Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de abril 2014

Crônicas podem modificar a educação brasileira

30 de abril de 2014 0

Divulgação, Nossa Cultura

O dia 28 de abril é considerado o Dia Mundial da Educação. Mesmo um pouco atrasado (se bem para que discutir a educação não há tempo errado), o blog apresenta um livro que propõe, por meio de crônicas, reflexões sobre essa área tão importante. Rompendo os paradigmas da educação tradicional brasileira ao mesmo tempo em que expõe uma insatisfação constante pelo formato em que ela é aplicada no Brasil, o educador José Pacheco traz, por meio do livro “CRÔNICAS EDUCAÇÃO – DENUNCIAR E ANUNCIAR”, textos de sua autoria que explicitam sua inconformada visão sobre a construção social chamada escola.

Organizado pelo professor Samuel Lago e publicado pela Editora Nossa Cultura, esse projeto editorial reúne 30 escritos do autor, nos quais fala desde sua visão sobre o papel das avaliações escolares até os sete pilares da educação – conhecer, fazer, ser, conviver, aprender a desaprender, aprender a desobedecer e aprender a desaparecer.

Pacheco nasceu em Portugal, em 10 de maio de 1951. Este genial “miúdo” tinha apenas 25 anos quando iniciou o Projeto da Escola da Ponte. Um jovem sonhador que sempre acreditou que a mente humana, uma vez dilatada por uma ideia, nunca volta às suas dimensões originais. Hoje morando no Brasil, ele presta orientação técnico-pedagógica para mais de cem escolas que também sonham em sair da mesmice predominante.

Por meio desta obra, ele convida políticos, educadores, coordenadores e diretores a refletirem por que razão os professores das escolas brasileiras não estudam devidamente autores como Brecht, que confirma a existência de seres inspirados – e chamados indispensáveis – que viveram “na contramão da história”, aprendendo a surfar no dilúvio de lixo cultural em que a sociedade se afundou.

Segundo o autor, “talvez isso os condene a um praticismo inconsequente, que adia a reconfiguração das escolas e compromete o futuro do País. Porque o Brasil parece padecer de algo que Nelson Rodrigues chamou de síndrome do vira-lata: admira e imita modas vindas de fora; despreza aquilo que é seu”.

“CRÔNICAS EDUCAÇÃO – DENUNCIAR E ANUNCIAR”, de José Pacheco, organizado por Samuel Ramos Lago. Editora Nossa Cultura, 72 páginas, R$ 34,90.

Samba sem mim

29 de abril de 2014 0

Aldo Brasil

A sugestão de hoje, apesar do título, não tem nada de musical. A obra trata de um sentimento que muitos que viveram (ou vivem) o pesadelo de ter de abandonar tudo por causa de guerra ou de qualquer outro motivo que force uma mudança a outro lugar.

João Pedro é obrigado a fugir de sua terra natal e se esconde na terra de seus avós. Estes que haviam fugido de uma Alemanha em guerra e, sem escolha, desembarcaram no Brasil de Getúlio Vargas, sem direito a falar sua própria língua.

Instalado em Berlim, João Pedro vai descobrir aquilo que seus avós já tinham experimentado aqui: o sentimento de não pertencer. Sua mãe era filha de alemães e dela não restou nada, nem o sobrenome. João Pedro não tinha nem um sobrenome alemão que pudesse lhe dar algum conforto no país.

O romance “SAMBA SEM MIM”, de Caio Yurgel, explora esse não lugar vivido pelo personagem central, sentimento intensificado ao longo da narrativa pelas histórias das pessoas que cruzam seu caminho: os jovens filhos de turcos, que são “turcos na Alemanha e alemães na Turquia”. O filósofo Ján Kováč, que mora em Berlim desde que era estudante, mas é eslovaco. Alice, a quem ele procura como se procurasse a si mesmo. Anka, que anseia preencher as páginas em branco de sua própria história. E mesmo os alemães, os eternos culpados. Cada um vivendo seu exílio, a sua “impossibilidade da poesia”.

O leitor tem em mãos uma narrativa contundente, a história de um homem cindido como uma Berlim, cindido como uma Alemanha do pós-guerra.

“SAMBA SEM MIM”, de Caio Yurgel, Editora Benvirá, 192 páginas, R$ 34,90.

Sai da Lama Jacaré

28 de abril de 2014 0

Divulgação, Global

Para começar bem a semana, lá vai um livro que tem um bicho como personagem principal, mais especificamente um jacaré.

O livro “SAI DA LAMA JACARÉ”, de Graça Lima, conta a história de um simpático jacaré que era uma espécie de ônibus escolar para seus amiguinhos, já que eles estudavam do outro lado do rio. Certo dia, depois de deixá-los na escola, o jacaré foi divertir-se e acabou cochilando numa poça de lama. Sonhava que havia sido capturado por caçadores que o transformariam em bolsas, sapatos e roupas, quando foi acordado pelos amigos, que queriam ir para casa.

O livro não tem nenhuma palavra, só ilustrações, que a cada página encantam o pequeno leitor pela afetividade com que as cenas e os personagens foram construídos. A obra, considerada altamente recomendável pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) na categoria imagem, traz um bom ensinamento sobre a preservação da natureza para crianças ainda em processo de aprendizagem, uma vez que são elas mesmas que criam a história e podem compreender a importância da proteção ambiental.

“SAI DA LAMA JACARÉ”, de Graça Lima. Global Editora, 42 páginas, R$ 35,00.

As viagens dos alimentos

25 de abril de 2014 0

Aldo Brasil

Um dos aspectos mais interessantes e curiosos das grandes navegações foi o intercâmbio cultural estabelecido entre os europeus e povos de diversas partes do mundo. As trocas culturais mudaram significativamente a fisionomia do mundo a partir de então.

O livro “AS VIAGENS DOS ALIMENTOS – AS TROCAS ENTRE OS CONTINENTES”, de Janaína Amado e Luiz Carlos Figueiredo, destaca o intenso tráfego de vegetais e animais promovido pelos europeus a partir do século 15, e a incorporação, pelos diversos povos, de temperos e hábitos alimentares diferentes dos seus.

Repleto de curiosidades, a obra, integrante da coleção “Nas Ondas da História”, apresenta uma bela coletânea de iconografias, aguçando ainda mais os sentidos dos leitores. E oferece, de maneira saborosa, uma oportunidade de compreender a importância das expedições marítimas que trouxeram os portugueses para as nossas terras.

“AS VIAGENS DOS ALIMENTOS – AS TROCAS ENTRE OS CONTINENTES”, de Janaína Amado e Luiz Carlos Figueiredo. Coleção “Nas Ondas da História”, Atual Editora, 32 páginas, R$ 38,00.

Os Pingos perguntam: sabem por quê?

24 de abril de 2014 0

Divulgação, Global

O blog já colocou aqui alguns livros da coleção “Os Pingos”, que são superlegais. Eles são tão legais, que hoje eu vou dar mais uma dica com os queridos personagens. Trata-se do livro “SABEM POR QUÊ?”, do casal Mary França e Eliardo França.

Nesta história, os Pingos, sempre afetivos e companheiros, dedicam-se à leitura e à escrita. Por quê? Todos querem agradar Gota-de-Mel. Pingo-de-Fogo procura uma nova receita de doce; Pingo-de-Mar quer saber tudo sobre o espaço para levar Gota à Lua; e Pingo-de-Sol espera encontrar no jornal uma sugestão de filme.

O livro conta uma história que ressalta de forma carinhosa a importância do domínio do código linguístico, da linguagem com prática social e como meio para a expressão dos sentimentos. Os pingos dão voz aos nossos sentimentos e por meio deles nos sentimos confortáveis para falar sobre nossas emoções. Uma leitura divertida e cheia de descobertas, na qual a criança pode aprender a contar brincando.

“SABEM POR QUÊ?”, de Mary França e Eliardo França. Coleção “Os Pingos”, Global Editora, 22 páginas, R$ 21,00.

Odisseia de Homero (Segundo João Vítor)

23 de abril de 2014 0

Divulgação, Gaivota

Um dos clássicos da poesia épica mundial foi parar nas mãos de João Vítor, aluno da sexta série que está de recuperação e precisa fazer um resumo da “Odisseia” de Homero para passar de ano. Por engano, o garoto retirou da biblioteca a versão integral da obra de Homero, ao invés da versão “adaptada” à sua idade. Para piorar, ele deixou a leitura para o último dia, ou melhor, a última noite antes da entrega.

O resultado, como era de se esperar, não sai exatamente como a professora esperava, pois o aluno não só contou a história com suas próprias palavras, como aproveitou para incrementar alguns detalhes que, a seu ver, faziam toda diferença.

“Ulisses e seu bando chegaram, então, à terra dos ciclopes, horríveis gigantes de um olho só. Após desembarcarem na praia, o que escolhem fazer? Descansar? Não. Banho de mar? Não. Frescobol? Não. Churrasco. Churrasco! Outro churrasco, professora Denise! Deve ser o vigésimo, e ainda estamos no capítulo nove! Vou lhe dizer uma coisa: nunca vi povo tão farofeiro quanto esse. Dia sim, dia não, tem churrasco na praia!” Dessa forma, com uma linguagem informal e desencanada, João dialoga com sua professora em um texto recheado de imaginação.

Gustavo Piqueira, autor e ilustrador do livro, trouxe ilustrações divertidas e bastante atuais para a história, misturando diferentes tempos, divertidas colagens e fantasias coloridas que refletem a mente do inteligente, e muito malandro, João Vítor.

A leitura de “Odisseia de Homero (Segundo João Vítor)”, que será lançado no dia 26, é a aventura mais maluca dos personagens gregos que os leitores conhecerão!

“Odisseia de Homero (Segundo João Vítor)”, texto e ilustrações de Gustavo Piqueira. Editora Gaivota, 224 páginas, R$ 45,00.

Autobiografia não Autorizada

22 de abril de 2014 0

Aldo Brasil

Você pode estranhar e se perguntar: “O que um cara de 35 anos pode contar sobre sua vida?”. Pois é! A ideia de um livro que narra a vida de um humorista por ele mesmo é curiosa justamente pelo ponto de vista cômico impresso no DNA do artista.

É isso que acontece com “AUTOBIOGRAFIA NÃO AUTORIZADA”, de Oscar Filho. Provavelmente a primeira biografia nacional de um jovem humorista que conta experiências como passar o aniversário de cinco anos num centro espírita e ter sido mandado para a diretoria já no primeiro dia de aula. Acha pouco? E que tal ele ter sido atropelado por uma carroça e interpretado uma cena de teatro no juizado de menores? Ah, também teve seu nome tatuado nas costas de uma fã.

Oscar conta ainda sua nada agradável experiência de entrar para o CQC. Enfim, são 100 histórias bizarras, engraçadas e divertidas, independentemente do fato de você já ter ouvido falar no autor ou não.

“AUTOBIOGRAFIA NÃO AUTORIZADA”, de Oscar Filho. Editora Benvirá, 288 páginas, R$ 29,90 (livro impresso) e R$ 20,30 (livro digital).

O Escandaloso Teatro das Virtudes

21 de abril de 2014 0

Aldo Brasil

Quem nunca se sentiu injustiçado pelo menos uma vez na vida? Reivindicar nossos direitos, falar o que pensamos, ser ouvido e atendido parece algo simples, até natural. Mas não é. Isso é o que descobre Rui Barbosa, um professor que decide reivindicar o que é seu botando a boca no trombone: escreve algumas anedotas, inventa caricaturas de personagens e cria o Teatro das Virtudes.

A realidade mistura-se à ficção na feira de Aquissepaga, em cujo palco são apresentadas cenas de uma sociedade na qual a esperteza de uns leva vantagem sobre a virtude de outros.

A narrativa de “O ESCANDALOSO TEATRO DAS VIRTUDES”, de Marco Túlio Costa, mescla esquetes teatrais, de diálogos ágeis carregados de ironia e humor, com as histórias que as inspiraram. Trata-se obra atual, já que o Brasil vivencia uma fase na qual a população não aceita mais injustiças e vai para a rua manifestar-se.

“O ESCANDALOSO TEATRO DAS VIRTUDES”, de Marco Túlio Costa, com ilustrações de Andrea Ebert. Coleção “Jabuti”, Editora Saraiva, 80 páginas, R$ 36,00.

Ayrton Senna - a Trajetória de um Mito

17 de abril de 2014 0

Divulgação, Nemo

Com sua genialidade nas pistas, Ayrton Senna da Silva conquistou muito mais do que três campeonatos mundiais de Fórmula 1, em 1988, 1990 e 1991. Ele conseguiu se consagrar como ídolo nacional em uma época de instabilidade política e econômica. Levou o orgulho de sua nação nas cores de seu capacete e colocou a bandeira do Brasil no lugar mais alto do pódio por 41 vezes.

Mesmo após o acidente em Ímola, há 20 anos, Senna continua vivo nas mentes e corações de fãs de todo o planeta. Para homenageá-lo, sua história no automobilismo é contada na HQ Ayrton Senna: a Trajetória de um Mito, do trio de autores europeus Froissart, Papazoglakis e Paquet, um lançamento mundial que chega ao Brasil pela Editora Nemo, em parceria com o Instituto Ayrton Senna.

O álbum começa com a primeira corrida na chuva de Senna, ainda no kart, e sua obsessão em se aprimorar para ser o melhor. Depois desse flashback, o leitor é levado para um momento marcante do piloto: o Grande Prêmio de Mônaco em 1984, ano de sua estreia na principal categoria do automobilismo mundial. A chuva cai no principado e Senna se prepara para dirigir o seu limitado carro da equipe Toleman, em um dos circuitos mais difíceis do campeonato. Larga apenas na 13ª posição e, com genialidade, ultrapassa seus adversários em pouco tempo. Faltava apenas o líder Alain Prost, mas, quando o brasileiro estava a ponto de ultrapassá-lo, o GP é paralisado, devido à pesada chuva. Ali se inicia a rivalidade entre Senna e Prost, uma das maiores na história da Fórmula 1.

Com um acabamento detalhado e traço minucioso, os desenhos da HQ capturam o dinamismo e toda a emoção que as corridas envolvendo Senna proporcionavam ao público. Episódios inesquecíveis ganham vida a cada quadro. O dramático triunfo do piloto no Autódromo de Interlagos em 1991; as polêmicas com Prost nos GPs do Japão e a conquista do seu tricampeonato mundial neste país onde, até hoje, ele é idolatrado.

A obra conta ainda os incentivos e ensinamentos do pai de Senna, Milton da Silva, e curiosidades de sua carreira, como a sua primeira vez no volante de um carro de Fórmula 1 e a relação e solidariedade com outros pilotos brasileiros, como Rubens Barrichello, Chico Serra e Emerson Fittipaldi.

No dia 1º de maio completam-se 20 anos do acidente em Ímola. Mas a história de Ayrton Senna dá mostras de transcendê-la, sendo lembrado e homenageado em todo o mundo.

“AYRTON SENNA: A TRAJETÓRIA DE UM MITO”, com roteiro de Lionel Froissart, desenhos de Christian Papazoglakis e Robert Paquet e tradução de Fernando Scheibe. Editora Nemo, 48 páginas, R$ 29,90 (impresso) R$ 19,90 (digital).

O Livro dos Animais

16 de abril de 2014 0

Divulgação, WMF Martins Fontes

Galerinha que se liga em bichos, dá uma olhada na dica de hoje, “O LIVRO DOS ANIMAIS”, de Okido.

O livro conta que um grupo de crianças faz uma viagem pelo mundo, em que encontra todos os tipos de animais, desde um camundongo minúsculo até uma baleia imensa. De maneira divertida, por meio de jogos, ilustrações e textos informativos, a obra leva a descobrir como e onde vivem os diferentes tipos de animais, como eles se alimentam, como caçam e como têm filhotes. É um livro prático, cheio de ação, para compartilhar com as crianças pequenas.

Como sugestão para explorar o livro, dá para trabalhar questões como: por que em cada região do planeta vivem animais diferentes? Por que os animais precisam de “armas”? Animais na natureza e animais em cativeiro; natureza e animais de estimação. A obra apresenta, também, perguntas e respostas e atividades para serem desenvolvidas com os pequenos.

Okido é uma criação da cientista e designer multimídia doutora Sophie Dauvois e da ilustradora Rachel Ortas e é belamente ilustrado por artistas e designers contemporâneos.

“O LIVRO DOS ANIMAIS”, de Okido, com tradução de Monica Stahel. Editora WMF Martins Fontes, 64 páginas, R$ 44,00.