Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Literatura juvenil"

Aventura e adrenalina em alta com "Homem de Ferro: Extremis"

21 de setembro de 2017 0
Divulgação, Novo Século

Divulgação, Novo Século

A Editora Novo Século traz neste mês ao público brasileiro a obra “Homem de Ferro: Extremis”, um romance de Marie Javins, adaptado dos quadrinhos de Warren Ellis & Adi Granov.

Quando Tony Stark tornou-se o Homem de Ferro, ele resolveu usar sua riqueza e poder para fazer do mundo um lugar melhor. Ao revelar sua dupla identidade, tornou-se uma celebridade global de fama sem precedente, mas não era o bastante.

A doutora Maya Hansen, antiga colega de Tony, desenvolve um processo biológico batizado de Extremis, desenhado para reescrever o corpo humano de fora para dentro. Mas o Extremis é roubado e vendido para um terrorista chamado Mallen, o que resulta num sangrento tumulto pela América.

Nesse momento, entra em cena Tony Stark, mas uma trágica batalha contra as forças de Mallen obriga Tony a compreender: sua armadura é muito lenta, muito primitiva e muito mecânica. Para manter-se de pé perante as ameaças do século 21, o Homem de Ferro precisa evoluir. E assim começa uma obscura odisseia dentro do abismo que separa homem e máquina, numa jornada que transformará Tony Stark para sempre.

“Homem de Ferro: Extremis”, de Marie Javins. Editora Novo Século, 240 páginas, R$ 44,90.

Dois pinheiros e o mar e outras crônicas sobre o meio ambiente

23 de agosto de 2017 0
Divulgação, Global

Divulgação, Global

Rubem Braga sempre esteve à vontade no meio da natureza. Nasceu e cresceu em Cachoeiro do Itapemirim, no Espírito Santo, tomando banho no rio que corta a cidade, andando solto por matas e fazendas, em meio a bichos e árvores. No Rio de Janeiro, onde se radicou, construiu um admirável jardim a céu aberto em sua cobertura na rua Barão da Torre, em Ipanema, cultivando flores, árvores frutíferas, periquitos e beija-flores. Desde suas primeiras crônicas, são patentes o amor, o respeito e a preocupação do cronista pela conservação das belezas e riquezas do mundo natural.

Neste “Dois Pinheiros e o Mar e Outras Crônicas Sobre Meio Ambiente”, estão reunidas 21 crônicas inéditas em livro, publicadas em jornais e revistas entre 1948 e 1969, cujos originais integram o acervo do autor, pertencente à Fundação Casa de Rui Barbosa. Nelas, “o sabiá da crônica” descreve não só a singeleza da fauna e da flora, como também clama aos homens que olhem com mais carinho e responsabilidade por este universo, que, no fim das contas, garante a plena sobrevivência da humanidade. Por causa desta viva sensibilidade, Rubem Braga expõe e critica com sua fina ironia a crueldade humana que violenta o mar, polui os rios e cria desertos.

Destinadas também ao público juvenil, as crônicas foram selecionadas por Gustavo Henrique Tuna e ilustradas por Dave Santana.

“Dois Pinheiros e o Mar e Outras Crônicas Sobre Meio Ambiente”, de Rubem Braga, com seleção e prefácio de Gustavo Henrique Tuna e ilustrações de Dave Santana. Global Editora, 104 páginas, R$ 35,00.

Anabela vai ao resgate

02 de janeiro de 2017 0
Divulgação, CMS

Divulgação, CMS

Depois de uma folguinha, é hora de voltar com os posts para a galerinha. E o primeiro livro do ano é “Anabela Vai ao Resgate!”, de Kate Pankhurst. O livro conta que Anabela é a fadinha mais ocupada da Vila Mágica. Ela consegue consertar qualquer coisa! Por sorte, sempre carrega uma bolsinha especial e a varinha mágica.

Alguém sempre acaba precisando da ajuda da fada. E lá está ela ajudando as pessoas. Anabela salva duendes do afogamento, conserta uma ponte que está se partindo, além de auxiliar os elfos a prepararem o café da manhã de panquecas e mel. Até as joaninhas que colhem cenouras e ervilhas ganham uma mãozinha da amiga. Mas será que esta fadinha tão ocupada vai conseguir resolver todos os problemas em tempo?

O livro vem acompanhado de uma incrível varinha mágica destacável para que os pequenos possam ajudar Anabela em cada missão. Em formato de bolsa, a obra vai encantar as crianças. Outro livro da coleção “Anabela” é “Anabela Salva o Dia”, os dois publicados pela Editora CMS.

“Anabela Vai ao Resgate!”, de Kate Pankhurst. Coleção “Anabela”, Editora CMS, 14 páginas (capa dura), R$ 39,90.

Cinco sugestões de livros para presentear no Natal

07 de dezembro de 2016 0

 

Ler é divertido. Ler é brincar e aprender ao mesmo tempo. Quem lê, pensa melhor e escreve melhor. Em tempos tão conectados, a comunicação é cada vez mais importante. Saber se expressar com palavras e por escrito é fundamental. Quem lê, leva vantagem.

Por isso, o livro é, cada vez mais, uma grande opção de presente para todas as idades. Principalmente para crianças e adolescentes, que ainda estão formando a sua personalidade nesse mundo tão cheio de opções e armadilhas digitais.

Livro é conhecimento, é diversão, é passatempo, é comunhão. Livro é um acontecimento. Ler é tão importante que se tornou uma recomendação médica internacional, apoiada pela ONU. A Sociedade Brasileira de Pediatria lançou no Brasil a campanha Receite um Livro, para estimular os pediatras, pais e mães a lerem com as crianças.

Cristiane Mateus, editora de literatura da Editora Positivo, mestre em literatura, que se especializa no master em livros e literatura infantil e juvenil, da Universidade Autônoma de Barcelona, afirma que escolher bons livros é fundamental: “A escolha certa, possibilita a formação do hábito de leitura, é um caminho que leva o leitor a desenvolver a imaginação, emoções e sentimentos de forma prazerosa e significativa.”

Com a curadoria de Cristiane Mateus, aqui vão cinco dicas de bons livros para crianças e adolescentes. Para ver a capa em alta resolução, é só clicar na imagem da capa na galeria acima:

1. “Brincadeira de Guerra” – Saigon 1961-1963 (para jovens e adultos – Editora Positivo – R$ 54,90): esse romance gráfico (HQ) de Marcelino Truong é quase uma autobiografia, já que ele, filho de uma francesa com um vietnamita morou em Saigon durante a Guerra do Vietnã. Sob o ponto de vista de um menino, relata a convivência familiar, as dificuldades durante o conflito e ajuda a fazer uma reflexão sobre as guerras.

2. “Eu Sou do Tipo que Costura Versos com a Linha do Equador” (para jovens e adultos – Editora Positivo – R$ 44,30): o escritor pernambucano Múcio Góes reuniu nesta antologia poesias já publicadas e inéditas. O livro é dividido em cinco capítulos temáticos: “O poeta e o amor”, “O poeta no espelho”, “O poeta e a palavra”, “O poeta e o tempo” e “O poeta e a vida”. O autor gosta de unir extremos, como a poesia de vanguarda e os versos populares para, a partir da alma de cada um, nos fazer mirar o universo.

3. As Mais Belas Histórias da Grécia Antiga (a partir de 10 anos – Editora Positivo – R$ 54,90): Hércules, Édipo, Prometeu, Teseu e o Minotauro. Com seus deuses e principais heróis, a mitologia grega influencia as artes até hoje. Ela é explicada em linguagem simples nesta adaptação de Josef Guggenmos do clássico “Os Mais Belos Mitos da Antiguidade Clássica”. Tem criativas ilustrações de Stefanie Harjes que promovem um diálogo entre a Antiguidade e a Modernidade.

4. O Leão e o Pássaro (a partir dos seis anos – Editora Positivo – R$ 44,30): mais uma sugestão da autora Marianne Dubuc sobre um leão que encontra um pássaro machucado em um dia de outono. Pode surgir uma amizade entre os dois? Pois é justamente a amizade que a obra ajuda a discutir enquanto apresenta as estações do ano e fala sobre sentimentos de bem querer e de desapego.

5. O Barco dos Sonhos (a partir dos nove anos – Editora Positivo – R$ 39,80): o que é realidade e o que é imaginação? O autor Rogério Coelho ganhou o Prêmio Jabuti de 2016 como melhor ilustração de livro infantil ou juvenil com esta obra de imagens. Revela a magia que pode surgir de uma folha em branco, dependendo de quem a vê. Um deleite para os olhos e para a imaginação.

Malu no mundo dos cabeças de ferro

14 de novembro de 2016 2
Cabeças de Ferro

Divulgação

No livro “Cabeças de Ferro”, Malu – a nova protagonista da autora Carol Sabar – acaba de ingressar na concorridíssima Universidade de Ponto Sem Nó, reduto das mentes mais brilhantes do País. A trama se passa na cidade imaginária de Ponto Sem Nó – próxima a Ouro Preto – e é recheada com trotes violentos, festas desregradas, debates políticos acirrados, boatos maldosos e rivalidade inescrupulosa, ou seja, temas recorrentes na vida de universitários “cabeças de ferro“, jovens que se consideram acima do bem e do mal por sua inteligência e pela capacidade de entrar numa universidade concorrida como essa. Nesse cenário um tanto perturbado, Malu então se vê envolvida em uma nova e eletrizante aventura tentando desvendar crimes e mistérios que parecem ter tomado conta da universidade.

Após ela mesma quase ter sido vítima de queimaduras químicas num desses trotes humilhantes com um estranho produto chamado “ácido agressílico“, Malu, juntamente com dois colegas, tenta desvendar o que há por trás desse ataque criminoso e da estranha mistura. A partir daí, uma série de reviravoltas tem início em uma trama que prende a atenção do leitor como num bom filme de suspense. Como se não bastasse, ela ainda precisa resolver sua atribulada (e acalorada!) vida amorosa e fazer uma escolha: o conforto dos braços de Nicolas, o melhor amigo apaixonado de todas as horas, ou a atração desenfreada que sente por Artur, o bad boy genial que ela sempre odiou e que a colocou numa situação humilhante quando ela tinha apenas 11 anos.

Em Cabeças de Ferro, Carol Sabar promete fazer o leitor ser absorvido pelas aventuras de Malu e seus dilemas românticos num ambiente descolado numa trama inteligente e que vai fazer o leitor se deliciar com a trajetória de sua nova heroína. Com a mesma linguagem espontânea e divertida que conquistou tantos leitores, Carol Sabar agora nos conta uma história irresistível, cheia de suspense, romance e adrenalina.

“Cabeças de Ferro”, de Carol Sabar. Editora Jangada, 304 páginas, R$ 34,90.

Muita aventura em "A Fúria dos Mobs"

22 de agosto de 2016 0
Divulgação, Geração

Divulgação, Geração

O paulistano Andrei Soares, o famoso Spok, lança pela Geração Editorial seu primeiro livro, “A Fúria dos Mobs”, que integra as obras brasileiras voltadas ao universo do Minecraft. O youtuber começou a divulgar vídeos no canal, The Creeper Oficial, em 2012. Atualmente, alcançou a marca de 1,7 milhão de inscritos e tem mais de 150 milhões de visualizações.

Neste livro, do jogo para literatura, Spok acorda em um lugar diferente e, mesmo assustado com os formatos quadrados e todas as criaturas macabras, como aranhas e zumbis, toma coragem e explora essa nova dimensão: o mundo do Minecraft.

Após algumas surpresas, o personagem encontra orientações escritas de um desconhecido que posteriormente se transforma em amigo, o Authentic, que o alerta sobre este novo mundo.

Além de todos esses perigos encontrados, o momento nesta dimensão era bastante delicado. Conduzidos pela aranha Maya, meticulosa rainha das trevas, e corrompidos individualmente por Pedro, um humano desertor, os monstros confabulam prender todos os aldeões em uma fortaleza sombria para sempre. Porém, Spok e seus novos amigos — todos youtubers — Pac, Mike, Authentic, Toddynho, Moonkase, Cauê, Likea, Nofaxu, Malena, Jabuti e Jazz travarão uma batalha intensa contra esse exército terrível para que isso não aconteça.

O leitor entrará em uma aventura alucinante que vai prender a atenção do começo ao fim. Os monstros estarão mais condicionados e fortes, o personagem e os aldeões terão que enfrentar muitos perigos no fantástico mundo do Minecraft. É tudo ou nada!

“A Fúria dos Mobs”, de Spok com Nathan Spencer. Editora Geração Jovem, 148 páginas, R$ 24,90.

Preparem os lenços para ler "O Garoto do Cachecol Vermelho"

10 de agosto de 2016 0
Divulgação

Divulgação

Após o sucesso com a literatura fantástica, é a vez da autora Ana Beatriz Brandão se aventurar no romance. “O Garoto do Cachecol Vermelho”, publicado pela Editora Verus, parte do Grupo Editorial Record, é a estreia dela neste gênero. Com uma narrativa voltada para o público jovem, a obra irá encantar e emocionar os corações dos leitores.

A história tem como protagonista Melissa, uma adolescente que tem uma vida conturbada e cheia de dramas. Bailarina talentosa, ela está determinada a conquistar uma vaga em Julliard, uma das mais importantes escolas de dança do mundo. Em meio às reviravoltas que a cercam, ela conhece Daniel – um garoto cheio de mistérios, dono de um sorriso encantador e um gosto curioso por cachecóis na cor vermelha.

Eles são opostos. Enquanto Melissa é uma garota mimada, Daniel esbanja humildade e compaixão por onde passa. Em pouco tempo de convivência com o rapaz, ela passa a questionar seu caráter. Entretanto, ele se propõe a ajudá-la, com a promessa de que irá mudar sua vida. Apesar da relutância no início e da relação complicada, surge uma paixão improvável, intensa e arrebatadora.

As diferenças entre os dois parecem diminuir conforme o amor cresce. Melissa passa a enxergar a vida com outros olhos, e sua relação com o mundo ao redor fica mais fácil. Ela até se permite ser feliz. Isso tudo graças a Daniel, o misterioso garoto do cachecol vermelho. Nada parecia ser capaz de tirar o frio na barriga do casal apaixonado. Mas eles não contavam com um fator que mudaria tudo, colocando em risco o relacionamento recente.

O livro não se limita a ser apenas mais uma história romântica. A autora aborda temas importantes para serem debatidos entre os jovens, como violência sexual, preconceitos e bulimia. Melissa tem uma relação conflituosa com a mãe, o que lhe deu uma visão de mundo egoísta. Fora isso, passou a descontar os problemas de família nas bebidas alcoólicas e desenvolveu um distúrbio alimentar – comum na adolescência, que deve ser discutido e combatido.

“O Garoto do Cachecol Vermelho” é o terceiro lançamento da paulistana Ana Beatriz Brandão, de 16 anos, e o primeiro romance que ela escreve. Como uma discussão sobre assuntos polêmicos, a narrativa também é emocionante e comovente. Para os fãs, acostumados com aventuras e um mundo fantástico, será uma agradável surpresa conhecer o desenrolar da história tocante de Melissa e Daniel. Além disso, parte da venda dos livros será revertida para a Associação Brasileira de Esclerose Lateral Amiotrófica (ABrELA), a fim de ajudar as pessoas que sofrem com a doença.

“O Garoto do Cachecol Vermelho”, de Ana Beatriz Brandão. Editora Verus, 294 páginas, R$ 32,90.

Professora de Joinville abre diário e lança livro de crônicas para jovens

09 de agosto de 2016 0
Divulgação, Areia

Divulgação, Areia

Enquanto crescia, Andreia Evaristo estava sempre portando um diário ou uma agenda para relatar ali os pensamentos e as experiências da infância e da adolescência. Era uma forma de expressão para a leitora voraz que, pelo amor às letras, tornou-se professora e agora lança seu primeiro livro. “Chiclete pra Guardar pra Depois” (Editora Areia, 117 páginas) reúne 37 crônicas nas quais a autora reflete sobre amadurecimento e sobre o mundo contemporâneo. Em tom quase de confissão, é como se Andreia abrisse seu diário para o leitor e dialogasse com ele sobre as agruras de crescer – principalmente para as meninas.

Em suas crônicas, Andreia diverte ao dividir neuroses e tormentos sobre o processo de tornar-se adulta e assistir às mudanças nas rotinas, responsabilidades e até mesmo nas datas especiais, além de contar experiências sobre a preocupação com o corpo diante da imagem de mulher perfeita exigida pela sociedade atual. Algumas delas foram produzidas ainda durante a faculdade de letras, enquanto outras foram desabafos nos blogs que substituíram os diários e agendas da adolescência.

À medida que as páginas avançam, transformam-se também os textos e as preocupações, como se acompanhasse o amadurecimento da escritora que, já no papel de educadora, assiste ao crescimento de outros adolescentes. É assim que ela expõe também um mundo onde a morte, o abuso sexual e o abandono fazem parte do dia a dia.

– Acho que todo mundo que escreve, escreve porque tem algo que incomoda. Mesmo quando faz textos mais leves, tem uma dor, que pode ser nossa ou pode ser do outro. Não há escrita sem dor – avalia Andreia.

“Chiclete pra Guardar pra Depois” foi contemplado pelo Edital de Apoio às Artes do Sistema Municipal de Desenvolvimento pela Cultura (Simdec) da Fundação Cultural de Joinville em 2015. Por isso, Andreia oferecerá oficinas de criação literária a alunos de quatro escolas da rede estadual com foco em discussão de gênero.

O evento de lançamento ocorrerá no sábado, 13 de agosto, a partir das 10 horas, na Livraria A Página. Além de bate-papo e sessão de autógrafos com a autora, também haverá apresentação musical com voz e violão no segundo piso da livraria.

Serviço:

O QUÊ: lançamento do livro “Chiclete pra Guardar pra Depois”, de Andreia Evaristo.
QUANDO: sábado, 13 de agosto, entre as 10h e as 13 horas.
ONDE: Livraria A Página (rua Dr. João Colin).
QUANTO: o evento de lançamento é gratuito. O livro estará à venda por R$ 15.
CONTATO DA AUTORA: (47) 9994-9508.

Novos olhares com a Janela Mágica

29 de julho de 2016 0
Divulgação, Global

Divulgação, Global

Em “Janela Mágica”, Cecília Meireles nos convida a olhar o cotidiano sob outra perspectiva. São 21 crônicas que trazem cenas urbanas, flagram mudanças de comportamento, recuperam memórias afetivas, tudo permeado pelo fascínio que a escritora cultiva por tudo aquilo que diz respeito ao humano.

Nesta seleção de crônicas direcionada aos jovens leitores, assistimos a nossa grande poeta concebendo coloridos retratos que mostram as diferenças entre o mundo que conhecemos e aquele que gostaríamos de conhecer.

Com ilustrações de Orlando Pedroso que dão vida às crônicas, a obra fala sobre a relação do homem com os animais, sobre o desmatamento urbano, o esvaziamento do sentido do Natal e muito mais.

“Janela Mágica”, de Cecília Meireles, com ilustrações de Orlando Pedroso. Global Editora,104 páginas, R$ 39,90.

 

Luke Skywalker não sabe ler. Como assim?

23 de junho de 2016 0
Divulgação, Chronos

Divulgação, Chronos

“Luke Skywalker não Sabe Ler e Outras Verdades Geeks”, é o primeiro livro do autor Ryan Britt, que promete contar muitas verdades sobre esse universo geek tão adorado. Publicado pelo selo Chronos da Editora Pandorga, a obra revela respostas para perguntas nunca antes pensadas por esse público.

Afinal, como o próprio autor escreve: “Se houvesse um grupinho onde todos concorda­vam em ser normais juntos, eu não fazia parte dele.” Ryan era um geek antes mesmo de esse termo ser relacionado com pessoas legais, e antes de todo esse universo se tornar mais popular do que nunca.

Com capítulos curiosos, conspiratórios, engraçados e “polêmicos”, o livro convida os leitores a entrar na cabeça maluca do autor, conhecer um pouco de sua vida e verdades geeks. Com uma linguagem bem informal e descontraída, e abusando de criatividade mesclada com sua maluquice, o escritor recheia a obra com referências cinematográficas.

O livro é feito para todos aqueles que já fingiram que a lanterna era um sabre de luz, enfrentaram filas de cinema à meia-noite ou sonharam em ser abduzidos por alienígenas. “Luke Skywalker não Sabe Ler e Outras Verdades Geeks” está aquém da cultura pop-literária e vai contar histórias como: por que os robôs hipsters vão salvar a todos nós; por que ninguém se incomoda com as novas versões de Hamlet; como seria se Frodo não existisse; e alguma teoria maluca sobre “De Volta para o Futuro”.

“Luke Skywalker não Sabe Ler e Outras Verdades Geeks”, de Ryan Britt. Editora Chronos, 240 páginas, R$ 34,90.