Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de abril 2011

O diário de Raquel

29 de abril de 2011 0

A Global Editora leva às livrarias a segunda edição de “Diário de Raquel”, de Marcos Rey. Uma obra destinada aos jovens, publicada postumamente em 2004.

O livro conta a história de Raquel, uma menina de rua, órfã de mãe e filha de pai desconhecido, nascida em 1984. Ela lê e escreve e, por não ter nenhuma inclinação profissional, apresenta-se espontaneamente em um abrigo para menores. Após algum tempo, a menina desaparece da instituição e deixa preocupados os funcionários encarregados de seus cuidados.

A chave do mistério desse desaparecimento repentino pode estar nas páginas de um diário em que ela registra situações alegres e decepções de sua infância nada fácil, bem como suas ideias sobre o mundo e seu anseio de um dia melhorar de vida.

O diário é encontrado por tia Vera, uma velha mendiga que vive no Centro de São Paulo. Ao ler a anotações da menina, tia Vera descobre que ela está em uma grande enrascada.

Um homem misterioso e nada simpático, mestre em disfarces e identidades falsas, planeja se vingar de Raquel e vai persegui-la até capturá-la. A psicóloga da instituição, que conhece como ninguém a história de Raquel, começa a desconfiar de que a menina esteja correndo algum risco e se empenha em encontrá-la. Para realizar tal feito, a psicóloga entra em cena com um bom disfarce, tentando encontrar Raquel antes que a garota seja encontrada pelo misterioso homem.

“Diário de Raquel”, de Marcos Rey, com ilustrações de Allan Rabelo. Global Editora, 104 páginas, R$ 23,00.

Mapas do acaso de um engenheiro

28 de abril de 2011 0

Depois de passar por Florianópolis, Balneário Camboriú e Blumenau, chegou a vez dos fãs joinvilenses terem a oportunidade de verem de perto o Engenheiro do Hawaii Humberto Gessinger e seu mais novo livro,  “Mapas do Acaso – 45 Variações Sobre um Mesmo Tema”. Ídolo e obra estarão aos olhos do público nesta quinta-feira, dia 28, às 19h30, nas Livrarias Curitiba do Joinville Garten Shopping, para um bate-papo seguido de sessão de autógrafos.

Rascunhos de letras nunca gravadas, evocações do processo de criação, mas, principalmente, lembranças musicais dão o ritmo do novo livro do líder dos Engenheiros do Hawaii. O próprio Humberto Gessinger apresentou o livro aos fãs em uma twitcam no dia 11 de janeiro, antes mesmo da chegada da obra às livrarias. A experiência fez o músico aparecer na concorrida lista dos TTs mundiais do Twitter.

Este é o segundo livro que escreve usando a banda e a música como fio condutor. Gessinger estreou com “Pra Ser Sincero”, há um ano, que lançou como alusão aos 25 anos do surgimento dos Engenheiros do Hawaii. Com “Pra Ser Sincero”, que já vendeu mais de 10 mil exemplares, o músico percorreu o Brasil fazendo pocket shows e sessões de autógrafos, iniciativa que será repetida com “Mapas do Acaso”.

“’Pra Ser Sincero’ era mais linear, mais comprometido com a cronologia. ‘Mapas do Acaso’ é mais livre e mais emocional. É como se, no primeiro livro, escritor e leitor estivessem se conhecendo e, agora, no segundo, estivessem tomando um vinho tinto ou um chimarrão juntos”, explica Humberto.

Em “Mapas do Acaso”, Humberto Gessinger passa o passado a limpo, resgata momentos especiais da sua intimidade desde menino e conta novas velhas histórias dos Engenheiros do Hawaii, nunca antes publicadas. De Passo Fundo a Moscou, passando por “Esparta Alegre”, lembranças de um futuro que ele imaginava, essas linhas são conduzidas pelos mapas do acaso. Para saber qual é a dele e da sua poesia, que é pura grandeza a partir de coisas simples, é só embarcar… e seguir viagem…

SERVIÇO

O QUÊ: bate-papo e sessão de autógrafos do livro “Mapas do Acaso – 45 Variações Sobre um Mesmo Tema”, de Humberto Gessinger (Editora Belas Letras, 144 páginas). QUANDO: nesta quinta-feira, dia 28, às 19h30. ONDE: Livrarias Curitiba do Joinville Garten Shopping. QUANTO: o acesso ao evento é de graça. O livro custa R$ 34,90.

Elvis mais vivo do que nunca

26 de abril de 2011 0

Todo rei que se preza sempre retorna para ocupar seu trono.  Elvis Presley é um deles.  Trinta e sete anos após sua morte, a Madras Editora traduz uma das maiores e mais tumultuadas histórias da vida do ídolo do rock ‘n’ roll, “O Retorno do Rei – a Grande Volta de Elvis Presley”, de Gillian G. Gaar.

A obra conta em detalhes os acontecimentos da vida e carreira de Elvis Presley em meados de 1967, quando Elvis estava com a carreira na obscuridade, graças a uma série de papéis em filmes amenos e gravações medíocres. Mas em um ano ele se levantou, livrou-se das amarras na criatividade imposta por seu empresário, “Coronel” Tom Parker, e se conectou de novo ao público de rock graças a um especial de TV fascinante.

Como uma fênix ressurgindo das cinzas, se seguiu um florescimento artístico glorioso, porém breve, em que ele criou algumas de suas gravações mais duradouras, incluindo “Suspicious Minds” e “In the Ghetto”.

“O Retorno do Rei – a Grande Volta de Elvis Presley” é resultado de uma pesquisa meticulosa e escrito com elegância, baseado em uma série de novas entrevistas com colegas, amigos, fãs e observadores do ídolo, lança nova luz sobre os acontecimentos da grande volta de Elvis. E para seus admiradores, enquanto houver desejo e emoção, Elvis Presley viverá.

“O Retorno do Rei – a Grande Volta de Elvis Presley”, de Gillian G. Gaar, com tradução de Luciana Sanches. Madras Editora, 272 páginas, R$ 41,90.

Edward Pollock contra o mal

25 de abril de 2011 0

A obra “O Outro Livro”, de Philip Womack, conta uma grande aventura, com mistério e muito suspense que envolvem o leitor e o levam a uma viagem por um mundo fascinante e assustador.

Há mais de 300 anos, um livro foi envolvido numa sombria maldição e enterrado nas profundezas do Solar Oldstone, na Inglaterra. Com um inesperado movimento da terra, a obra que se encontrava em segredo foi descoberta pelo jovem Edward Pollock, de apenas 12 anos, que, ao ler suas páginas, é levado para um mundo inexplicável, onde as forças das trevas colocam em risco a harmonia do lugar.

Envolvido num cenário para lá de inusitado, em que os poderes malignos estão presentes, Edward percebe que a fronteira entre os vivos e os mortos está se apagando e que a força do mal ameaça o mundo, o que pode gerar pavor e destruição.

Com bravura e determinação, o garoto é o único que pode evitar a devastação, pois tem em suas mãos o poderoso livro, pertencente ao mago Merlin e passado de geração para geração aos seus descendentes, os quais têm o compromisso de usá-lo para o bem. Será que Edward vencerá as forças do mal e salvará o mundo?

“O Outro Livro”, de Philip Womack, com tradução de Marcos Bagno. Editora Farol, 280 páginas, R$ 29,90.

Uma brincadeira mortal

21 de abril de 2011 0

“Ah, se eu fosse o Indiana Jones… ou o Super-homem… ou 007…”. Todos nós um dia já imaginamos ser um personagem cheio dos poderes, não é mesmo?

Fred, o personagem principal de “Brincadeira Mortal”, de Pedro Bandeira, é assim. Adora criar aventuras cheias de fantasias e quase não se importa com a realidade. O que ele nem sonhava é que essa sua imaginação exagerada ia acabar colocando-o em uma enrascada de meter medo até em super-herói…

Tudo começou quando Scar surgiu no beco dos ratos e Fred resolveu brincar de agente secreto. Ele logo imaginou que era um agente britânico a serviço da rainha. E resolveu agir. Mal sabia ele que aí começava uma caçada perigosa, uma inesperada brincadeira mortal.

“Brincadeira Mortal” (coleção “Voo Livre”), de Pedro Bandeira, com ilustrações de Pedro Luna. Editora Ática, 80 páginas, preço não divulgado.

Veja quem ganhou o livro de Ana Diefenthaeler

20 de abril de 2011 0

Carlos, Patrícia, Gabriel e Samantha (todos devidamente avisados) vão poder levar o livro “Reticências”, de Ana Ribas Diefenthaeler, para casa. É só passar na recepção de “AN” (rua Caçador, 112, bairro Anita Garibaldi, perto da rodoviária) e retirar o prêmio.

Não vá travar a sua língua!

20 de abril de 2011 0

Um novo livro de Gian Calvi acaba de integrar o catálogo da Global Editora. Trata-se de “Trava-línguas”, obra que proporciona às crianças o contato com um brincadeira – aproveitar a sonoridade das palavras – que começou não se sabe quando e que, com o passar do tempo, acabou fazendo parte do nosso folclore. Brincar com a sonoridade, com o ritmo e com o significado dos vocábulos e repeti-los incontáveis vezes sem errar estimula a percepção auditiva, a dicção e a atenção.

Muito ilustrado e colorido, bem ao gosto da criança, o livro traz um repertório bastante considerável de trava-línguas, também conhecidas como parlendas, que são, na realidade, um conjunto de palavras de origem popular que formam sentenças ou trovas, às vezes de difícil articulação, que servem para memorizar, desafiar e até mesmo divertir um grupo de pessoas.

Quer experimentar um trava-língua? Então tente falar rapidamente e sem gaguejar as frases abaixo:

“Tecelão tece o tecido/ Em sete sedas de Sião/ Tem sido a seda tecida/ Na sorte do tecelão.”

“O rato roeu a roupa de rei de Roma. Rainha raivosa rasgou o resto.”

Achou fáceis? No livro tem muito mais! Mas não vá enrolar a língua!

“Trava-línguas”, texto e ilustrações de Gian Calvi. Global Editora, 32 páginas, R$ 27,00.

Concorra a livros da Ana Diefenthaeler

15 de abril de 2011 4

Muita gente conhece o nome da jornalista Ana Ribas Diefenthaeler pelas crônicas escritas em “AN”, jornal no qual ela também já exerceu a função de editora. Agora, Ana se aventura pela literatura e traz ao público sua primeira obra: “Reticências – Sobre o Dito. E o não Dito”.

“Eu escrevo porque o verbo me açoita até eu vomitar…”. Na obra, a jornalista-escritora faz uma profissão de fé na seriedade do ato de escrever, “de alma na ponta dos dedos, que traduz a essência e reduz a insustentável ardência do ser”.

A obra, com o selo da Editora Mercado de Comunicação, reúne crônicas publicadas na imprensa desde 2007. Em 86 páginas, a coletânea principia com um capítulo dedicado a reflexões sobre a escrita, que a autora vê como uma atividade que é “meio canibal, meio autofágica”: “Retratar-se e às coisas à nossa volta é um tempero que faz das delícias do viver um lauto banquete, a que convidamos todo mundo”.

O livro se estende um pouco mais em discorrer “sobre as gentes“ e “sobre ser”, como definem os títulos de dois outros capítulos. São textos que tratam, por exemplo, da condição feminina, da maternidade, da delicadeza inspiradora das crianças e de valores humanos esquecidos, como a solidariedade e a gentileza.

Leves, agradáveis, cheios de ginga e estilo, os textos de Ana inquietam e fazem pensar. Não por acaso, a autora também se exercita na poesia, traço que se evidencia a cada linha desse volume inaugural. O prefácio do livro é do escritor Moacyr Scliar, falecido recentemente e que dispensa apresentações: “Falando sobre a arte de escrever ou a arte de viver, a escritora convida-nos a trilhar o caminho aberto por sua inteligência e por sua sensibilidade”, anunciou o autor gaúcho.

Interessou-se pela obra? Então deixe um comentário, com número de telefone para contato, e concorra a um dos exemplares que o Blog do Aldo vai sortear. O resultado sai na quarta-feira e os ganhadores deverão retirar o livro na recepção do jornal “A Notícia” em Joinville até quarta-feira: rua Caçador, 112, bairro Anita Garibaldi, bem perto da rodoviária.

Professor da Univille lança livro de história

14 de abril de 2011 0

Você que se amarra em história, ponha na agenda: nesta sexta-feira, dia 15, às 19 horas, haverá o lançamento do livro “Ensino de História e Novas Tecnologias Educacionais”, do professor Fernando Cesar Sossai, da Universidade da Região de Joinville (Univille).

Na apresentação do livro, a professora-doutora Ilanil Coelho salienta que o autor produz uma narrativa envolvente e ao mesmo tempo bastante densa sobre as percepções, práticas e ansiedades daqueles que protagonizam ou desejam protagonizar o saber histórico na cotidianidade escolar.

É uma leitura que não se encerra conforme as páginas da obra são viradas, mas que incita à produção de novas leituras e interlocuções. De forma provocante, Sossai, além de apresentar suas ideias, instiga o leitor a um diálogo plural e a uma reflexão profunda e desafiadora acerca dos fazeres pedagógicos nesses tempos e espaços contemporâneos.

Sossai é graduado em história pela Universidade da Região de Joinville (Univille) e mestre em rducação, comunicação e tecnologia pela Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc). Ele integra o quadro docente da universidade nos cursos de história e design e participa do grupo de pesquisas Cidade, Cultura e Diferença.

Nos últimos anos, tem coordenado pesquisas sobre a inclusão de tecnologias da informação e comunicação no currículo escolar e também se dedicado à produção de recursos didáticos audiovisuais direcionados para o ensino de história.

SERVIÇO

O QUÊ: lançamento do livro “Ensino de História e Novas Tecnologias Educacionais”, de Fernando Cesar Sossai (Editora Univille). QUANDO: nesta sexta-feira, dia 15, às 19 horas. ONDE: anfiteatro 2 do campus universitário, rua Paulo Malschitzki, nº 10, Bom Retiro. QUANTO: o acesso ao evento é gratuito. O livro custa R$ 15,00. INFORMAÇÕES: (47) 3461-9027.

Crônicas do governo Lula

13 de abril de 2011 0

Com um estilo sucinto e elegante, o autor Afonso Oliveira de Almeida apresenta o livro “O Burocrata e o Presidente – Crônicas do Governo Lula”, composto de 50 narrativas curtas e ágeis (42 com título), que lançam um olhar bem-humorado e sagaz sobre o Brasil, sobre suas instituições e sobre algumas bizarrices no funcionamento do governo federal.

Todo brasileiro se pergunta: o que se passa em Brasília? Pois com a experiência adquirida ao longo de sua atividade no governo Lula, o autor sabe melhor que ninguém a resposta para essa pergunta, visto que conhece as figuras, as histórias, os absurdos e as contradições da Capital Federal, as quais retrata fielmente nas suas crônicas, com um olhar às vezes afetuoso e às vezes crítico, mas sempre atento para o insólito e o cômico.

Gênero de difícil conceituação, a crônica pode configurar-se como uma mescla de prosa e poesia, ficção e jornalismo, ou como cada um desses subtipos. Pois o autor domina tal gênero com uma maestria que faz lembrar a de outros grandes cronistas, de Ricardo Ramos a Luis Fernando Verissimo.

Nem os grandes vultos da história são poupados pela irreverência do autor, pois, segundo ele, “o enigma finalmente decifrado dos grandes homens é que não são grandes homens”.  O livro conta com passagens de notável sutileza, como Dilma Rousseff pedindo emprestada a faixa presidencial a Lula e prometendo devolvê-la logo, na crônica “Ritmo de Passagem”.

As crônicas desta obra, retrato de um discreto charme da burocracia, conseguem extrair da matéria cotidiana os substratos mais elevados, capazes de levar à reflexão sobre temas profundos ou, em sentido diverso, resgatar os elementos singelos contidos nos temas ditos “sublimes”.

“O Burocrata e o Presidente – Crônicas do Governo Lula”, de Afonso Oliveira de Almeida. Geração Editorial, 176 páginas, R$ 29,90.