Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de março 2014

Um passeio pelas Águas Emendadas

31 de março de 2014 0

Divulgação, Biruta

O autor e ilustrador Rubens Matuck reúne em seu novo livro, “ÁGUAS EMENDADAS”, registros de suas viagens desbravando a natureza brasileira. Publicado pela Editora Biruta, o lançamento apresenta detalhes sobre a Estação Ecológica de Águas Emendadas – um sistema de proteção à natureza da região do Distrito Federal –, além de uma visão particular do autor sobre este belo cenário do cerrado brasileiro.

O livro remete a um caderno de viagens, onde o autor retrata, por meio de suas aquarelas, as paisagens que encontrou, com toda a sua fascinante exuberância. Com notas de 1985 até hoje, Matuck disponibiliza para o leitor conhecimentos das diferentes formas e cores que formam a natureza brasileira.

“Águas Emendadas” leva o leitor a um passeio entre as palmeiras-buritis, a cultura brasileira e a peculiaridade de cada local que Rubens Matuck, com sua paixão e vontade de representar a natureza, expõe em seu lançamento.

“ÁGUAS EMENDADAS”, de Rubens Matuck. Editora Biruta, 48 páginas, R$ 37,00.

O menino que só jogava videogame

28 de março de 2014 0

Divulgação, Mundo Mirim

Hoje já é dia 28, mas o assunto ainda valendo. Você sabia que o 27 de março é o Dia da Inclusão Digital, a data é utilizada para conscientizar sobre o uso da tecnologia na vida das pessoas? Se não sabia, agora sabe. Então, fica ligadinho (e ligadinha) na sugestão de hoje: “O MENINO QUE SÓ JOGAVA VIDEOGAME”, de Madison Almeida, aborda justamente esse tema.

Almoçar com a família? Divertir-se com os irmãos? Brincar com os cachorros? Que nada! Dudu, o personagem principal da história, só quer saber de derrotar Zínzor, Zíntrox e Zázitron, o trio vilão da galáxia de Ágon! Para ele, nada era mais importante do que seu videogame:

Dudu gostava muito de brincar…, mas sentado no sofá, que era pra ficar assim, bem parado.
Dizia ele:
— Pra não ficar muito cansado.
Futebol?
— Não quero!
Videogame?
— É pra já!

O autor da obra faz uma narrativa linear que mistura ficção com realidade. Dudu passa os dias sentado no sofá e comendo alimentos nada saudáveis. Até que um dia ele tem um sonho que o faz perceber o quanto está prejudicando sua saúde, seus relacionamentos e sua vida. O mundo virtual acaba se confundindo com o real, e o garoto fica frente a frente com os seus piores inimigos.

Publicação da Editora Mundo Mirim, o livro apresenta uma história que discute a dependência de crianças e jovens de hoje no uso de videogames, computadores e internet. Mostrando que o uso de componentes eletrônicos, sejam eles computadores, videogames e celulares, já tomou conta do homem contemporâneo.

Esse é um fenômeno que tem seduzido pessoas cada vez mais jovens, tornando comum ver crianças ou jovens que deixam de brincar, conversar e estudar para se entreter com jogos e relacionamentos virtuais. O problema é comum, e colocar um limite muitas vezes é difícil. Esta obra ajuda a abrir o debate, falando na linguagem da criança.

“O Menino que só Jogava Videogame” fala sobre o equilíbrio que é necessário ter na vida: jogar videogame, sim, mas também brincar fora de casa, estudar, conviver com os amigos e alimentar-se bem.

“O MENINO QUE SÓ JOGAVA VIDEOGAME”, de Madison Almeida, com ilustrações de Otávio Augusto. Editora Mundo Mirim, 36 páginas, R$ 29,90.

Pomelo cresce

27 de março de 2014 0

Divulgação, Caramelo

Pomelo, o protagonista do livro “POMELO CRESCE”, de Ramona Bădescu, é um elefante diferente daqueles que você conhece. Ao invés de ser aquele bicho gigante, ele é pequenino e rosado, enfim, um elefantinho de jardim que vive, cada história, experiências comuns a todas as crianças.

No livro, lançado no Brasil pela Caramelo, o pequeno elefante se enche de alegria ao perceber que está ficando mais alto. Mas essa constatação vem acompanhada de diversas dúvidas e dilemas: será que ele está crescendo de maneira uniforme? Para crescer por fora é preciso, antes, crescer por dentro? Será que quando estiver crescido ele vai perder todos os medos?

Junte-se a Pomelo nesse livro profundo e bem-humorado para refletir sobre o crescimento junto aos pequenos – enquanto eles não viram gente grande!

“POMELO CRESCE”, de Ramona Bădescu, com ilustrações de Benajmin Chaud. Editora Caramelo, 44 páginas, R$ 42,00.

Histórias Mal-assombradas do Espaço Sideral

26 de março de 2014 0

ALDO BRASIL

A sugestão de hoje vai para aquela turminha que gosta de uma história de arrepiar os cabelos. Só não vale, depois de ler, pedir para a mãe deixar a luz do quarto acesa. Está preparado?

No sítio Veredas (cenário de “HISTÓRIAS MAL-ASSOMBRADAS DO ESPAÇO SIDERAL”, de ADRIANO MESSIAS, coisas estranhas estão acontecendo há algum tempo: um bicho esquisito devora animais e mata pessoas. Luzes estranhas são vistas no céu, e misteriosas passagens subterrâneas podem levar a contatos imediatos do terceiro grau. Até o boitatá está diferente, com uma barriga enorme e brilhante.

André e seu amigo Leandro vão se envolver em tramas impensáveis e com personagens sinistros: um médico excêntrico e seus assistentes do IML, um caipira que tem uma dieta carnívora que não agradaria ao Ibama, além de uma linda moça fantasma que mora no fundo de um poço.

“Histórias Mal-assombradas do Espaço Sideral” é o sexto volume da série “Contos para não Dormir”, da Editora Biruta. Todos os livros da série mostram causos de assombrações típicos: são histórias do interior, histórias indígenas, histórias vindas de Portugal e Espanha – nesse livro, o autor busca inspiração nas histórias extraterrestres. O cenário e os personagens principais são os mesmos, mas o livro pode ser lido de maneira independente. O livro traz diversos mistérios, e o leitor ficará curioso para desvendá-los.

O livro é indicado para crianças a partir de 10 anos, que sejam fluentes na leitura, devido ao maior volume de texto.

E aí, ficou com medinho?

“Histórias Mal-assombradas do Espaço Sideral”, de Adriano Messias, com ilustrações de Alexandre Teles. Série “Contos para não Dormir”, Editora Biruta, 272 páginas, R$ 37,00.

A Menina Distraída quer falar com você

25 de março de 2014 0

Divulgação

A jornalista e escritora Vanessa Bencz parte em mais uma empreitada e busca apoio para colocar em pé o projeto do livro “MENINA DISTRAÍDA” via site Catarse.me. A narrativa é contada em primeira pessoa, mas sem ser, necessariamente, uma autobiografia. O objetivo da obra é mostrar/combater uma praga muito presente na realidade de muitas pessoas: o bullying. Vai, Vanessa/Menina Distraída, conta a história para nós.

Burra, lixo, desperdício de oxigênio, avoada, cabeça de vento. Esses foram alguns dos “apelidos” direcionados a mim quando eu era adolescente. Na época, eu tive duas escolhas: ou eu acreditava nesses apelidos ou eu tapava os ouvidos e acreditava naquilo que meu coração dizia. Por sorte, escolhi a segunda opção. Infelizmente, sei que muitos estudantes que são vítimas de bullying acabam sem querer acreditando nos adjetivos pejorativos que ganham e aceitam a violência que sofrem.

Não podemos mais tolerar o intolerável. Não devemos mais justificar o injustificável. Essas são posturas de desrespeito com a humanidade. Eu atuo por um mundo melhor e menos violento, e acredito que iniciativas culturais atuam profundamente no processo educativo. São esses jovens que estarão no comando do mundo daqui a pouco. Esse projeto quer destacar para a nova geração o valor da paz e da tolerância, bem como o respeito ao outro e, sobretudo, à vida!

Nos dois últimos anos, me dediquei a visitar escolas falando sobre literatura, livros e motivações. Percebi que os estudantes tinham muita curiosidade sobre a minha trajetória escolar. Eles ficavam surpresos e emocionados quando eu falava que tirava notas baixas e tinha dificuldades de aprendizado. Depois, em particular, me chamavam e diziam que passavam pela mesma situação que vivi. Tiravam notas baixas, eram vítimas de uma zoação implacável e se sentiam desamparados. Ganhei a confiança dos professores e eles me pediram para lançar um trabalho que falasse sobre bullying, respeito ao próximo, motivações e sonhos.

Tive a ideia, então, de desenvolver uma história em quadrinhos baseada em algumas situações do que vivi. Foi aí que a história da Menina Distraída surgiu, pronta, na minha cabeça. A protagonista se chama Leila. Ela tem 14 anos, treina kung fu, é apaixonada por desenhar e, obviamente, é a distração em pessoa. Ela não resiste a uma boa janela. O passarinho que pousou na árvore é mais interessante que o professor de matemática ou as placas tectônicas da aula de geografia. Em vez de prestar atenção nas aulas, ela fica desenhando e, para lidar com o tédio, cria uma super-heroína perfeita, a Mulher Raio.

Para apoiar, basta acessar o link http://catarse.me/pt/meninadistraida, clicar no box verde escrito “Apoiar este projeto” e escolher a cota que quer comprar. O livro e as recompensas chegarão por e-mail, se o projeto obtiver sucesso. Se ele não atingir o valor de R$ 16 mil, o dinheiro volta certinho para cada apoiador.

Um Viés Biocêntrico na Elaboração de Projetos

24 de março de 2014 0

Divulgação

Elaborar projetos nunca foi tarefa fácil. Colocar em prática projetos com fins sociais, de forma solidária e humana, com o objetivo de auxiliar as comunidades carentes de apoio e atenção, também não é fácil, principalmente no que se refere à obtenção de recursos para viabilizá-los, via editais públicos ou privados, além de outras formas de captação. Esse trabalho é, geralmente, resultado da atuação de organizações não governamentais (ONGs), a “ponta de lança” do terceiro setor. E é justamente para esse público e para esse fim que será lançado,nesta segunda, dia 24, às 20 horas, no saguão do Teatro Juarez Machado, o livro “Um Viés Biocêntrico na Elaboração de Projetos – Desafios e Profissionalização do Terceiro Setor”, da gestora da ONG Moradia e Cidadania de Santa Catarina, Célia Vicente, com a participação da doutora em educação Ana Maria Borges de Souza e Stella Gomes Bittencourt, docente da Rede Escola de Governo.

Ao longo das 176 páginas, a autora apresenta todas as etapas do processo de desenvolvimento de novos projetos, o perfil do terceiro setor no Brasil, reflexões sobre a atuação das organizações não governamentais; conceitos para qualificação das entidades: sustentabilidade, projetos e programas sociais, políticas públicas, responsabilidade social, economia solidária, economia criativa e economia verde.

A obra apresenta, ainda, uma proposta de aplicação da metodologia de educação biocêntrica na criação dos projetos, aplicando seus conceitos e práticas, cuidando, respeitando, valorizando e celebrando a vida com responsabilidade, amor, ética e prazer por meio do desenvolvimento da inteligência afetiva e do fortalecimento de vínculos entre os atores sociais.

Mas a obra não se trata simplesmente de um “manual de instruções” sobre como fazer projeto. A experiência da autora e das participantes do livro conduz para uma abordagem da aplicação da educação biocêntrica em projetos sociais, baseada no desenvolvimento de uma cultura afetiva, como alternativa para mudar a realidade das comunidades carentes. “Aplicando este modelo, é possível resgatar valores como sensibilidade,  afetividade e compaixão, que são fundamentais para uma cultura de paz”, explica Célia Vicente.

ONGs – O crescimento das organizações não governamentais é visível no Brasil e, cada vez mais, elas ganham importância no desenvolvimento de ações em comunidades com alto nível de vulnerabilidade social. Mas uma pesquisa realizada pela ONG Moradia e Cidadania de Santa Catarina revela que em apenas 30% das ONGs do Estado a gestão é profissional. Em 70% das organizações sem fins lucrativos, a administração é familiar ou entre grupos de amigos.

Este livro é justamente fruto da confrontação da autora, Célia Vicente, com a dura realidade de quem deseja, mas não tem as ferramentas necessárias para ajudar o próximo. Falta qualificação para os gestores de ONGs. Este é um dos entraves para o desenvolvimento sustentável das entidades. Com recursos escassos, a maioria não terceiriza os serviços e depende do trabalho voluntário e informal.

“Como não têm em seu quadro um profissional com experiência em projetos, e o baixo orçamento não possibilita a terceirização deste tipo de serviço, grande parte das entidades não se apropria dos inúmeros editais públicos e privados publicados anualmente”, conta Célia.

Diante dessa realidade, Célia Vicente uniu a experiência acumulada ao longo de 11 anos atuando no terceiro setor no Brasil e em Portugal à pesquisa realizada no último ano para a produção do livro, incluindo todas as informações necessárias para formular um projeto e aplicá-lo nos editais. Com a publicação, a autora pretende ajudar gestores, voluntários, articuladores sociais, líderes comunitários e consultores do terceiro setor. A obra apresenta ainda reflexões, iniciativas bem-sucedidas de profissionais catarinenses e, principalmente, conceitos fundamentais para embasar o trabalho de criação e execução dos projetos, tais como sustentabilidade, projetos e programas sociais, políticas públicas, responsabilidade social, economia solidária, economia criativa e economia verde.

A promoção é da ONG Moradia e Cidadania de Santa Catarina. A publicação foi contemplada no edital do Programa de Apoio a Projetos da Associação Comercial e Industrial de Florianópolis e conta com o patrocínio da Caixa Econômica Federal

SERVIÇO

  • O QUÊ: lançamento do livro “Um Viés Biocêntrico na Elaboração de Projetos – Desafios na Profissionalização do Terceiro Setor”, de Célia Vicente, com a participação de Ana Maria Borges e Stella Gomes Bittencourt.
  • QUANDO: nesta segunda, dia 24 de março, às 20 horas.
  • ONDE: saguão do Teatro Juarez Machado
  • QUANTO: Entrada gratuita. O livro custa R$ 25,00 e, além de ser comprado no local, também poderá ser obtido por e-mail: coordenadorsc@gmail.com, livroprojetossociais@gmail.com ou pelos fones: (48) 3304-2204/ 9143-2567. Em breve, a obra estará a venda nas principais livrarias do País.

Feira do Livro de Joinville ganha novo patrocinador

21 de março de 2014 0

A organização da 11ª edição da Feira do Livro de Joinville comemora a conquista do patrocínio da empresa Britânia ao evento. A cerimônia acontecerá nesta sexta-feira (21/3), às 14 horas, na Prefeitura de Joinville, e contará com a presença do presidente da Britânia, César Buffara, e do prefeito de Joinville, Udo Döhler.

O quê: Entrega oficial do patrocínio da empresa Britânia à 11ª edição da Feira do Livro de Joinville.

Quando: sexta-feira (dia 21), às 14 horas.

Onde: Prefeitura de Joinville, no gabinete do prefeito.

A Cara da Rua e Outras Crônicas

20 de março de 2014 0

Aldo Brasil

Qual é a cara da rua? Vivendo hoje, na segunda década do século 21, você consegue responder a essa pergunta?

No livro “A CARA DA RUA – E OUTRAS CRÔNICAS”, lançado pela Editora Saraiva, o autor Marcelo Xavier apresenta a cara da rua por meio da sinfonia de seres e cores que há nela: a partir do ponto de vista das ervas daninhas, das emoções públicas, da vida dos objetos, dos insetos que vivem em meio à guerrilha estética, despojada e precária que encontramos na cidade e das diferentes metamorfoses que sofremos ao longo do dia e da vida, a obra não deixa o leitor voltar à sua toca sem antes tomar uma dose de rua.

“A Cara da Rua – e Outras Crônicas” é uma compilação de 31 textos selecionados e ilustrados pelo autor já publicados no jornal “Hoje em Dia”, de Minas Gerais.

“A CARA DA RUA – E OUTRAS CRÔNICAS”, texto e ilustrações de Marcelo Xavier. Editora Saraiva, 128 páginas, R$ 37,00.

Thomás Tristonho diz que pode entristecer tudo que ele tocar

19 de março de 2014 0

ALDO BRASIL

Galerinha, a sugestão de hoje traz uma história, ou melhor, um personagem no mínimo diferente: ele se chama Thomás, e já conto por que ele é diferente.

O livro “THOMÁS TRISTONHO”, do Coletivo Centro, conta que o garoto acredita ter o poder de entristecer tudo o que toca. Por meio de imagens lúdicas, a obra, que não tem texto, retrata a história desse jovem, que, aos poucos, toma coragem para encarar os desafios de sua vida, como o de se entregar aos novos encontros com o mundo. O leitor também pode ler o livro e ouvir a trilha sonora. Para isso, deverá ter um smartphone ou tablet com leitor de código QR, que se encontra dentro do livro.

O Coletivo Centro é um grupo brasileiro formado por sete sonhadores (e grandes amigos) em que os objetivo são reunir ideias e manifestações que possam despertar boas intenções e aproximar pessoas, levar ao mundo boas vibrações e traduzir os bons valores por meio das mais variadas expressões criativas.

Os integrantes do grupo são: André Saito, Cesar Nery, Fê Sztok, Pedro Hefs, Rodrigo Pagianotto, Rodrigo Scapolan e Rodrigo Usberco.

Assista a um filme de Thomás Tristonho (em inglês):

THOMÁS TRISTONHO”, do Coletivo Centro, com ilustrações de Marcio Moreno. Editora Formato, 40 páginas, R$ 42,00.

Espaço exclusivo para escritores joinvilenses na Feira do Livro

18 de março de 2014 0

A 11ª edição da Feira do Livro de Joinville conta com um espaço reservado exclusivamente para a produção literária da cidade. Escritores joinvilenses poderão fazer o lançamento de obras e comercializá-las durante o evento, em um estande destinado à valorização da produção literária local. Dezenas de escritores de Joinville e região se inscreveram para integrar a programação e atuar na divulgação de suas obras.

“Disponibilizamos este espaço aos escritores regionais porque, além de reconhecer e valorizar os talentos joinvilenses, também queremos incentivar a produção literária local”, conta Sueli Brandrão, organizadora do evento.

Além de poder comercializar suas obras, os escritores irão se aproximar dos leitores e interagir de forma constante com o público para o qual seus livros são destinados. O presidente da Associação dos Escritores de Joinville, David Gonçalves, relata que na última edição do evento, os escritores joinvilenses já tiveram um espaço no evento, mas neste ano a participação está sendo mais bem articulada e muitas pessoas se motivaram a integrar o evento. “É uma vitrine cultural para mostrar o que os nossos autores estão produzindo. Um incentivo muito bom à prática literária no município”, relata Gonçalves.

A 11ª edição da Feira do Livro de Joinville acontecerá de 4 a 13 de abril, das 9h às 21h, no Centreventos Cau Hansen. A entrada é franca. Mais informações sobre a programação do evento podem ser conferidas no site www.feiradolivrojoinville.com.br/2014/.