Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
clicRBS
Nova busca - outros

Posts com a tag "Literatura Infantojuvenil"

O que eu vi por aí

24 de julho de 2014 0
Divulgação, Biruta

Divulgação, Biruta

“Aí, eu vi o sol que acordava lá onde o céu faz uma curva. Abria seu olho enorme para ver se ainda restavam algumas sombras da noite nos passos da madrugada”.

Essa é a história de uma criança sonhadora passeando pelo mundo. Aquilo que seus olhos enxergam pode se transformar em um cenário magnífico, onde as ondas do mar são leões com jubas brancas e os raios de sol são as pernas finas e compridas de uma aranha dourada.

Em “O que eu vi por aí”, indicado para crianças a partir de oito anos, o autor Cyro de Mattos aproxima os pequenos (e grandes) leitores de um universo mágico e divertido, com direito às ilustrações vivas e coloridas da polonesa Marta Ignerska. Cada página traz um novo ângulo de visão, onde o texto se mistura com a arte e conduz o leitor como se fosse o guia de um city tour.

“O que eu vi por aí”, de Cyro de Mattos, com ilustrações de Marta Ignerska. Editora Biruta, 44 páginas, R$ 35,00.

Quem conta um conto aumenta um ponto

23 de julho de 2014 0
Divulgação, Autêntica

Divulgação, Autêntica

Provérbios, também conhecidos como ditados populares, resumem a sabedoria de um povo. Baseados no senso comum, eles são por vezes engraçados, outras vezes são maliciosos, doutrinários, literais ou metafóricos, mas são, decididamente, conhecidos por todos aqueles que partilham da mesma tradição oral, propagada por gerações por meio da fala, de pai para filho, de pessoa para pessoa. “Quem Conta um Conto Aumenta um Ponto: Histórias Criadas a Partir de Ditados Populares”, escrito por Bel Assunção Azevedo e ilustrado por Sônia Magalhães, apresenta alguns ditados como ponto de partida para poemas e pequenos contos que brincam com seus significados.

A obra desperta a atenção para questões e temas da realidade a partir de um rico material, acessível à maioria das pessoas – os provérbios populares. Faz isso, porém, de forma divertida e leve, brindando o leitor com um repertório que ele já conhece e, ao mesmo tempo, convidando-o para uma imersão em novas histórias, em que contos e poemas são mesclados aos ditados para brincar com seus significados e, ao mesmo tempo, “concretizá-los” em situações verossímeis.

O livro tem 25 capítulos, cada um com uma história. Logo no título, a autora apresenta ao leitor qual o provérbio será central no poema ou conto. São eles: “água mole em pedra dura tanto bate até que fura”, “quem senta na garupa não pega na rédea”, “quando rico mata pobre o defunto é que vai preso”, “em boca fechada não entra mosca”, “por fora bela viola, por dentro pão bolorento”, “quem não tem cão caça com gato”, “de grão em grão a galinha enche o papo”, “nem tudo o que reluz é ouro”, “quem tudo quer tudo perde”, “pimenta no olho do outro é colírio”, “quem disso uso, disso cuida”, “quem conta um conto aumenta um ponto”, “quem canta seus males espanta”, “quem fala o que quer ouve o que não quer”, “o apressado come cru”, “mais vale um pássaro na mão do que dois voando”, “devagar se vai longe”, “macaco velho não bota a mão em cumbuca”, “a união faz a força”, “quem semeia vento colhe tempestade”, “quem nunca comeu melado, quando come, se lambuza”, “em terra de cego quem tem olho é rei”, “casa de ferreiro, espeto de pau”, “quem entra na chuva, é pra se molhar” e, finalmente, “o pior cego é aquele que não quer ver”. No conto que dá título ao livro, a escritora narra a história de um boato espalhado em um pequeno povoado de que uma professora e um morador estariam de caso, talvez namorando, talvez noivos. Cada um que decide contar a história aumenta um detalhe – e, no final, o leitor descobre que, na realidade, não era nada daquilo que haviam espalhado.

Assim, com textos curtos, alegres, fluentes e agradáveis, Bel Assunção Azevedo resgata uma importante parte da cultura popular para apresentá-la novamente na realidade dos contos ou na métrica dos poemas, contribuindo para a divulgação da tradição oral e, principalmente, convidando o leitor para o divertimento e a reflexão por meio da literatura.

“Quem Conta um Conto Aumenta um Ponto: Histórias Criadas a Partir de Ditados Populares”, de Bel Assunção Azevedo, com ilustrações de Sônia Magalhães. Autêntica Editora, 80 páginas, R$ 34,00.

Deus tem mais de um nome

21 de julho de 2014 0
Vale das Letras, Divulgação

Vale das Letras, Divulgação

A coleção “Deus Tem mais de um Nome”, da Editora Mundo Mirim,é composta de cinco livros que explicam os aspectos que caracterizam as diferentes religiões. São elas: cristianismo, budismo, judaísmo, islamismo e hinduísmo.

Pela comparação, as crianças perceberão o que há de comum em todas elas. O texto, em primeira pessoa, faz do narrador um amigo que conta sua experiência pessoal de fé. Os livros valorizam a diversidade e ajuda os pequenos a conhecerem e a respeitarem as várias religiões e culturas, questões fundamentais na sociedade pluralizada em que vivemos.

Vale das Letras, Divulgação

Vale das Letras, Divulgação

Hinduísmo: este livro, que tem 32 páginas, ajudará a entender melhor sobre o hinduísmo. Seus costumes e aspectos diferentes do que somos acostumados a ver todos os dias. Aumentará por parte das crianças o respeito às pessoas que o praticam.

Vale das Letras, Divulgação

Vale das Letras, Divulgação

Budismo: zen, nirvana… são palavras que se costuma ouvir, mas muita gente não sabe da origem budista dessas expressões. Nesse livro de Maria Rius, budistas explicam sua fé, seus rituais e a cultura que surgiu a partir de suas crenças. O leitor poderá identificar e apreciar também valores universais cultivados pelo Budismo, como o amor pela natureza e o cuidado com as plantas e animais. O livro apresenta curiosidades como no que os budistas acreditam e como eles expressam a fé.

Vale das Letras, Divulgação

Vale das Letras, Divulgação

Judaísmo: você sabe o que é uma sinagoga? Qual é a saudação mais comum entre os judeus? No livro, é explicado aos jovens leitores, como se estivesse falando com seus filhos, que significado tem para seu povo crer e ser praticante desta religião.

Vale das Letras, Divulgação

Vale das Letras, Divulgação

Cristianismo: o cristianismo tem como modelo e ponto supremo de referência a pessoa de Jesus de Nazaré. Para Jesus, a pessoa mais religiosa não é a que multiplica gestos religiosos externos, orações e ritos, mas sim aquela que tem atitude acolhedora, aberta a Deus e a todas as pessoas. Nessa obra, o narrador explica a fé cristã, suas origens e o que é ser cristão hoje.

Islamismo: você já ouviu falar em Alá? Sabe o que é uma mesquita? Vários são os elementos da cultura muçulmana apresentados nesse livro. O narrador mostra ao leitor o Islã e os aspectos mais importantes da sua fé: o livro sagrado (o Corão), os costumes, as festas e os sacramentos.

Budismo: zen, nirvana… são palavras que se costuma ouvir, mas muita gente não sabe da origem budista dessas expressões. Nesse livro, budistas explicam sua fé, seus rituais e a cultura que surgiu a partir de suas crenças. O leitor poderá identificar e apreciar também valores universais cultivados pelo Budismo, como o amor pela natureza e o cuidado com as plantas e animais. O livro apresenta curiosidades como no que os budistas acreditam e como eles expressam a fé.

Coleção “Deus Tem mais de um Nome” (cinco livros), Editora Mundo Mirim, R$ 27,90 cada.

 

Bear e Raven na cidade das charadas

15 de julho de 2014 0
Divulgação, Nemo

Divulgação, Nemo

“BEAR: VOLUME 1″, de Bianca Pinheiro, narra a trajetória da pequena Raven, que, em busca de seus pais e de sua casa, encontra em uma caverna seu grande companheiro de jornada: Dimas, um urso rabugento, mas de bom coração.

Empolgada na perseguição de uma linda borboleta, a garotinha acaba se perdendo dos pais e vai parar em uma floresta. Sem saber o caminho de volta para casa, depara-se com um urso pançudo de cor marrom meio alaranjado que topa ajudá-la na empreitada.

Raven é uma criança muito especial, que se expressa por meio de desenhos cheios de vida e magia. São eles que ajudam os dois a enfrentarem juntos muitas aventuras na cidade das charadas. Os amigos vão buscar um oráculo, tentam sair da cidade, são presos e falam até com o rei para tentar resolver o enigma do portão de saída. Ao final deste primeiro volume de aventuras, a menina é presenteada com uma surpresa, mas sua jornada não acaba por aí.

Segundo Bianca Pinheiro, a história é muito mais sobre a relação de amizade desses novos companheiros e de como eles vão se aproximar, do que sobre o objetivo final. ”Esse primeiro volume serve para apresentar alguns dos personagens e mostrar para você uma prévia de como será essa aventura. Ora, Dimas e Raven não param quietos! E nem é culpa deles!”

Com uma linguagem descontraída e desenhos alegres, essa nova HQ irá fisgar crianças, adolescentes e adultos para um mundo da imaginação muito mais verossímil do que se pode imaginar.

“BEAR: VOLUME 1″, de Bianca Pinheiro. Editora Nemo, 64 páginas, R$ 34,00.

Gol, o grande momento do futebol

14 de julho de 2014 0
Global, Divulgação

Global, Divulgação

“Torcida amiga, boa tarde! Vamos iniciar mais uma tarde esportiva. Esse futebol que é a alegria do povo. Futebol arte. Futebol glória. E é gol. Gol gol gol gol goooooool finalmente, é gol.”

Assim começa essa história. É GOL – TORCIDA AMIGA, BOA TARDE!”, de Ignácio de Loyola Brandão, ilustrado por Orlando Pedroso, que a Global Editora leva às livrarias depois de 32 anos da publicação da primeira edição com novo formato e projeto gráfico, narra a emoção de uma partida de futebol.

Para quem acompanha um jogo, o que conta mais: a forma como o locutor o descreve, o que realmente está ocorrendo dentro do campo ou o que ficamos imaginando que poderia ter de fato acontecido? Diferentes versões de uma mesma história: quem vê o gol e quem faz o gol.

De forma descontraída, Loyola nos apresenta uma partida daquele futebol que emociona, envolve e empolga qualquer torcedor. Essa narrativa traz a surpreendente atuação de Cacalo, atacante que surge como uma estrela numa partida decisiva para mudar a história de um jogo aparentemente definido e sem muita emoção. O texto, escrito no estilo ágil e leve, tão característico de Loyola, aliado às lindas ilustrações artisticamente produzidas por Orlando, envolve e conduz o leitor ao momento daquela emocionante partida de futebol.

“É o futebol, torcida amiga! O futebol que é caprichoso, voluntarioso. Que faz e desfaz ídolos. Que traz glória e tristeza. Este é o futebol que nós amamos. O futebol que é arte, que é emoção, que é luta, que é paixão de um povo.”

É GOL – TORCIDA AMIGA, BOA TARDE!”, de Ignácio de Loyola Brandão, ilustrado por Orlando Pedroso. Global Editora, 64 páginas, R$ 39,00.

Cordel da bola que rola

04 de julho de 2014 0
Divulgação, Paulus

Divulgação, Paulus

Que o futebol é uma paixão do brasileiro, todo mundo sabe. Em tempo de Copa do Mundo, como agora, esse sentimento fica ainda mais forte. Todo mundo (ou quase!) fica de olhos grudados na TV. E ainda tem gente que faz sacrifícios para estar no palco dos espetáculos, o estádio.

Então, para não deixar a bola cair, a sugestão de hoje fala sobre esse esporte que arrasta multidões. Com o livro “CORDEL DA BOLA QUE ROLA – A HISTÓRIA E AS LENDAS DO FUTEBOL”, de Jorge Fernando dos Santos, você vai conhecer a história, lendas e curiosidades do futebol em versos de cordel.

O livro apresenta ilustrações coloridas que envolvem o leitor e sua imaginação. “O bom é a bola rolando, com o povo todo vibrando, gentil e em clima de paz”.

“CORDEL DA BOLA QUE ROLA – A HISTÓRIA E AS LENDAS DO FUTEBOL”, de Jorge Fernando dos Santos, com ilustrações de Cláudio Martins. Coleção Arteletra, Editora Paulus, 32 páginas, R$ 26,50.

Na Terra do Nunca Jamais

02 de julho de 2014 0
Martins Fontes, Divulgação

Martins Fontes, Divulgação

No livro “NA TERRA DO NUNCA JAMAIS” é feito um pedido: que todos se unam em uma viagem pela Terra do Nunca-Jamais, onde um antigo e duradouro mundo de histórias aguarda leitores jovens e velhos.

Há no livro sessenta histórias, selecionadas e recontadas pela amante de contos de fadas e compiladora de livros infantis Linda Rode. Tanto as crianças menores, que ouvirão as histórias pela boca de outra pessoa, como as que já forem leitoras independentes terão igual prazer com este livro, uma coletânea abrangente que abrirá o amplo e vasto mundo dos contos populares e folclóricos para crianças. Um curto comentário no final de cada história indica a terra de origem e contextualiza e relaciona entre si os contos da África, Europa, Oriente e outras partes do mundo.

Fiona Moodie é internacionalmente conhecida como ilustradora. Seus desenhos são gravuras a ponta-seca impressas a mão e depois pintadas – um processo complexo que levou mais de dois anos. O encantador resultado faz deste livro um tesouro artístico para todas as crianças que tiverem o privilégio de recebê-lo.

“NA TERRA DO NUNCA JAMAIS”, recontado por Linda Rode, com ilustrações de Fiona Moodie e tradução de Cecília Camargo Bartalotti. Editora Martins Fontes, 256 páginas, R$ 79,80.

Warwick e as 3 garrafas

30 de junho de 2014 0
Divulgação, Gaudí

Divulgação, Gaudí

A Gaudí Editorial, do Grupo Editorial Global, lança “Warwick e as 3 Garrafas”, escrito por André Hodeir e ilustrado pelo premiado Tomi Ungerer, que tem mais de 140 livros publicados e traduzidos para 28 idiomas. O livro chega ao público brasileiro com a tradução de Hedi Gnädinger.

A obra traz a história de dois simpáticos crocodilos, Beowulf e Cromwell, que se sentem entediados por não terem o que fazer. Seus vizinhos nunca os visitam, pois têm medo de serem comidos. Apenas o carteiro Willi, um bode, proporciona aos dois o contato com o mundo exterior.

No momento em que Beowulf e Cromwell reclamam da monotonia de suas vidas, Willi aparece com uma correspondência. Eles recebem uma carta da Escócia. Seu primo Warwick vem visitá-los. Beowulf e Cromwell ficam eufóricos e felizes com a chegada do primo. Mas não demorou muito para que o visitante começasse a causar problemas, deixando a vida dos dois crocodilos bastante complicada.

A situação fica mais difícil e o caos reina quando Warwick engole a barba do carteiro Willi e engasga. Mas nem tudo está perdido. Albicoco, o macaco azul com os olhos astutos, corre para auxiliar no regate da barba e para salvar a vida de Warwick.

Com linguagem inovadora, humor e originalidade, “Warwick e as 3 Garrafas” é um convite ao lúdico, à imaginação e à diversão, transmitindo ao público infantil conceitos de comportamento e descoberta, além do despertar para o fascinante universo da leitura.

“Warwick e as 3 Garrafas”, de André Hodeir, com ilustrações de Tomi Ungerer e tradução de Hedi Gnädinger. Gaudí Editorial, 36 páginas, R$ 35,00.

O dia em que B apareceu

27 de junho de 2014 0
Divulgação, Biruta

Divulgação, Biruta

Bernardo, um adolescente superdotado, vive as descobertas e os conflitos de alguém que não encontra lugar em seu meio e se refugia na literatura, escrevendo uma história cujos personagens são inspirados em um grupo de jovens que ele observa da janela de seu apartamento. Em “O DIA EM QUE B APARECEU”, a escritora e jornalista Milu Leite traz uma novela policial que lança mão da metalinguagem para falar da forma como uma obra pode ser escrita: em duas narrativas que ocorrem simultaneamente.

Seu primeiro grande achado é utilizar os mesmos personagens de “O Dia em que Felipe Sumiu”, seu livro anterior, agraciado em 2006 com o Prêmio Jabuti na categoria juvenil (3º lugar), uma história escrita por Bernardo (o mencionado “B” do título), agora sob a óptica de um autor-narrador-personagem revelado em sua intimidade. A história contada por “B” gira em torno da investigação empreendida pelos amigos Dora, Hipotenusa, Farelo, Felipe e do cachorro Tobias, a fim de elucidar o desaparecimento de um músico famoso na década de 70.

Com habilidade, Milu vai costurando as duas narrativas, que não escapam do desafio de compor um painel muito particular da vida de um garoto e sua obra, propondo um instigante questionamento dos limites entre ficção e realidade, verdade e mentira, solidão e inclusão. As tipografias em cores diferentes facilitam o entendimento das sequências, bem como as ilustrações recortadas e bastante vivas de Sergio Magno que conversam muito bem com a trama, num tom bem-humorado.

“O DIA EM QUE B APARECEU”, de Milu Leite, com ilustrações de Sergio Magno. Editora Biruta, 108 páginas, R$ 36,50.

O urso rabugento

25 de junho de 2014 0
Divulgação, Brinque-Book

Divulgação, Brinque-Book

Você conhece alguém daquele tipo que parece estar sempre ranzinza, com cara de poucos amigos? Pois saiba que a dica de hoje tem um personagem assim.

O livro “O URSO RABUGENTO”, de Nick Bland, conta que, num dia de chuva e vento, uma zebra, um alce, um leão e uma ovelha procuravam um lugar para brincar – e achavam que tinham encontrado o local ideal numa caverna seca e quentinha.

Mas eles não contavam que o local já tinha um morador dos mais estressados e que não quer saber de ter alguém por perto para lhe tirar o sossego. Como será que os quatro amigos vão acabar com a rabugice do urso?

“O URSO RABUGENTO” faz parte da série “Ler e Ouvir”, um recurso de leitura compartilhada que pode ser acessado gratuitamente escaneando-se o QR code no interior do livro.

“O URSO RABUGENTO”, texto e ilustrações de Nick Bland, com tradução de Gilda de Aquino. Série “Ler e Ouvir”, Editora Brinque-Book, 24 páginas, R$ 26,90.