Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de maio 2015

Caça ao Mosquito – Uma Casa sem Dengue

29 de maio de 2015 0
Divulgação

Divulgação

Ninguém se salva sozinho da dengue. O perigo de contrair a doença aumenta cada vez que chega o verão, mas ela precisa ser combatida, em conjunto, durante todo o ano. A melhor maneira de evitá-la ainda é a prevenção. Escrito por de Cecilia Reggiani Lopes e criativamente ilustrado por Dave Santana, realidade e ficção aliam-se para contar, de maneira divertida, como combater essa guerra em “Caça ao Mosquito – Uma Casa Sem Dengue”.

O livro conta que Armandinho, de apenas oito meses, é picado pelo mosquito da dengue. No posto de saúde, a mãe recebe orientações de como tratar a criança e um livrinho ensinando como prevenir a doença. A família descobre que a única arma contra a dengue é a prevenção.

Liderados pelo avô, os irmãos de Armandinho formam o “esquadrão da limpeza” e acabam com todos os focos de água parada na casa, locais onde o mosquito deposita seus ovos.

Felizes com os resultados, os garotos vão agora juntar-se aos amigos e vizinhos, pois descobriram que a luta contra a dengue só é eficaz se envolver toda a comunidade.

A obra, também considerada um material de apoio ao educador, tem o propósito de subsidiar o trabalho em sala de aula, de modo que o professor aborde o tema com os alunos e eles possam levar o conhecimento para casa, compartilhando-o com os seus pais e vizinhos.

“Caça ao Mosquito – Uma Casa Sem Dengue”, de Cecilia Reggiani Lopes, com ilustrações de Dave Santana. Global Editora, 32 páginas, preço não divulgado.

O Segredo de Indie

28 de maio de 2015 0
Divulgação, Butterfly

Divulgação, Butterfly

A Butterfly Editora publica com exclusividade no Brasil “O Segredo de Indie”. O romance é voltado para o público teen e traz à tona as questões que toda menina tem de responder na adolescência: quem sou eu? O que quero ser? Será que aquele cara gosta de mim? Será que sou tudo isso mesmo?

As norte-americanas Tara Taylor e Lorna Schultz Nicholson contam uma interessante história por meio de uma leitura intrigante em que muitas adolescentes se encontrarão seguindo os passos de Indie Russel, a personagem principal da trama. Uma tímida menina de classe média que está disposta a tudo para se encaixar em sua realidade.

Desde pequena, Indie tem uma característica um tanto incomum: ela prevê fatos que acontecerão a seus amigos e familiares. Isso tudo, misturado aos problemas da adolescência, causa grandes conflitos na vida da menina, que só quer ser “normal” e luta contra esse dom.

“Contra a minha vontade, olhei através de algo que lembrava uma lente telescópica para dentro de uma espécie de aquário sem peixes. Não, com certeza a intenção não era me mostrar belos peixinhos. Eu estava tendo uma visão.”

Tudo parece piorar quando Indie tem a visão de que o namorado de sua melhor amiga, Lacey, a está traindo. Um dilema então se instala na vida da menina: contar ou não o que aconteceu? Mas, em meio a todas essas desventuras, ela encontra um novo amor, John. Alguém que é como ela, diferente de todos, e que vai ajudá-la em sua jornada.

Cheia de atrativos e questionamentos que farão as leitoras se imaginarem dentro do universo de Indie, este livro é um raro romance que, além de entreter, vai ajudar as garotas a entenderem a fase tão difícil que é a adolescência.

“O Segredo de Indie”, de Tara Taylor e Lorna Schultz, com tradução de Yma Vick. Butterfly Editora, 296 páginas, R$ 24,90.

Lily na Passarela

27 de maio de 2015 0
Divulgação, Mundo Cristão

Divulgação, Mundo Cristão

Em “Lily na Passarela”, você vai descobrir os encantos dessa garota atrapalhada, mas sempre charmosa, em sua jornada para descobrir o que a beleza realmente é.

Nesta divertida história, após receber um elogio de uma profissional do mundo da moda, Lily não consegue deixar de pensar em sua aparência e em se tornar modelo. Obcecada por se sair bem no desfile, passa a comprar maquiagem e revistas de moda, tudo para não fazer feio. Mas quando o inesperado acontece poucos dias antes da apresentação, Lily aprende uma lição muito importante.

Escrito com uma linguagem agradável e bem-humorada, Nancy Rue, mestre em pedagogia e em língua inglesa, aborda a questão da beleza de forma leve e altamente ilustrativa, em um conteúdo biblicamente fundamentado. Por meio das experiências vividas por Lily, a escritora leva as meninas a descobrirem como permanecer em sintonia com a moda e com o atual momento sem perder Deus de vista. Maquiagem, postura e estilo fazem parte do enredo e são ensinados de forma sutil, adequada à linguagem das garotas dessa faixa etária.

Indicado para toda menina que quer brilhar, aprender a realçar sua verdadeira beleza, aumentar sua autoestima e ser o tipo de garota que agrada a Deus, “Lily na Passarela” é uma leitura indispensável.

“Lily na Passarela”, de Nancy Rue, com tradução de Susana Klassen. Editora Mundo Cristão, 144 páginas, R$ 24,90.

Invasão do Mundo da Superfície

26 de maio de 2015 0
Divulgação, Record

Divulgação, Record

Muita gente, principalmente os jovens, é fã do jogo Minecraft, aquele game com personagens e cenários em forma de cubo. Para essa galera, e para todo mundo que gosta de ler, tenho uma sugestão: o livro “Invasão do Mundo da Superfície: uma Aventura não Oficial de Minecraft”, de Mark Cheverton.

Gameknight999 é apaixonado por Minecraft. Ele sabe que é um dos melhores jogadores entre seus amigos, mas sua verdadeira especialidade é destruir o jogo dos outros usuários. Sem se importar com o espírito de equipe, ele gosta de fazer aquilo que sabe de melhor: trolar.

O que ele não esperava é que uma das invenções malucas do seu pai funcionaria justamente quando ele está no meio de uma dessas trolagens. A impressora 3D o teleporta para nada menos do que o mundo digital de Minecraft, onde seu próprio corpo é formado por cubos e os ataques dos terríveis monstros causam danos de verdade.

E se ele morrer no jogo? Como poderá voltar à realidade? Gameknight999 precisa achar respostas enquanto foge de garras de zumbis e presas de aranhas, as quais costumava encarar corajosamente pela tela do computador. Se quiser sobreviver, ele precisará reavaliar suas táticas de jogo, aprender a trabalhar em equipe e a reconstruir as amizades destruídas depois de tantas trolagens.

“Invasão do Mundo da Superfície: uma Aventura não Oficial de Minecraft”, de Mark Cheverton, com tradução de Edmo Suassuna Filho. Editora Galera Record, 240 páginas, R$ 25,00.

O mundo encantado das cores

25 de maio de 2015 0
Divulgação, Butterfly

Divulgação, Butterfly

Mandalas, flores, animais, objetos e figuras abstratas que compõem “O Mundo Encantado das Cores” ajudam os brasileiros a descobrirem os efeitos terapêuticos da pintura. O livro tem um grande diferencial que é a impressão das imagens apenas na frente da página, de forma que elas possam ser cortadas e colocadas em quadros, porta-retratos ou ainda servir para presentear.

A arte de colorir, que antes era uma atividade associada apenas às crianças, virou febre entre os adultos aqui no Brasil. Muitos cientistas e psicólogos realizaram estudos e comprovaram que as cores têm um papel fundamental no desenvolvimento psicossocial da pessoa. Um dos estudos mais famosos é o do psicólogo Carl G. Jung (1875-1964), que utilizou a pintura de mandalas como terapia para seus pacientes.

Ao longo de mais de 90 páginas, as imagens são acompanhadas de uma mensagem para reflexão, o que vai ser útil para quem quer relaxar e se aperfeiçoar na arte da pintura. Outro diferencial de “O Mundo Encantado das Cores”, que tem 96 páginas, é a alta qualidade do papel (120 g), que apresenta uma espessura própria para a pintura, evitando manchas quando o desenho for colorido com canetinha ou guache, por exemplo. Lançamento da Butterfly Editora, o livro chega às livrarias de todo o Brasil no início de junho, por R$ 29,90.

História: um remédio que não dói

25 de maio de 2015 0
Divulgação

Divulgação

Recebi de um colega release sobre um projeto muito legal. Há dez anos, o Projeto Contadores de Histórias para Crianças e Adolescentes Hospitalizados, em Ribeirão Preto-SP, começava a escrever sua própria história.

Durante esse tempo, 307 voluntários passaram pela formação, possibilitando o atendimento de 42.660 crianças, em todas as unidades hospitalares que fazem parte do projeto, num total de 19.022 horas doadas.

O que você vai ler no livro “História: um Remédio que não Dói” são relatos alegres e emocionados de momentos vividos pelos voluntários contadores, junto aos pequenos pacientes. Há também depoimentos da equipe de profissionais, bem como de pais, crianças e jovens atendidos.

O projeto mostra que carinho e solidariedade são ótimos remédios e não custam nada.

“História: um Remédio que não Dói”, coordenado por Maria Gilda Cortucci Pedreira de Freitas, com ilustrações de Semíramis Paterno, 64 páginas, R$ 20,00. Informações podem ser obtidas no site www.voluntariadorp.org.br.

Alice no Fundo do Mar

22 de maio de 2015 0
Divulgação, Nova Alexandria

Divulgação, Nova Alexandria

De que maneira educar as crianças para que compreendam a importância do meio ambiente e o equilíbrio ecológico? No livro “Alice no Fundo do Mar”, publicado pelo selo Volta e Meia da Editora Nova Alexandria, a socióloga Vanessa Labarrere chama a atenção para a ocupação desenfreada do litoral brasileiro e a falta de controle na produção e descarte de lixo, que compromete inclusive os oceanos.

Filha de biólogo, a personagem inicia seu interesse pela natureza e vai descobrindo a influência da humanidade em cada lugar por onde passa e como as construções que desenvolve, nada sustentáveis, agridem toda forma de vida que os cerca. Mas é ao lado da tartaruga marinha Madu que a curiosa garota entra em contato com o mundo debaixo d’água e se interessa ainda mais pelos seres vivos do oceano.

Guiada pelas nadadeiras de sua nova amiga, Alice conhece o efeito devastador da poluição, que causa sérios danos também à vida subaquática. Ela se envolve em várias “histórias de pescador”, na tentativa de fazer uma faxina nos corais, em que é auxiliada por prestativos e inteligentes golfinhos.

Indicada para crianças de seis a nove anos, a narrativa é leve e bem-humorada. A autora homenageia, nesta obra, o clássico da literatura infantil “Alice no País das Maravilhas”, do escritor inglês Lewis Carrroll (1832-1898), e, na vivência da garota que fala com os animais, se aproxima de outro personagem clássico, o Dr. Dolittle, criado pelo escritor inglês Hugh Lofting (1886-1947). O prefácio é do contista e pesquisador brasileiro Marco Haurélio.

“Alice no Fundo do Mar”, de Vanessa Labarrere, com ilustrações de Severino Ramos. Editora Nova Alexandria, 52 páginas, R$ 37,00.

João e o Pé de Feijão em cordel

21 de maio de 2015 0
Divulgação, Mundo Mirim

Divulgação, Mundo Mirim

Quem não conhece a história do menino João e seus mágicos feijões que o levaram em uma aventura na terra dos gigantes? Publicação da Editora Mundo Mirim, a obra “João e o Pé de Feijão em Cordel”, de César Obeid, é uma releitura do famoso conto de fadas inglês, só que, desta vez, em um formato muito popular na cultura brasileira, o cordel.

Construído em versos bem rimados – característica fundamental dos cordelistas –, o livro reconta a já conhecida trajetória do menino João. O pequeno vive uma situação financeira muito difícil ao lado de sua mãe, e quando resolve vender o único bem de sua família, uma vaca magra, ele vê a sua vida mudar completamente, pois, ao invés de conseguir o dinheiro, ele acaba trocando sua vaca por cinco feijões mágicos, que, segundo a promessa de um velho vendedor, eles cresceriam até o céu.

A literatura de cordel é um estilo de narrativa que trabalha muito bem as rimas, próprio da cultura brasileira e muito popular em terras nordestinas. Nesta publicação da Editora Mundo Mirim, o leitor ainda pode encontrar uma adaptação do conto para o teatro. O autor César Obeid fez questão de preservar a oralidade do estilo de cordel para reescrever a peça e assinalar pequenas rubricas que dão dicas às crianças de como pode ser realizada cada cena.

A obra conta também com belíssimas ilustrações feitas por Eduardo Ver e uma didática introdução sobre a história da literatura de cordel no Brasil. O autor conversa com seus leitores a respeito da origem, os novos formatos em que estão sendo produzidos e até mesmo sobre o milenar processo de xilogravura em que são feitas as artes dos folhetos, além de sugerir que as crianças experimentem produzir versos para aprender mais e se divertir com essa popular técnica.

“João e o Pé de Feijão em Cordel”, de César Obeid, com ilustrações de Eduardo Ver. Editora Mundo Mirim, 40 páginas, R$ 29,90.

A Biblioteca Mágica de Bibbi Bokken

20 de maio de 2015 0
Divulgação, Seguinte

Divulgação, Seguinte

Nils tem doze anos e acaba de voltar das férias escolares de verão, passadas em companhia de sua prima Berit, na cidade de Fjærland, interior da Noruega. Para não deixar de se falar, os dois decidem escrever um diário e remetê-lo de uma cidade a outra pelo correio.

Já de início, porém, parece haver algo de misterioso no diário de Nils e Berit. Ao comprá-lo numa livraria, Nils conhece uma mulher estranha, alguém que ele e Berit haviam visto de passagem durante as férias. A mulher faz questão de ajudar Nils a comprar o diário – uma esquisitice que ele não deixa de contar à prima já em sua primeira “carta”.

Em Fjærland, Berit se põe a segui-la. Diante da casa da mulher, Berit “furta” um pequeno envelope da caixa de correio. Dentro, encontra uma carta vinda da Itália, endereçada a uma certa Bibbi, que menciona um sebo em Roma. O estabelecimento guardaria não apenas livros raros, mas também livros ainda não escritos. E um desses livros se refere a uma certa “biblioteca mágica”.

Toda essa história, Berit conta a Nils em sua primeira carta. A aventura mal começou, mas o leitor já se vê mergulhado num grande mistério. Quem é Bibbi e que biblioteca mágica é essa? É um caso para os pequenos detetives Nils e Berit investigarem a fundo – e tudo aquilo de que o leitor precisa para se divertir pelas páginas restantes. Em “A Biblioteca Mágica de Bibbi Bokken”, de Jostein Gaarder e Klaus Hagerup, o grande herói é o livro e sua história, numa trama cheia de suspense e aventura.

“A Biblioteca Mágica de Bibbi Bokken”, de Jostein Gaarder e Klaus Hagerup, com tradução de Sonali Bertuol. Editora Seguinte, 180 páginas, R$ 38,50.

Um beijo no teu sorriso

19 de maio de 2015 0
Divulgação

Divulgação

“Um Beijo no teu Sorriso”, de Júlio César Rocha, conta a história do encontro de Mariana e Caio no Caminho da Fé, a maior trilha de peregrinação do Brasil.

Logo nas primeiras conversas no Caminho da Fé, Mariana e Caio descobrem uma grande afinidade: são “catopíritas”, ou seja, católicos simpatizantes do espiritismo. Eles acreditam na reencarnação, assim como grande parte dos católicos no Brasil. Parece simples, mas nem tanto.

O princípio da reencarnação diz que depois que o corpo morre, o espírito passa para outro corpo em busca de uma evolução ao longo da eternidade. Mas isso vai contra a ressurreição do catolicismo, segundo o qual as pessoas têm apenas uma vida sobre a terra e, após a morte, devem ressuscitar para enfrentar o juízo de Deus.

Diante dessa realidade, Caio diz para Mariana que a crença na reencarnação é tão forte entre os católicos brasileiros que isso tornou o catopiritismo a maior religião do Brasil.

“Um Beijo no teu Sorriso”, de Júlio César Rocha. Editora Novos Talentos da Literatura Brasileira, 560 páginas, R$ 45,00.