Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "educação"

Miriam Leitão apresenta "A Menina de Nome Enfeitado"

12 de junho de 2017 0
Divulgação

Divulgação

Começando a semana, quero sugerir para a criançada um livro da jornalista Miriam Leitão, que esteve no dia 10 de junho, sábado, na Feira do Livro de Joinville. Todo mundo conhece Miriam como jornalista de economia (e até política e outros assuntos, por que não?), mas talvez nem tantos saibam que ela também escreve para crianças.

A história de “A Menina de Nome Enfeitado” se passa em um sítio onde tia Nininha e a sobrinha Nathália brincam com letras para falar às crianças do mágico mundo da leitura. E não é que a garotinha cismou com a letra “h” do nome dela? Segundo ela, a letra não vale nada, pois com “h” ou sem, o nome dela ficaria o mesmo. Mas a tia mostra que não é bem assim.

As duas passeiam pelo sítio vendo, nos ninhos de passarinhos e no caminho da mata, na chuva e nas galinhas, que o “h”, que parece sem som, é indispensável na língua portuguesa.

O livro tem o objetivo de ajudar as crianças na fase da alfabetização, mas o sentido maior da aventura de tia Nininha e a sobrinha Nathália é mesmo seduzir as crianças para o maravilhoso mundo da leitura.

Leitora voraz desde criança e avó empenhada em estimular o prazer da leitura entre os pequenos, Miriam Leitão demonstra, nesta pequena fábula, a mesma habilidade com as palavras que ela possui quando escreve sobre economia e outros assuntos de “gente grande”.  A história foi inspirada num fato real, uma conversa que a autora teve há muitos anos com uma de suas sobrinhas. Não por acaso, de nome Nathália.

“A Menina de Nome Enfeitado”, de Miriam Leitão, com ilustrações de Alexandre Rampazo. Editora Rocco, 32 páginas, R$ 29,50.

Plataforma Dentro da História permite criar seus próprios personagens

06 de junho de 2017 0
Divulgação, Dentro da História

Divulgação, Dentro da História

Dentro da História, plataforma que permite criar conteúdos personalizados com a singularidade dos desejos e sonhos de cada criança, lançou novas opções de cores de pele, olhos, roupas e acessórios, para proporcionar uma identificação cada vez mais significativa e emotiva dos pequenos por meio da magia dos livros.

A novidade se deu por dois bons motivos. O primeiro foram os inúmeros pedidos de pais, tios, avós que queriam tornar os personagens cada vez mais parecidos com suas crianças. O segundo motivo partiu da Dentro da História, que deseja promover por meio de suas histórias a pluralidade, tornando os avatares cada vez mais parecidos com as crianças, gerando uma conscientização sobre a diversidade do gênero, étnica, características físicas e psicológicas de cada pessoa.

Segundo Diego Moraes, cofundador e CCO (chief children officer) do Dentro da História, a editora busca cada dia mais desenvolver formas e métodos para que a educação infantil seja um grande colaborador da inclusão. “Em uma sociedade na qual as pessoas se expressam de forma tão única, o respeito à singularidade e à tolerância de cada indivíduo se torna fator de extrema importância para ser abordado e posicionado dentro dos livros”, argumenta o executivo.

A interação com o livro começa por meio do site www.dentrodahistoria.com.br, com a criação do personagem personalizado da criança, que é feita por meio da seleção de características, como olhos, pele, cabelo, roupas e acessórios. Após essa etapa, o desenho personalizado é inserido em um roteiro único, em português, inglês ou espanhol, e depois enviado para impressão. Com o processo de criação finalizado, será enviado um livro de capa dura e material resistente para o endereço indicado.

Dentro da História é uma editora que oferece uma plataforma online de personalização de livros e gibis. Criada pelos empreendedores brasileiros Flávio Aguiar, André Campelo e Diego Moraes, tem foco no público infantojuvenil. A plataforma permite criar conteúdos personalizados, que unem o universo lúdico dos personagens infantis com a singularidade dos desejos e sonhos de cada criança. A empresa formalizou sua primeira parceria com a Mauricio de Sousa Produções para personalização de livros infantis com a Turma da Mônica. Com navegação intuitiva, a própria criança pode criar seu avatar no site, que gera um roteiro exclusivo com os personagens do gibi. Com a história pronta, é possível enviar o material para impressão e receber o livro em casa.

Para mais informações acesse: www.dentrodahistoria.com.br ou fanpage: www.facebook.com/dentrodahistoria.

Galerinha, Curumim já sabe ler!

26 de maio de 2017 0
Divulgação, Brinque-Book

Divulgação, Brinque-Book

Fiel ao seu objetivo de estimular e fixar o processo de alfabetização, o abecedário do livro “ABC — Curumim já Sabe Ler!”, organizado por Bia Hetzel e Silvia Negreiros, traz muitas palavras que já fazem parte do universo infantil e também outras, que enriquecerão o vocabulário dos jovens leitores.

A escolha cuidadosa das palavras equilibra aquelas de leitura mais simples com as de média e maior dificuldade. O projeto gráfico motiva o interesse e desperta a curiosidade das crianças, enquanto os desenhos têm apelo singelo e lúdico, encantando os leitores de imagens.

Aos professores e às professoras, a sugestão é apresentar o livro aos alunos: eles já estão familiarizados com todas as letras do alfabeto? Alguma é novidade para eles? Eles conhecem todas as palavras apresentadas? Caso haja alguma palavra desconhecida, esclareça seu significado e depois proponha que sugiram novas palavras para cada letra.

Esta divertida história permite trabalhar temas como: alfabetização e vocabulário.

“ABC — Curumim já Sabe Ler!”, com organização Bia Hetzel e Silvia Negreiros, com ilustrações de Mariana Massarani. Coleção Brinque-Book na Mochila, Editora Brinque-Book, 64 páginas, R$ 35,00.

Livro aborda a importância do brincar

21 de outubro de 2016 0
Divulgação, Peirópolis

Divulgação, Peirópolis

Não é novidade que o brincar gera muitos benefícios à criança, principalmente o desenvolvimento da coordenação motora e da imaginação. E o livro “Brinquedos do Chão: o Imaginário, a Natureza e o Brincar”, de Gandhy Piorski, trata desses aspectos. em relação com a natureza.

A obra inaugura uma série que explora a imaginação do brincar e sua intimidade com os quatro elementos da natureza: terra, fogo, água e ar, e revela a voz livre e fluente da criança em sua trajetória de moldar a si própria, tão esquecida nos estudos sobre a infância. Assim como o brinquedo, interessa ao autor, artista plástico, teólogo, pesquisador da infância e do imaginário, a brincadeira e seu universo simbólico; a experiência da criança quando, em comunhão com a natureza e em sua vivência transcendente, brinca e significa o mundo.

O primeiro volume é dedicado aos brinquedos da terra, que caracterizam, na produção material, gestual e narrativa da infância, a investigação da matéria e as operações da imaginação no forjar a elaboração e o enraizamento dos papéis sociais na casa, na família e no mundo.
O estudo desdobrou-se também em várias exposições de brinquedos colecionados ao longo dos anos, e seu corpo teórico vem repercutindo em diferentes espaços em que a criança é tema de interesse.

“Brinquedos do Chão: o Imaginário, a Natureza e o Brincar”, de Gandhy Piorski. Editora Peirópolis, 156 páginas, R$ 42,00.

Como lidar com a influência da internet, dos amigos da escola e dos parentes indiscretos na criação dos filhos?

05 de outubro de 2016 0
Divulgação

Divulgação

Há pais que não querem que o filho fique viciado em açúcar desde a infância, mas a avó vive oferecendo doces. Há aqueles que não querem que ele assista a vídeos adultos, mas não têm controle sobre o que os amigos da escola mostram. Há também os que querem matricular o filho em uma escola, mas o ex-marido quer colocá-lo em outra. O novo livro da argentina Cris Poli, “Atenção! Tem Gente Influenciando seus Filhos”, dá orientações para os leitores lidarem eficientemente com situações como essas.

A apresentadora está ciente de que as crianças estão sob a influência de muitas pessoas além dos pais – como amigos, parentes, propagandas, moda, internet, mídia e outros – e que todos interferem na maneira de pensar, agir e falar dos pequenos. Mesmo assim, Cris não prega a demonização dos agentes que intervém no crescimento das crianças – afinal, ninguém precisa afastar os filhos de uma avó doceira ou mantê-los alienados em relação ao mundo.

“Viver em sociedade é uma das experiências mais gratificantes que um indivíduo pode ter, além de ser uma necessidade. É nessa interação que ele conhece o outro, troca ideias, expõe pontos de vista, torna-se gente ativa, porta-se de modo digno em um mundo carente de virtudes.”

Ao invés disso, a autora ensina a assertividade, o diálogo e a firmeza de convicções como instrumentos indispensáveis no dia a dia da família para lidar de forma eficaz com maus influenciadores, manter a harmonia no lar e proteger as crianças.

Na obra, pais encontram sugestões para solucionar tensões na família de forma adequada e sem brigas, instruções para escolher a escola mais apropriada para os filhos de acordo com a corrente pedagógica, dicas para estabelecer uma rotina saudável para a criança que convive com parentes e muito mais.

“É possível que avós sejam intransigentes, mandões e autoritários ou se achem no direito de dar palpites o tempo todo. Mas isso não pode intimidar você e seu cônjuge. Ficar refém de um estado de estresse emocional não funciona.”

Cris exemplifica tudo com relatos verídicos, trazendo histórias reais de famílias que experimentaram sucesso ou fracasso no quesito abordado, permitindo que o leitor se imagine nas situações e avalie suas próprias ações.

Com mais de 40 anos de experiência em educação infantil, Cris Poli também é mãe e avó e, portanto, possui conhecimento teórico e prático mais que suficiente para guiar mães e pais em conflito com influências indesejáveis.

“Atenção! Tem Gente Influenciando seus Filhos”, de Cris Poli. Editora Mundo Cristão, 128 páginas, R$ 29,90.

Educadoras lançam livro no Garten Shopping

05 de agosto de 2016 0
Repetência - a avaliação sob a ótica das crianças

Divulgação

A sugestão de hoje no blog trata de um assunto sério na educação: a repetência. Por isso, coloque na agenda para este sábado um lançamento de livro sobre o assunto.

As autoras Gabriela Maia Fischer e Verônica Gesser lançam neste dia 6 de agosto, em Joinville, o livro “Repetência — a Avaliação sob a Ótica das Crianças” (Editora Appris, 145 páginas, R$ 49). A sessão de autógrafos acontece na loja da Livrarias Curitiba do Garten Shopping, às 18h30.

O fracasso escolar de crianças multirrepetentes foi justificado durante anos por fatores biológicos e sociais externos à escola. Tal conceito, considerado superficial, ainda é muito presente em discursos de docentes e acadêmicos. “Mas será que a escola tem ouvido a opinião das crianças? Que significados tem a educação para esses sujeitos com dificuldade de aprendizagem que vivenciaram a reprovação e continuam tentando de alguma forma aprender?”, questionam as autoras Gabriela e Verônica.

A análise destes questionamentos deu origem ao livro, que apresenta discussões e ponderações em torno desses estudantes, muitas vezes até rotulados como não aprendentes, destacando a relevância da avaliação da aprendizagem escolar e trazendo para a reflexão sobre esse problema a voz das próprias crianças multirrepetentes.

Sobre as autoras

Gabriela Maia Fischer é doutoranda e mestre em educação pela Univali. Verônica Gesser é pós-doutora em Educação: currículo e ensino pela Barry University e doutora em Educação: currículo e ensino pela Florida International University.

Serviço

O QUÊ: lançamento do livro “Repetência — a Avaliação sob a Ótica das Crianças” e sessão de autógrafos com as autoras.
ONDE: Livrarias Curitiba do Garten Shopping — avenida Rolf Wiest, n° 333,  Bom Retiro, em Joinville.
QUANDO: 6 de agosto, às 18h30.
QUANTO: o acesso ao evento é gratuito.
MAIS INFORMAÇÕES: (47) 3043-9402.

Alfabetização por um Caminho Suave

10 de maio de 2016 0
Divulgação, Caminho Suave

Divulgação, Caminho Suave

A dica que eu vou dar hoje vai fazer muita gente voltar aos primeiros tempos da escola. Trata-se do livro “Caminho Suave — Alfabetizando pela Imagem”. Foi com a cartilha “Caminho Suave”, da educadora Branca Alves de Lima (in memoriam), que muitos, como este que vos escreve, aprenderam as primeiras letras e sílabas na escola.

O tempo passou, mas a cartilha, hoje parte do grupo da Editora Edipro, mantém a sua essência, claro que com as atualizações que o tempo exige. Lançada em 1948, com o objetivo de facilitar o aprendizado de crianças e adultos no mundo das letras, como seu nome sugere, a coleção foi um grande sucesso por tratar da alfabetização de maneira simples e inteligente. Um dos livros, a famosa e tradicional cartilha “Caminho Suave”, já está na 132ª edição.

O sucesso do método fácil, verdadeiramente testado e aprovado, fez com que esta cartilha obtivesse a classificação de multifuncional: serve para alfabetizar crianças, jovens e idosos; é muito usada entre estrangeiros, especialmente, pelos japoneses; serve como método de reforço de alfabetização; e é usado amplamente em programas de alfabetização solidária.

Além da multifuncionalidade, há ainda a lembrança afetiva que a coleção traz aos que por ela foram educados. Assim, a cartilha pode ser, inclusive, dada como um presente aos que já saíram da escola, mas também às crianças como conteúdo complementar, para pintar e aprender brincando.

Indicado como material didático, da educação infantil ao ensino fundamental, e também como livros de apoio ao ensino de português, a coleção traz um conteúdo ricamente ilustrado e é indicado para todos aqueles que precisam desenvolver ou aprimorar a coordenação visomotora e as demais habilidades essenciais na arte da escrita.

Didaticamente estruturado, os livros que vão até a 4ª série (do antigo 1º grau) oferecem o treino da escrita de todas as letras do alfabeto – apresentadas nas versões de fôrma e cursiva –, das palavras e dos números. A coleção, que apresenta consagrado método de ensino, ainda hoje é adotada por professores das redes pública e privada, na alfabetização de idosos, educação solidárias, além dos projetos sociais religiosos ou seculares.

As edições Caminho Suave são usadas tanto no método principal como no material de apoio a outras estratégias educacionais. Mais do que ajudar o estudante a conquistar uma letra legível e ganhar rapidez ao escrever e raciocinar, estes livros contribuem ao aprendizado e evolução da linguagem escrita da atual sociedade.

“Alfabetização pela Imagem”, de Branca Alves de Lima. Editora Caminho Suave, 128 páginas, R$ 46,00.

Educação Infantil: Prática Pedagógica e Estratégias Metacognitivas

10 de março de 2016 0
Educação Infantil: Prática Pedagógica e Estratégias Metacognitivas

Divulgação, Appris

Acaba de ser lançado o livro “Educação Infantil: Prática Pedagógica e Estratégias Metacognitivas”, obra da escritora, psicopedagoga e especialista em educação especial e em gestão escolar Ana Regina Caminha Braga. O livro tem como principal objetivo ajudar o leitor na compreensão das possíveis estratégias no ato de ensinar e aprender, tornando tanto a prática pedagógica do professor quanto a aprendizagem do aluno mais conscientes.“Eu sentia dificuldade em significar o que aprendia. A escola, por algum tempo, ficou muito no automático e isso faz parte de uma metodologia tradicional de ensino, a qual me incomodava, porque não via sentido em estudar certos conteúdos, assim como aplicabilidade no cotidiano”, explica a autora.O livro de Ana, professora das universidades Positivo e Opet, ambas de Curitiba, procura mostrar as possibilidades e o desenvolvimento com a prática do processo metacognitivo, com a possibilidade de motivar o aluno a refletir e tomar consciência de suas aprendizagens. Isso vale desde o primeiro contato com a família e com a escola, passando para o mundo social. Bem como procura tratar das práticas pedagógicas do professor, além das estratégias a serem utilizadas em sala de aula para que o aluno esteja consciente dos processos escolhidos no momento de aprender.

A obra, que tem 192 páginas e foi lançada pela Editora Appris, contribui para a prática pedagógica dos professores, no sentido de levá-los a pensar e se conhecer, inclusive como aprendizes. Dessa maneira, os profissionais irão descobrir novas formas de dialogar e solicitar atividades dos seus alunos ou estipular metodologias e conteúdo nos quais normalmente o aluno não tem espaço para expor suas ideias, dificuldades ou refletir sobre os temas de maneira que o docente possa mediar esse processo.

“Educação Infantil: Prática Pedagógica e Estratégias Metacognitivas”, de Ana Regina Caminha Braga. Editora Appris, 192 páginas, R$ 49,00.

Jovem Aprendiz é tema de livro de jornalista

03 de fevereiro de 2016 0
Divulgação

Divulgação

Carlota MedeirosA inserção de jovens no mercado de trabalho é, hoje, um dos mais relevantes desafios para a sociedade. Tais iniciativas não se resumem à implementação de políticas públicas compensatórias, mas a programas que efetivamente visam à própria emancipação social de jovens num contexto de crescentes carências sociais.

No livro “Jovem Aprendiz”, a jornalista lagunense Carlota Medeiros (foto) analisa as concepções e práticas dos atores sociais envolvidos com o Programa Jovem Aprendiz. Com tal propósito, entrevista jovens que participam do programa, coordenadores das várias instituições, envolvidas com a formação profissional de jovens, entre as quais, o Parque Dom Bosco, o Ministério do Trabalho e Emprego, o Conselho Municipal da Criança, do Adolescente e da Juventude e representantes de empresas que recebem os jovens aprendizes.

A obra nasceu de pesquisa feita com adolescentes que frequentam o Instituto Lar da Juventude de Assistência e Educação – Parque Dom Bosco, em Itajaí (SC). O livro não apenas mostra as dificuldades dos jovens, mas indica que elas podem ser superadas quando se deparam com uma instituição cujo objetivo primeiro é atender às demandas dos adolescentes.

Organizado em quatro capítulos, o livro apresenta o contexto no qual foi realizada a pesquisa, assim como os princípios norteadores do Programa Jovem Aprendiz. A metodologia e os princípios que norteiam o Parque Dom Bosco permitem compreender as formas pelas quais novos caminhos se abrem para esses jovens, uma vez que, além de sua formação escolar, podem ainda desenvolver-se profissionalmente.

“Jovem Aprendiz”, de Carlota de Oliveira Medeiros. Editora Appris, 184 páginas, R$ 49,00.

Brincadeira de criança... como é bom!

22 de janeiro de 2016 0
Divulgação, Pandorga

Divulgação, Pandorga

Toda criança gosta de brincar e, como todos bem sabem, muito!  Por isso, o incentivo a brincadeiras inteligentes, criativas e divertidas para os pimpolhos é indispensável. E essa é a proposta da obra “Vou Brincar”, da autora catarinense Leticia Kuerten, que traz um livro original com uma proposta diferente de tudo o que já se viu no mundo dos livros.

Com ilustrações supercoloridas de Fábio Brust, a obra é um conjunto de ideias para garantir a diversão da garotada. Num momento em que o verbo brincar anda esquecido e o verbo jogar tomou conta do lazer infantil, sugestões de brincadeiras como as encontradas neste livro estimulam a criançada a despertar a inteligência, além de novas habilidades, a concentração e a atitude saudável, ecológica e lúdica.

As 20 atividades do livro “Vou Brincar” podem ser feitas independentemente pela criança ou com um adulto, propiciando um momento de reforço no vínculo entre pais e filhos. Uma vez, nesta geração, foi preciso incentivar as crianças no uso da tecnologia. Hoje, a sociedade está no sentido inverso e, como defende a autora: “É nosso dever ensiná-las a brincar!”.

Entre tantas boas ideias, a brincadeira Coleta de Folhas Secas é uma diversão que começa com um passeio na rua, seguida pelo recolhimento de algumas folhas que caíram das árvores. Em casa, a criança cola o que pegou numa folha de papel em ordem crescente. Enquanto as folhas são fixadas, a autora incita a observação dos pequenos para novas sensações e experiências, como texturas, cores, formatos e até cheiros.

“Vou Brincar”, de Leticia Kuerten, com ilustrações de Fábio Brust. Editora Pandorga, R$ 34,90.