Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Aprendendo com o ABCenário

12 de agosto de 2014 0
Divulgação, Autêntica

Divulgação, Autêntica

Trabalhar com a imaginação, estimulando a criatividade e fugindo das percepções preestabelecidas do mundo, é o maior desafio na criação de livros infantis. De forma bem-humorada, Alex Lutkus e Leo Cunha constroem novos significados para objetos presentes no dia a dia das crianças ao interligá-los às letras do alfabeto em “ABCenário”, da Autêntica Editora.

O livro é essencialmente visual, trazendo ilustrações construídas digitalmente que exploram os recursos de cores e terceira dimensão de objetos com formato semelhante ao corpo de cada uma das letras do alfabeto. As imagens misturam realismo e surrealismo e, associados a elas, poemas de no máximo duas linhas são criados com predominância de palavras iniciadas pela letra em destaque.

A letra “T”, por exemplo, é apresentada na forma de uma aeronave, um teco-teco, visto de cima. O texto que a acompanha é: “Pro teimoso teco-teco, toda a Terra é um tesouro”. A aliteração, nesse caso, reforça a letra abordada. Para o público infantil, isso é ainda mais importante por desenvolver o vocabulário, além de estimular e ampliar a percepção visual e crítica de objetos do cotidiano.

Curiosa é a definição dada às letras K, W e Y: “São os ETs do ABC”. Por ser recente sua inclusão oficial no alfabeto de língua portuguesa e por não serem comuns em palavras que não as de origem estrangeira, o texto questiona e provoca o leitor acerca do uso de tais letras.

Ao contrário de outras publicações infantis de Leo Cunha, em “ABCenário” ele cria os textos escritos a partir das ilustrações prontas pela primeira vez.

“ABCenário”, de Alex Lutkus, com ilustrações de Leo Cunha. Autêntica Editora, 32 páginas, R$ 29,00.

Envie seu Comentário