Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts de julho 2016

Novos olhares com a Janela Mágica

29 de julho de 2016 0
Divulgação, Global

Divulgação, Global

Em “Janela Mágica”, Cecília Meireles nos convida a olhar o cotidiano sob outra perspectiva. São 21 crônicas que trazem cenas urbanas, flagram mudanças de comportamento, recuperam memórias afetivas, tudo permeado pelo fascínio que a escritora cultiva por tudo aquilo que diz respeito ao humano.

Nesta seleção de crônicas direcionada aos jovens leitores, assistimos a nossa grande poeta concebendo coloridos retratos que mostram as diferenças entre o mundo que conhecemos e aquele que gostaríamos de conhecer.

Com ilustrações de Orlando Pedroso que dão vida às crônicas, a obra fala sobre a relação do homem com os animais, sobre o desmatamento urbano, o esvaziamento do sentido do Natal e muito mais.

“Janela Mágica”, de Cecília Meireles, com ilustrações de Orlando Pedroso. Global Editora,104 páginas, R$ 39,90.

 

Meninas Corajosas – Amigas Inseparáveis

27 de julho de 2016 0
Divulgação, Thomas Nelson Brasil

Divulgação, Thomas Nelson Brasil

Como manter na vida amigas de verdade? E como fazer novas amizades sem se esquecer das antigas? No livro “Meninas Corajosas – Amigas Inseparáveis”, publicado pela Editora Thomas Nelson Brasil, Esperança, Glória, Fé, Graça e Honra sabem muito bem como agir nessas duas situações. Elas já passaram por momentos bem legais e outros difíceis, mas permaneceram juntas, e agora querem compartilhar suas histórias e segredos.

A obra, que faz parte da série “Meninas Corajosas”, traz 90 devocionais e atividades para lembrar as leitoras de algumas verdades importantes, como fazer novas amizades e continuar fiel às antigas, além de aprender com os ensinamentos que cada relação traz.

Por falar em esperar, Esperança acrescenta que fazer amigos pode ser chato no começo, mas no fim vale muito a pena. Ao contrário da Graça, morou nesta cidade a vida toda. Seria fácil continuar com os mesmos amigos. Mas, se ela pensasse assim, nunca teria conhecido a Graça.

“Meninas Corajosas – Amigas Inseparáveis” também apresenta dicas sobre como se portar na hora do intervalo da escola (mesmo quando não conhece ninguém), organizar uma festa do pijama perfeita, ter uma boa relação com os familiares e ainda aprender a transformar atitudes ruins em cumplicidade e amor.

É uma zona de pecado que todos nós temos: o egoísmo. E quando outros nos impedem de conseguir o que queremos, em geral explodimos de raiva. Nós aprendemos que as pessoas desistem e cedem às nossas exigências se demonstrarmos bastante raiva. Mas não foi isso que Jesus nos ensinou.

O livro, voltado para meninas de sete a 11 anos de idade, contém divertidas brincadeiras, como caça-palavras e testes, além de espaço para anotar pensamentos e reflexões.

“Meninas Corajosas – Amigas Inseparáveis”, da Editora Thomas Nelson Brasil, 136 páginas, R$ 34,90.

Novidade especial para os fãs do Cavaleiro das Trevas

26 de julho de 2016 0
Divulgação

Divulgação

Batman é um dos personagens mais admirados pelos leitores da gigante DC Comics. Desde os anos 80, os itens que levam a marca do Cavaleiro das Trevas movimentam o mercado e mobilizam milhares de fãs — que saem à caça de todo e qualquer item da franquia.

Em tempos de mais um lançamento (o filme “Batman: A Piada Mortal”, lançado pela Warner Brothers), o Grupo Livrarias Curitiba (que integra as marcas Livrarias Catarinense e Livrarias Curitiba) disponibilizou um hotsite especial (www.livrariascuritiba.com.br/Hotsites/Batman) com trailers, livros, filmes, jogos e produtos diversos, tais como mochilas, cadernos, garrafas térmicas, copos e camisetas.

Na seleção especial, destaque para os produtos em pré-venda: o DVD “Batman: A Piada Mortal” (R$ 19,90) e o jogo “Batman – Return to Arkham” (R$ 229,90 ou 10 x R$ 22,90), disponível para os consoles PS4 e Xbox One.

As HQs do Batman estão com preços especiais, incluindo alguns em versão capa dura, como “Batman e a Piada Mortal” (R$ 22,90). O “Box Coringa” (R$ 75), publicado pela Editora Panini, reúne duas das HQs mais icônicas do personagem, “Batman: A Piada Mortal”, de Alan Moore, e “Coringa”, por Brian Azzarello, ambas em edição de luxo, com capa dura e página internas em couché.

Um selo holográfico marca a numeração exclusiva de cada exemplar desta edição limitada e o selo comemorativo dos 75 anos do personagem completa o layout da caixa exclusiva.

Mas um alerta aos fãs: as ofertas divulgadas no hotsite podem ser alteradas ou interrompidas a qualquer momento, enquanto durarem os estoques. Então é bom correr e aproveitar!

Divulgação

Divulgação

Vamos falar de amizade?

25 de julho de 2016 0
Divulgação, Salamandra

Divulgação, Salamandra

No dia 20 de julho comemorou o Dia do Amigo (ou Dia da Amizade). Amigo é alguém que está sempre por perto, nos momentos bons e ruins. Esse é fio condutor do livro “Eu Tenho um Pequeno Problema, Disse o Urso”, de Heinz Janisch.

Os seres humanos gostam de compartilhar seus problemas com pessoas próximas a fim de procurarem, juntos, uma solução. Nada como um ombro amigo nessas horas, não é mesmo? Mas nem sempre estamos atentos a ouvir o que o outro tem a dizer. Nesta delicada e comovente história, um urso percorre um longo caminho atrás de alguém que possa lhe dar um pouco de atenção, um conselho e, quem sabe, uma solução para o seu problema: o medo de ficar sozinho no escuro da sua caverna.

Do inventor, ele ganhou um par de asas; da costureira, um cachecol; do chapeleiro, uma coroa; do médico comprimidos, coloridos; do vendedor ambulante, um amuleto; da dona de loja, um par de óculos; de outra mulher, um pote de mel e ainda de mais uma sapatos. Mas foi de uma simples mosca que ele encontrou o seu melhor presente: a atenção e o tempo que só um amigo pode dar.

“Eu Tenho um Pequeno Problema, Disse o Urso”, de Heinz Janisch, com ilustrações de Silke Leffler e tradução de Claudia Cavalcante. Editora Salamandra, 32 páginas, R$ 39,00.

Apenas Sofia pode salvar o mundo!

22 de julho de 2016 0
Divulgação

Divulgação

Seis pedras preciosas. Uma chave. E uma guardiã para salvar o mundo! Esses são os elementos que conduzem a história de “Sofia e o Bosque das Sombras — o Duende Rei”, de Linda Chapman e Lee Weatherly.

Em seu décimo aniversário, a vida de Sofia muda para sempre. Agora ela é a nova guardiã de um mágico portal no misterioso Bosque das Sombras.

Sua missão é impedir que as criaturas perversas que vivem lá venham para o nosso mundo. Mas o desastre começa quando o Duende Rei rouba a chave do portal. Como será que a nossa heroína vai agir para salvar o mundo?

“Sofia e o Bosque das Sombras — o Duende Rei”, de Linda Chapman e Lee Weatherly. Editora Vale das Letras, 144 páginas, R$ 24,90.

O Despertar do Lírio

21 de julho de 2016 0
Divulgação, Novo Século

Divulgação, Novo Século

Hoje, o blog vai dar uma pausa para a garotada e sugerir um romance para o pessoal mais crescido: “O Despertar do Lírio”, de Babi A. Sette. O livro irá fazer os leitores suspirarem mais uma vez com a sequência da série de sucesso “Flores da Temporada”. Publicado pela Editora Novo Século, é um título independente do primeiro volume. A obra carrega um clima intrigante e sedutor, sendo que a narrativa se passa durante a Era Vitoriana na Inglaterra.

No livro, Lilian Radcliffe é uma jovem viúva conhecida por ter uma moral inabalável. Ela jurou fidelidade ao marido em seu leito de morte e passou a viver isenta de emoções. Porém, não contava com o dia no qual Simon Thorn, um dos homens mais temidos de Londres, cruzaria seu caminho.

“Sou uma dama educada e não demonstro emoções. Lilian tentou se lembrar disso quando as pernas fraquejaram ao cair dentro do par de olhos mais azuis que já vira. E eles pertenciam ao barão assassino.”

O barão, por outro lado, desejava encontrá-la. Ele carregava nas costas o peso da fama de assassino por culpa de Rafael Radcliffe, o falecido esposo de Lilian. Movido por um desejo de vingança, Simon estava disposto a atingir de uma vez por todas seu maior inimigo. Mesmo que pra isso precisasse usar a viúva recatada e sem graça para conquistar seus objetivos

Lilian sempre foi uma moça ingênua e conformada com a rotina pacata. Ela tinha a necessidade em manter sua reputação intacta, o que passou a ser tarefa árdua após conhecer Simon. Ele lhe fazia sentir coisas que ela, até então, não sabia que existiam. E como a simbologia por trás do lírio, ela revela-se uma mulher cheia de paixão e erotismo. Entretanto, ele, conhecido por ter um coração de pedra, envolveu-se inesperadamente pelo perfume de flores e o sorriso encantador da jovem.

“Simon era misterioso e profundo. Profundo, como o azul de seus olhos quando escureciam por…desejo? Ele a desejava. Ela estava certa disso.”

Após muita resistência, o casal apaixonado se deixou levar por uma história eletrizante. A vingança e a honra já não importavam mais. “O Despertar do Lírio” tem todo o charme do século 19, com direito a bailes, vestidos lindos, carruagens e castelos. Um clima perfeito e que combina muito bem com o intenso amor vivido por Lilian e Simon. A obra, além de emocionante, é sensual e envolvente, para fazer o leitor vibrar a cada página e esperar ansioso para o próximo volume da série, intitulado “Não me esqueças”.

“O Despertar do Lírio”, de Babi A. Sette. Editora Novo Século, 382 páginas, R$ 39,90.”

Por favor, soltem o Gaspar!

20 de julho de 2016 0
Divulgação, Brinque-Book

Divulgação, Brinque-Book

Você já precisou enfrentar a situação de ficar preso em algo e precisar de ajuda para sair? Pois o personagem da sugestão de hoje, “É Preciso Soltar o Gaspar!”, de Geoffroy de Pennart, está numa fria.

Gaspar, o cabrito, ficou trancado na despensa e o serralheiro não pode acudir. Quem será que irá ajudar Dona Cabra, sua mãe, a tirá-lo de lá? Nesta divertida história cumulativa, o autor francês traz novamente personagens de diferentes contos de fada em novas situações.

O livro permite explorar diversos temas, como: alguém já ficou preso em algum cômodo e precisou de ajuda para sair?; Ou precisou buscar ajuda para alguém que estava preso? É certo Dona Cabra precisar pedir ajuda a tantas pessoas para conseguir soltar o Gaspar? O prefeito e outros governantes tinham razão em não se interessar no problema dela? O que os alunos fariam diferente na mesma situação?

“É Preciso Soltar o Gaspar!”, de Geoffroy de Pennart, com tradução de Gilda de Aquino. Editora Brinque-Book, 36 páginas, R$ 35,00.

A Nova Terra — a Chegada dos Portugueses ao Brasil

19 de julho de 2016 0
Divulgação, Moderna

Divulgação, Moderna

Nesta terça-feira, que tal um livro que mostra parte da história do Brasil? Legal, né? Continue lendo, que eu conto mais.

O livro “A Nova Terra — a Chegada dos Portugueses ao Brasil”, de Álvaro Cardoso Gomes, conta que, no fim do século 15, Dom Manuel, o rei de Portugal, logo depois da descoberta do caminho para as Índias por Vasco da Gama, tem um grande sonho. Aparelha então uma armada, formada de 13 embarcações, sob o comando de um dos mais ilustres nobres portugueses. Para onde se dirigirão as naus e caravelas?

A bordo de uma dessas embarcações vai como clandestino o menino Manuel José, órfão de pai e mãe. Possuidor do mapa de um fabuloso tesouro na Índia, ele parte em busca de riquezas. Ao mesmo tempo, é perseguido por homens cruéis que farão de tudo para lhe roubar o mapa. Mas, no meio da viagem, Manuel José vem a descobrir que a rota da expedição foi alterada. E, assim, chega ele a uma terra paradisíaca, cheia de encantos e belezas naturais, onde fará novos amigos.

A obra, integrante da série “Recontando a História”, permite aos professores trabalharem assuntos como colonização e grandes navegações

“A Nova Terra — a Chegada dos Portugueses ao Brasil”, de Álvaro Cardoso Gomes. Série “Recontando a História”, Editora Moderna, 160 páginas, R$ 50,00.

Andanças pelas terras de cabinhas

18 de julho de 2016 0
Divulgação

Divulgação

Eu sei que tem muita gente de férias (coisa boa, né?!), de papo para o ar, só curtindo o merecido descanso. Mas que tal abrir um espacinho na agenda para ler mais um livro?

“Terra de Cabinha”, de Gabriela Romeu, traz o imaginário, o cotidiano e o brincar das crianças no Cariri cearense, um verdadeiro oásis no meio do sertão nordestino, lugar rico em manifestações populares, histórias e causos, vestígios de tempos pré-históricos. Cabinha é como na região é chamada a criança, principalmente meninos. Vem de “cabra”, que vira “caba” – e daí “cabinha”.

O livro é resultado de pesquisa da jornalista Gabriela Romeu, que há dois desenvolve o Projeto Infâncias (www.projetoinfancias.com.br), projeto de registro sobre a vida de meninos e meninas do interior do país, para além dos grandes centros urbanos. Já resultou numa série de reportagens no caderno Folhinha, em fotos, vídeos e brinquedos para exposições e num documentário chamado “Meninos e Reis”, sobre a infância e o reisado no Cariri.

A jornalista viajou seis vezes para o Cariri cearense, onde percorreu diversos municípios – Juazeiro do Norte, Crato, Nova Olinda, Potengi, Jardins e Santana do Cariri. O trabalho foi feito em parceria com o fotógrafo cearense Samuel Macedo, que cresceu como um menino integrante da Fundação Casa Grande, a escola de comunicação dos meninos do sertão. Juntos, recolheram histórias, causos e adivinhas e brincadeiras, entre outros registros da vida dos cabinhas.

Além das ilustrações de Sandra Jávera, o livro traz muitas fotografias das crianças em seus cotidianos, preparando-se para brincar o reisado, construindo brinquedos no terreiro, entre outros, além de pequenos documentários, com cerca de 2 minutos cada, com antigas registradas em campo, trechos de contação de história, entre outros.

“Terra de Cabinha — Pequeno Inventário da Vida de Meninos e Meninas do Cariri”, de Gabriela Romeu, com fotografia de Samuel Macedo e ilustrações de Sandra Jávera. Editora Peirópolis, 96 páginas, R$ 52,00.

O Coco que Guardava a Noite

15 de julho de 2016 0
O coco que guardava a noite

Divulgação, Mundo Mirim

Para encerrar a semana, o blog indica um livro para ser lido, principalmente, de quem gosta de uma boa lenda.

“O Coco que Guardava a Noite”, de Eliane Potiguara, conta que no princípio do mundo não havia noite nem lua. Boiuna, a Grande Serpente, põe o índio Aruanã à prova e entrega a ele o coco que guarda a noite. Será que ele vai obedecer às ordens da serpente e não abrir o fruto antes da hora? Por que a noite ficava confinada dentro de um coco?

Nesse reconto originário de uma lenda carajá, os personagens precisam enfrentar o mistério da descoberta da noite, e, para isso, seguem um caminho mágico, de realidades e fantasias dessa cultura indígena.

Os mitos sempre nos ajudaram a entender dimensões profundas da existência humana, tanto pessoal quanto coletiva. Este mito, com versões diversas – mas que neste livro se fundamenta basicamente a um reconto da etnia carajá – vai tratar de uma ideia fundante para explicar a separação do mundo em dois períodos: dia e noite.

“O Coco que Guardava a Noite”, de Eliane Potiguara, com ilustrações de Suryara Bernardi. Editora Mundo Mirim, 32 páginas, R$ 29,90.