Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de setembro 2010

Uma emocionante corrida de caracóis

30 de setembro de 2010 0

A Global Editora lança uma nova coleção de livros infantis, a “Lia e Nico”, com livros escritos e ilustrados por Lúcia Hiratsuka. As histórias são inspiradas nas brincadeiras e descobertas de infância da autora. A primeira obra da coleção é “Corrida dos Caracóis”.

No livro, a autora cria uma história em que a brincadeira e a imaginação da criança são o fio condutor da narrativa. Tudo começa quando Lia e Nico acham dois caracóis e decidem apostar numa corrida entre os bichinhos. As duas crianças seguem os rastros deles, percorrem morros, montanhas e florestas.

Para ilustrar o livro, a autora usa as técnicas de grafite e aquarela e abusa do espaço amplo em branco, que dá a luminosidade e a quietude desses momentos mágicos que, com certeza, farão adultos que lerem a história se recordarem dos tempos de criança.

“Corrida dos Caracóis”, escrito e ilustrado por Lúcia Hiratsuka. Global Editora, 24 páginas, R$ 25,00.

Versão 7.0 do Aurélio Eletrônico já vem com a nova ortografia

29 de setembro de 2010 1

Muita gente, na digitação de um texto, já teve uma dúvida a respeito da grafia de uma palavra. O jeito, nesse caso, é pegar o velho dicionário da estante e procurar o termo que causa a dúvida. Mas isso faz perder muito tempo. Logicamente, para quem tem acesso à internet, fica mais fácil. Mas como confiar se na internet tem de tudo? Agora existe uma ferramenta e tanto para quem trabalha com texto ou precisa fazer aquele trabalho de escola: a edição especial do “Dicionário Aurélio Eletrônico 7.0″ em CD disponibiliza uma série de recursos que o ajudarão a entender e a aplicar as regras da nova ortografia da língua portuguesa:

Consulta rápida: pesquise qualquer verbete (de A a Z) em frações de segundo, inclusive a flexão numérica (plural) e a conjugação de verbos.
Histórico recente: consulte o histórico de suas pesquisas mais recentes.
Dicas para o professor: conheça as sugestões de uso do dicionário dirigidas aos educadores.
Pesquisa reversa: encontre palavras citadas no texto dos verbetes.
Máscaras: faça pesquisas avançadas digitando o início ou o fim de determinado termo.
Copiar, colar e imprimir: copie e cole verbetes em seus textos. Imprima-os diretamente do dicionário.
Verbetes categorizados: além de usar o recurso de pesquisa, que lhe permite filtrar gírias e palavras em mais de 15 categorias diferentes (adjetivo, advérbio, substantivo, etc.), você poderá pesquisar termos na opção Nova Ortografia, que o ajudará a encontrar todas as palavras do nosso vocabulário que sofreram alterações em sua escrita.
Conjugação de verbos: consulte a conjugação completa de verbos.
Integração com o Microsoft® Word: descubra o significado de palavras empregadas em seu texto apenas clicando nelas. Esse recurso é compatível com Word XP, 2003 e 2007.

NOVA ORTOGRAFIA
Navegação: saiba, de forma rápida, que palavras foram modificadas pelo novo Acordo Ortográfico.
Verificador da nova ortografia: digite palavras na grafia antiga e receba-as corrigidas de acordo com a nova grafia.
Guia rápido: saiba o que mudou na língua portuguesa com o novo Acordo Ortográfico.

Para rodar no computador, os requisitos mínimos de sistema são:
Microsoft® Windows® 2000, XP ou Vista com Internet Explorer 7/8.
Processador Intel® Pentium® ou compatível.
256 MB de memória RAM.
150 MB disponíveis em disco rígido.
Drive de CD-ROM.
Mouse.

“Dicionário Aurélio Eletrônico – versão 7.0 – Edição 100 Anos” em CD é um produto da Positivo Informática e custa R$ 99,90.

Ah, se aquele balcão falasse...

28 de setembro de 2010 0

A narrativa de “A Sorveteria – Histórias para Refrescar a Alma”, de Tadeu Pereira, se passa na pequena cidade de Ipê D’Oeste, onde muitas histórias começam, terminam ou se desenrolam na Sorveteria Pinguim: a do homem que roubava joias para presentear a amada; a de seu Nicanor, que trocou os remédios por seus sorvetes prediletos; a da cantora italiana Veneza Pieromonti, que só voltou à alegria e à música depois de um bom sorvete de tangerina com calda de cereja; a do Gersinho da Odete, que ganhou uma queda de braço e voltou a ser o Gérson; a das irmãs namoradeiras Dirce e Dulce, que, já velhinhas e embaladas pelo sorvete de nata, relembram os bons tempos em que arrasavam corações (e causavam muitas confusões); de tantos amigos que, entre um picolé e outro, rememoram as travessuras da infância…

A sorveteria é o cenário onde muita coisa acontece, desenrolando uma meada de histórias que, se não são parecidas com a de muita gente que ler o livro, pelo menos vão fazer lembrar de algum ponto, em qualquer lugar, onde muitos causos são um bom motivo para um dedo de prosa.

Ah, se aquele balcão em forma de “U” falasse… Seria o primeiro balcão de sorveteria contador de histórias do mundo. E que histórias: comoventes, engraçadas, intrigantes…

“A Sorveteria – Histórias para Refrescar a Alma”, de Tadeu Pereira, com ilustrações de Bernardo França. Editora Saraiva, 64 páginas, R$ 25,50.

Em busca dos cogumelos mágicos

27 de setembro de 2010 0

Com roteiro e arte do paulistano Jonatas Tobias, “Cogumelos ao Entardecer” é um álbum de aventura e humor, que combina a estética dos mangás com os quadrinhos ocidentais. Em um mundo inspirado pelos RPGs medievais, a trama acompanha a jornada de Knox e Arroba, dois garotos que estão cansados de serem perseguidos pelos rapazes mais velhos de sua vila e partem em busca dos lendários cogumelos mágicos, que são capazes de realizar qualquer desejo de quem os comer.

Knox deseja se tornar um forte guerreiro, enquanto Arroba busca uma cura para o feitiço que o transformou num menino-porco. No caminho, a dupla encontrará aliados e fará inimigos, alguns interessados nos cogumelos, outros interessados em transformar os garotos em sua próxima refeição.

O livro foi um dos projetos contemplados no Proac 11 de histórias em quadrinhos de 2009, da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo.

“Cogumelos ao Entardecer”, texto e ilustrações de Jonatas Tobias. Devir Livraria, 112 páginas, R$ 44,00.

Contos indígenas de assustar

24 de setembro de 2010 0

“Os caçadores e o duende Arranca-olho”, “O duende de olhos postiços”, “Kanoé – a história do morcego”, “A mulher-lesma”, “A caveira-rolante”, “As amantes feiticeiras” são seis histórias de diferentes povos indígenas – tukano, ajuru, macurap, tembé, karajá. Segundo Daniel Munduruku, autor do livro “A Caveira-rolante, a Mulher-lesma e Outras Histórias Indígenas de Assustar”, este tipo de história é narrado pelos adultos ou pelos mais velhos da aldeia, já que são os guardiões da memória dos povos indígenas.

Não são narrativas apenas para amedrontar as crianças e os jovens, mas também são formas de ensinamento com os quais vão nos lembrando que não estamos sozinhos no mundo e que não podemos querer nos transformar em donos das coisas que criamos. E, embora sejam histórias de assustar, elas nos ajudam a compreender nosso lugar no mundo.

As histórias, permeadas de mistério, prendem a atenção pela maneira como são contadas e, ao mesmo tempo, possibilitam uma reflexão sobre a relação do homem com os outros seres da natureza.

“A Caveira-rolante, a Mulher-lesma e Outras Histórias Indígenas de Assustar”, de Daniel Munduruku, com ilustrações de Mauricio Negro. Global Editora, 48 páginas, R$ 29,00.

Livro para jovens discute os desafios da doação de órgãos

23 de setembro de 2010 1

Nos próximos dias, campanhas e mobilizações apontarão para a causa da doação de órgãos e tecidos, já que em 27 de setembro é comemorado o Dia Nacional de Doação de Órgãos. E por meio da literatura, a jornalista e escritora Lucia Seixas desmistifica de forma sensível e brilhante a doação de órgãos no seu mais novo romance, “Procura-se um Coração”, dedicado ao público juvenil.

O tratamento gráfico da capa faz um trocadilho com o título e leva o leitor atento à outra leitura: “Cura-se coração”. Uma solução simples e eficiente para passar uma mensagem, já que o assunto só se torna o maior foco na vida das pessoas quando elas passam pela situação.

“Não é necessário viver o problema para depois tomar uma posição”, diz o professor Vitor, um dos personagens da obra, que coloca o assunto como tema de pesquisa e discussão para que os alunos desenvolvam uma redação. O que o professor não sabia é que Manuela, uma de suas alunas, anda angustiada desde que descobriu que sua mãe precisará de um transplante de coração e a única coisa que aparentemente pode fazer por ela é animá-la até que a fila do transplante ande e possa então receber o novo órgão. Também lhe resta torcer para que a doença não se agrave até o transplante ser feito.

Até descobrir o problema, Manuela e Pedro eram somente dois irmãos adolescentes que não levavam mais a sério o papo de que os pais iriam se separar, já que o vaivém dos dois era interminável. Com esta família como pano de fundo para a obra, Lucia também fala sobre os desafios, preocupações e a força dos adolescentes. Pedro, de 15 anos, queria ficar com Dani, amiga de Lela, um ano mais velha. Mas será que Dani ia querer um pirralho? Lela e sua amiga Júlia, por sua vez, só falavam da paixão de Júlia por Biel, um cara pra lá de convencido e cujo investimento da amiga era pura perda de tempo na visão de Manuela.

Se não bastassem os problemas conjugais dos pais, a escola e as dificuldades de relacionamento de cada um, a dupla de irmãos deparou com um problema que não tinham como lidar ou mudar. Bateu um sentimento de impotência, mas a reação de Lela foi contrária. Ela quis saber tudo sobre doação de órgãos e transplantes e fez altas pesquisas na internet com sua avó. Descobriu a importância dos grupos sanguíneos na hora de doar um órgão e que nos países desenvolvidos há 40 doadores por milhão de habitantes, contra 3,7 doadores por milhão de habitantes no Brasil. O País não chega nem a 10% dos doadores de outras potências. Soube inclusive que no Sudeste e Sul do País é mais fácil ter hospitais especializados e que o Norte e o Nordeste estão bem carentes de infraestrutura para doações.

Lela também conheceu melhor uma colega de classe que era desprezada pela turma e graças à nova amiga ampliou muito sua visão sobre o assunto. Das descobertas nasceu algo muito maior: a sala de aula acaba, enfim, se envolvendo com o assunto e promove uma campanha pela doação de órgãos. Os alunos preparam camisetas, criam frases, vão para a rua, distribuem panfletos e conscientizam pessoas.  Se Lela e Pedro poderão fazer algo por sua mãe, eles ainda não têm certeza. Mas se muitas vidas poderão ser poupadas com a iniciativa tudo valerá a pena.

Apesar da dureza do tema, a autora consegue nesse romance tratar o problema de frente – mas de forma leve e direta. E aproveita para mostrar que as relações podem ficar mais estreitas, e o carinho aflorar. As prioridades da vida são revistas e muita coisa boa pode acontecer quando uma família e amigos se unem para driblar um problema e curar corações.

“Procura-se um Coração”, de Lucia Seixas, com ilustrações de Sônia Magalhães. 128 páginas, R$ 28,00.

Uma escola de monstros divertida

22 de setembro de 2010 0

A dica de hoje do Blog do Aldo é o livro “Escola de Monstros Madame Mo”, de Janaina Tokitaka. A obra é indicada para crianças a partir dos três anos e até os nove anos. Logicamente que os menores vão precisar de leitura compartilhada dos pais, responsáveis ou do irmãozinho que já tenha o processo de leitura consolidado.

O livro é todo escrito em letras maiúsculas, que é o tipo recomendado aos leitores em processo de alfabetização. A história, como o próprio título sugere, gira em torno de uma escola de monstrinhos. Porém, em vez de sair por aí assustando todo mundo, os personagens são mostrados em situações comuns às crianças, como jogando bola, pintando ou lendo na biblioteca.

Veja um trechinho do livro:

Muito bem-vindo, senhor ou senhora!
Pode ir entrando assim sem demora:
É visita longa, vale cada hora.
Pois esta é a escola mais excelente,
Mais refinada e mais exigente
De todas as escolas de monstro ou de gente!

“Escola de Monstros Madame Mo”, texto e ilustrações de Janaina Tokitaka. Editora Brinque-Book, 24 páginas, R$ 28,70.

Detetive Siqueira em busca da imaginação perdida

21 de setembro de 2010 0

Jaime Paladino é um escritor vítima de um mal temido por todos os escritores: o famoso “branco”. Aliás, quem nunca passou por uma situação, mesmo não sendo escritor? Ele não consegue escrever nada. Nenhuma ideia, nenhum personagem, nenhuma história, nada. O livro “Detetive Siqueira em O Panfleto”, de Dionisio Jacob, é indicado para a galerinha da 6ª série/7º ano e trata de temas como adolescência, literatura e o ato de escrever.

A imaginação de Jaime simplesmente sumiu! O pior é que o prazo que a editora lhe deu para a entrega do novo livro já está acabando. Desesperado, ele resolve contratar um detetive particular para ajudá-lo. Ele e o detetive Siqueira começam, então, a investigação para localizar a imaginação desaparecida.

Uma história divertida em clima que mostra como funciona a cabeça de um escritor quando ele está escrevendo um livro.

“Detetive Siqueira em O Panfleto”, de Dionisio Jacob, com ilustrações de Galvão. Editora FTD, 112 páginas, R$ 28,00.

Ana Maria Machado une dois mundos

20 de setembro de 2010 0

Como o céu e o mar poderiam se aproximar? Como um habitante das matas, capaz de voar, poderia se sentir atraído por um ser dos oceanos?

Em “O Elfo e a Sereia”, Ana Maria Machado conta a história de um amor quase impossível entre um elfo (pequena criatura que vive na mata) e uma sereia (que vive no mar). A autora aproxima dois mundos totalmente diferentes e, desta união, surgem seres maravilhosos que moram ao mesmo tempo na fantasia, na mata e no mar. Leia um trecho do livro:

- Preciso de ti. Fica comigo.
– Se eu ficar, morro – disse a Sereia.
– Tu tens os olhos mais verdes que o vento do mar, um jeito mais forte e seguro que qualquer navio, o cheiro da terra mais vivo e fresquinho que já senti.
– Mas não me posso demorar fora d’água.
– Também não me posso demorar.

Nessa narrativa poética, Ana Maria Machado, sempre criativa e sensível, encontra uma forma de esses dois seres, apesar das diferenças, serem felizes para sempre.

“O Elfo e a Sereia”, Ana Maria Machado, com ilustrações de Elma. Global Editora, 32 páginas, R$ 29,00.

A natureza em sete contos

17 de setembro de 2010 1

O que você acha do mundo em que vive? Já se surpreendeu com a generosidade de algum animal, já sentiu amizade por alguma árvore ou simplesmente se extasiou diante das paisagens ao seu redor? Você já se preocupou com a fragilidade do mundo natural e se perguntou o que poderia fazer para protegê-lo?

No livro “Contos da Natureza”, com histórias recontadas por Dawn Casey, você vai descobrir como diferentes culturas do mundo todo conseguem viver em harmonia com os ritmos e padrões da natureza.

Este livro convida o leitor a observar e refletir sobre o mundo à sua volta: o calor do Sol, a sombra das árvores, o eco do grito dos animais. Suas sete histórias vêm de culturas próximas e distantes e falam de sua relação singular com o mundo natural. No final de cada conto, atividades práticas têm o objetivo de despertar no leitor o respeito e a vontade de zelar pelo nosso planeta. Se você gosta de trabalhar e de sonhar, este livro é para você!

“Contos da Natureza”, de Dawn Casey, com ilustrações de Anne Wilson. Tradução de Waldéa Barcellos, Editora WMF Martins Fontes, 96 páginas, R$ 49,80.