coisas nas quais não acreditamos podem, no fundo, ser verdade.

“O Tapete Mentiroso”, de Davi Lucas, com tradução de Andréa Stahel Monteiro da Silva. Editora WMF Martins Fontes, 80 páginas, R$ 32,90.

Lançamento do livro “Gestão da Atenção - a Arte de Gerenciar a Atenção na Vida e nas Organizações”

26 de agosto de 2010 1

Saber gerenciar a atenção em diferentes níveis é um convite que o livro “Gestão da Atenção” traz para os leitores, como uma forma de reflexão e aprendizagem. Os autores Henrique José Castelo Branco, Cláudio Aurélio Hernandes, Fernando Eduardo Mesadri e Neusa Salete Vítola Pasetto, Mestres em Administração e Educação, fizeram um vasto estudo sobre o tema nas esferas profissional e pessoal. O coquetel de lançamento está marcado para o dia 26 de agosto (quinta-feira), na Livrarias Curitiba no Shopping Estação, em Curitiba, às 19h30.

Gerenciar a atenção no dia a dia não é uma tarefa fácil, porém nos dá maiores chances de uma boa organização e aproveitamento, pois é um tema de grande relevância e essencial para a vida de qualquer pessoa. O livro apresenta a arte de gerenciar a atenção seja em nosso cotidiano da vida pessoal, como também no profissional. Segundo os autores, quando a atenção não é bem gerenciada, facilmente um forte stress será desencadeado e problemas de convivência com as pessoas ao seu redor e com as tarefas que irá executar virão à tona.

De acordo com pesquisas presentes no livro, com um grupo de empregados de uma empresa, o fator que recebe maior atenção é o profissional com 19,16%, seguido das finanças com 17,17% e família com 16,32%. Em segundo plano o lazer com 12,22% e a saúde com 10,57%. Assim, ao trabalhar melhor com a arte de gerenciar a atenção em diferentes níveis, nos colocamos em uma realidade mais objetiva com uma capacidade de ver o mundo e o que está ao nosso redor com prioridades, as quais não podem ser esquecidas ou dispersas de atenção.

No entanto, o livro tem como objetivo ajudar as pessoas a ficarem mais atentas em todas as dimensões requeridas pelo homem moderno. “Certamente, você terá ganhos de atenção e de efetividade depois de saber mais sobre o assunto” , diz Henrique José Castelo Branco.

O coquetel de lançamento será um convite aos leitores a despertarem o interesse pela atenção, afinal, um estudo com esse tema, que parece ser tão simples pode trazer benefícios nos diferentes níveis da atenção.

Mais informações com a assessora de imprensa Eliane Muiniki pelo (41) 3018-0600 / 8849-4909 ou no e-mail eliane.muiniki@gmail.com.

Histórias da Bíblia em 3D para os pequeninos

25 de agosto de 2010 1

Para quem gosta de falar sobre a Palavra de Deus, mas acha complicado o vocabulário geralmente empregado nas Bíblias tradicionais, uma saída é ler para os pequeninos os livros com linguagem adequada à idade.

A tarefa de prender a atenção da criançada fica mais fácil quando o livro reúne alguns ingredientes: textos curtos, ilustrações supercoloridas e a oportunidade de interagir com as histórias. A Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) tem uma publicação com todas essas características: “Histórias da Bíblia 3D”, que traz as mais conhecidas histórias da Bíblia em encantadores cenários tridimensionais.

Puxando as abas, a criança dá movimento à cena, tornando-se uma ótima maneira de apresentar as histórias bíblicas aos pequenos leitores.

O livro contém as seguintes histórias: “A Barca de Noé”; “Davi e o Gigante Golias”; “Daniel e os Leões”; “Jonas e o Grande Peixe”; e “Um Bebê Nasceu” (foto abaixo).

“Histórias da Bíblia 3D”, da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), dez páginas, R$ 13,20.

Editora Cosac Naify lança livro com as melhores histórias do Snoopy

24 de agosto de 2010 1

Fãs do Snoopy, alegrem-se: um dos cachorros mais queridos ganha edição com as melhores histórias. Protagonista da série de quadrinhos mais famosa do mundo, Snoopy está de casa nova. O cachorro beagle, Charlie Brown e toda a turma estreiam na Cosac Naify com “Snoopy Extraordinário”, uma seleção inédita das melhores páginas dominicais de Schulz das décadas de 1960 e 70. A edição, em capa dura e formato generoso, traz ilustrações em cores e comentários do historiador e escritor Umberto Eco e do quadrinista Chris Ware na quarta capa.

Neste lançamento, o cão-filósofo e seu dono tímido e desajeitado protagonizam situações de amizade, desentendimento e reflexão sobre questões existenciais, sempre de forma bem-humorada. Há tiras dos alter egos do Snoopy – o ás voador da Primeira Guerra Mundial, que usa a casinha como avião de combate ao Barão Vermelho; o ás literário, em que, concentrado sobre o telhado, Snoopy datilografa o início de sua novela –, além de divertidas partidas de beisebol, patinação no gelo e noites de insônia.

Com um traço minimalista – suas crianças caracterizam-se por cabeças grandes e arredondadas sobre corpos diminutos –, o criador do personagem, Charles M. Schulz, conseguiu retratar emoções universais, como a ansiedade, a depressão, a desilusão e o sentido da vida, revelando-se um pioneiro na arte de introduzir temas da psicologia nos quadrinhos. Não à toa, o ex-presidente norte-americano Ronald Reagan enviou uma mensagem a Schulz contando que se identificava com Charlie Brown, e os astronautas da Apollo 10 deram o nome de Charlie e Snoopy a seus veículos de órbita e pouso.

De caráter autobiográfico, a série Peanuts foi inspirada na vida e nas pessoas próximas a Schulz. Assim como seu criador, Charlie Brown é um garoto tímido, filho de um barbeiro, sem muita habilidade para os esportes e o menor da sua turma no colégio. A mandona Lucy se assemelha à primeira mulher de Schulz. Patty Pimentinha nasceu da observação de uma prima do autor, que preferia as brincadeiras de menino e não gostava de receber ordens. E houve até uma garota ruiva por quem ele nutriu uma paixão não-correspondida. O passarinho Woodstock, Linus e seu inseparável cobertor azul, Sally, a irmã mais nova de Charlie Brown, Rerun, o músico Schroeder, Marcie, Franklin e Pigpen completam a turma.

Publicada pela primeira vez nos Estados Unidos em 1950, a série, que permanece atual e encanta leitores de todas as idades, faz em outubro 60 anos. A edição da Cosac Naify chega ao Brasil para celebrar o aniversário e abre uma série de livros do personagem na editora.

“Snoopy Extraordinário”, de Charles M. Schuz. Editora CosacNaify. 56 páginas, R$ 45,00.

Descubra do que você é feito

23 de agosto de 2010 1

As pessoas têm tentado descobrir como o corpo funciona há pelo menos 4 mil anos, e ainda existem muitos mistérios — como o modo de funcionamento do cérebro e por que soluçamos.

Enquanto outras obras simplesmente descrevem com neutralidade os fatos sobre células e anatomia, o livro “Do que eu Sou Feito?”, de Robert Winston, leva você a uma jornada emocionante pelo corpo e pela mente, com o objetivo de desvendar o quanto nossos genes são responsáveis por nossas características mais particulares.

Você encontrará também respostas para perguntas como: por que algumas pessoas têm alergia? Por que somos destros ou canhotos? O que torna algumas pessoas grandes mestres do xadrez e outras loucas por fortes emoções? Para que exatamente servem nossas impressões digitais? A descoberta da verdade sobre o ser humano nunca foi tão surpreendente — ou divertida!

“Do que eu Sou Feito?”, de Robert Winston, com tradução de Luciana Garcia. Editora Caramelo, 96 páginas, R$ 34,90.

Túlio abre o baú da memória

20 de agosto de 2010 0

Aos 20 anos, Túlio Schüster resolve escrever sobre sua vida e, em meio à recuperação de fatos ocorridos desde a infância até a adolescência, tece considerações sobre o fazer literário e apresenta sua visão de mundo. Nas páginas do livro “Caminhando na Chuva”, de Charles Kiefer, o rapaz interiorano, sensível, pobre, mas cheio de planos, conta as coisas de seu passado como quem tem uma longa e animada conversa com o leitor.

O pano de fundo dessa história é um momento muito especial do Brasil: o início da década de 1980, quando o País começava a respirar mais tranquilo depois de quase 20 anos de ditadura. Nessa época em que os jovens voltavam a acreditar no futuro e aproveitar um pouco da liberdade reconquistada, Túlio revela seus sonhos e expectativas de um modo muito envolvente e emocionante.

A obra, integrante da série “Sinal Aberto”, da Editora Ática, com certeza vai fazer muita gente revirar o baú da memória e lembrar de fatos dessa época que marcaram a sua vida.

“Caminhando na Chuva”, de Charles Kiefer, com ilustrações de Rogério Coelho. Série Sinal Aberto, Editora Ática, 96 páginas, R$ 25,90.

Um fio de esperança para Lili

19 de agosto de 2010 0

O pai de Lili, um médico, partiu em missão humanitária para um país em guerra. Isso deixou a menina com muito medo pensando no que poderia acontecer com o pai em terras distantes. E se ele for vítima de uma bala perdida ou de febre amarela? Para piorar a situação, a angústia da garotinha aumenta quando o médico foi dado como desaparecido.

Para aumentar as chances de rever o pai vivo, Lili elabora estratagemas de que participam seu ratinho Lulu e sua cachorra Mona. Mas será que isso basta? O dilema só aumenta. Os dias passam, e o pai de Lili não dá notícias.

Abordando de um ponto de vista original os dramas humanitários e o amor familiar, a autora Marjolijn Hof constrói um retrato notável de uma menina confrontada com a agonia da espera e mostra que a vida sempre envolve uma dose de risco. “Um Fio de Esperança” mostra que a vida é uma aventura e que é necessário ter coragem para enfrentar os desafios.

“Um Fio de Esperança”, de Marjolijn Hof. Tradução de Andréa Stahel Monteiro da Silva. Editora WMF Martins Fontes. 112 páginas, R$ 24,00.