Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts na categoria "Livros"

Aventura e fantasia com deslumbres e assombros

13 de dezembro de 2017 0
Divulgação, SM

Divulgação, SM

Naia vive com seus pais em uma comunidade cordial, situada em um lugar belo e agradável. Pena seus habitantes não se darem conta do privilégio que é morar lá. Como desconhecem tudo o que existe fora do vilarejo, eles não têm base de comparação. No entanto, a curiosidade dessa menina atrevida falará mais alto e, conduzida pelo desejo de aventurar-se no desconhecido, um dia ultrapassará a fronteira de seu mundo, empreendendo uma jornada fabulosa, que redefinirá as medidas do tempo e do espaço.

Vencedor do 12º Prêmio Barco a Vapor 2016, “Deslumbres e Assombros”, de Lucas M. Carvalho, é uma narrativa do gênero fantástico, cujo enredo contém elementos de contos de fadas, aventuras, mitos e sagas, porém com um narrador diferenciado e ultraconsciente, que convoca o tempo todo a participação do leitor, discutindo os caminhos da própria história com autoironia e humor.

O texto também é recheado de referências, enigmas e chaves de leitura, e as ilustrações de Rafa Anton complementam a narrativa deixando espaço para interpretações.

“Deslumbres e Assombros”, de Lucas M. Carvalho, com ilustrações de Rafa Anton. Editora SM, 232 páginas, R$ 37,00.

Livro infantil "Assopre, Ponha o Curativo e Sarou!" mostra que o afeto pode ajudar a curar feridas

12 de dezembro de 2017 0
Divulgação, Brinque-Book

Divulgação, Brinque-Book

Existe alguma brincadeira mais gostosa do que aquelas que a gente faz ao ar livre? Subir em árvores, pular muretas, saltar sobre barrancos, correr na lama e explorar gravetos no chão.

Em “Assopre, Ponha o Curativo e Sarou!”, de Bernd Penners, cinco animais alegres exploram a natureza e se divertem até não poder mais. E nas brincadeiras terminam por se machucar um pouco. Nessas horas, o que fazer? Assoprar, pôr um curativo, dar um beijinho e pronto! Sarou? Então, é só voltar a brincar!

Interativo, o texto é rimado e cheio de ternura. Expressivas, as ilustrações de Henning Löhlein tornam mais vívidas as emoções que a obra desperta. O livro, escrito com letras em caixa-alta, mostra que o afeto pode ajudar a curar ferimentos e vem com cinco curativos adesivos.

“Assopre, Ponha o Curativo e Sarou!”, de Bernd Penners, com ilustrações de Henning Löhlein e tradução de Hedi Gnädinger. Editora Brinque-Book, 12 páginas, R$ 42,00.

Livro ensina os pequenos a criarem guirlandas em formatos de animais

11 de dezembro de 2017 0
Divulgação, Catapulta

Divulgação, Catapulta

O livro “Lanternas de Papel” em forma de animais é o mais novo lançamento infantil da Catapulta Editores. Criativo e indicado para trabalhar a coordenação motora da criança, o livro traz 21 opções de design para que os pequenos montem lanternas divertidas para decorarem nos seus espaços preferidos.

As lanternas podem ser feitas com imagens de animais, como cães e gatos, bichos silvestres ou imagens mais engraçadas. Acompanhando um tutorial, o livro tem 32 páginas e inclui seis estruturas para a lanterna, papéis estampados, papéis de seda, moldes, adereços, fitas e cola. “A criança realmente se envolve e participa de todo o processo de montar seu bichinho”, explica a diretora da Catapulta Editores, Carmen Pareras.

Além de todo o processo de criação das lanternas, quando a obra estiver finalizada, é só colocar a luz da preferência da criança, pendurar e decorar o ambiente. “Por ser bem explicado e oferecer todos os materiais necessários, montar uma lanterna de papel será uma atividade indicada para toda a família. O recomendado é usar e abusar da criatividade para deixar o espaço em que for pendurado ainda mais autêntico e personalizado”, explica Carmen.

Para garantir a segurança dos pequenos, o livro foi testado e aprovado pelo Inmetro. Indicado para crianças de acima de seis anos, o “Lanternas de Papel” pode ser encontrado em todas as grandes livrarias do País pelo preço sugerido de R$ 69,90. Mais informações no site www.catapulta.net.

Livro "A Bolha de Maju" mostra lugares que crianças criam para se proteger

07 de dezembro de 2017 0
Divulgação, Boa Nova

Divulgação, Boa Nova

A bolha era redonda. O espaço era pequeno e suficiente apenas para se vivenciar o básico, sem grandes emoções. No início era seguro, agradável, espaçoso e acolhedor, um lugar onde seus medos e tudo aquilo que considerava negativo não podiam atingi-la.

No livro “A Bolha de Maju”, a psicóloga Karina Picon conta a história de uma menina que, após se machucar fisicamente, resolveu criar uma bolha para se proteger de tudo que possa a ferir e magoar. A ideia, inicialmente, parecia boa, porém foi privando a pequena garota de tudo que parecia ser divertido e importante.

A intenção da autora é incentivar as crianças a não se esconderem, a viverem com a energia necessária e, assim, experimentarem coisas diferentes. Para isso, é necessário ter coragem. Coragem é uma qualidade de quem tem grandeza de alma. Não é a ausência do medo; é sentir o medo e mesmo assim fazer o que for preciso. É agir, é ter atitude, é sair da “zona de conforto”. É ter fé e confiar na existência de uma força maior que não nos desampara jamais. A coragem serve como um alicerce para as pessoas enfrentarem as dificuldades com atitudes. Esse sentimento é necessário e as faz reconhecer as coisas importantes da vida e as ajudam a não se renderem perante aquilo que as impede de evoluir.

“A Bolha de Maju” demonstra que a zona de conforto só é boa no nome. Ao entrar nesta armadilha, os pequenos deixam de viver grandes experiências colaborativas importantes para a sua formação e desenvolvimento.

“A Bolha de Maju”, de Karina Picon, com ilustrações de Rafael Sanches. Editora Boa Nova, 28 páginas, R$ 10,90.

Livro infantil conta a história de Calvin Bartolomeu, um gato com um paladar bem diferente

06 de dezembro de 2017 0
Divulgação, Oitava Rima

Fotos: Divulgação

Divulgação, Oitava Rima

A autora Arlete Sousa

Após uma pausa para as férias, o Blog do Aldo volta com as dicas de livros para todo mundo. E no retorno fala sobre um gato digamos diferente.

Se em uma roda de crianças alguém perguntar que tipo de alimento um gato gosta, certamente as respostas serão: peixe, frango, biscoito e comidinhas prontas vendidas nas pet shops. No livro “Calvin e a Couve”, de Arlete Sousa (foto), o pequeno leitor será apresentado a um gato bem diferente, um gato que tem nome e sobrenome: Calvin Bartolomeu, que também é diferente por causa do seu gosto diferenciado (paladar exótico) para alimentos.

Calvin gosta de comidas pouco comuns para gatos. Brócolis, cenoura, morango, flor… Mas flor não é comida! Mas, para esse gatinho, flor é comida, sim! Ele não pode ver uma flor: rosa, margarida, orquídea, tulipa… Para ele, todas elas podem fazer parte de seu cardápio.

Esqueceram a geladeira aberta, e não é que Calvin se apaixonou por um alimento que até então desconhecia? Era uma folha verde, cheirosa e bonita! Mesmo com o seu pratinho cheio de comida, Calvin queria a novidade. Uma folha de couve. Ele “precisava” da couve. Mas que gatinho diferente… Você conhece algum gato que gosta de couve? E seus amiguinhos, conhecem algum gato que goste de couve ou de alguma comida diferente?

Sobre a autora

Arlete Sousa nasceu em São Paulo em 1981. Desde criança, sempre foi apaixonada por livros e bichanos: leu muito e cuidou dos gatinhos que apareciam em seu quintal. Ela cresceu e suas paixões não mudaram: formou-se em Letras, trabalha editando livros e continua cuidando dos gatos abandonados. “Calvin e a Couve” é o primeiro livro de sua autoria.

“Calvin e a Couve”, de Arlete Sousa, com ilustrações de Carol Plumari. Editora Oitava Rima, 30 páginas, R$ 19,90.

Autora aborda a temática do universo plus size

01 de novembro de 2017 0
Divulgação, Verus

Divulgação, Verus

“Odiava me olhar no espelho e ver aquela cara gorda me olhando de volta, de ter o mundo todo me julgando porque eu lutava para me enfiar em uma calça tamanho 48. Eu odiava os números na balança e tudo que vinha com eles: a dificuldade para caminhar, o fato de não caber direito na carteira da escola, o bullying, minhas inseguranças. Eu tinha nojo da minha fraqueza, me desprezava pela minha forma. Eu não estava feliz.”

Quem está acima do peso sente na pele e na alma como é difícil o mundo aceitar essa condição. E isso, em grande parte das vezes, acaba gerando um processo de autorrejeição, com a pessoa achando que o mundo não foi feito para ela e vice-versa. Mas, claro, sempre é possível reverter isso e virar o jogo, mesmo com alguns quilinhos a mais. Todos esses aspectos são retratados no livro “Amor Plus Size”, no qual a autora Larissa Siriani fala do impacto do bullying na vida das pessoas gordas, sobre como é difícil a autoaceitação do corpo e como pode ser agressivo o comportamento das pessoas em relação ao tema.

A escritora pontua que cresceu sem modelos de corpo iguais ao seu e isso dificultou sua aceitação ou mesmo não tinha ninguém em quem se espelhar, por isso resolver escrever a história de uma personagem que está em busca do autoconhecimento. No romance “Amor Plus Size”, Larissa tem a intenção de revolucionar o conceito de beleza e instigar as mulheres a se aceitarem como são. A obra esgotou na primeira edição em pouco mais de dois meses.

O livro conta que Maitê Passos é uma garota linda, de dezessete anos e mais de cem quilos. Teve uma infância e adolescência sendo consumidas pelo peso e sofre por um amor impossível, uma vez que o garoto é popular na escola. Ainda tem a mãe que se preocupa o tempo todo com dietas.

Certo dia, busca consolo na amizade com Isaac, que, para animá-la, a convida para um passeio no Parque do Ibirapuera, onde, acompanhado de sua câmera, consegue fazer alguns cliques de Maitê. Sua vida incompleta muda completamente quando as fotos tiradas caem nas mãos certas, de um agente de modelos plus size, e ela descobre que não precisa ser igual a todas as outras meninas para ser feliz e reconhecida.

Após aceitar a proposta de trabalho como modelo plus size e sair em uma das mais importantes revistas do país, ela se vê longe de ser a gordinha invisível. Maitê agora é a garota mais popular do colégio. E ganha até o amor de quem nem a notava.

“Amor Plus Size” vai impressionar e incentivar as mulheres com a jovem “fora dos padrões” construindo uma jornada incrível de autoconhecimento, aceitação e empoderamento, enquanto descobre seu lugar no mundo.

“Amor Plus Size”, de Larissa Siriani. Editora Verus280 páginas, R$ 32,90.

Livro "Putz Casei" será lançado em Joinville no dia 7 de novembro

31 de outubro de 2017 0
Divulgação

Divulgação

Sucesso no Facebook, a página Putz Casei, criada em 2016 e que já conta com mais de 300 mil curtidas, transformou-se em livro, que tem lançamento em Joinville no dia 7 de novembro.

Na obra, o autor Danilo Radke apresenta as descobertas sobre a vida de casado e os desafios da convivência diária e traz a perspectiva masculina do casamento, usando de humor e experiência do convívio diário como forma de alcançar o público de todos os gêneros.

Danilo é, em suas próprias palavras, publicitário por profissão e comediante por diversão. Depois que foi morar com a noiva, Danilo criou a página de humor Putz Casei, sobre a perspectiva masculina do casamento, usando de humor e experiência do convívio diário como forma de alcançar o público de todos os gêneros.

Nesta narrativa cômica, as crises do cotidiano são transformadas em crônicas hilariantes, capazes de entreter não somente casais que moram juntos, mas também qualquer um que já tenha vivido um relacionamento a dois.

SERVIÇO:

O QUÊ: lançamento do livro “Putz Casei”, de Danilo Radke (Editora BestSeller128 páginas).
QUANDO: dia 7 de novembro, às 19h30.
ONDE: Livrarias Curitiba, no Shopping Mueller — rua Senador Felipe Schmidt, esquina com a rua Pedro Lobo Centro, s/nº — Centro, Joinville.
QUANTO: o acesso ao evento é gratuito. O livro custa R$ 27,90.

Eugênia conta suas memórias

30 de outubro de 2017 0
Divulgação

Divulgação

Você já deve ter passado pela seguinte cena: algum familiar mais velho senta perto de você e começa a contar como era no tempo em que ele era mais novo, relatando coisas puxadas pela memória. Em geral, a conversa começa com a frase “no meu tempo…”. Por acaso, isso que conto não é verdade?

A sugestão de hoje, “As Memórias de Eugênia”, de Marcos Bagno, também tem alguém contando coisas do passado. A diferença é que a personagem é uma árvore. A protagonista e narradora desta história relaciona-se com o mundo e as pessoas de uma forma bem particular: Eugênia é uma árvore que presencia o surgimento e o crescimento da cidade onde vive e sofre as consequências do progresso.

Escrito com apuro de linguagem e um toque de poesia, este livro convida o leitor a revolver as memórias de Eugênia, que guardam surpreendentes segredos.

“As Memórias de Eugênia”, de Marcos Bagno, com ilustrações de Miguel Bezerra. Coleção “Metamorfose”, Editora Positivo, 88 páginas, R$ 45,90.

Você tem medo de bruxas?

26 de outubro de 2017 0
Divulgação

Divulgação

Como muita gente sabe, no dia 31 de outubro, nos Estados Unidos, é comemorado o Halloween, ou o Dia das Bruxas. É um evento tipicamente americano, mas que não está mais restrito ao território do Tio Sam, sendo realizados eventos semelhantes em vários países, inclusive no Brasil. Alguns dirão que é o “imperialismo americano” dominando. De qualquer forma, se existem pessoas que gostam, quem é que pode julgar?

Para essa turma que gosta de sair por aí usando nariz de bruxa e um chapéu pontudo e perguntando “trick or treating?” (no Brasil, adaptado como “doces ou travessuras?”, uma dica legal para a criançada é o livro “Bruxa, Bruxa, Venha à Minha Festa”, de Arden Druce.

A obra conta que uma garota pede que toda sorte de seres assustadores compareça à sua festa. E lá vão: bruxa, gato, espantalho, coruja, árvore, duende, dragão, pirata, tubarão, cobra, unicórnio, fantasma, babuíno, lobo e, epa!, Chapeuzinho Vermelho? Uma história de medo que mostra como a imaginação das crianças as faz capazes de se deliciar com a ideia do medo.

“Bruxa, Bruxa, Venha à Minha Festa”, de Arden Druce, com ilustrações de Pat Ludlow e tradução de Gilda de Aquino. Editora Brinque-Book, 36 páginas, R$ 41,30.

 

 

Às margens do Ipiranga – a esperança em sobreviver numa sociedade desigual

25 de outubro de 2017 0
Divulgação

Divulgação

Apreciadores de história e ficção histórica com certeza vão gostar da sugestão deste post: “Às Margens do Ipiranga — A Esperança em Sobreviver Numa Sociedade Desigual”, de Celso Luiz Tracco.

O livro remonta, a partir de recursos literários, e baseado em fatos reais, os cenários políticos das últimas seis décadas que vão desde a posse de Getúlio Vargas, a chegada do regime militar, o impeachment de Collor e a passagem de Luiz Inácio Lula da Silva pela Presidência do País. Sempre com um viés crítico, escancara as mazelas vividas pela população e a ausência de condições mínimas para o desenvolvimento humano sob a atuação do Estado.

Como manter a esperança e perspectiva de oportunidades igualitárias, condições dignas de vida em um cenário tão caótico — seja do ponto de vista político, econômico ou social — e onde os 10% mais ricos sempre detiveram e continuam detendo mais de 50% da renda nacional?

O autor se debruça sobre esta realidade com notável dedicação e habilidade, aproximando o leitor das consequências (des)humanas de todo esse processo. Pobreza extrema, crescimento da violência, corrupção endêmica, preconceito e indiferença, por um lado, são alguns dos efeitos apresentados. De outro modo, e de maneira concomitante, a história é repleta de exemplos de bondade, solidariedade e esperança, avançando entre dois legados distintos para uma única realidade.

O livro pode ser encontrado em lojas como Livraria Cultura, Livraria Saraiva, Livraria Loyolla e Amazon.

“Às Margens do Ipiranga”, de Celso Luiz Tracco. Editora Palavra & Prece, 221 páginas, R$ 24,90.