Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de março 2012

Jogo do come-come com o Bolinha

30 de março de 2012 2

Vamos dar uma pausinha nas dicas de leitura, só para dar uma relaxada, mas não ficaremos tão longe delas assim. Afinal, o personagem de hoje, o Bolinha, está presente nas histórias em quadrinhos. A sugestão é uma versão do tradicional jogo dos videogames Pac Man, popularmente conhecido no Brasil pelo nome de come-come.

Após agitar o mundo dos quadrinhos com a retomada de HQs clássicos, por meio do selo Pixel, a Editora Coquetel promete causar semelhante alvoroço no universo dos games online. A editora transporta o personagem Bolinha para os labirintos dos jogos de come-come e apresenta o PacBolinha. A novidade disponibilizada no site do personagem (www.revistabolinha.com.br) já recebeu mais de 40 mil jogadores/mês durante seu período de teste. Com seis fases de diferentes níveis de dificuldade, o PacBolinha vai ao encontro dos aficionados pela turma da Luluzinha e por apaixonados pelos primeiros games eletrônicos.

No PacBolinha, saem os fundos escuros e fantasminhas típicos do jogo no console Atari. Em seu lugar, Bolinha avança sobre guloseimas por cenários comuns dos quadrinhos – tendo Luluzinha em seu encalço. A cada mudança de fase, Bolinha fica mais pesado – por consequência, a menina da boina vermelha parece ganhar mais e mais velocidade. Quando encurralado e pego, Bolinha recebe divertidos “puxões de orelha” com dicas de alimentação.

Devido à grande procura, o PacBolinha também está disponível nos sites www.coquetel.com.br e www.revistaluluzinha.com.br.

Por que a Clara gosta tanto da tiara?

29 de março de 2012 0

Quem é pai ou mãe já deve ter reparado: às vezes, a criança tem brinquedos bem moderninhos, mas o preferido é aquela boneca descabelada e de vestido todo esfiapado ou o super-herói sem braço. Claro que para tanta afetividade a um simples objeto deve haver um motivo especial. E é isso que acontece com a personagem do livro “A Tiara da Clara”, de Ilan Brenman.

Tudo começou no dia em que Clara ganhou sua primeira tiara. Foi amor à primeira vista. Na verdade, foi adoração à primeira vista, pois amor mesmo é o que Clara sentiu ao colocar os olhos na tiara azul de plástico, repleta de lantejoulas e com um enorme laço, presente de seu irmão Gabriel.

O fascínio é tanto que Clara não tira mais a tiara da cabeça, nem para ir ao cabeleireiro, ao dentista ou à aula de natação. E para dormir, será que a menina tira a tiara?

Para saber como termina esta história, é só abrir o livro e se divertir.

“A Tiara da Clara”, de Ilan Brenman, com ilustrações de Silvana Rando. Editora Brinque-Book, 24 páginas, R$ 31,50.

Você é ponte ou muro?

28 de março de 2012 0

Pare e pense um pouquinho: ultimamente, você anda construindo pontes ou muros? Essa é a reflexão que se pode tirar do livro “A Ponte”, de Heinz Janisch, editado pela Brinque-Book.

O rio e a ponte que o atravessa guardam muitas histórias. Certo dia, um urso e um gigante topam um com o outro no meio da longa e estreita ponte. Nenhum deles aceita recuar, nenhum quer arredar o pé, mas não podem passar ao mesmo tempo. Como será que os grandalhões chegarão aos seus respectivos destinos?

A obra diminui a distância entre os opostos e mostra que a melhor disputa é aquela em que os dois lados vencem. Agora, pense de novo: quantas vezes você presenciou ou foi protagonista de uma situação semelhante à dos personagens? O caso do urso e do gigante não é tão raro assim. O problema é que os envolvidos se esquecem, por motivos bobos até, que enquanto um não ceder, ninguém chega ao destino. E quando os dois lados não dão o braço a torcer, ficam iguais aos personagens, perdendo tempo sem conseguir andar um centímetro sequer. Então, diga aí: você é ponte ou muro?

“A Ponte”, de Heinz Janisch, com ilustrações de Helga Bansch e tradução de José Feres Sabino. Editora Brinque-Book, 28 páginas, R$ 29,50.

Quantas perguntas uma criança é capaz de fazer?

27 de março de 2012 0

Quantas perguntas por minuto uma criança é capaz de fazer? Como explicar as coisas para quem quer conhecer o universo todo e ter a dimensão exata (em milímetros quadrados) de tudo o que existe?

Em “Ziiim”, de João Wady Cury e Ilka F. Mourão, a cada página – como a cada novo dia na vida de uma criança -, o mundo parece maior. E o leitor, então, viaja por todos os lugares do mundo, da casa às galáxias. Mas como não se perder dentro da imensidão do universo?

Só há um guia possível, e ele está sempre com você. E, com você, se agita ou se acalma, acelera ou diminui o ritmo. Ele vive num lugar escuro e quentinho, um lugar que você conhece bem, que só você conhece bem, ou no máximo seus amigos mais próximos… E quando as coisas parecem imensas para que você possa compreender ou resolver, é ele quem mostra o caminho.

“Ziiim”, de João Wady Cury, com ilustrações de Ilka F. Mourão. Editora Leya, 40 páginas, preço não divulgado.

Terapia para crianças quando os pais se separam

26 de março de 2012 1

A sugestão de hoje trata de um tema bem delicado: a separação dos pais. Quando isso acontece, o coraçãozinho da criança fica apertado, dividido. O que se deve fazer, então, quando marido e mulher já não dividem os mesmos pensamentos e ideais e a solução é a separação? O livro “Quando os Pais se Separam – uma Terapia para a Criança”, de Emily Menendez-Aponte, dá uma forcinha para tratar disso.

Quando os pais se separam, eles têm como objetivo ajudar amavelmente as crianças a superar essa fase difícil. Por meio de compassivas, porém realistas orientações, a autora (ela mesma filha de pais divorciados) tranquiliza as crianças, dizendo-lhes que elas não são culpadas pela separação, e que sempre serão amadas e cuidadas pelos seus pais.

Ela oferece conselhos para trabalhar os sentimentos difíceis e eliminar problemas, como conflitos e confusões. As encantadoras ilustrações e as cuidadosas reflexões fazem deste livro um excelente instrumento para ajudar a criança a explorar e expressar seus sentimentos sobre a separação.

“Quando os Pais se Separam – uma Terapia para a Criança”, de Emily Menendez-Aponte, com ilustrações de R. W. Alley. Coleção “Terapia Infantil”. Editora Paulus, 32 páginas, R$ 18,00.

Guia para entender "Jogos Vorazes"

23 de março de 2012 0

Um mundo pós-apocalíptico. Um futuro alternativo em que meninos e meninas são escolhidos a partir de 12 distritos para competir nos Jogos Vorazes, uma luta de vale-tudo televisionada. Para entender o universo criado por Suzanne Collins, levado aos cinemas em março, a Editora Lua de Papel, integrante do Grupo LeYa Brasil, lança  “Hunger Games – a Filosofia por Trás dos Jogos Vorazes”, de Lois H. Gresh, guia que oferece um olhar profundo sobre a importância dos temas tratados na obra, que transformam a trama em algo contemporâneo, terno e perturbador, com conexões sobre nossa própria história, religião, política internacional e outras áreas do conhecimento, como psicanálise, filosofia, literatura e cultura pop.

A história se passa em Panem, um país dividido em 12 distritos. A jovem Katniss Everdeen, de 16 anos, se oferece para lutar no lugar da irmã caçula nos Jogos Vorazes – jogos transmitidos anualmente em forma de reality show, como forma de provar que ninguém está acima do poder da Capital, que governa Panem. Para acompanhá-la, o garoto Peeta Mellark, também de 16 anos, é o escolhido para seguir para a Capital. Por trás de toda a ação da história, estão inseridas inúmeras referências a fatos verídicos, como as grandes ditaduras, as cruzadas, além de alusões a “1984”, de George Orwell, “Farenheit 451”, de Ray Bradbury, e reality shows, como “Survivor”.

A primeira parte da ação estreou nos cinemas brasileiros em março, dirigida por Gary Ross e protagonizada por Jennifer Lawrence, como Katniss e Liam Hemsworth, como Peeta.

Escrito por Lois Gresh, autora de diversos guias best-sellers, como “James Bond”, “Indiana Jones”, “Crepúsculo”, entre outros, “Hunger Games – a Filosofia por Trás dos Jogos Vorazes” inclui fatos históricos fascinantes sobre a ação na trilogia, um estudo revelador das fontes de inspiração da autora, Suzanne Collins, e informações surpreendentes sobre os temas principais da série.

Na edição brasileira, o livro inclui mapas, ilustrações e fotografias do filme; um apêndice para explicar detalhes da formação da saga, que se relaciona com fatos históricos da formação dos Estados Unidos, para que o leitor brasileiro compreenda as minúcias da trama; nomes nas traduções para o português, e muito mais.

“Hunger Games – a Filosofia por Trás dos Jogos Vorazes”, de Lois H. Gresh. Editora Lua de Papel, 200 páginas, R$ 39,90.

Assista a um trecho do filme.

Esconde-esconde com Anália, Natália e Amália

22 de março de 2012 1

Muita gente gosta de brincar de esconde-esconde. Pense se você tivesse um superpoder de se camuflar. Ia ficar mais divertido, não acha. O livro de hoje, “Anália, Natália, Amália”, de Lorenz Pauli, mostra que não é só gente que gosta de se esconder; os bichos também.

Antes de tudo, deixe eu apresentar as personagens da história: Natália é Natália. Amália é a mãe dela. E Anália é a avó de Natália. Mas Anália também é a mãe de Amália. Tão complicado e tão simples assim. Entendeu?

Natália, Amália e Anália formam uma família de camaleões, e não há nada mais divertido para essa espécie do que brincar de esconde-esconde. Enquanto a vovó Anália tampa o rosto e conta até quarenta, Natália corre em busca de um bom esconderijo. Será que o xixá fedorento é uma boa opção? Que tal se pendurar de cabeça para baixo entre os morcegos? Ou será melhor se esconder entre os ouriços? Embarque nessa aventura, que revela de forma simples e delicada afinidades entre a infância e a terceira idade.

“Anália, Natália, Amália”, de Lorenz Pauli, com ilustrações de Kathrin Schärer e tradução de José Feres Sabino. Editora Brinque-Book, 28 páginas, R$ 31,50.

Aventura com o trenzinho Thomas

21 de março de 2012 0

Um dos desenhos animados de maior sucesso entre crianças de quatro a seis anos é o personagem Thomas e seus amigos, exibido na Discovery Kids Brasil. Na onda deste sucesso, a Editora Vale das Letras, de Blumenau, lança uma série especial de livros, na qual os trens e locomotivas protagonizam histórias criativas e diversas aventuras.

Cada livro da série, composta por oito obras, contém 32 páginas, textos leves e ilustrações coloridas. No fim de todos eles, existe uma relação de perguntas baseadas nas histórias, que desafiam os pequenos leitores, auxiliando na compreensão dos textos. Criada há mais de 60 anos, a animação conta as aventuras de Thomas, um trem azul encantador, e seus amigos, entre eles um ônibus, um helicóptero e um trator, na ferrovia da Ilha de Sodor. O desenho explora diferentes temas, como os valores familiares e trabalho em equipe. Além disso, os episódios estimulam o desenvolvimento cognitivo, social e emocional das crianças em idade pré-escolar, por meio de cores, contagem de números ordinais, vocabulário e narração de histórias.

A Vale das Letras já distribui, desde 2011, outros dois produtos com a imagem dos trens e locomotivas. Uma das obras reúne histórias de Thomas e seus amigos e acompanha um kit criativo de atividades, e o livro possui um projetor embutido e dez discos com cenas que podem ser vistas em uma tela ou na parede de casa.

Na dica de hoje, “Thomas e o Controlador Verde”, Sir Topham Hatt fica doente, Lady Hatt coloca um novo controlador no comando – Percy. Logo ele está mandando em todo mundo. Será um trabalho muito grande para a pequena locomotiva? Ele vai fazer tudo certo?

“Thomas e o Controlador Verde”, Editora Vale das Letras, 32 páginas, preço não divulgado.

A guerra da hora do banho

20 de março de 2012 0

Sabe quando chega a hora do banho da criançada? Os pais se descabelam correndo atrás dos filhos, e os pequenos se descabelam fugindo do banho. É uma guerra particular que os pais enfrentam todos os dias para deixar os pimpolhos limpinhos, cheirosos e fofos. Mas por que os baixinhos relutam tanto na hora do banho? A sugestão de hoje é sobre esse tema. Continua lendo…

Paulo é um menino igual a tantos outros. Mas às vezes ele se sente muito diferente. Desde muito pequeno, ele não gosta de tomar banho. As pessoas que convivem com ele – pais, avós e amigos – se ressentem por isso. Por que será que Paulo é assim? Seria preguiça, falta de higiene ou de informação?

Em “Urgh! Não Quero Tomar Banho!”, a escritora Graciela Repún apresenta uma história comovente e às vezes até engraçada. As ilustrações de Viviane Garófoli, expressivas e muito coloridas, dão ainda mais vida a cada uma das páginas deste livro que certamente vai encantar os pequenos leitores e a todos aqueles que convivem com eles.

“Urgh! Não Quero Tomar Banho!”, de Graciela Repún, com tradução de Clene Salles e ilustrações de Viviane Garófoli. Editora Planeta Infantil, 24 páginas, R$ 24,90.

Surfando nas asas do mar

19 de março de 2012 0

Uma linda donzela se disfarça de cavaleiro para salvar sua família, crianças levam à loucura um síndico mandão, um boto fica apaixonado por uma estrela cadente… Quantas histórias! Apaixonadas, comoventes, divertidas, nas quais o ser humano é capaz de transformar qualquer situação.

Dividida em seis capítulos que organizam temas de grande importância na obra de Ana Maria Machado,”Nas Asas do Mar”, integrante da coleção “”Para Gostar de Ler Júnior”, é uma antologia que dá oportunidade de se aventurar no rico universo de uma das mais prestigiadas escritoras da literatura infantojuvenil brasileira.

Os textos navegam por vários gêneros: contos, recontos da tradição popular brasileira e mundial, poemas… O leitor vai se encantar com o ritmo gostoso e a forma envolvente, quase em tom de conversa, com que Ana Maria Machado narra suas histórias.

“Nas Asas do Mar”, de Ana Maria Machado, com ilustrações de Florence Breton. Coleção “Para Gostar de Ler Júnior”, Editora Ática, 120 páginas, R$ 29,50.