Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts de setembro 2007

O Juventude já foi rebaixado sim!

29 de setembro de 2007 5

A imprensa tem insistido no fato do Juventude estar há 12 anos na primeira divisão do Brasileirão e que isto pode terminar este ano, já que o alviverde faz péssima campanha no Brasileirão e está em penúltimo lugar.

É verdade que desde 1995, o time de Caxias do Sul tem disputado a Série A da principal competição nacional. Mas o Juventude já foi rebaixado em 1999, quando terminou rebaixado ao lado de Gama, Botafogo-SP e Paraná.

Foram apenas 5 vitórias em 21 jogos, totalizando somente 22 pontos na campanha de 1999. Logo depois do título histórico da Copa do Brasil, o Juventude desandou e terminou com esta campanha ridícula. Porém não precisou disputar a Segundona por causa de uma virada de mesa (felizmente a última da história até o presente momento).

Em 2000, o Ju só não disputou a Segunda Divisão por causa de mais uma arbitrariedade do STJD (novidade, heinhô Batista?…). Por deciões do sr. Luiz Zveiter em prol do Botafogo (seu time do coração), o Gama foi prejudicado e acabou na Série B.

O time de Brasília entrou na Justiça Comum e ganhou em todas as instâncias. Para resolver o impasse, a CBF entrou em %22acordo%22 e fez a %22Copa João Havelange%22, e aproveitou para subir os times queridos que estavam na Série B: Fluminense, Bahia, mais o Gama, o Botafogo-SP e o próprio Juventude. Não me perguntem porque o Paraná foi o único que teve de disputar a Série B que eu não sei.

Em 95, 97, 2002 e 2004, o time de Caxias fez ótimas campanhas e ficou entre os melhores times da competição. Porém em outros anos o Juventude não foi bem: 1998 (quando se salvou em um golaço de Marcos Senna quase do meio-campo), 2001, 2003, 2005 e 2006, quando namorou a zona de rebaixamento por um bom tempo.

Um vídeo para lembrar uma das maiores vitórias do Juventude, um impedoso 6×1 no poderoso Corinthians, causando a demissão do técnico Geninho:

Postado por Alexandre Perin

Antigamente, era assim

28 de setembro de 2007 0

Com todo o respeito à coerência do Dunga, mas é duro aguentar Vágner Love e Afonso em jogos quentes de Eliminatórias para a Copa de 2010. E eu nem vou apelar para Pelé e Garrincha, que aí é covardia.

Sou do tempo que Seleção Brasileira tinha Careca no ataque. Do tempo de ver Romário e Bebeto se sagrando campeões do mundo (com o próprio Dunga!). Da época de assistir Ronaldo Nazário se tornando o dono do mundo e renascendo das cinzas na Copa de 2002.

O mais incoerente é que quando o Rafael Sobis era banco do Betis e não marcava gols, era convocado. Agora que é titular e destaque do time, não é relacionado. Mas eu também acho que o ex-atacante colorado não é um jogador diferenciado. Nem perto disto.

Centroavante diferenciado no Brasil temos um. Se chama Alexandre Pato e hoje joga no Milan. A nove que era de Nazário é dele. Ele tem que jogar ao lado de Ronaldinho ou de Robinho. O resto é invenção.

De brinde, uns vídeos do tempo que o Brasil tinha jogadores fora-de-série no comando de ataque.

Brasil 1×1 França – Copa de 1986 – Careca:



Brasil 2×0 Argentina – Copa América 1989 – Bebeto:



Brasil 3×2 Holanda – Copa de 1994 – Romário:



Brasil 2×0 Alemanha – Copa de 2002 – Ronaldo:

Postado por Alexandre Perin

São Paulo? Já foi assim...

28 de setembro de 2007 0

Neste domingo, o Internacional recebe o São Paulo no Beira-Rio. O time colorado faz uma temporada lamentável, com equívocos de toda a monta, e está mais de 20 pontos atrás do virtual campeão brasileiro.

Porém o jogo traz lembranças felizes para os colorados. Não só na Libertadores de 2006, quando o Inter bateu o Tricolor em pleno Morumbi na decisão e empatou em Porto Alegre, se sagrando campeão. Mas também em confrontos recentes pelo Campeonato Brasileiro e Copa Sul-Americana.

Nos últimos 5 anos e 14 jogos, o Colorado venceu o São Paulo em seis oportunidades, empatou cinco vezes e só perdeu três partidas, nenhuma delas de relevância extrema.

De presente, um vídeo da torcida mostrando o belíssimo 2º gol de Fernandão na vitória de 3×0 pelo Brasileirão de 2005:

Postado por Alexandre Perin

Grêmio contra o Juventude? Lembranças felizes

27 de setembro de 2007 0

Neste final de semana, o Grêmio enfrenta o Juventude fora de casa pelo Brasileirão. Além da péssima campanha (penúltimo) e de enfrentar um embalado terceiro colocado 17 pontos à frente, o Juventude tem outra sina: os fracassos contra os azuis.

Ao contrário dos embates contra o Internacional, o time de Caxias enfrenta sérios problemas jogando contra o Grêmio. Decidiu, e perdeu inapelavelmente, 3 títulos estaduais contra o Tricolor: 1996, 2001 e este ano. Em todas, levou goleada no segundo jogo em Porto Alegre e não venceu uma única partida nas finais.

Para completar a saga de péssimos resultados, o Juventude foi eliminado nas quartas-de-final do Brasileirão 2002 (quando inclusive tinha melhor campanha e empatou em 0×0 no jogo de ida em Porto Alegre).

Em 12 anos de Série A e 17 jogos, o Juventude ganhou três jogos (2000, 2003 e 2004), empatou cinco vezes e perdeu nove partidas, incluindo as últimas três.

Para relembrar a memória dos tricolores, um vídeo do título Gaúcho de 1996:

Postado por Alexandre Perin

E agora???????????????

24 de setembro de 2007 3

Reportagem de hoje só confirma o que todos sabemos: o Brasileirão de 2005 foi roubado a favor do Corinthians, contra o Internacional. Nem gremistas discordam da palhaçada que foi a anulação de 11 jogos pelo STJD e seu ex-nefasto presidente Luiz Zveiter. Pela primeira vez na história do futebol, jogos foram anulados sem que nenhuma prova tivesse sido encontrada de quaisquer manipulação.

O absurdo da coisa chegou a tal ponto que no jogo Juventude x Fluminense, o juiz Edílson confirma em telefonema que havia sido pago para beneficiar o Flu e nem assim o time carioca ganhou. Aí no jogo remarcado, o Flu venceu! Ou seja, o jogo anulado acabou concretizando o que o suborno havia determinado.

Coincidentemente, o beneficiado foi o Corinthians, de Dualib, do misterioso Kia (o homem de 5 nomes diferentes) e do mafioso russo Boris Berezovsky. Duas derrotas se tornaram 4 pontos após a remarcação dos jogos. E ainda jogos %22suspeitos%22 como as vitórias do primeiro turno sobre Cruzeiro e Paysandu, o escandaloso jogo em Belém no returno contra o mesmo Paysandu e ainda o jogo do Pacaembu, do pênalti do Tinga.

Você se lembra? Se esqueceu, veja e lembre do que Márcio Rezende de Freitas fez:

Postado por Alexandre Perin

Até Logo, Mourinho: demitido do Chelsea

21 de setembro de 2007 0

O português José Mourinho não é mais treinador do Chelsea. Contratado há três anos para substituir o italiano Claudio Ranieri, Mourinho se demitiu após várias divergências públicas com o bilionário russo Roman Abramovich, dono do time e que investiu mais de 2 bilhões de reais em quatro temporadas para tornar o Chelsea uma potência continental.

No comando dos Azuis de Londres, o técnico de 44 anos conquistou dois títulos do Campeonato Inglês, duas Copas da Inglaterra e uma Copa da Liga Inglesa. Faltou o prêmio mais cobiçado, a Liga dos Campeões, competição na qual o Chelsea caiu por dois anos para o Liverpool e um perante o Barcelona.

Muito temperamental, Mourinho é a essência da união entre o competente e o intragável. Brilhante estrategista e um intratável arrogante, colecionou diversas opiniões polêmicas e brigas públicas com os demais treinadores, sobretudo com Arséne Wengér, do Arsenal, e Sir Alex Ferguson, do Manchester United.

Mourinho é simples: ou você odeia, ou ele é técnico do seu time. Seu estilo de jogo é mecânico, pragmático, eficiente mas nada agradável de ver. Levou inacreditáveis 15 gols em 38 jogos há dois anos, sendo campeão com folgas sobre o Manchester United.

Mas Abramovich queria mais. Queria ver o estilo de jogo fluente do Arsenal de Wenger, ou o futebol ofensivo e bonito do Manchester United. E isto Mourinho jamais poderá trazer. Ele pode trazer títulos, e trouxe seis à Stamford Bridge.

Para fechar, o cântico das torcidas adversárias contra Mourinho. A torcida do Chelsea cantava %22Jose Mourinho%22 ao ritmo de %22La Donna Mobile%22 e os adversários retrucaram com %22Sit Down Mourinho%22, algo como %22Senta aí, Mourinho%22:

Postado por Alexandre Perin

Fair-Play é isto aí: time deixa adversário propositadamente marcar um gol

20 de setembro de 2007 2

Nesta semana, o jogo Nottingham Forest x Leicester City, pela Copa da Liga Inglesa, ficou marcado por um lance de puro espírito esportivo. Na primeira partida, há três semanas, o zagueiro Clive Clarke do Leicester sofreu um ataque cardíaco no intervalo, quando o jogo estava 1×0 para o Forest. O jogo foi suspenso e a Liga remarcou a partida para terça-feira, começando em 0×0 e mais 90 minutos.

Porém o Leicester considerou injusto para o Forest perder a vantagem que havia obtido no primeiro embate, suspenso por motivos alheios ao esporte. Por decisão do técnico Gary Megson e seus atletas, na saída de bola, o goleiro Paul Smith do Forest conduziu a bola, sob olhar beneplácito do Leicester, até marcar novamente 1×0 para o Forest, sendo aplaudido por todo o time e pelos torcedores no City Ground. Veja o vídeo:

O futebol inglês é famoso pelos casos de %22Fair-Play%22 explícito. Nos anos 90, o atacante Robbie Fowler, então no Liverpool, categoricamente informou que não havia sofrido um pênalti e sim tropeçara, marcado equivocadamente pelo juiz. Este não voltou atrás e Fowler bateu fraquinho, David Seaman defendeu mas no rebote Jason McAteer marcou. Vejam o lance:

Há alguns anos, em um jogo do Aston Villa contra o Everton, o atacante italiano Paolo Di Canio parou o jogo ao ver o goleiro Paul Gerrard lesionar-se e ficar fora do gol. Se ele continuasse, sem goleiro, possivelmente o atacante do Villa marcaria o gol. Vejam as imagens:

Ainda nesta década, em um jogo da Copa da Holanda, o time do Ajax B marcou um gol literalmente sem querer contra o Den Haag. A bola ia ser devolvida após uma lesão de atleta do Ajax, e sem querer o garoto do Ajax B marcou um golaço do meio-campo. Na saída de bola, todos os atletas do Ajax ficaram olhando a bola ser tocada até o gol de empate do Den Haag:

Ah, e o resultado do jogo lá de cima? O Leicester virou a partida para 3×2 e se classificou para a segunda fase da Copa da Liga Inglesa. Um justo prêmio para quem seguiu os ideais máximos do esporte, no qual o jogo limpo deve sempre prevalecer!

VEJA TUDO QUE SAIU SOBRE LANCES DE ‘FAIR-PLAY’ NO ALMANAQUE ESPORTIVO:

Lances de Fair-Play bacanas – Robbie Fowler e Miroslav Klose negando penalidades marcadas, e o Arsenal pedindo o replay de um jogo com gol contra o fair-play

Fair-Play é isto aí! - O time do Leicester City deixa o Nottingham Forest marcar um gol após remarcação de jogo, assim como o Ajax-B, enquanto Paolo Di Canio, do Aston Villa, deixa de chutar sem goleiro por causa da lesão do arqueiro Paul Gerrard, do Everton.

Erro grotesco na Alemanha: gol validado com bola 1m antes da linha! Veja outros casos! - Duisburg comemora um gol que a bola visivelmente não entrou contra o Eintracht Frankfurt. Em 1994, o mesmo ocorreu em um Bayern de Munique x Nurnberg

Gol polêmico de Nani reabre discussão sobre lances de ‘fair-play’ no futebol – Nani se aproveita de confusão do goleiro Gomes e marca gol discutível no Campeonato Inglês

Meus palpites

20 de setembro de 2007 0

Meus palpites não se mostraram muito errados na primeira rodada da Liga dos Campeões. Na Espanha, Real Madrid e Barcelona venceram seus adversários mais difíceis em casa, Lyon e Werder Bremen.

Dos ingleses, o Liverpool conseguiu um ótimo empate fora de casa com um jogador a menos, enquanto o Manchester United derrotou fora de casa o bom Sporting Lisboa por 1×0, golaço de cabeça de Cristiano Ronaldo, ex-ídolo do time português.

Dos italianos, o Milan derrotou com autoridade o Benfica, em um show do italiano Andrea Pirlo, enquanto a Roma bateu o Dínamo Kiev em casa. Já a Inter decepcionou e levou 1×0 do Fenerbahce, gol do brasileiro Deivid.

Postado por Alexandre Perin

E os espanhóis?

19 de setembro de 2007 0

Continuaremos hoje com a análise dos principais times da Liga dos Campeões da Europa, que começou ontem e será analisada também no Almanaque Esportivo. O Real Madrid foi o time que mais se reforçou na temporada 2007/08. A despeito de um final de temporada surpreendente, quando reverteu expectativas e se sagrou campeão espanhol, o maior vencedor da competição (nove títulos!) não faz uma boa campanha desde o título de 2002, quando bateu o Bayer Leverkusen na final.

Nos últimos anos, vários fiascos renderam uma prioridade no Santiago Bernabeu: a reconquista da Europa. Alguns reservas e jogadores pouco utilizados foram embora, como Cicinho e Woodgate. Outros vieram, como o argentino Saviola, a ótima promessa holandesa Drenthe e o polivalente Wesley Sneijder, destaque das primeiras partidas.

Já o Barcelona contratou, de verdade, apenas um jogador. Mas nada mais, nada menos, que Thierry Henry. O craque francês deixou o Arsenal após 8 temporadas e tenta criar um time equilibrado ao lado de Ronaldinho, o argentino Messi e o camaronês Eto%27o. Até o momento o time não engrenou no Espanhol, mas falta muito tempo até maio.

Um time que pode surpreender é o Sevilla. Bicampeão da Copa da UEFA, campeão da Supercopa espanhola e da Copa do Rey da Espanha, o time terá que superar o descontentamento do brasileiro Daniel Alves, que pediu para ser negociado e não foi atendido. Mas nada pior que a morte do lateral-esquerdo Antonio Puerta, há poucas semanas, após desmaiar dentro de campo. Um duro abalo na moral do time da Andaluzia.

Vídeo da conquista do Barcelona sobre o Arsenal em 2006:

Postado por Alexandre Perin

Ingleses: os principais rivais do Milan

18 de setembro de 2007 0

Continuando a série sobre a Liga dos Campeões 2007/08, outros times serão analisados no Almanaque Esportivo. Para mim, os favoritos são, além do Milan, o Manchester United e o Liverpool. O time de Old Trafford contratou as promessas Nani (Portugal) e Anderson (Brasil, ex-Grêmio), o versátil Hargreaves e o impetuoso argentino Carlitos Tévez. Os %22Red Devils%22 buscam o terceiro título europeu. Seu último título foi a vitória de 1999, sobre o Bayern de Munique.

Depois de ficar praticamente 90 minutos perdendo o jogo (levou 1×0 aos 4%27 de jogo, Mario Basler), a reação inglesa veio nos acréscimos. Aos 45 do segundo tempo, após escanteio batido por David Beckham, com até o goleiro Peter Schmeichel na área, Teddy Sheringham empatou. Dois minutos depois, novo escanteio e gol do norueguês Ole Solskjaer, virando o jogo. Delírio no Camp Nou em Barcelona para os ingleses, e catástrofe para os alemães. Uma partida histórica, provando que acreditar é preciso.

Veja o vídeo com os gols da histórica final da Liga 98/99:



Já o Liverpool (agora recheado de dólares americanos dos novos donos) trouxe o astro espanhol Fernando Torres, a promessa holandesa Ryan Babel e o jovem volante brasileiro Lucas, também ex-Grêmio, além de não perder nenhum outro jogador de prestígio. O técnico é o estrategista Rafa Benítez, que conquistou o título de 2005 pelo time inglês.

Assim como o Manchester, o Liverpool obteve uma vitória épica em seu último título. Levou 3×0 no primeiro tempo do Milan em Istambul, mas reagiu de forma sensacional na etapa complementar. Comandado por uma atuação soberba do capitão Steven Gerrard, os %22Reds%22 empataram no segundo tempo, seguraram a pressão e o desgaste na prorrogação e ganharam nos pênaltis. O jogo se tornou símbolo de superação no futebol europeu.

Veja o vídeo da fabulosa reação de 2005:


Postado por Alexandre Perin