Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts na categoria "Livros"

Livros altamente recomendáveis para a galerinha

24 de maio de 2017 0

Olá, pessoal. Neste post, o blog coloca quatro livros que ganharam reconhecimento. As obras já apareceram aqui, mas o que é bom merece repeteco. Isso também é sinal de que o Blog do Aldo acerta nas dicas para a criançada e os jovens. Vamos lá?

Há mais de 40 anos, a Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) seleciona e analisa as obras consideradas de melhor qualidade para a leitura de crianças e jovens. O reconhecimento é um dos mais importantes em termos de qualidade literária e premia os dez melhores livros com o Selo de Altamente Recomendável, nas categorias: criança, jovem, imagem, poesia, informativo, tradução.

Quatro obras da Editora Positivo foram selecionadas para receber o selo. Três delas fazem parte da coleção de livros que homenageia o autor Murilo Rubião “Bárbara”, com ilustrações de Marilda Castanha; “O Edifício”, com ilustrações de Nelson Cruz; e “Teleco, o Coelhinho”, ilustrado por Odilon Moraes. O quarto livro, “Sem Fim”, é o livro de imagens de autoria da Marilda Castanha.

A premiação, de acordo com a editora de literatura da Editora Positivo, Cristiane Mateus, é um importante estímulo para todos os envolvidos no desenvolvimento das obras premiadas. “É com grande alegria que a Editora Positivo recebe mais essa conquista. Com a classificação de altamente recomendáveis, os livros acabam ganhando ainda mais visibilidade e, por consequência, um número maior de leitores também”, comemora.

Os livros premiados, além de serem selecionados para fazer parte do acervo básico da FNLIJ, que tem como objetivo orientar a compra e acompanhamento pedagógica para o seu uso efetivo em sala de aula, ainda estão concorrendo ao Prêmio FNLIJ — O Melhor para Criança, distinção máxima concedida aos melhores livros infantis e juvenis. A lista dos vencedores será publicada ainda em maio no site da fundação.

Além do selo de alta recomendação, a obra “Sem Fim” foi premiada neste ano no concurso internacional de livros ilustrados infantis Nami Concours, realizado na Coreia do Sul. A autora, Marilda Castanha, foi a única representante brasileira no evento, de 43 países participantes, e venceu na categoria Purple Island.

Conheça as obras altamente recomendadas

Divulgação, Positivo

Divulgação, Positivo

“O Edifício” — trabalho, que remete ao mito de Sísifo, é uma alegoria à condição humana e um conto extremamente angustiante no qual a vida parece suspensa. Segundo o escritor Nelson de Oliveira, que responde pelo prefácio da obra, a narrativa transparente, sem exageros retóricos, mostra que, para o autor, o enredo é tão importante quanto a linguagem. Ilustrado por Nelson Cruz em tinta acrílica e caneta nanquim (valor sugerido de R$ 39,80, 48 páginas).

 

Divulgação, Positivo

Divulgação, Positivo

“Bárbara” — uma obra que relata, por meio do fantástico, a soberba e o vazio. É a história de uma mulher que não se sacia e tem desejos sem fim, e de seu companheiro que, com um amor descomunal, não se limita a satisfazer as vontades da esposa. Na visão de Mariana Ianelli, que prefacia o livro, também pode ser considerado uma história de sombras ou a fábula de um amor louco. Ilustrado por Marilda Castanha, em técnica mista (valor sugerido R$ 39,80, 48 páginas).

 

Divulgação, Positivo

Divulgação, Positivo

“Teleco, o Coelhinho — esse conto fala das questões da existência humana e da metamorfose, no sentido de tentativa de adaptação do mundo. Como explica Nilma Lacerda, que apresenta o livro, a obra mostra as transformações contínuas de humor, de um corpo que em certas ocasiões parece não caber no eu que o abriga. Com ilustrações de Odilon Moraes, em lápis, nanquim e Ecoline (valor sugerido de R$ 39,80, 48 páginas).

 

sem-fim

Divulgação, Positivo

“Sem Fim” — a convivência entre um homem e uma árvore é o fio condutor da obra “Sem Fim”, de Marilda Castanha. A obra integra a coleção “História à Vista” e promove indagações sobre harmonia e renovação, o real e o imaginário, provocando reflexões sobre as possíveis transformações que podem surgir por meio da relação entre o ser humano e a natureza. Pintado em tinta acrílica e aquarela (valor sugerido de R$ 54,90, 60 páginas).

Mais informações sobre o Prêmio FNLIJ podem ser obtidas no site http://bit.ly/2rm0m67.

O vermelho amargo da infância de Bartolomeu Campos de Queirós

23 de maio de 2017 0
Divulgação, Global

Divulgação, Global

As marcas da infância permanecem no adulto e podem iluminar sua vida ou ser um fardo pesado de conviver. Em “Vermelho Amargo”, prosa poética de cunho autobiográfico, o escritor Bartolomeu Campos de Queirós narra as difíceis memórias afetivas de sua dolorosa infância. Ele, muito cedo, teve que aprender a lidar com a madrasta enquanto ainda sofria com a morte prematura da mãe. “Havia na cidade a madrasta, a faca, o tomate e o fantasma. A mãe morta ressuscitava das louças, das flores, dos armários, das cadeiras, das panelas, das manchas dos retratos retirados das paredes, das gargantas das galinhas.”

O escritor revisita, em sua narrativa memorialista, não só seus sentimentos e suas atitudes, mas também dos cinco irmãos, do pai e da madrasta. A mãe, sem dúvida, é a presença mais constante no texto. De extrema delicadeza, contrapõe-se à figura nada terna da madrasta.

O romance foi vencedor in memoriam da categoria melhor livro do ano do Prêmio São Paulo de Literatura 2012, promovido pela Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo. Um livro curto, mas denso para ler com o coração. Como o próprio autor coloca na epígrafe: Foi preciso deitar o vermelho sobre papel branco para bem aliviar o seu amargor.

“Vermelho Amargo”, de Bartolomeu Campos de Queirós. Global Editora, 72 páginas, R$ 42,00.

Vaquinha para colocar "Sósia" na praça

22 de maio de 2017 0
Divulgação

Divulgação

Tem muita gente com talento que, geralmente, precisa de uma forcinha para transformar os projetos em algo concreto. O problema é que, muitas vezes, as iniciativas, como publicar um livro, precisam ficar adormecidas numa gaveta qualquer das boas intenções devido às limitações de verba. Menos mal que existe a modalidade de financiamento coletivo (uma espécie de vaquinha eletrônica), com o qual se pode ajudar. E é esse mecanismo que Renan Cardozo, de Joinville, está usando para publicar o livro “Sósia”.

O projeto está no site Catarse.me e disponibiliza várias formas (valores) de ajudar, partindo de apenas R$ 10. Cada valor tem um tipo de recompensa, como exemplar do livro, reprodução da capa em tamanho grande etc. Vá lá e ajude Renan a tirar do papel o seu “Sósia”.

“Sósia” é um suspense psicológico inspirado pelos clássicos lovecraftianos, como “O Caso de Charles Dexter Ward”, que pretende questionar os laços com nossa própria identidade. A história começa com um conjunto de relatos do médico Johnas Spirandelle enquanto ele e seu amigo, o oficial Ten. Carvalho, tentam descobrir que bizarra relação ocorre entre uma série de assassinatos e a histeria religiosa causada por uma misteriosa ressurreição.

O livro discute o tema da “Sombra”, desenvolvido pelo psicólogo Carl Jung, sobre a natureza selvagem do ser humano. A arte da capa, criada pelo artista Walter Pax (autor das ilustrações da edição brasileira de “O Chamado de Cthulhu”) descrevem esse conflito.

Serviço:

Novo Século lança box com obras consagradas de Mário de Andrade

18 de maio de 2017 0
Divulgação, Novo Século

Divulgação, Novo Século

Neste mês, chega às livrarias brasileiras, pela Editora Novo Século, o “Box — Obras de Mário de Andrade”, trazendo novas edições de quatro das principais obras desse grande autor, que foi um dos criadores do modernismo no Brasil: “Pauliceia Desvairada”, “Macunaíma”, “Contos Novos” e “Amar, Verbo Intransitivo”.

Na obra “Pauliceia Desvairada” (publicada em 1922), o autor já mostra a que veio: inaugurar uma atitude revolucionária em relação à cultura brasileira. Considerado um manifesto em versos livres, junta o humor com a seriedade para propor uma nova expressão, livre das amarras do passado com rimas cuidadosamente contadas. A velocidade dos carros, o cinema, a riqueza da cultura e das cores do País, a língua como instrumento de invenção e não de opressão. Uma língua rica e sonora, que junta o inglês e o tupi numa poesia que traz o tempo novo. Os tempos modernos mais como cacofonia do que como sinfonia.

“Macunaíma” (lançado em 1928) é considerado um marco do modernismo brasileiro. Escrito em apenas seis dias, nas férias do autor, é obra fundamental da literatura brasileira. A história, com características de um conto fantástico, junta elementos do folclore, da história de índios, mistura a mata virgem com a São Paulo que cresce. Junta a língua falada e zomba da escrita empolada dos parnasianos.

“Contos Novos”, publicado dois anos após a morte de Mário de Andrade, reúne nove narrativas escritas por ele ao longo de sua vida, sendo a maioria dos últimos dez anos antes de sua morte. Os contos podem ser agrupados de acordo com seu foco narrativo, pois alguns foram escritos em primeira pessoa e outros, em terceira. O livro traz os contos “Tempo de Camisolinha”, em que retrata momentos da infância, e “Primeiro de Maio”, que combina subjetividade e lirismo a engajamento social.

E “Amar, Verbo Intransitivo” (publicado em 1927) traz a trajetória de um jovem que inicia sua vida sexual com uma mulher alemã já madura, contratada pelo seu pai. A obra causou enorme impacto na sociedade da época por trazer conceitos nunca abordados e inovar na técnica narrativa. O romance é classificado pelo próprio autor como idílio, sinônimo de poema de tema bucólico.

“Box – Obras de Mário de Andrade”, de Mário de Andrade. Editora Novo Século, R$ 44,90.

Autor de "Hugo Cabret" lança romance que discute os limites entre ficção e realidade

16 de maio de 2017 0
Divulgação, SM

Divulgação, SM

Em 1766, um navio naufraga durante a encenação de uma peça, deixando como únicos sobreviventes Billy Marvel e seu cão. O garoto se tornará o primeiro de uma família de atores brilhantes, que encantará as plateias do Teatro Real de Londres por várias gerações até o ano de 1900, quando seu tataraneto, o jovem Leo Marvel, é expulso dos palcos…

Quase um século depois, em 1990, outro jovem chega sozinho a Londres, fugindo do colégio interno. Joseph Jervis vai atrás de um tio desconhecido e acaba se deparando com um homem excêntrico, que vive numa casa congelada no tempo.

Se à primeira vista as duas narrativas — a primeira (com quase quatrocentas páginas) em imagens, a segunda em texto — parecem desconexas, aos poucos as relações vão ficando evidentes, propondo ao leitor uma reflexão sobre como podem ser tênues as relações entre ficção e realidade.
Com o mesmo poder de sedução de seus livros anteriores — “A Invenção de Hugo Cabret” e “Sem Fôlego”, best-sellers premiados de grande sucesso mundial —, “Os Marvels”, de Brian Selznick,  envolve o leitor pelo enredo intrigante e pelo ritmo de aventura. Mas também, e sobretudo, por ser uma história capaz de emocionar profundamente — sem recorrer à pieguice ou apelos fáceis —, pois aborda de modo natural e delicado as relações afetivas, tanto as de amizade como as familiares (inclusive as homoafetivas).

Para completar, as magníficas ilustrações a lápis, plenas de detalhes e baseadas em sólida pesquisa histórica e museológica, reproduzem fielmente elementos arquitetônicos, decorativos, teatrais e náuticos, bem como vestuários e contextos urbanos, constituindo uma rica narrativa visual que, unida à excitante história, compõe uma obra completa e sutil, com diferentes camadas de leitura.

Uma curiosidade: a história do livro foi fortemente inspirada na Dennis Severs’ House, uma espécie de museu em Londres, que recria o que seria a vida de uma família do século 18. Na verdade, tanto a casa como a história são criações do artista Dennis Severs, que, por meio de sons, cheiros, disposição de objetos etc., conseguiu criar um ambiente em que os visitantes têm a impressão de que a família habita realmente a residência.

“Os Marvels”, texto e ilustrações de Brian Selznick, com tradução de Santiago Nazarian. Edições SM, 672 páginas, R$ 43,40.

Padre Reginaldo Manzotti emociona fiéis em Joinville

15 de maio de 2017 0
Divulgação

Divulgação

Cerca de 1.200 fiéis e fãs do padre Reginaldo Manzotti estiveram presente no Momento de Espiritualidade com o sacerdote, que aconteceu na sexta-feira, dia 12, no estacionamento coberto do Garten Shopping. Manzotti veio a Joinville a convite da Livrarias Curitiba para lançar sua mais recente obra, “Batalha Espiritual — Entre Anjos e Demônios”, que lidera a lista dos mais vendidos de autoajuda e esoterismo do Grupo Livrarias Catarinense e Livrarias Curitiba.

O padre conversou com os fiéis, cantou e rezou com os eles orações do seu livro, tornando especial o encontro com seus fãs catarinenses. O Momento de Espiritualidade iniciou-se com a oração da página 42: “Em nome de Jesus e de Maria, ordeno-vos, espíritos diabólicos, afastai-vos deste local. E não ouseis voltar a prejudicar-nos com vossas tentações e tramas diabólicas. Jesus e Maria! São Miguel Arcanjo, defendei-nos! Santo Anjo da Guarda, preservai-nos das insídias do espírito maligno. Ó, Maria, concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a voz. Amém!”

Esta é a segunda visita do padre a Joinville, e o Momento de Espiritualidade é uma forma de se aproximar ainda mais dos fiéis e levar a palavra de Deus. “Quando a gente é instrumento a gente apenas se coloca e Deus toca como quer. É como um violão que vai na mão de um bom violeiro, o violeiro faz chorar. Eu quero que Deus me faça chorar nas mãos dele”, comparou Manzotti.

“Batalha Espiritual” se junta a outras nove obras escritas pelo sacerdote, que já soma mais de três milhões de exemplares vendidos no Brasil. O livro publicado pela Editora Petra desfaz os mitos que rodeiam a luta entre o céu e o inferno e revela a natureza do adversário e as armas humanas e sobrenaturais para assegurar a vitória. A obra custa R$ 22,40 e pode ser comprada nas lojas do Grupo Livrarias Catarinense e Livrarias Curitiba e no site www.livrariascuritiba.com.br.

Divulgação

Divulgação

Tão afetuoso quanto colo de avó

12 de maio de 2017 0
Divulgação, Brinque-Book

Divulgação, Brinque-Book

Tem avó que a gente conhece, tem avó que a gente não chega a conhecer. Tem avó de sangue, tem avó por adoção. De um jeito ou de outro, nossas avós estão sempre com a gente: é delas que vem nosso jeito especial ou aquele ditado que ninguém da família esquece.

No livro “Colo de Avó”, a autora Roseana Murray e a ilustradora Elisabeth Teixeira fazem uma divertida e poética homenagem a todos os tipos de avós! Os poemas deste livro exploram, de modo singelo e afetuoso, a figura da avó e a presença que ela tem na vida das crianças.

Para os professores e as professoras, a sugestão é ler o texto junto aos alunos e dialogar com eles: o que a figura da avó representa para eles (aconchego ou diversão, por exemplo)? Que atividades eles normalmente realizam com suas avós? Os textos apresentados os fazem se lembrar de suas próprias avós, ou talvez de algum outro membro da família? Os textos deste livro são poemas. Discuta com os alunos em que consiste essa forma e no que ela difere de textos em prosa, por exemplo.

“Colo de Avó”, de Roseana Murray, com ilustrações de Elisabeth Teixeira. Editora Brinque-Book, 36 páginas, R$ 35,00.

Padre Reginaldo Manzotti estará em Joinville nesta sexta-feira

11 de maio de 2017 0
Divulgação

Divulgação

Nesta sexta-feira, Joinville recebe a visita do padre Reginaldo Manzotti, que chega à cidade a convite da Livrarias Curitiba para lançar sua obra mais recente.

“Batalha Espiritual” é um livro que fala sobre a luta diária entre o bem e o mal e o que pode ser feito para que o bem prevaleça. O evento começa às 19 horas, no estacionamento coberto do Garten Shopping. São esperadas cerca de duas mil pessoas, e muitos convites já foram distribuídos.

Para garantir a entrada no Momento de Espiritualidade é necessário comprar o livro “Batalha Espiritual” na Livrarias Curitiba do Garten Shopping ou do Shopping Mueller. A obra custa R$ 22,40. Mais informações pelos telefones (47) 3145-2600 ou 3043-9402.

Serviço:

  • O QUÊ: lançamento do livro “Batalha Espiritual” (Editora Petra), do padre Reginaldo Manzotti.
  • ONDE: estacionamento coberto do Garten Shopping.
  • QUANDO: sexta-feira, 12 de maio, às 19 horas.
  • QUANTO: o livro, que vale como entrada, custa R$ 22,40.
  • MAIS INFORMAÇÕES: (47) 3145-2600 ou 3043-9402.

Poesia africana em "Os Ângulos da Casa"

10 de maio de 2017 0
Divulgação, Penalux

Divulgação, Penalux

Nesta quarta-feira, o Blog do Aldo pede uma licencinha para a galerinha para dar uma sugestão para os crescidos (eles merecem, e devem, ler, né?). Vamos lá?!

O livro “Os Ângulos da Casa” marca a estreia da poeta moçambicana Hirondina Joshua no Brasil. Publicada pela Editora Penalux e com a apresentação do escritor Mia Couto, a obra dialoga com diversos temas complexos, como sexualidade, afetividade e erotismo.

A “Casa”, destacada na poesia, é representada pela escritora como o espaço psíquico, o interior e os sentimentos e os ângulos a maneira de pensar, de observar, o ponto de vista.

Para o escritor moçambicano Mia Couto, um dos autores atuais mais representativos na literatura africana, o estilo surrealista de Hirondina convida os leitores a um grande passeio poético. “Trata-se de uma visita a um cotidiano que sendo familiar nos é estranho, porque nele se fala o idioma a que ela chama de ‘a língua dos céus‘”.

Para os editores Tonho França e Wilson Gorj, o valor da obra se encaixa no propósito de investir na literatura de língua lusófona. “Essa é a segunda publicação oriundo do continente africano. A primeira foi o Gociante Patissa, autor de Angola. Nosso próximo passo é publicar um autor de Portugal. Algo que deve ocorrer em breve”, revela.

“Os Ângulos da Casa”, de Hirondina Joshua. Editora Penalux, 84 páginas, R$ 34,00.

Joinvilense Alana Rox autografa "Diário de uma Vegana" no Garten Shopping

05 de maio de 2017 0
Alana Rox

Divulgação, Globo Livros

Vegetariana desde sempre e vegana por opção, Alana Rox desmistifica o lifestyle com receitas funcionais de refeições e cosméticos. Sucesso no Instagram com o perfil The Veggie Voice, Alana lançou, pela Globo Estilo, “Diário de uma Vegana”, que logo em seguida virou programa no GNT. No dia 11 de maio, ela conta um pouco da sua experiência no Garten Shopping. O bate-papo, que prova que o ser humano pode viver bem e com muita saúde sem consumir alimentos derivados de animais, e sem radicalismo, será às 19h e terá a participação da nutricionista Aleda Erbs.

O vegano não usa ou consome nada que tenha origem animal, seja roupas, acessórios de couro, lã ou cosméticos testados em animais. “Ser vegano é um estilo de vida. Mas é importante que este seja saudável”, comenta Alana. O evento será realizado no espaço Garten Mais e vai começar com um bate-papo. Em seguida, às 20h, Alana fará uma sessão de autógrafos do seu livro, em parceria com a Livrarias Curitiba.

Joinvilense, Alana conta que nasceu vegetariana e nunca aceitou nenhum alimento de origem animal desde bem pequena. Filha de uma gaúcha e um carioca, ela se tornou vegana por saúde. Hoje em dia, Alana Rox tem um programa no GNT chamado “Diário de uma Vegana” e virou um sucesso no Instagram, onde compartilha receitas fáceis, baratas e inteligentes, pensadas para que o alimento seja 100% aproveitado. Ela também dá dicas de como criar seus próprios cosméticos e produtos de limpeza naturais, livres de químicas e de crueldade com os animais. As histórias de Alana, que vão do despertar para a nova filosofia de vida às soluções criadas para facilitar a alquimia na cozinha, são contadas no livro.

“Eu sabia que me tornar vegana seria incrível. Mas nem nos meus sonhos e previsões mais lindas imaginava o divisor de águas que seria para o meu corpo, o meu organismo, a minha percepção de mundo, a minha conexão com o todo”, afirma Alana. Cantora profissional no passado, ela continua compondo e cantando, já que tem a música como fonte de inspiração de sua culinária.

O livro não é voltado apenas para veganos, mas também para quem quer experimentar o estilo de vida vegano ou simplesmente se alimentar de maneira mais saudável. Ele traz uma sugestão de cardápio para uma semana e os Top Hits, que são receitas especiais e preferidas da autora. “São refeições completas e inteligentes, nutricionalmente equilibradas, fáceis, rápidas, práticas, acessíveis e gostosas demais”, afirma.

Alana também incluiu no livro dicas de cuidados de beleza e de limpeza ecológica e natural. São máscaras tônicas para pele oleosa, seca e sensível, desodorante, pasta de dente, um antifrizz, um leave-in para o cabelo, entre outras fórmulas que levam apenas ingredientes naturais. Para a manutenção da casa são indicados produtos que poupam o meio ambiente, o bolso do consumidor e a saúde.

“Diário de uma Vegana”, de Alana Rox. Editora Globo Estilo, 176 páginas, R$ 49,90.