Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de fevereiro 2013

Cachinhos Dourados e um urso na cidade grande

28 de fevereiro de 2013 0

Para onde vão os personagens de uma história depois que fecha-se o livro? Quando Ursinho sai da floresta e chega à cidade grande, ele se vê completamente perdido e assustado.

Tudo é muito claro, barulhento e diferente. Ele então procura abrigo em um confortável apartamento. Paz finalmente! Mas o urso está faminto e cansado, e logo começa a fazer bagunça no local. O que acontecerá quando os donos do apartamento chegarem?

O livro “Cachinhos Dourados e um Urso Apenas”, de Leigh Hodgkinson, entrou para a lista das 50 melhores leituras de verão do jornal inglês “The Independent” e foi indicado aos prêmios Carnegie Medal e Kate Greenaway Medal de 2013, ambos concedidos pelo instituto inglês Chartered Institute of Library and Information Professionals (Cilip).

A obra é uma continuação bem-humorada da famosa aventura de “Cachinhos Dourados e os Três Ursos” e mostra uma história espirituosa com situações cômicas que entretêm os pequenos leitores.

“Cachinhos Dourados e um Urso Apenas”, texto e ilustrações de Leigh Hodgkinson, com tradução de Gilda de Aquino. Editora Brinque-Book, 32 páginas, preço não divulgado.

Drácula – o homem, o vampiro, o mito

27 de fevereiro de 2013 0

Quem se liga em personagens adoradores de pescoços alheios e que fogem da claridade como o diabo corre da cruz (ops, desculpa, aí, Drácula! Foi mal!) vai gostar da dica de hoje: “As Origens de Drácula – o Homem, o Vampiro, o Mito”, de Arturo Branco.

Atualmente, Drácula é conhecido por todo o mundo como um vampiro originário da misteriosa região da Transilvânia. Quando seu nome é citado, tanto no Oriente quanto no Ocidente, remetemos à imagem de um homem pálido, com caninos grandes e capa preta; um vampiro sedutor, cruel e vingativo, capaz de espalhar a destruição e a morte por onde passa.

Essa imagem se deve, em grande parte, à consagrada obra “Drácula”, de Bram Stoker, editada originalmente em 1901 (publicada no Brasil pela Madras Editora). Esse livro famoso mundialmente levou a todos o nome e a imagem de Drácula, que se tornou conhecido como o terrível vampiro da Transilvânia. Inicialmente, Stoker se apoiou em um ser real para criar seu personagem fictício. O Drácula de Stoker foi baseado em um cruel personagem da história do Leste Europeu, o rei Vlad Dracula “Tepes”, e, ini­cialmente, o autor sequer tencionava utilizar esse nome para o monstro de seu romance.

“As Origens de Drácula” procura desvendar como se deu essa transição entre a figura de um regente medieval e a de um vampiro literário, explorando as origens do mito do vampiro, dos mortos-vivos e a história do Drácula original, Vlad Dracula.

“As Origens de Drácula – o Homem, o Vampiro, o Mito”, de Arturo Branco. Editora Madras, 152 páginas, R$ 24,90.

O encanto dos livros de pano

25 de fevereiro de 2013 0

Logo nos primeiros meses de vida, a leitura já deve ser estimulada entre os bebês. Apesar de ainda não terem qualquer conhecimento, o gosto pelo mundo dos livros pode começar por meio do simples toque. Em entrevista ao site bebe.com.br, a psicóloga Beatriz Ferraz afirma que, após virar e revirar o livro centenas de vezes, a criança estabelece uma relação afetiva com o objeto e, assim, descobre o prazer pelo universo literário. “Ler um livro ou ouvir uma fábula não tem relação somente com saber ler e escrever. Os livros introduzem as crianças em um mundo imaginário, em uma cultura. E as narrativas abrem portas para o conhecimento de diferentes mundos, tempos e espaços”, afirma Beatriz.

Para desenvolver esta primeira relação, é preciso dar ao bebê livros criados especialmente para esta fase, com palavras simples, acessórios em alto-relevo, que contribuam para o toque, e atividades lúdicas. Independentemente do formato ou da história, o livro deve estar presente em todas as etapas da vida de uma criança. Não há idade para ouvir ou ler histórias. “Tudo depende da forma como ele é introduzido, para ser explorado pelo bebê ou ainda da maneira como a história é lida para uma criança pequena”, diz a psicóloga.

Entre as obras da editora infantil Vale das Letras, de Blumenau, estão os livros de pano, desenvolvidos especialmente para os estágios iniciais de desenvolvimento da criança. “Os livros foram criados com palavras simples e ilustrações coloridas. São macios ao toque e forrados com material que faz barulho ao ser amassado. São livros estimulantes, educativos e divertidos de ler, adequados aos primeiros meses de idade”, afirma a sócia da editora, Patrícia Amorim. As obras podem ser compradas nas principais lojas do segmento, em todo o País.

Conheça alguns livros para os bebês:

√ “Uma Linda Borboleta”: o livro é todo colorido e de formato diferenciado, com chocalho e partes dobráveis, o que proporciona interação ao bebê. Formato: 16×16 cm, seis páginas. Preço sugerido: R$ 39,90

√ “O Dia a Dia do Bebê”: são várias formas de o bebê interagir com a história: olhar no espelho e puxar ou abrir partes do livro, por exemplo. Formato: 16×16 cm, seis páginas. Preço sugerido: R$ 44,90.

√ “Bichinhos do Quintal”: os personagens do livro são dedoches, que se encaixam em partes dos cenários das histórias. Formato: 18×18 cm, seis páginas. Preço: R$ 39,90.

Brincando de Sherlock Holmes

21 de fevereiro de 2013 1

Você é fã de livros e filmes de mistério? Gosta de solucionar casos complicados? Então fique de olhos bem abertos na sugestão de hoje, “Charadas para Qualquer Sherlock”, de Angela Leite de Souza.

O livro conta seis pequenos casos para grandes detetives. Crimes quase perfeitos, cujas brechas tentam se esconder dos investigadores curiosos nos menores detalhes.

“Charadas para Qualquer Sherlock” não é simplesmente uma ficção policial. É um livro-jogo. Com base em uma clássica brincadeira oral, a autora apresenta com maestria e muito bom humor ficções policiais nonsense que precisarão ser desvendadas por um dos jogadores. Para quem ainda não ligou o nome à pessoa, Sherlock Holmes é um personagem da literatura britânica criado pelo médico e escritor Arthur Conan Doyle.

Cabe aos leitores inteligentes, observadores e criativos desvendarem esses casos… enquanto criam mil outras histórias!

“Charadas para Qualquer Sherlock”, de Angela Leite de Souza, com ilustrações de César. Coleção “Jabuti”, Editora Saraiva, 48 páginas, R$ 34,90.

Os desafios das três Marias

20 de fevereiro de 2013 0

Três meninas diferentes, vindas de lugares diferentes e com objetivos diferentes. Assim poderiam ser descritas as Marias: da Graça, Joana e Socorro – esta última, chamada de Mary Help, por favor.

Quando o trio é selecionado para participar de um curso de inglês em Olinda, a vida delas estava fadada a sofrer uma grande transformação. Maria Joana passava por problemas em casa; seus pais só brigavam e ameaçavam se separar. Maria da Graça é apaixonada por seu namorado, João, mas ele não aceita que uma mulher possa querer estudar muito ou sair de casa. Mary Help é sonhadora: quer virar diplomata, conhecer o mundo, viajar sem parar. Como três pessoas desconhecidas e diferentes entre si podem criar uma amizade tão forte e verdadeira?

Essa é a história por trás de “Crescer não é Perigoso”, de Januária Cristina Alves e ilustrações de Nireuda Longobardi, lançado recentemente pela Editora Gaivota. A narrativa conta a história das garotas e enfatiza a personalidade de cada uma, além de mostrar como cada situação contribui para o crescimento tanto coletivo, quanto individual do grupo. As falas são permeadas por expressões do vocabulário pernambucano, aproximando o leitor da realidade vivida pelas personagens. Além das três Marias, participam da história também os rapazes Alessandro, Lucas e Gustavo, meninos que também foram cursar inglês no internato.

Cercados pelo clima e rigor britânicos, os amigos se metem em diversas confusões, até encontrarem um porão abandonado, onde descansa um órgão antigo e outros segredos assustadores! Venha para essa aventura pelo subterrâneo de Olinda e desvende o mistério por trás de Ocrídio. Sabe quem é esse? Pergunte a Mary Help!

“Crescer não é Perigoso”, de Januária Cristina Alves e ilustrações de Nireuda Longobardi. Editora Gaivota, 104 páginas, preço não divulgado.

O que eu vejo pode não ser o que você vê

19 de fevereiro de 2013 0

Uma nova publicação destinada ao público infantil chega ao catálogo da Editora Gaia: “Como eu Vejo as Coisas”, de Sirish Rao, um dos mais importantes escritores indianos da atualidade.

A narrativa gira em torno de Siena Baba, um feliz artista que vê o mundo de maneira diferente, de uma forma peculiar, toda especial, ímpar. As pessoas que param para olhar seu trabalho acham a pintura estranha e, às vezes, até esquisita demais. Mas ele não se importa com o que dizem a respeito da sua arte.

Um dia, Siena Baba decide pintar uma extraordinária galeria de animais para sua casa. Um porco com penas de pavão, um azulão com cabeça de leão, um crocodilo com plumas de um galo… “O que você pinta parece nada com as coisas que existem de verdade”, reclamavam os visitantes. “Não posso fazer nada”, respondia Siena Baba. “É como eu vejo as coisas”, concluía ele.

Depois de uma noite de sono, o artista encontrou uma solução para a confusão armada com bichos inexistentes. Para o pequeno leitor, Sirish Rao mostra como o mundo pode ser diferente com o poder da arte e da imaginação.

“Como eu Vejo as Coisas”, de Sirish Rao, com ilustrações de Bhajju Shyam e tradução de Ana Maria Machado. Editora Gaia, 32 páginas, R$ 59,00.

Pequenas causas, grandes consequências

18 de fevereiro de 2013 0

Pequenas ações podem ter consequências enormes. Qualquer coisa pode acontecer quando alguém deixa uma casca de banana cair no chão… É isso que ensina o livro “Caos!”, de Lilli L’Arronge.

Na história, o pequeno Bruno come uma banana e depois joga a casca no chão, Sua irmã mais velha, horrorizada, imagina junto com ele o caos que aquilo pode causar. Uma pessoa escorregando, porcos escapando, bolos voando, prédio pegando fogo, tudo levando à bagunça total. A confusão inicial, que parecia ser engraçada, vai se acumulando a cada página virada.

A grande tacada do livro é que não precisa de muitas palavras para contar milhares de histórias. A obra, editada no Brasil pela Editora Brinque-Book, foi publicada em países como Alemanha, França, Itália, EUA, Espanha, China, Japão, entre outros.

À medida que cada página é virada, a história se desenvolve com mais detalhes surpreendentes. O livro mostra um jeito inteligente de explicar aos pequenos leitores sobre causa e consequência.

“Caos!”, texto e ilustrações de Lilli L’Arronge, com tradução de Hedi Gnädinger. Editora Brinque-Book, 32 páginas, R$ 26,00.

Adivinha quanto eu te amo!

15 de fevereiro de 2013 1

Muita gente vai se lembrar de um livro com o mesmo título que o blog postou há algum tempo. A sugestão de hoje é “o mesmo livro”, só que em versão de bolso e no formato pop-up, que é aquele tipo em que as páginas têm dobraduras, e o cenário e os personagens “saltam” na frente do leitor.

A história de “Adivinha Quanto eu te Amo”, de Sam McBratney, conta que um coelhinho se esforça para mostrar o tamanho do amor que ele tem pelo pai. O Coelho Pai entra na brincadeira, mas ambos percebem que não é fácil medir o amor.

Esta bela edição é um dos mais apreciados livros infantis da atualidade. Agora, adivinha quanto eu te amo!

“Adivinha Quanto eu te Amo” (livro animado, edição de bolso), de Sam McBratney, com ilustrações de Anita Jeram e tradução de Fernando Nuno. Editora WMF Martins Fontes, 30 páginas, R$ 24,80.

Histórias de crianças peculiares

14 de fevereiro de 2013 0

Chegou ao Brasil o aguardado “O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares”. O livro, editado no Brasil pela Leya, é o romance de estreia  do americano Ranson Riggs. Esta obra, que combina ficção e fotografia, vai transportar o leitor para uma ilha sinistra no País de Gales, assolada pela Segunda Guerra Mundial. E é lá que o jovem Jacob Portman vai descobrir que existem muito mais coisas neste mundo do que ele pode imaginar.

Abraham Portman era sua pessoa favorita em todo o mundo. O avô – que já havia lutado em guerras, cruzado oceanos, morado num circo e sobreviveria até mesmo na selva – vivia contando histórias fantásticas de seus tempos de orfanato, naquela ilha maravilhosa onde sempre era verão e ninguém jamais ficava doente ou morria.

Jacob adorava ouvir as histórias sobre as crianças – chamadas de peculiares por seu avô – que podiam levitar ou ficar invisíveis ou ainda eram mais fortes do que um exército. Mas o tempo passou, e Jacob parou de acreditar em contos de fada, até aquele dia.

Ao encontrar o avô morto, Jacob mergulha numa busca por explicações de seu passado naquela tal ilha, que hoje era apenas povoada por escombros de um orfanato, o Lar da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares.

Será mesmo que aquelas tais crianças especiais existiam? E quem eram os monstros dos quais o avô se escondia? Nazistas? O que aconteceu com esse lugar e para onde foram todas as pessoas das fotografias? Quem matou seu avô? Ele era uma desses peculiares? E por que Jacob não conseguia simplesmente esquecer essas histórias?

“O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares”, que será adaptado para o cinema pelo cineasta Tim Burton em 2013, mescla histórias de terror e super-heróis numa atmosfera sombria e misteriosa em que a verdade está bem em frente aos seus olhos, mas somente os peculiares podem enxergá-la.

“O Orfanato da Srta. Peregrine para Crianças Peculiares”, de Ranson Riggs. Editora Leya, 336 páginas, R$ 39,90.

Dando um mergulho no fundo do mar

13 de fevereiro de 2013 0

Atenção, galerinha que gosta de bichos do mar: hoje, tenho uma dica bem legal. O livro “Bichos do Mar”, de Estéfane Cardinot Reis, convida o jovem leitor para uma aventura fascinante: tomar fôlego, mergulhar no vasto oceano e se deparar com informações surpreendentes sobre os mais diferentes tipos de animais marinhos: fósseis, peixes, répteis, mamíferos e aves.

As orcas são vorazes predadoras que se alimentam de uma infinidade de organismos, como focas, peixes, aves, tartarugas e até de grandes baleias quando caçam em grupo. Possuem a característica coloração preta e branca e uma proeminente nadadeira dorsal, que nos machos é ainda maior e afilada. Apesar da fama de baleia assassina, não é uma coisa, nem outra. Na verdade, as orcas são golfinhos e só atacam para se alimentar.

A cada página do livro, integrante da coleção “Céu, Terra e Mar”, ilustrações de qualidade, um repertório significativo de conhecimento e detalhes curiosos que despertam interesse durante a leitura.

“Bichos do Mar”, de Estéfane Cardinot Reis, com ilustrações de Mauricio Negro. Coleção “Céu, Terra e Mar”, Editora Gaia, 56 páginas, R$ 35,00.