Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de setembro 2014

Dá para escrever e apagar

30 de setembro de 2014 0
Divulgação, SBB

Divulgação, SBB

Sabe aquelas crianças que não podem ver um pedaço de papel, uma revista ou um livro e uma caneta, que logo vão riscando tudo, muitas vezes para desespero dos adultos? Pois a sugestão de hoje vai para elas (e para todas as outras crianças também, lógico).

Trata-se de uma novidade da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) que promete transformar o aprendizado das histórias bíblicas em exercícios divertidos: o livro “Escreva e Apague – Atividades Divertidas da Bíblia”.

A obra – que vem com uma canetinha – reúne inúmeras atividades, em páginas laminadas, que podem ser apagadas e repetidas quantas vezes a criança quiser.

“Escreva e Apague”, da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), 72 páginas (capa dura em espiral e miolo especial para escrever e apagar), R$ 24,90.

O urso aprende a contar

29 de setembro de 2014 0
Divulgação, Gaudí

Divulgação, Gaudí

O blog vai mostrar para os pais e a criançada um livro superlegal para ler e aprender os números de forma divertida e descontraída. É uma maneira de ensinar os pequenos alguns conceitos da matemática.

Na obra “Números”, de Natalie Marshall, um urso aprende a contar. Ele olha duas corujas, três pássaros, quatro flores, cinco nuvens, seis caramujos, sete frutas, oito joaninhas, nove flores e dez folhas.

O livro, da Gaudí Editorial, é feito com material resistente, cartonado, bem colorido, com ilustrações alegres e encantadoras, apresenta de uma forma lúdica os numerais de um a dez.

A autora convida a criança a aprender brincando. Em formato atraente, estimula sua atenção, o pensamento lógico e a percepção visual.

“Números”, de Natalie Marshall. Gaudí Editorial, 12 páginas, R$ 35,00.

O urso pulguento

25 de setembro de 2014 0
Divulgação, Brinque-Book

Divulgação, Brinque-Book

Livros com bichos sempre agradam às crianças. Então, “O Urso Pulguento”, de Nick Bland, com certeza vai cair no gosto dos pequenos.

Parecia mais um dia comum: o céu estava azul e a grama verdinha, repleta de flores. Sentado em um tronco, o urso aproveitava para ler um livro, quando foi interrompido por uma forte coceira, provocada por uma pulga. Ela só queria dizer “oi” e mostrar que estava ali, mas acabou causando muita confusão! Será que esses dois inusitados personagens vão conseguir superar suas diferenças?

Ao aproximar o grande urso da quase invisível pulga, estreitando laços em uma amizade quase improvável, é possível mostrar às crianças que a diversidade é um fator inerente à vida e que deve ser tratada de maneira natural. Também pode-se abordar questões como individualidade versus vida em sociedade, e ainda mostrar que ajudar o próximo pode ser muito bacana!

O título faz parte da iniciativa Ler e Ouvir, um recurso de leitura compartilhada que pode ser acessado gratuitamente, escaneando-se o QR code no interior do livro.

“O Urso Pulguento”, com texto e ilustrações de Nick Bland, com tradução de Gilda de Aquino. Editora Brinque-Book, 24 páginas, R$ 26,90.

O que eu vou ser quando crescer?

24 de setembro de 2014 0
Divulgação, Mundo Mirim

Divulgação, Mundo Mirim

Todos já passaram pela fase em que pensam: “O que eu vou ser quando crescer?”. É uma preocupação natural de cada pessoa. Escolher a profissão é algo complicado e angustiante para os adolescentes, principalmente. O mercado de trabalho oferece um leque enorme de opções, e há muitos fatores que influenciam na escolha. Pensar sobre isso mais cedo pode ajudar a vencer esta etapa sem tanta angústia. O livro “Imitando as Formigas”, de Rosicler Grudzien, possibilita às crianças pensarem sobre a profissão que querem seguir.

Para contar às crianças como as profissões são importantes, esse livro usa o belo exemplo das formigas – insetos que não param nunca e sabem exatamente o que cada um tem de fazer, dentro e fora do formigueiro.

A obra é dividida em três partes: há uma conversa inicial com o leitor, introduzindo-o ao tema, em seguida uma narrativa sobre dois amigos que descobriram sua vocação durante um passeio e, no final, informações específicas sobre várias profissões.

Com uma pincelada de humor nas ilustrações, a obra mostra que a sociedade também é assim, ou seja, formada por pessoas que têm vários tipos de trabalho, todos muito importantes. Rosicler Grudzien, que fez esta obra em dupla com sua irmã Heliana – autora dos desenhos –, descreve alguns tipos de profissões que existem nos tempos atuais e aproveita para contar a história de dois amigos que escolheram o trabalho deles justamente por causa das formigas.

Desde o gari ao maestro, “Imitando as Formigas” fala sobre a dignidade e o valor do trabalho, assim como de cada profissão. O livro também tem como propósito aproximar as crianças da educação ambiental. Traz ainda espaço para desenhos e participação dos leitores na obra, além das datas comemorativas de cada profissão.

“Imitando as Formigas”, de Rosicler Grudzien, com ilustrações de Heliana Grudzien. Editora Mundo Mirim, 48 páginas, R$ 34,90.

 

A família e o desafio de estar junto

23 de setembro de 2014 0
Divulgação, Ave-Maria

Divulgação, Ave-Maria

Nos dias de hoje, muitos acham que a família é uma instituição “perdida”. Porém, os que pensam assim se esquecem que, mesmo diante das mudanças comportamentais e sociais do tempo atual, a família ainda é a base do nascimento e crescimento do ser humano. No livro “Labirintos Familiares – o Desafio de Estar Junto”,as psicólogas italianas Daniela Maria Augello e Antonella Spanò analisam as dificuldades e os principais dilemas do cotidiano de várias famílias.

A partir de passagens de diários escritos por famílias reais, as psicólogas analisam as situações descritas e trazem, em cada uma delas, um ensinamento prático aos leitores. As reflexões e verdades apresentadas são capazes de ajudar a todos que desejam ou precisem de auxílio.

Ao longo do livro, temas como as redes sociais são retratados por meio de modelos e têm várias orientações das psicólogas. Além da internet, as autoras falam sobre as crianças que passam muito tempo na TV vendo desenho ou jogando videogame e questionam até que ponto os próprios pais são omissos a isso: “… com que frequência lhes propomos jogar juntos ou participar de um passeio?”. Além da relação próxima de pais e filhos, o livro também critica o modo como outros familiares (avós, tios, primos) têm se afastado cada vez mais, devido à internet.

De forma geral,o livrotraz o incentivo de vencer o medo, a nostalgia de “tempos passados” e o sofrimento atual para descobrir a força por trás da fraqueza e a energia essencial à instituição que nos é fundamental: a família.

Labirintos Familiares – o Desafio de Estar Junto”, de Daniela Maria Augello e Antonella Spanò, com tradução de José Joaquim Sobral. Editora Ave-Maria, 136 páginas, R$ 29,90.

Astron, o super-robô

22 de setembro de 2014 0
Divulgação, Nemo

Divulgação, Nemo

Um acidente de laboratório, envolvendo um raio, dá origem a um ser extraordinário… Esse tema clássico da ficção científica é o ponto de partida da história de Astron, um fantástico robô com consciência própria. O novo personagem da Editora Nemo, criado por Wellington Srbek e desenhado por Kris Zullo, estreia em “Astron: o Super-robô!”. Nessa primeira aventura, descobrimos como esse herói robótico “nasceu” e também as reações da mídia e da sociedade ao surgimento do primeiro ser com inteligência artificial.

Tudo começa quando o professor Nicodemos Rosas e seus auxiliares Sarah Shalom e Hélio Takahashi estão se preparando para iniciar a nova fase no desenvolvimento de um autômato com capacidade cognitiva avançada: o robô Astron 21. O protótipo estava sendo programado para enxergar, ouvir e até mesmo responder a questões simples. Mas quando um raio atinge o laboratório da Unitec-Futuro, o experimento acaba tomando um rumo completamente inesperado pelos cientistas. A descarga elétrica desencadeia uma potencialização do sistema ao qual a rede neural de Astron está ligada. Após o susto inicial, os pesquisadores aguardam alguns dias para poderem analisar os danos. Mas, de repente, o robô “acorda”, revelando surpreendentes capacidades intelectuais e até consciência ética.

As páginas da HQ contam com bastante ação, em que Astron mostra que seu cérebro avançado é acompanhado de muita força física e também de atos heroicos. Ao final dessa primeira edição, encontramos um esquema visual do robô, que indica onde estão localizados seus mais diversos aparatos tecnológicos, como: rede neural com capacidade ampliada; captadores de som ambiente; saída de áudio para fala; câmaras binoculares para visão tridimensional em cores, infravermelho e raio X; propulsores de plasma principais e auxiliares; células fotoelétricas para captar luz e converter em eletricidade; microssensores para reproduzir o sentido do tato, entre outros.

Esse superlançamento da Nemo, criado pelos mesmos autores de “Força Animal: a Aventura Começa!”, promete fazer sucesso entre os fãs de ficção científica e quadrinhos de ação, com uma história envolvente e inteligente, desenhos bastante detalhados e cores caprichadas.

“Astron: O Super-robô!”, com roteiro de Wellington Srbek e desenhos de Kris Zullo. Editora Nemo, 32 páginas, R$ 19,80.

Agradecimento e celebração em "Ave Alegria"

19 de setembro de 2014 0
Reprodução, Aldo Brasil

Reprodução, Aldo Brasil

Ave alegria, / cheia de graça, / o amor é contigo, / bendita é a risada e a gargalhada!

A autora desses versos em forma de oração é a escritora Sylvia Orthof, que no livro “Ave Alegria” traz o amor e o humor para espantar qualquer negatividade. O humor, aliás, está presente em toda sua produção. Seu estilo único e a linguagem coloquial encantam os pequenos leitores.

Nesse livro, Sylvia deixa sua mensagem em forma de agradecimento e celebração por todas as oportunidades e toda a beleza da vida. As imagens em cores vivas e página inteira, criadas por Ellen Pestili, captam o sentimento da autora no agradecimento e na saudação à natureza e à vida.

Reconhecida como uma das mais importantes escritoras de literatura infantil brasileira, com mais de 120 livros publicados, Sylvia Orthof cultivou a poesia, a prosa e o teatro, sempre de forma irreverente e criativa. Linguagem inovadora, marcas de oralidade, humor, histórias originais e o convite à imaginação são características de sua produção literária, por isso seus livros conduzem facilmente o público infantil ao fascinante universo da leitura.

“Ave Alegria”, de Sylvia Orthof, com ilustrações de Ellen Pestili. Editora Gaia, 24 páginas, R$ 27,00.

Ringo e a nova vizinha

18 de setembro de 2014 0

Ringo e a nova vizinha

Ringo gosta de fazer muitas coisas: passear, dividir tudo com os amigos, atacar o carteiro… Ops, quer dizer, abraçar o carteiro. Mas tem coisa mais legal do que receber uma nova vizinha? Dona Enrugada deve aparecer para o chá da tarde e Ringo mal pode esperar para conhecê-la!

A confusão começa quando o simpático – porém atrapalhado – cachorro decide ajudar nas tarefas antes de a vizinha chegar. Ao recolher as roupas do varal, Ringo decide vesti-las, uma vez que não conseguiria carregar tudo sozinho para dentro. Ao entrar na sala, o cão, que agora está irreconhecível vestindo todas aquelas roupas, sente o cheiro de bolinhos recém-saídos do forno. Prepare-se para uma grande dose de humor e hospitalidade!

Por meio de histórias como “Ringo e a Nova Vizinha”, de Gail Page, recheadas de humor, as crianças associam, desde pequenas, que os livros fazem parte dos momentos mais prazerosos da vida. É possível explorar a narrativa perguntando aos pequenos se eles gostariam ou não de ser alguém diferente, quais vantagens e desvantagens que uma nova identidade traria, abordar a importância da divisão dos pertences para uma convivência harmônica na sociedade e levantar quais as implicações de uma mentira.

“Ringo e a Nova Vizinha”, texto e ilustrações de Gail Page, com tradução de Gilda de Aquino. Editora Brinque-Book, 32 páginas, R$ 27,80.

Quero ser vintage

17 de setembro de 2014 0
Divulgação

Divulgação

Mallory, protagonista do romance “Quero Ser Vintage”, escrito por Lindsey Leavitt, é uma típica adolescente de 16 anos viciada em tecnologia. Ao descobrir que foi traída virtualmente pelo namorado, não pensa duas vezes antes de destruir a imagem dele em uma rede social e sumir do mapa. Ela decide ser totalmente vintage e viver exatamente como sua avó quando era adolescente, nos anos 1960, época em que as relações iam muito além das superficialidades das redes sociais.

Em “Quero ser Vintage”, da Editora Benvirá, selo editorial de ficção e não ficção da Editora Saraiva, a autora faz uma viagem no passado, em um mundo sem aparelhos eletrônicos e nem as facilidades que eles proporcionam hoje em dia.

Mas as coisas não são tão simples assim. Como fazer as pesquisas da escola sem internet? Como esquentar um lanche sem a praticidade do micro-ondas? É possível falar com as amigas sem mensagens de celular ou e-mail? Essas são algumas perguntas que a Mallory faz quando resolve abolir todo tipo de tecnologia.

“Quero Ser Vintage”, de Lindsey Leavitt. Editora Benvirá, 288 páginas, R$ 29,90.

Aventuras a bordo de um guarda-chuva

16 de setembro de 2014 0
Divulgação, Brinque-Book

Divulgação, Brinque-Book

Hoje, quero mostrar um livro para os pequenos que é feito só com ilustrações, o que estimula a imaginação. Trata-se de “O Guarda-chuva”, de Ingrid e Dieter Schubert.
Um cachorro encontra um guarda-chuva vermelho. Uma rajada de vento começa a soprar, e ele é levado para as nuvens, como se estivesse em um balão. Logo, o cachorro inicia uma viagem com muitas aventuras, repleta de emoções.

O mascote pode ser visto sobrevoando uma savana, onde enfrenta cobras e crocodilos (que não parecem muito amistosos). Depois, o vento o leva ao mar. Sorte que o guarda-chuva serve de barco, não? Lá, o cachorro acaba encontrando diversas espécies de peixes, polvos e… uma baleia! A ventania então o lança rumo à floresta. Araras e macacos são presença garantida. Do alto, é possível ver, além da mata, algumas pessoas e suas moradias. Seriam tribos indígenas?

Uma nova rajada de vento leva o cachorro a uma gélida região repleta de neve, focas e ursos-polares. Que tal usar o guarda-chuva como esqui? Depois de passar por tantos lugares, será que o cachorro conseguirá voltar para casa? Vamos viajar com ele?

“O GUARDA-CHUVA”, de Ingrid Schubert e Dieter Schubert. Editora Brinque-Book, 36 páginas, R$ 27,80.