Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Ficção"

Gilberto Freyre conta sobre algumas assombrações do Recife Velho

29 de maio de 2017 0
Divulgação, Global

Divulgação, Global

Para o livro Algumas assombrações do Recife Velho”, de Gilberto Freyre, foram selecionados sete contos do livro “Assombrações do Recife Velho” para serem adaptados para os quadrinhos. A HQ traz as seguintes histórias:  “O Boca-de-ouro”, “Um Lobisomem Doutor”, “O Papa-figo”, “Um Barão Perseguido pelo Diabo”, “O Visconde Encantado”, “Visita de Amigo Moribundo” e “O Sobrado da Rua de São José”. A adaptação foi conduzida por André Balaio e Roberto Beltrão, que possuem larga experiência na produção de histórias em quadrinhos e estão à frente do Projeto O Recife Assombrado (mais informações em http://www.orecifeassombrado.com/).

Gilberto Freyre sempre se interessou pelo universo das assombrações e do sobrenatural. Numa de suas incursões no campo da ficção, o sociólogo escreveu “Assombrações do Recife Velho”, uma reunião de histórias de assombração que tem como cenário sua cidade natal, Recife. O livro publicado por Freyre em 1955 foi o resultado de um longo trabalho iniciado por ele em 1929, quando esteve à frente do jornal recifense “A Província”. Para a concepção das histórias, Freyre beneficiou-se da pesquisa em arquivos e dos depoimentos de seus amigos e familiares, os quais lhe confidenciaram histórias de arrepiar sobre o passado assombrado da capital pernambucana.

Gilberto Freyre foi sempre um grande entusiasta das histórias em quadrinhos a ponto de, quando exercia o cargo de deputado federal (1946-50), propôs na Comissão de Educação e Cultura que fosse feita uma história em quadrinhos da Constituição de 1946. Para a felicidade do autor, sua obra-mestra “Casa-grande & Senzala” foi adaptada para os quadrinhos. Agora, suas deliciosas histórias de assombração ganham sua primeira adaptação para HQ.

Podemos antecipar que a experiência de leitura deste “Algumas Assombrações do Recife Velho” é, sem dúvida, espantosamente deliciosa e para ser vivida sem sustos!

“Algumas Assombrações do Recife Velho”, de Gilberto Freyre, com adaptação de André Balaio e Roberto Beltrão. Global Editora, 72 páginas,  R$ 49,00.

"A Volta ao Mundo em 80 Dias" em versão integral

11 de janeiro de 2017 0
Divulgação, Via Leitura

Divulgação, Via Leitura

A Edipro, editora dos clássicos, lança a versão integral da melhor e mais impressionante obra de Júlio Verne, pai do gênero de ficção científica.  “A Volta ao Mundo em 80 Dias” é um clássico para todas as idades, um divertido romance de aventura que encantou a mundo.

Como completar em 80 dias uma volta na Terra na época de 1872? Por parecer impossível, uma aposta de 100 milhões de libras levou o personagem metódico, o lorde inglês Phileas Fogg, e seu valete, Passepartout, embarcarem nesta jornada. Só que a partida dos cavalheiros coincide com um roubo no banco e faz com que um detetive siga-os pensando que são os ladrões.

As estratégias de Fogg levam a dupla a enfrentar fanáticos religiosos no interior da Índia, tormentas marítimas a caminho do Japão e até tribos indígenas nos Estados Unidos e, ainda, o lorde inglês, encontra o amor de sua vida.

O livro mais conhecido do autor é um registro bem feito da geografia – por meio de maravilhosas descrições das paisagens e cidades ao redor do globo – e da mecânica – explorando, em detalhes, o funcionamento dos vários meios de transporte utilizados pelos personagens.
Considerada uma das maiores obras da literatura mundial, inspirou diversas adaptações ao cinema e ao teatro.

Júlio Verne (1828 – 1905) é o escritor francês ao qual muitos críticos creditam a criação do gênero de ficção científica. Filho mais velho de um advogado de Nantes – interior da França –, começou a sua carreira literária influenciado pelas obras de Alexandre Dumas e de Victor Hugo. Pesquisador voraz e dono de uma fértil imaginação, logo alcançou a fama com suas descrições de viagens e construtos fantasiosos. Em suas obras, chegou a predizer avanços científicos que se tornariam reais apenas décadas após a sua morte, como o submarino moderno, que aparece em “Vinte Mil Léguas Submarinas”, e a viagem espacial de Da Terra à Lua.

“A Volta ao Mundo em 80 Dias”, de Júlio Verne, com tradução de Daniel Aveline. Editora Via Leitura, 224 páginas, R$ 45,00.

E se você recebesse a missão de descobrir um grande segredo?

30 de junho de 2016 0
Divulgação, Chiado

Divulgação, Chiado

Em “Misterius in Versus”, livro escrito pelo carioca e filho de pais portugueses Antonio Marcos Correia (A.T. Correia), os leitores irão mergulhar em uma busca por mistérios inimagináveis através de templos, locais sagrados e destinos turísticos entre o Velho Continente e a cidade do Rio de Janeiro.

A obra traz como personagem principal Eduardo, um pacato bibliotecário do arquivo público em Portugal, que cai em uma armadilha montada por membros de uma sociedade secreta e passa a ser alvo de chantagem, o que o impele a uma busca por tesouros perdidos.

Na narrativa, a solução em torno do hipotético túmulo de Maria Madalena surge através de um caminho português. Na trama, o poeta Luiz de Camões teria deixado pistas em suas obras e em outros lugares que indicariam a localização de tal segredo.

O livro, segundo o autor, é uma hipótese histórica, já que traz fatos históricos reais com nexos de ficção entre eles. Além de se basear na literatura acadêmica para compor as páginas, todos os locais descritos foram visitados pelo escritor em viagens. “Essa proximidade com a realidade dá ao leitor a possibilidade de se achar próximo dos mistérios a serem resolvidos e a sensação de que podemos fazer parte na vida real da solução deste e de outras incógnitas. Isso é por si só é instigante”, afirma.

“Misterius in Versus”, de A.T. Correia. Chiado Editora, 230 páginas, R$ 30,00.

O Último Tango de Salvador Allende

21 de maio de 2014 0

Aldo Brasil

Depois de 35 anos de sua participação na conspiração que terminou com o governo e com a vida do chileno Salvador Allende, o agente aposentado da CIA David Kurtz volta a Santiago do Chile. O que motiva Kurtz a regressar ao seu antigo teatro de operações são documentos que sua filha lhe entregou ao morrer: uma carta, um velho diário escrito em espanhol e uma foto.

Na carta póstuma, a filha pede a seu pai que procure um rapaz que foi seu amigo na época em que viveram no Chile. O diário, que David traduz e decifra, guarda as anotações de Rufino, o último cozinheiro do presidente. Allende e Rufino se conheceram na adolescência, quando frequentavam as reuniões de Demarchi, um velho sapateiro anarquista italiano que os fez revolucionários. Buscando respostas nas pessoas e nas pistas do diário, Kurtz vai aos poucos conhecendo o outro lado do seu trabalho como agente da CIA no Chile, uma atividade que acabou com a felicidade de sua filha.

“O ÚLTIMO TANGO DE SALVADOR ALLENDE”, de Roberto Ampuero, é um romance que parte de fatos históricos e mergulha com delicadeza na imaginação literária, projetando a amizade e os apaixonantes diálogos de um presidente Allende que pressente seu trágico final com um Rufino de fortes convicções, em uma etapa crucial da história do Chile e da América Latina. Uma história sobre a lealdade e a traição, o amor e o desamor, o bem e o mal que se escondem na alma e na história dos homens.

“O ÚLTIMO TANGO DE SALVADOR ALLENDE”, de Roberto Ampuero, com tradução de Luis Reyes Gil. Editora Benvirá, 336 páginas, R$ 42,90 (versão impressa) e R$ 30,03 (versão digital).

O enigma das estrelas

07 de maio de 2014 0

Divulgação, Geração

Prepare-se para desvendar um mistério, “O ENIGMA DAS ESTRELAS”, que dá nome ao livro escrito por F.T. Farah. Mas tome cuidado: alguém pode estar observando seus passos…

Antes de ser queimado em praça pública, um padre amaldiçoa Morro do Ferro. Pouco depois, luzes misteriosas começam a perseguir seus moradores. O vilarejo mineiro, cercado por erosões sinistras, é o destino das férias de julho de cinco amigos: Jonas, Alfredo, Carola, Carmem e Vicentinho.

No primeiro de cinco volumes da saga “Clube dos Mistérios”, a turma é encorajada a acampar no topo do Morro dos Anjos. Uma experiência do outro mundo marcará suas vidas. Para sempre.

“O ENIGMA DAS ESTRELAS”, de F.T. Farah, com ilustrações de Samuel Casal. Coleção “Clube dos Mistérios”, Geração Editorial, selo Geração Jovem, 160 páginas, R$ 29,90 (livro físico) e R$ 19,90 (e-book).

Samba sem mim

29 de abril de 2014 0

Aldo Brasil

A sugestão de hoje, apesar do título, não tem nada de musical. A obra trata de um sentimento que muitos que viveram (ou vivem) o pesadelo de ter de abandonar tudo por causa de guerra ou de qualquer outro motivo que force uma mudança a outro lugar.

João Pedro é obrigado a fugir de sua terra natal e se esconde na terra de seus avós. Estes que haviam fugido de uma Alemanha em guerra e, sem escolha, desembarcaram no Brasil de Getúlio Vargas, sem direito a falar sua própria língua.

Instalado em Berlim, João Pedro vai descobrir aquilo que seus avós já tinham experimentado aqui: o sentimento de não pertencer. Sua mãe era filha de alemães e dela não restou nada, nem o sobrenome. João Pedro não tinha nem um sobrenome alemão que pudesse lhe dar algum conforto no país.

O romance “SAMBA SEM MIM”, de Caio Yurgel, explora esse não lugar vivido pelo personagem central, sentimento intensificado ao longo da narrativa pelas histórias das pessoas que cruzam seu caminho: os jovens filhos de turcos, que são “turcos na Alemanha e alemães na Turquia”. O filósofo Ján Kováč, que mora em Berlim desde que era estudante, mas é eslovaco. Alice, a quem ele procura como se procurasse a si mesmo. Anka, que anseia preencher as páginas em branco de sua própria história. E mesmo os alemães, os eternos culpados. Cada um vivendo seu exílio, a sua “impossibilidade da poesia”.

O leitor tem em mãos uma narrativa contundente, a história de um homem cindido como uma Berlim, cindido como uma Alemanha do pós-guerra.

“SAMBA SEM MIM”, de Caio Yurgel, Editora Benvirá, 192 páginas, R$ 34,90.

Resident Evil - o Incidente de Caliban Cove

15 de abril de 2014 0

Aldo Brasil

Hoje, o tio Aldo vai dar uma dica para os mais crescidinhos, principalmente para os fãs de “Resident Evil”, que já saiu em filme no cinema e também em jogo para videogame. O livro “RESIDENT EVIL – O INCIDENTE DE CALIBAN COVE” é o segundo da série criada por S.D. Perry e traz uma história inédita, não retratada no jogo. A obra narra acontecimentos que correm entre os games Resident Evil e Resident Evil 2. Os membros sobreviventes do S.T.A.R.S. acreditavam que a conspiração terminaria após o incidente na mansão Spencer. O esquadrão reuniu evidências para alertar o mundo sobre as terríveis armas biológicas criadas pela corporação Umbrella, mas tudo foi em vão: a empresa farmacêutica saiu impune e os S.T.A.R.S. foram considerados criminosos foragidos.

A história agora é protagonizada pela novata Rebecca Chambers, o único membro da equipe Bravo a sobreviver aos terrores da mansão. A médica passa a fazer parte de um novo esquadrão dos S.T.A.R.S. quando ouve de um misterioso informante rumores sobre uma nova instalação da Umbrella em Caliban Cove, no Estado do Maine.

Rebecca deverá reunir provas suficientes para finalmente incriminar a Umbrella, mas irá se deparar, mais uma vez, com um perigo inimaginável.

“RESIDENT EVIL – O INCIDENTE DE CALIBAN COVE”, de S.D. Perry, com tradução de Gustavo Hitzschky. Editora Benvirá, 208 páginas, R$ 24,90.

Edla van Steen narra A Revolta

03 de abril de 2014 0

Divulgação, Global

A história criada pela catarinense Edla van Steen em “A REVOLTA”, narrada em primeira pessoa por uma adolescente, sensibiliza o jovem leitor não só pela temática, mas também pela qualidade literária e poder de síntese com que a autora constrói os fatos narrados.

A sociedade descrita no livro em muitos aspectos não está tão distante do que já vivenciamos hoje – organização de protestos, aprendizagem virtual, governantes inaptos, alta cobrança de impostos, alimentos a vácuo, ausência de plantações, entre outros. O que causa espanto é o fato de comprimidos letais serem dados a todos quando atingem 70 anos. Porém, as famílias escondem os velhos para não deixar que morram. Da leitura, fica um forte sentimento de esperança, como a autora apresenta no trecho abaixo.

O encontro vem sendo preparado há meses, e será num velho estádio de futebol, onde cabem cem mil pessoas. (…) O dirigente ou guia, como alguns o chamam, não está sabendo de nada. Ele vai apenas comemorar seus oito anos no poder (…) O aerobus passará aqui na porta dentro de alguns minutos. Cruzo os dedos para que nada dê errado. Que alegria, para meus avós, rever tantos conhecidos.

“A REVOLTA”, de Edla van Steen, com ilustrações de Marcelo Cipis. Global Editora, 32 páginas, R$ 27,00.

O Ladrão de Crianças

02 de abril de 2014 0

Divulgação, Benvirá

A sugestão de hoje é um livro que traz uma visão totalmente nova e perversa da história Peter Pan: “O LADRÃO DE CRIANÇAS”, de Gerald Brom. Para aqueles que amam o personagem, pode ser um soco no estômago. De qualquer forma, a leitura é imperdível para traçar um paralelo entre aquele do conto de fadas e este de Brom.

Há séculos, o personagem criado por Brom conquista e depois sequestra crianças, levando-as para uma ilha que esconde terríveis pesadelos. Tem orelhas pontudas, um sorriso diabólico e mata homens simplesmente porque se diverte com isso. O Peter Pan de Brom não é um mocinho e muito menos um herói de contos de fadas.

Aos quatorze anos, Nick teria sido morto por traficantes nas ruas do Brooklyn se Peter não tivesse aparecido de repente para salvá-lo. Além de impedir que Nick fosse assassinado, o simpático garoto de orelhas pontudas o convida a segui-lo para uma ilha encantada onde as crianças são livres e a magia e ajuventude, eternas. Como não quer voltar para casa e as ruas de Nova York já não são seguras para ele, Nick, mesmo desconfiado, aceita o convite. Afinal de contas, não tem mais nada a perder. Mas o garoto não precisa seguir Peter por muito tempo para descobrir que encarar uma vida normal e se tornar adulto pode ser menos doloroso do que a maldição de uma juventude eterna em uma ilha de horrores.

Com elementos dos folclores irlandês e escocês e de clássico do terror e da fantasia, encontramos fadas, bruxas, ogros e elfos em cenários que oscilam entre a terrível ilha de Avalon e a Nova York dos dias atuais, sempre vistas através das sombras.

“O LADRÃO DE CRIANÇAS”, de Gerald Brom, com tradução de Santiago Nazarian. Editora Benvirá, 432 páginas, R$ 49,90.

Histórias Mal-assombradas do Espaço Sideral

26 de março de 2014 0

ALDO BRASIL

A sugestão de hoje vai para aquela turminha que gosta de uma história de arrepiar os cabelos. Só não vale, depois de ler, pedir para a mãe deixar a luz do quarto acesa. Está preparado?

No sítio Veredas (cenário de “HISTÓRIAS MAL-ASSOMBRADAS DO ESPAÇO SIDERAL”, de ADRIANO MESSIAS, coisas estranhas estão acontecendo há algum tempo: um bicho esquisito devora animais e mata pessoas. Luzes estranhas são vistas no céu, e misteriosas passagens subterrâneas podem levar a contatos imediatos do terceiro grau. Até o boitatá está diferente, com uma barriga enorme e brilhante.

André e seu amigo Leandro vão se envolver em tramas impensáveis e com personagens sinistros: um médico excêntrico e seus assistentes do IML, um caipira que tem uma dieta carnívora que não agradaria ao Ibama, além de uma linda moça fantasma que mora no fundo de um poço.

“Histórias Mal-assombradas do Espaço Sideral” é o sexto volume da série “Contos para não Dormir”, da Editora Biruta. Todos os livros da série mostram causos de assombrações típicos: são histórias do interior, histórias indígenas, histórias vindas de Portugal e Espanha – nesse livro, o autor busca inspiração nas histórias extraterrestres. O cenário e os personagens principais são os mesmos, mas o livro pode ser lido de maneira independente. O livro traz diversos mistérios, e o leitor ficará curioso para desvendá-los.

O livro é indicado para crianças a partir de 10 anos, que sejam fluentes na leitura, devido ao maior volume de texto.

E aí, ficou com medinho?

“Histórias Mal-assombradas do Espaço Sideral”, de Adriano Messias, com ilustrações de Alexandre Teles. Série “Contos para não Dormir”, Editora Biruta, 272 páginas, R$ 37,00.