Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de outubro 2014

Petrus Logus, o Guardião do Tempo

31 de outubro de 2014 1
Divulgação, Saraiva

Divulgação, Saraiva

Com o colapso dos recursos naturais, a humanidade foi obrigada a lutar por sua sobrevivência, e após a Terceira Guerra Mundial e uma reestruturação social, o Reino de Cosmus surgiu em todo o seu esplendor. Com a certeza de que o progresso e o mau uso da tecnologia causaram a destruição do mundo, os governantes de Cosmus proibiram a propagação do conhecimento, abolindo os livros e as escolas. É nesse cenário que se passa a história de “Petrus Logus, o Guardião do Tempo”, lançamento da Editora Saraiva e estreia de Augusto Cury na literatura juvenil.

No centro da trama está Petrus, filho do rei Apolo, soberano de Cosmus, um jovem apaixonado pelo conhecimento e sem talento para lutas e embates físicos. Educado pelo sábio Malthus para ser um líder justo e generoso, o príncipe começa a questionar o governo do pai, expondo as injustiças sociais e contestando as posições ditatoriais. Seu senso de justiça o leva a conviver com camponeses, algo proibido para um nobre, e no meio daqueles conhece o verdadeiro amor: a jovem Nátila.

Sua atitude contestadora o coloca em situações de risco, já que os conselheiros do rei o veem como uma ameaça à hegemonia do reino e um rebelde que pode fazer o povo se levantar contra os nobres. E por questionar uma das decisões tomadas por Apolo, Petrus sofre a maior condenação de Cosmus: é obrigado a vestir a temida Máscara da Humilhação.

A máscara deixa fortes cicatrizes físicas e emocionais no jovem príncipe, mas não o enfraquece. Ao contrário. Para continuar sua luta contra as injustiças, Petrus vai precisar domar uma fera que, mal sabe ele, poderá tanto destruí-lo quanto salvá-lo.

Os direitos de “Petrus Logus, o Guardião do Tempo” já foram vendidos para o cinema.

“Petrus Logus, o Guardião do Tempo”, de Augusto Cury. Editora Saraiva, 296 páginas, R$ 29,90.

 

Bafafá na Terra de Nefertiti

30 de outubro de 2014 0
Divulgação, Autêntica

Divulgação, Autêntica

Quem nunca sonhou, na infância, em ser um detetive e solucionar casos importantes? Essa é a proposta da coleção “Você é o Detetive!”, lançada no Brasil pela Autêntica Editora. Em cada livro, três grandes enigmas, cada um com 11 suspeitos e um culpado, que instigam os jovens leitores a usar o raciocínio lógico e a observação para desvendar os mistérios e encontrar os criminosos.

Em “Bafafá na Terra de Nefertiti”, três delitos foram cometidos em terras egípcias, no Templo de Sortudor. O primeiro desafio do leitor é descobrir o responsável por um ato de vandalismo que desfigurou um afresco de 2.500 anos. O desafio seguinte é investigar o desaparecimento do professor e arqueólogo Nan Pollion no sarcófago do faraó Ameiassoquet. Por fim, ele deve encontrar o autor da sabotagem na gravação do filme “As Harpas do Faraó”: a película foi picotada, e importantes cenas sumiram.

Ilustrados pelo próprio autor, o francês Pronto, cada exemplar traz três estimulantes histórias adaptadas, na medida do possível, à realidade brasileira nos nomes dos personagens e suas cidades. Isso amplia a identificação do leitor e mantém o humor original com trocadilhos e jogos de palavras que dialogam o tempo todo com a ilustração na apresentação das pistas.

“Bafafá na Terra de Nefertiti”, texto e ilustrações de Pronto, com tradução de Vera Chacham. Coleção “Você é o Detetive!”, Autêntica Editora, 64 páginas, R$ 32,00.

Três Tigres Tristes

29 de outubro de 2014 0
Reprodução, Aldo Brasil

Reprodução, Aldo Brasil

“Um tigre, dois tigres, três tigres! Três tigres tristes listrados dos trópicos trafegavam num trator, enquanto traçavam três travessas com trocentos trigos trazidos de Trieste por triunfantes trovadores de trava-línguas!”

Fernando Vilela e Nina Barbieri escreveram juntos o divertido livro “Três Tigres Tristes”. A ideia nasceu quando brincavam de falar rápido o famoso trava-língua dos tigres. Depois, resolveram continuar a história nos almoços diários. Para ilustrar o livro, Fernando usou lápis para desenhar, carimbo de borracha para fazer os coqueiros e o computador para colorir. O livro faz parte da série “Ler e Ouvir”, em que cada volume tem dentro um código QR. Esse recurso permite que se ouça a história nos smartphones que contem com esse programa.

Os trava-línguas fazem parte das manifestações orais da cultura popular. O que faz as crianças repeti-los é o desafio de reproduzi-los sem erros. Entra aqui também a questão do ritmo, pois elas começam a perceber que, quanto mais rápido tentam dizer, maior é a chance de não concluir o trava-línguas com perfeição. Esse tipo de narrativa pode ser um bom recurso para trabalhar a leitura oral. Depois de Três tigres tristes, que tal pedir às crianças que pesquisem e tentem falar outros trava-línguas? E, por que não, que criem novos trava-línguas, aperfeiçoando assim a capacidade cognitiva e aguçando a criatividade?

“Três Tigres Tristes”, de Fernando Vilela e Nina Barbieri. Coleção “Ler e Ouvir”, Editora Brinque-Book, 24 páginas, R$ 29,60.

Amigos Inimigos - A Formatura

28 de outubro de 2014 0
Divulgação, Novo Século

Divulgação, Novo Século

Essa é para colocar na agenda: a Livrarias Curitiba no Shopping Mueller, em Joinville, promove no dia 29 de outubro, às 19h30, o lançamento do livro “Amigos Inimigos – A Formatura”, bate-papo e sessão de autógrafos com  a autora Vanessa Martinelli Levandowski.

A turma divertida de “Amigos Inimigos” volta em mais uma história repleta de risadas e confusões. Maria, Jack, Morgana, Patrícia, Camila e Pedro estão no final do nono ano. No dia do aniversário de Maria, uma tia-avó desconhecida aparece virando a vida de todos de cabeça. Junto a Maurício, Gertrudes e novos personagens, os amigos inimigos enfrentarão muitas aventuras até a sonhada formatura.

Vanessa Martinelli Levandowski é joinvilense, neuropsicóloga, mestre em psicologia, graduada em educação artística e criadora da série juvenil “Amigos Inimigos”.

SERVIÇO
O QUÊ: lançamento do livro “Amigos Inimigos – A Formatura” (Editora Novo Século, 190 páginas, R$ 24,90), bate-papo e sessão de autógrafos com Vanessa Martinelli Levandowski. ONDE: Livrarias Curitiba no Shopping Mueller – rua Visconde de Taunay, nº 235, terceiro piso, Centro, em Joinville. QUANDO: 29/10, às 19h30. QUANTO: o acesso ao evento é gratuito. Mais informações: (47) 3145-2600.

Contos de exemplo

27 de outubro de 2014 0
Divulgação, Global

Divulgação, Global

O livro “Contos de Exemplo” reúne quatorze, entre tantas histórias, que Luís da Câmara Cascudo pesquisou e registrou durante suas viagens pelo Brasil. São histórias populares carregadas de sabedoria. Entre elas, estão: “Seis aventuras de Pedro Malazarte”; “O mendigo rico”; “A história do papagaio”; “Os quatro ladrões”; “Joãozinho e Maria”; e “Quirino, vaqueiro do rei”.

No livro “Contos Tradicionais do Brasil”, também publicado pela Global Editora, de onde foram selecionadas as histórias, o autor apresenta, no final de cada narrativa, sua fonte de pesquisa e os nomes dos estudiosos que, como ele, também registraram os mesmos contos em diversas versões. Dessa forma, Cascudo nos guia pelos caminhos interessantes que as histórias criam e as mudanças que elas sofrem na viagem e as formas como “quem conta um conto aumenta um ponto”.

Estes contos, bem-humorados e curiosos, e com belíssimas ilustrações de Cláudia Scatamacchia, estão na medida certa para o público infantojuvenil. A leitura desta obra possibilita conhecer um pouco da nossa cultura popular, formas de expressão, crenças e valores.

“Contos de Exemplo”, de Luís da Câmara Cascudo, com ilustrações de Cláudia Scatamacchia. Global Editora, 64 páginas, R$ 31,00.

Bíblia GPS

24 de outubro de 2014 0
Divulgação, SBB

Divulgação, SBB

Uma edição da Palavra de Deus com recursos que permitem que o leitor navegue e se localize pela Bíblia, fazendo a interligação entre diferentes acontecimentos. Esta é a “Bíblia GPS”, desenvolvida em parceria pela Sociedade Bíblica do Brasil e pela Editora Esperança para funcionar como um guia para o leitor se encontrar nas Escrituras Sagradas. Com facilidade o leitor tem acesso a informações como, por exemplo, quando Moisés e Abraão viveram e que relação existe entre o Antigo e o Novo Testamentos. O texto bíblico na Nova Tradução na Linguagem de Hoje é apresentado em páginas duplas, nas quais o leitor recebe a orientação sobre onde se encontra no momento: em qual ponto do livro bíblico está e também em qual ponto da grande história de Deus com o ser humano.

A particularidade das referências auxiliares nesta edição da Bíblia é: elas não interrompem o texto bíblico. A sequência do texto permanece intacta, de forma que esta Bíblia também pode ser “simplesmente lida”, sem atentar para as margens. Essa é uma das possibilidades: ler a Bíblia na vertical, por assim dizer, de cima para baixo. A outra possibilidade é desviar o olhar também para o lado. As informações auxiliares nas laterais (e também no topo e no rodapé de cada página dupla) indicam referências cruzadas: a ligação daquele trecho específico com o todo. Por exemplo, é possível ver qual posição o capítulo 37 de Gênesis ocupa no âmbito geral deste primeiro livro da Bíblia.

Além da cor de capa apresentada neste post, existe uma versão em rosa.

“Bíblia GPS”, parceria da Sociedade Bíblica do Brasil e da Editora Esperança, 1.728 páginas, R$ 69,90.

Gente vai pra lá, gente vem pra cá...

23 de outubro de 2014 0
Divulgação, Autêntica

Divulgação, Autêntica

Todas as pessoas têm direito de ir e vir de um lugar a outro com segurança. Pode ser a pé, de carro ou de ônibus, de caminhão ou de trem, de bicicleta ou a cavalo… e até de barco. Em “Gente Vai pra lá, Gente Vem pra cá… e Todos Têm Direito a um Trânsito Seguro”, lançamento da Autêntica Editora, a psicóloga Malô Carvalho e a ilustradora Suzete Armani mostram para os pequenos leitores como o trânsito pode funcionar bem se todos fizerem a sua parte. Sem a pretensão de preparar futuros motoristas, a obra busca contribuir para a formação de pessoas éticas e cidadãs, que tenham posturas e atitudes voltadas ao bem comum no espaço público.

O livro é dividido em três partes. Em “Pra começo de conversa”, apresenta os direitos e deveres de pedestres e passageiros no trânsito. Em “Do lado de fora…”, trata dos cuidados que os pedestres devem ter ao andar na rua, alertando ainda para o bom uso dos semáforos e para a gentileza com os idosos, deficientes e gestantes. Finaliza com “Do lado de dentro…”, que ensina a respeitar as regras como passageiros em um carro ou em um transporte coletivo, agindo de forma consciente e praticando atos de cidadania, como não jogar lixo para fora do veículo.

O livro, predominantemente visual, traz textos curtos e de fácil compreensão. Tudo ilustrado com figuras tridimensionais moldadas em massa plástica, montadas em pequenos cenários e fotografadas por Rodolfo Buher. Um cenário muito colorido e alegre envolve e cativa os leitores.

“Gente Vai pra lá, Gente Vem pra cá…” é o quinto volume da coleção “No Caminho da Cidadania”, que tem como objetivo provocar situações de análise e reflexão sobre valores e atitudes fundamentais para a formação da criança, que começa a construir seus princípios éticos e morais a partir dos primeiros anos de vida. Usando a representação de cenas do cotidiano – ou do que deveria, idealmente, ser o cotidiano de uma criança –, o livro educa seus pequenos leitores a conhecer e reivindicar seus direitos para que, futuramente, possam exercer plenamente seus deveres de cidadãos.

A coleção já conta com outros quatro títulos das mesmas autoras: “De Patas, Penas e “scamas, sobre os direitos dos animais; “Gente de Muitos Anos”, sobre os direitos dos idosos; “Gente que Aprende Ensinando”, sobre os direitos dos professores; e “Gente Pequena Também Tem Direitos”, sobre os direitos das crianças.

“Gente Vai pra lá, Gente Vem pra cá… e Todos Têm Direito a um Trânsito Seguro”, de Malô Carvalho, com ilustrações de Suzete Armani e fotografia de Rodolfo Buhrer. Coleção “No Caminho da Cidadania”, Autêntica Editora, 36 páginas, R$ 34,00.

As aventuras de Edie e George em "Mão de Ferro"

22 de outubro de 2014 0

Reprodução, Aldo Brasil

A trilogia “Coração de Pedra”, de Charlie Fletcher, conta a história de um casal de crianças, George e Edie, que se envolve em aventuras fabulosas numa Londres de pesadelo depois que, acidentalmente, George quebra a escultura de um dragão em frente a um museu de história natural. O ato faz com que  a escultura de um pterodáctilo assuma vida e passe a perseguir vingativamente George, seguido por Edie, mas eles são auxiliados pela estátua de um soldado  da Primeira Guerra Mundial, o Artilheiro, que será aliado deles em muitas aventuras.

Essas aventuras só têm de realista o cenário de fundo — a Londres típica dos filmes de terror, com seus fogs, ares marrons e acinzentados, e seus monumentos públicos, bem como gárgulas e outras estátuas monstruosas que, assumindo vida, ganharão contornos aterradores na vida do casal de crianças, obrigando-os a lutar pela sobrevivência de modo desesperado. A magia se faz reinar, pois tanto George quanto Edie possuem poderes mágicos que estão na mira dos monstros e sofrem a perseguição do Caminhante.

“Mão de Ferro” é a segunda parte da trilogia. Precedida por uma explicação dos acontecimentos anteriores para os leitores que chegam agora, a história mostra George e Edie como personalidades mais complexas e verdadeiras, envolvidas nestes episódios num turbilhão sem fim de perseguições, com a adrenalina a toda em uma narrativa em que há movimentação incessante e batalhas após batalhas. A dose de adrenalina muito alta fará com que o leitor não desgrude destas páginas absorventes, querendo saber os novos caminhos tomados pelo casal de pequenos heróis.

Retornam os Cuspidos, estátuas de pessoas, e os Estigmas, estátuas de criaturas. Edie, que é uma Fagulha, com poderes para viver eventos do passado gravados na pedra por ela, é sequestrada por Ícaro, e George e o Caminhante partem para resgatá-la, mas se separam no caminho, e George ainda se depara com três desafios para que não se converta num Servo da Pedra. George, além disso, precisa reparar seus erros, e tomando consciência mais precisa de seus poderes como Fazedor, deverá perceber no que isso poderá ajudar sua amiga Edie. A Marca do Fazedor, de que ele é portador, lhe confere o dom de esculpir em pedra ou metal.

“Mão de Ferro”, de Charlie Fletcher, com tradução de Marsely Dantas. Coleção “Coração de Pedra”, Editora Geração Jovem, 384 páginas, preço não divulgado.

Missão: salvar a Árvore da Vida

21 de outubro de 2014 0
Divulgação, Escarlate

Divulgação, Escarlate

Em “A Árvore – Os Três Caminhos”, de Janaina Tokitaka, Sofia não esperava a reviravolta que iria acontecer na sua vida ao conseguir abrir, finalmente, a porta misteriosa no casarão de seu avô. Lá dentro, deparou-se com uma grande árvore no centro de uma instigante biblioteca e foi recepcionada por um exótico corvo albino, que a informou sobre uma importante missão.

Sofia descobriu que aquela era a Árvore da Vida, essencial para a manutenção da vida na Terra, e que a mesma estava muito debilitada. Porém, o que mais surpreendeu a garota foi saber que a sobrevivência da Árvore estava ligada à doença misteriosa do avô, Nicolau.

Sofia não titubeou e aceitou o desafio de viajar para três mundos distintos para tentar curar a Árvore: a terra de nômades artistas Entrecaminhos, a fria e tecnológica Cidade Diamante e o misterioso Santuário Verde.

Será que Sofia conseguirá fazer com que a Árvore da Vida volte a ficar saudável? Ajudando, assim, toda a humanidade e, consequentemente, a pessoa que ela mais ama: seu avô Nicolau?

Esta aventura permite explorar temas como aventura, fantasia, artes, conhecimento, tecnologia e meio ambiente. O livro também está disponível em versão digital (e-book).

“A Árvore – Os Três Caminhos”, texto e ilustrações de Janaina Tokitaka. Editora Escarlate, 344 páginas, R$ 35,00 (livro impresso) e R$ 19,90 (versão digital).

A comovente história de uma infância

20 de outubro de 2014 0
Divulgação, Autêntica

Divulgação, Autêntica

Há histórias de nossa infância que ficam para sempre em nossos corações. Foi o que aconteceu com Sonia Junqueira, que é editora de livros infantis e juvenis e também escreve para crianças, tendo já mais de 100 títulos publicados. Em “Fidenco”, lançamento da Autêntica Editora, ela partilha com os pequenos leitores uma história verídica que aconteceu durante sua infância.

Sonia nasceu e passou parte de sua vida em Três Corações, no Sul de Minas, numa casa com quintal, de onde tem belíssimas recordações. “Um dia, um pintinho apareceu não se soube de onde e foi ‘adotado’ pelo meu irmão caçula, que tinha uns 5, 6 anos”, conta ela. O bichinho de estimação ganhou o nome de Fidenco, em homenagem ao então famoso cantor italiano Nico Fidenco, o predileto de sua mãe. “Fidenco teve uma história linda e trágica, que passou a fazer parte do folclore da família”.

É essa delicada e terna história que ela conta com muita emoção. Fidenco era especial, com sua cabecinha meio torta e irrequieta, corpo mirrado e olhinhos que diziam coisas. A amizade do garoto com o pintinho cresceu junto com os dois. Até que a família resolveu se mudar para a capital e não poderia levar nem o Fidenco, nem os outros bichos do quintal. Além da dor da separação, o que o garoto não sabia é que a desventura não tinha acabado… Apesar de tudo, ele dá uma incrível demonstração de amor e força diante do inesperado.

“Fidenco”, de Sonia Junqueira, com ilustrações de Diogo Droschi. Autêntica Editora, 32 páginas, R$ 34,00.