Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "global editora"

Dois pinheiros e o mar e outras crônicas sobre o meio ambiente

23 de agosto de 2017 0
Divulgação, Global

Divulgação, Global

Rubem Braga sempre esteve à vontade no meio da natureza. Nasceu e cresceu em Cachoeiro do Itapemirim, no Espírito Santo, tomando banho no rio que corta a cidade, andando solto por matas e fazendas, em meio a bichos e árvores. No Rio de Janeiro, onde se radicou, construiu um admirável jardim a céu aberto em sua cobertura na rua Barão da Torre, em Ipanema, cultivando flores, árvores frutíferas, periquitos e beija-flores. Desde suas primeiras crônicas, são patentes o amor, o respeito e a preocupação do cronista pela conservação das belezas e riquezas do mundo natural.

Neste “Dois Pinheiros e o Mar e Outras Crônicas Sobre Meio Ambiente”, estão reunidas 21 crônicas inéditas em livro, publicadas em jornais e revistas entre 1948 e 1969, cujos originais integram o acervo do autor, pertencente à Fundação Casa de Rui Barbosa. Nelas, “o sabiá da crônica” descreve não só a singeleza da fauna e da flora, como também clama aos homens que olhem com mais carinho e responsabilidade por este universo, que, no fim das contas, garante a plena sobrevivência da humanidade. Por causa desta viva sensibilidade, Rubem Braga expõe e critica com sua fina ironia a crueldade humana que violenta o mar, polui os rios e cria desertos.

Destinadas também ao público juvenil, as crônicas foram selecionadas por Gustavo Henrique Tuna e ilustradas por Dave Santana.

“Dois Pinheiros e o Mar e Outras Crônicas Sobre Meio Ambiente”, de Rubem Braga, com seleção e prefácio de Gustavo Henrique Tuna e ilustrações de Dave Santana. Global Editora, 104 páginas, R$ 35,00.

Vamos aprender o ABC dos Abraços!

26 de junho de 2017 0
Divulgação, Global

Divulgação, Global

Toda criança gosta de fazer (muitas) perguntas. Quer saber por que isto e por que aquilo. Pouco depois, junto ao porquê, ela pergunta sobre o como. Age assim estabelecendo relações com os objetos e com os seres vivos ao seu redor.

Em “ABC dos Abraços”, de Sérgio Capparelli, essa criança é Bia. Ela aplica uma gramática pessoal para entender o mundo, com um ABC sem pé, nem cabeça, em que o grande pode ser pequeno e o tombo, uma razão a mais para se pôr de pé.

São 33 poemas: alguns bem curtinhos, outros curtos, alguns médios, outros maiores. Os temas apresentam-se diversos e tratados de forma coerente com o universo infantil — família, escola, animais, tempo, medos, atitudes, comportamento, sentimentos, entre outros. A menina Bia, presente em muitos versos, cria um elo afetivo com o leitor.

É importante que a escola dê continuidade ao contato da criança com o texto poético, uma vez que cantigas de roda, canções de ninar, trava-línguas e adivinhas são manifestações poéticas orais associadas à sonoridade, ao ritmo, à descoberta do jogo das palavras, e desde cedo fazem parte do repertório infantil.

“ABC dos Abraços”, de Sérgio Capparelli, com ilustrações de Cris Eich. Global Editora, 48 páginas, R$ 45,00.

Cultura oral africana em "Contos do Baobá"

07 de junho de 2017 0
Divulgação, Global

Divulgação, Global

“No começo dos tempos, o céu ficava muito perto da Terra, tão pertinho que as mulheres deviam tomar cuidado para não encostar nele quando manejavam seus pilões. E à noite, quando o firmamento se iluminava, elas se armavam de longas varas e pescavam umas estrelas para suas crianças brincarem.” 

Assim começa a história chamada “Por que os Pescadores Gostam do Vento?”, uma das quatro narrativas que compõem os “Contos do Baobá — 4 Contos da África Ocidental”, um livro inspirado no repertório dos griots, os verdadeiros guardiões da cultura oral africana.

A obra reúne quatro contos da África Ocidental adaptados e ilustrados por Maté. Em “Contos do Baobá”, as histórias — “A Lebre, o Rinoceronte e o Hipopótamo”, “Anansi e o Presente de Deus”, “Por que os Pescadores Gostam do Vento?” e “O Camaleão e o Chimpanzé” — são protagonizadas por personagens marcantes das narrativas tradicionais africanas.

O livro apresenta ainda, antes das histórias, o griot, poeta, músico e guardião de histórias transmitidas oralmente geração após geração e explica por que todo griot precisa de um baobá, árvore gigante quase mágica.

Ao longo das páginas, surgem várias figuras de animais cujos traços de personalidade divertem e encantam grandes e pequenos. A lebre preguiçosa conseguirá pagar o que deve ao rinoceronte e ao hipopótamo? A inteligência de Anansi, a aranha, bastará para desvendar a charada de Deus? E o pacato camaleão, saberá se safar das artimanhas do chimpanzé? Quem quiser saber a resposta, que sente à sombra do baobá e ouça com atenção as palavras do griot.

“Contos do Baobá — 4 Contos da África Ocidental”, adaptação e ilustrações de Maté. Global Editora, 40 páginas, R$ 39,00.

Um livro-imagem para a criançada curtir os bichos

02 de junho de 2017 0
Divulgação, Global

Divulgação, Global

No livro “Por Todos os Bichos”, Dave Santana segue a linha de seus livros autorais, dialogando com as crianças de uma forma lúdica e divertida. O livro-imagem, totalmente sem palavras, é repleto das incríveis ilustrações do autor, que brinca com as formas e cores.

Elefantes, antílopes, zebras, girafas, leões… Uns fortes, outros rápidos, uns grandes, outros ferozes, mas todos igualmente livres, vivendo numa mesma floresta.  De repente, disparam em correria. Por que fogem? Que perigo se aproxima? Uma história contada por imagens, em que cores, traços e detalhes expressam o sentimento que une todos esses animais.

Com seu domínio da técnica do lápis de cor, muita imaginação e extrema sensibilidade, Dave nos conta a história de todos os animais que vivem na selva, mostrando todos os detalhes, desde a pele da cobra até a pata do elefante.

O livro também faz uma crítica à chegada dos seres humanos à floresta e como os animais acabam recebendo uma surpresa nada agradável.

“Por Todos os Bichos”, texto e ilustrações de Dave Santana. Global Editora, 48 páginas, R$ 45,00.

 

Gilberto Freyre conta sobre algumas assombrações do Recife Velho

29 de maio de 2017 0
Divulgação, Global

Divulgação, Global

Para o livro Algumas assombrações do Recife Velho”, de Gilberto Freyre, foram selecionados sete contos do livro “Assombrações do Recife Velho” para serem adaptados para os quadrinhos. A HQ traz as seguintes histórias:  “O Boca-de-ouro”, “Um Lobisomem Doutor”, “O Papa-figo”, “Um Barão Perseguido pelo Diabo”, “O Visconde Encantado”, “Visita de Amigo Moribundo” e “O Sobrado da Rua de São José”. A adaptação foi conduzida por André Balaio e Roberto Beltrão, que possuem larga experiência na produção de histórias em quadrinhos e estão à frente do Projeto O Recife Assombrado (mais informações em http://www.orecifeassombrado.com/).

Gilberto Freyre sempre se interessou pelo universo das assombrações e do sobrenatural. Numa de suas incursões no campo da ficção, o sociólogo escreveu “Assombrações do Recife Velho”, uma reunião de histórias de assombração que tem como cenário sua cidade natal, Recife. O livro publicado por Freyre em 1955 foi o resultado de um longo trabalho iniciado por ele em 1929, quando esteve à frente do jornal recifense “A Província”. Para a concepção das histórias, Freyre beneficiou-se da pesquisa em arquivos e dos depoimentos de seus amigos e familiares, os quais lhe confidenciaram histórias de arrepiar sobre o passado assombrado da capital pernambucana.

Gilberto Freyre foi sempre um grande entusiasta das histórias em quadrinhos a ponto de, quando exercia o cargo de deputado federal (1946-50), propôs na Comissão de Educação e Cultura que fosse feita uma história em quadrinhos da Constituição de 1946. Para a felicidade do autor, sua obra-mestra “Casa-grande & Senzala” foi adaptada para os quadrinhos. Agora, suas deliciosas histórias de assombração ganham sua primeira adaptação para HQ.

Podemos antecipar que a experiência de leitura deste “Algumas Assombrações do Recife Velho” é, sem dúvida, espantosamente deliciosa e para ser vivida sem sustos!

“Algumas Assombrações do Recife Velho”, de Gilberto Freyre, com adaptação de André Balaio e Roberto Beltrão. Global Editora, 72 páginas,  R$ 49,00.

O vermelho amargo da infância de Bartolomeu Campos de Queirós

23 de maio de 2017 0
Divulgação, Global

Divulgação, Global

As marcas da infância permanecem no adulto e podem iluminar sua vida ou ser um fardo pesado de conviver. Em “Vermelho Amargo”, prosa poética de cunho autobiográfico, o escritor Bartolomeu Campos de Queirós narra as difíceis memórias afetivas de sua dolorosa infância. Ele, muito cedo, teve que aprender a lidar com a madrasta enquanto ainda sofria com a morte prematura da mãe. “Havia na cidade a madrasta, a faca, o tomate e o fantasma. A mãe morta ressuscitava das louças, das flores, dos armários, das cadeiras, das panelas, das manchas dos retratos retirados das paredes, das gargantas das galinhas.”

O escritor revisita, em sua narrativa memorialista, não só seus sentimentos e suas atitudes, mas também dos cinco irmãos, do pai e da madrasta. A mãe, sem dúvida, é a presença mais constante no texto. De extrema delicadeza, contrapõe-se à figura nada terna da madrasta.

O romance foi vencedor in memoriam da categoria melhor livro do ano do Prêmio São Paulo de Literatura 2012, promovido pela Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo. Um livro curto, mas denso para ler com o coração. Como o próprio autor coloca na epígrafe: Foi preciso deitar o vermelho sobre papel branco para bem aliviar o seu amargor.

“Vermelho Amargo”, de Bartolomeu Campos de Queirós. Global Editora, 72 páginas, R$ 42,00.

Bartolomeu Campos de Queirós propõe reflexão sobre a Constituição

08 de maio de 2017 0
Divulgação, Global

Divulgação, Global

Bartolomeu Campos de Queirós sempre nos surpreende com sua prosa poética, construída com maestria. No livro “Apontamentos” não poderia ser diferente. Na obra, o autor propõe uma reflexão sobre a importância de todo cidadão conhecer e pôr em prática a nossa Constituição, denominada também de Carta ou Carta Maior.

A narrativa, entremeada de diálogos, é um convite ao jovem leitor para que fique atento às necessidades de seu país e aproprie-se das leis e das normas que regem uma nação.  Sempre levando em conta a construção da consciência crítica, “Apontamentos” é mais uma das fantásticas obras de Bartolomeu, com uma leitura que seduz e encanta leitores de todas as idades.

As ilustrações são assinadas por Mauricio Negro, renomado autor e ilustrador, e acompanham magistralmente o trabalho do mestre Bartolomeu.

“Apontamentos”, de Bartolomeu Campos de Queirós, com ilustrações de Mauricio Negro. Global Editora32 páginas, R$ 39,00.

A cabeça de Medusa e outras lendas gregas

28 de abril de 2017 0
a cabeça de medusa

Divulgação, Global

A rica mitologia grega, com seus deuses e heróis, é referência até os dias atuais, em várias áreas de estudo. Em “A Cabeça de Medusa e Outras Lendas Gregas”, Orígenes Lessa, baseado na obra do escritor norte-americano Nathaniel Hawthorne, reconta seis narrativas maravilhosas.

Nessa obra estão presentes algumas das mais famosas lendas gregas, como: “A Cabeça de Medusa”, “A Caixa de Pandora”, “O Toque de Ouro, “O Cântaro Milagroso”, “A Quimera” e “As Três Maçãs de Ouro”. A linguagem ágil de Orígenes nos transporta à história da civilização da Grécia Antiga e à origem de mitos importantes e significativos presentes até hoje na cultura ocidental.

O livro conta com as belíssimas ilustrações de Cláudia Scatamacchia. É leve, divertido e atual como todo clássico. Um livro para ser lido com a imaginação.

“A Cabeça de Medusa e Outras Lendas Gregas”, de Orígenes Lessa, com ilustrações de Cláudia Scatamacchia. Global Editora, 136 páginas, R$ 45,00.

O 13º Trabalho de Hércules

06 de fevereiro de 2017 0
Divulgação

Divulgação

Para a obra “O 13º Trabalho de Hércules”, de Orígenes Lessa, cabe a definição que se tornou lugar-comum: este é, rigorosamente, “um livro para todas as idades”. Com o talento imaginativo, o humor e a linguagem elegante de sempre, o autor deixa claro, com esta narrativa, que a boa literatura não tem gênero. O livro resgata o mundo imaginário dos mitos gregos e de seus heróis, caracterizados pela força, coragem e sabedoria.

Todos os dias, diante da TV-Olimpo, a mais popular emissora de TV do Brasil, vêm fazer fila milhares de artistas anônimos em busca de sucesso. Um belo dia, para espanto de todos, aparece ali um gigante – homem alto e fortíssimo – vestindo uma pele de leão. Quem será ele? O que deseja a exótica figura? Será mais um candidato a participar dos programas de luta livre, fantasiado a caráter? De volta de seu passado de glória, o Hércules legítimo, o herói mítico dos 12 trabalhos que o tornaram formoso, reaparece inexplicavelmente no Rio de Janeiro dos nossos dias disposto a realizar seu 13º trabalho.

Caído no esquecimento, pela concorrência dos heróis modernos, o lendário vencedor do leão de Nemeia deseja recuperar a própria fama, mas, para isso, terá de vencer, agora, os interesses mesquinhos e as ideias malucas dos marqueteiros da TV-Olimpo. Imaginativo como nunca, aqui Orígenes Lessa mostra como o mundo de trapaças, de paixões e cobiça dos deuses da velha Grécia se parece com o mundo dos mortais. Mais do que isso, no desfecho surpreendente mostra como um herói digno desse nome reage ao que encontra por aqui.

“O 13º Trabalho de Hércules”, de Orígenes Lessa, com ilustrações de Dave Santana. Global Editora, 136 páginas, R$ 42,00.

Os Pingos agora em história em quadrinhos

13 de dezembro de 2016 0
Divulgação, Global

Divulgação, Global

Os Pingos, um grupo de personagens criado por Mary e Eliardo França, já brincaram com as cores, já cuidaram de plantações e até já saíram juntos para pescar. Dessa vez, o casal reúne histórias curtas e divertidas desses sete amigos inseparáveis na novidade “Os pingos em Quadrinhos” e traz uma forma lúdica para o público infantil refletir sobre amizade e diferenças.

Embora tenham a mesma forma, cada um dos personagens possui uma cor e um traço forte de personalidade, tornando impossível não se identificar com nenhum deles. Juntos, Pingo-de-Fogo, Pingo-de-Ouro, Pingo-de-Sol, Pingo-de-Mar, Pingo-de-Céu, Pingo-de-Flor e Pingo-de-Lua vão garantir o riso e estimular a imaginação da criançada!

“Os Pingos em Quadrinhos”, de Mary França, com ilustrações de Eliardo França. Global Editora, 24 páginas, R$ 27,00.