Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts na categoria "literatura catarinense"

Por enquanto, dê uma forcinha para a Menina Distraída

10 de março de 2017 0

 

Muita gente conhece a jornalista e escritora Vanessa Bencz, criadora das histórias da Menina Distraída que falam, basicamente, das venturas e desventuras da vida de um adolescente. Temas como o bullying e superação são comuns. Agora, Vanessa “Menina Distraída” Bencz está numa nova empreitada para fazer circular o livro “Por Enquanto” via financiamento coletivo pelo site Catarse.me. As doações começam de R$ 10 e, conforme aumenta o valor, há um mimo diferente. Os brindes vão desde nome no livro como agradecimento a caneca e camiseta. Confira as imagens na galeria acima. Para ampliar as fotos, é só clicar nelas. Para doar, basta entrar na página do projeto no Catarse.me: https://www.catarse.me/porenquanto. O projeto pode receber apoios até o dia 17 de abril.

O livro fala sobre cicatrizes e superação. A cada cinco estudantes brasileiros, um já se cortou de forma proposital. Automutilação é um problema de saúde pública. Jovens têm testado seus limites físicos e emocionais porque se sentem desamparados em um mundo que evolui muito rápido. O resultado disso? As estatísticas mostram que o número de suicídio entre jovens de dez e 14 anos aumentou 40% nos últimos dezanos. Porém, esses números jamais representarão o sofrimento real dessas pessoas e de suas famílias.

Foi pensando nestas estatísticas que Vanessa Bencz Yasmin Moraes — jornalista e ilustradora, respectivamente — se juntaram para lançar a história em quadrinhos “Por Enquanto”. Trata-se do spin-off da história em quadrinhos “A Menina Distraída”, financiada pelo Catarse.me em 2014 e que focava no tema bullying.

Em “Por Enquanto”, a protagonista Ana, de 16 anos, usa um canivete para lidar com suas dores. Ela sofre abuso dentro de casa, tira notas baixas, é excluída, não tem amigos e apela para um método nada convencional de administrar seu sofrimento.

É preciso, urgentemente, falar sobre automutilação nas escolas. Vanessa e Yasmin, que são de Joinville, querem oferecer às escolas brasileiras uma ferramenta para isso. Elas acreditam profundamente que a informação é uma ferramenta — sobretudo se esta informação for transmitida por meio de uma história em quadrinhos que fale a linguagem dos jovens.

O cotidiano retratado em poesia

07 de março de 2017 2
Divulgação

Fotos: Divulgação

Divulgação

O autor Jean Marcel Kreuzberg

Alô, pessoal de São Bento do Sul e arredores. A sugestão de hoje é sob medida para vocês. No dia 9 de março, quinta-feira, o autor Jean Marcel Kreuzberg, que atua no Corpo de Bombeiros Militar, estará realizando o lançamento de seu primeiro livro, publicado pela Editora Ixtlan. O lançamento será na Livraria Cedro Rosa, no calçadão do Centro de São Bento do Sul, das 16h às 20h.

Na obra “Palavras por Demais” está escrito um pouco do sentimento do mundo transmitido por meio de imagens ou histórias, cada qual inspiradas no seu próprio meio contado, algumas de maneira mais alegres ou incentivadoras, outras um tanto não muito alegres, mas sempre com o objetivo de tentar demonstrar a realidade de um mundo que ao mesmo tempo se mostra simples e inocente, também um pouco voraz e até injusto, se assim podemos julgar o mundo com as próprias palavras.

O livro  conta com 64 poesias que falam sobre questões da vida, em muitas vezes citando Deus, questões do tempo (passado, presente e futuro), fatores da natureza, períodos do dia (noite, madrugada, manhã e tarde), dentre outros diversos temas. Com títulos requintados, algumas das poesias são homenagens; outras, inspiradas em sonhos, ideias surgidas por meio de leituras de outras obras, inspirações em títulos de músicas, dentre tantos outros, que trazem uma boa palavra amiga para diversas situações da vida. Quem ler poderá se identificar com alguma das poesias. O livro poderá ser comprado pelo site www.editoraixtlan.com, e em breve estará nas livrarias locais.

“Palavras por Demais”, de Jean Marcel Kreuzberg. Editora Ixtlan, 138 páginas, R$ 34,00.

Aborto é tema de livro de estreia de joinvilense

06 de março de 2017 0
Divulgação

Divulgação

O aborto é um tema que sempre divide opiniões e gera polêmica. E é justamente sobre isso que o joinvilense João Borges decidiu abordar em seu primeiro livro, “Nove Meses e Quarenta Minutos” (Manuscritos Editora, 128 páginas, R$ 10). A obra será lançada no dia 8 de março, às 19h, na Livrarias Curitiba do Shopping Mueller, com sessão de autógrafos do autor.

Após conhecer a história de um casal de amigos, João decidiu falar a respeito da difícil decisão de abortar legalmente no Brasil. A história virou um romance fictício, onde a mãe enfrenta altos riscos na gestação. Amanda, a protagonista, e o marido, precisam decidir se levam a gestação adiante e como assumir os riscos, independente da decisão tomada. A intenção do autor, que é formado em ciências econômicas, é levantar uma reflexão sobre a decisão livre e responsável dos pais. “A história deles é a história de muitas famílias, tenho convicção de que existem muitas pessoas precisam conhecer o exemplo deles”, explica João.

A história contada no livro é da personagem Amanda, uma jovem que viveu intensamente todos os sentimentos próprios da infância e juventude. Na fase adulta, ela descobre que todos os dramas, angústias e tristezas que vivera eram apenas preparação para algo muito maior que viria. Ela seria mãe, porém teria uma gestação de altíssimo risco. Ela e o marido precisavam decidir sobre o futuro daquela gestação. Abortar? Levar a gestação à frente? Como assumir os riscos, independentemente da decisão a ser tomada?

Serviço
O quê: lançamento do livro “Nove Meses e Quarenta Minutos”, de João Borges.
Quando: dia 8 de março de 2017, às 19h.
Onde: Livrarias Curitiba do Shopping Mueller, em Joinville.
Quanto:
o acesso ao evento é gratuito. O preço do livro não foi divulgado.

Piangers lança "O Papai é Pop 2"

01 de julho de 2016 0
Divulgação, Belas-Letras

Divulgação, Belas-Letras

“O Papai é Pop” está de volta. Marcos Piangers vai colocar você no banco de trás do carro, ao lado das filhas Anita e Aurora, para contar novas histórias – algumas comoventes, algumas divertidas e outras talvez um pouco nojentas – sobre essa coisa absolutamente comum e extraordinária que é ter um filho. O livro está disponível nas livrarias a partir deste dia 1º de julho, pela Editora Belas-Letras.

O livro já começa “em família“. Curiosamente, quem apresenta Marcos Piangers nesta segunda edição é a própria mãe do autor. Ele não sabia quem era o próprio pai até o lançamento do seu livro no ano passado — era filho de mãe solteira. “Queria que meus pais pudessem ver a pequena revolução que o livro do Marcos causou. Esses dias, em um restaurante, a garçonete veio me dizer como o livro mudou a vida do irmão, que deixou de ser um pai ausente para participar da vida do filho. Todos os dias recebemos mensagens de carinho, de mães que se identificam com a minha história, de pais que decidiram ser mais presentes por causa do livro. Queria que meus pais pudessem ver tudo isso”, escreve Eloisa Piangers. A frase é apenas uma amostra da repercussão do primeiro livro, publicado em 2015.

“O Papai é Pop” firmou Piangers como porta-voz da figura de um pai mais participativo. O primeiro livro vendeu mais de 60 mil exemplares, ficou por seis semanas na lista de best-sellers da revista “Veja”, teve e-book traduzido para o inglês (“Dad is Cool”) e direitos vendidos para Espanha e Portugal.

Com uma ajudinha da realidade aumentada, que proporciona uma experiência que salta da capa do livro para a tela do celular, “O Papai é Pop 2″ defende de forma leve e sincera que abrir mão de tudo em nome dos filhos vale a pena. Junto com “O Papai é Pop 2″, a editora está lançando ao outro lado da família pop o livro “A Mamãe é Rock” (em breve neste blog), narrado pela esposa de Piangers, a jornalista Ana Cardoso.

“O Papai é Pop 2″, de Marcos Piangers. Editora Belas-Letras, 112 páginas, R$ 24,90.

Alcides Buss lança livro em Jaraguá

09 de novembro de 2012 0

O poeta Alcides Buss estará em Jaraguá do Sul para um bate-papo com o público e lançamento do seu novo livro, “Janela para o Mar”, às 10h, na Grafipel – pertinho da praça Ângelo Piazera, no Centro.

“Janela para o Mar” chega a Jaraguá do Sul em momento especial na trajetória de Alcides Buss, um dos nomes mais respeitados da literatura catarinense. O livro acaba de receber o Prêmio Fernando Pessoa, da União Brasileira de Escritores – solenidade de premiação ocorreu há uma semana na Academia Brasileira de Letras, no Rio de Janeiro.

Buss publicou seu primeiro livro em 1970, na época difícil dos governos militares. A exemplo de tantos outros, sofreu com a censura e a repressão. Nada impediu, no entanto, que levasse adiante sua vocação para a poesia, por ele sempre entendida como um exercício de liberdade. Desse paradoxo nasceu o título de sua obra inaugural: “Círculo Quadrado”.

No ano seguinte, 1971, já estava concorrendo ao Festival Catarinense de Poesia Universitária. Entre uma centena de participantes, levou a melhor e teve seu segundo livro premiado e publicado: “O Bolso ou a Vida?”.  Em relação ao “Círculo Quadrado”, este era um livro mais maduro e de caráter experimental. Lindolf Bell, conhecido nacionalmente pela sua “Catequese Poética”, escreveu: “’O Bolso ou a Vida?’ coloca Alcides Buss, sem equívocos, entre os mais importantes poetas da nova geração brasileira”.

Sem medo de ousar, militou devotadamente no meio cultural, editando suplementos e revistas, entre elas a “Cordão”, publicação independente que fazia intercâmbio com poetas alternativos do Brasil e do exterior. Um pouco antes, no final dos anos sessenta, havia criado os varais literários, uma forma de driblar a censura econômica. Os varais se espalharam pelo País e até fora dele. Hoje existe, na Suíça, o Varal do Brasil, coordenado por Jacqueline Aisenman, adaptado para a versão digital, com centenas de seguidores.

Professor universitário, durante dezessete anos Alcides Buss dirigiu a Editora da Universidade Federal de Santa Catarina, substituindo o romancista Salim Miguel.  Além das traduções e edições acadêmicas, manteve sempre viva uma coleção destinada a novos escritores. Garantiu ainda a edição de uma revista para estímulo e iniciação literária dos estudantes, a Poité.

Após duas dezenas de títulos, entre eles dois infantis sempre reeditados (“A Poesia do ABC” e “Pomar de Palavras”), e inúmeros prêmios, Alcides Buss oferece aos leitores agora “Janela para o Mar”. Livro temático, explora o mar enquanto entidade fabulosa e inesgotável: o mar de dentro, o mar de fora, o mar enquanto música, o mar inúmero como o de Cacaso: “Mar de mineiro / é Minas”.

Criado em pequenas cidades do interior de Santa Catarina e do Paraná, Buss somente foi conhecer o mar aos dezoito anos. Ficou tão impressionado, que exclamou: “Nossa, o mar é tão grande que não cabe nas palavras!”

Vivendo há bastante tempo na Ilha de Santa Catarina e cercado de mar por todos os lados, mergulhou em sua diária presença, nunca igual à da véspera. Daí tirou lições e entregou-se às imagens subjetivas de sua grandeza.

O livro, além de receber o Prêmio Fernando Pessoa da União Brasileira de Escritores,  vem apresentado e recomendado pelo poeta e tradutor e membro da Academia Brasileira de Letras Ivan Junqueira: “Buss é, acima de tudo, um lírico, mas um lírico que não se esgota no lirismo estrito e autocomplacente do subjetivismo pessoal. Há nele, além de uma adesão autêntica e orgânica ao tema que elegeu, uma viva preocupação por aquilo que entendemos como o mistério da existência, esse mistério de que o mar, com suas profundezas abissais, é mensageiro privilegiado.”

SERVIÇO

O QUÊ: lançamento do livro “Janela para o Mar”, de Alcides Buss. ONDE: Grafipel – Livraria, Papelaria e Cyber Café. Rua Quintino Bocaiúva, 42 – Centro, Jaraguá do Sul. QUANDO: 10 de novembro, sábado, às 10 horas. PARTICIPAÇÃO: Grupo Instrumental Pomerode 40 Graus. O evento é gratuito. O livro, editado pela Caminho de Dentro Edições, tem 128 páginas e custa R$ 20. Informações pelo telefone (47) 3275-0137 ou com o autor: www.alcidesbuss.com / e-mail alcides-buss@hotmail.com