Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

O Urubu-rei e Outros Contos do Brasil

30 de janeiro de 2015 0
Divulgação, Volta e Meia

Divulgação, Volta e Meia

O cordelista e pesquisador da cultura popular brasileira Marco Haurélio, na tentativa bem-sucedida de reunir contos populares recolhidos diretamente da memória coletiva do brasileiro, deu origem ao livro “O Urubu-rei e Outros Contos do Brasil”, que chega agora pela Volta e Meia – selo infantil da Editora Nova Alexandria. São 22 histórias apuradas entre 2005 e 2010, em um trabalho minucioso, que procura manter não só a essência como também a oralidade de tais narrativas.

A maior parte dos envolvidos no projeto é do interior da Bahia, onde a caatinga abraça o cerrado. As primeiras narrações se situam nos domínios da fábula, pois pertencem ao tempo em que os bichos falavam. Outras histórias têm base no conhecimento religioso, como em Adão e Eva, versão paralela ao relato bíblico do Gênesis. Neste, explica como surgiu o pomo de Adão, o gorgomilo, a origem da agricultura e do extrativismo vegetal.

Os contos de fadas também se fazem presentes, a exemplo de “O Cavalo Encantado” e de “Maria Borralheira”, uma versão muito bem “abrasileirada”, se assim podemos dizer, do clássico Cinderela, dos irmãos Grimm. O autor considera que, “dentre tantas pedras preciosas do nosso garimpo”, “O Urubu-Rei”, a versão baiana do Rei Lear, é a mais valiosa delas.

“O nosso conto, no entanto, ameniza o lado trágico da peça de Shakespeare, pois traz um príncipe enfeitiçado numa ave de rapina das regiões tropicais, o urubu-rei (Sarcoramphus papa), que vem a ser o salvador da heroína, expulsa e condenada à morte pelo pai por sua sinceridade no relato de um sonho”, diz ele.

Para dar um “empurrãozinho”, o Vocabulário tira a dúvida no caso de expressões como “de bucho”, que significa grávida; “tirar tirão”, que na verdade nada mais é que divertir-se à custa do outro. E sinônimos como “Cão”, referência ao diabo; “Manga”, que, em vez da fruta, refere-se ao pasto, entre outros.

Se essa obra, que une tantas outras em um projeto único – em número e qualidade –, é importante e essencial para o público infantil, deve também ser tratada como obrigatória para todos aqueles que desejam conhecer mais da cultura brasileira. São 87 páginas de uma leitura curiosa e instigante, que por muitas vezes permite ouvir a voz e sentir a velocidade no discurso de cada narrador, já que Haurélio preocupou-se muito com essas características.

“O Urubu-rei e Outros Contos do Brasil”, de Marco Haurélio. Editora Volta e Meia, 96 páginas, R$ 25,00.

Envie seu Comentário