Pular a barra do clicRBS e ir direto para o cabeçalho.
 

Posts do dia 1 outubro 2007

Alício Pena Júnior: de novo ele...

01 de outubro de 2007 4

Não é a primeira vez que o árbitro mineiro Alício Pena Júnior, talvez um dos piores árbitros %22FIFA%22 da história prejudica o Internacional em um jogo contra paulistas.

A não-expulsão de Dagoberto e Leandro, os pênaltis em Fernandão e Alex na derrota de ontem contra o São Paulo são apenas a nítida certeza da péssima qualidade deste juiz e a falta de critérios da CBF na escolha de árbitros.

Em 2005, em um confronto entre líderes no Parque Antártica contra o Palmeiras, este mesmo árbitro inventou uma falta de Wílson que resultou em um gol de Gamarra, empatando o jogo para o Palmeiras em 1×1.

Porém o erro mais grave foi no final desta mesma partida, quando o árbitro permitiu a entrada de Marcinho (que estava sendo atendido), do lado de Wílson (que estava de costas para a lateral). Marcinho se aproveitou deste equívoco, roubou a bola e tocou para Juninho fazer o gol decisivo na vitória de 3×2, sob fortes protestos da diretoria colorada.

Pelo visto, o tempo passou e Alício Pena continua sendo um dos juizes mais fracos da Série A. E segue sendo escalado para jogos importantes.

Ah, o fato do juiz ter sido o principal responsável pela derrota de ontem não isenta a diretoria pela temporada catastrófica colorada. Basta ver que potências continentais como Náutico, Sport, Figueirense, Goiás estão à frente do atual campeão mundial. 2007 é, definitivamente, um ano a ser esquecido por todos os Colorados.

Postado por Alexandre Perin

Quase lá: o sonho do Tri se aproxima

01 de outubro de 2007 2

O Grêmio está quase lá na Libertadores. O fato de estar em 3º lugar não é tão representativo quanto as últimas atuações. Desde o péssimo jogo contra o Sport, o tricolor embalou uma ótima sequência de resultados que o qualifica como postulante real e quase concreto de uma das quatro vagas para a Libertadores 2008.

Assim, se juntando a Cruzeiro, São Paulo e Fluminense (campeão da Copa do Brasil). As vitórias contra Botafogo, Vasco, Internacional, Santos e Juventude deixaram o Grêmio muito perto de repetir o que já aconteceu outras 11 vezes: disputar a Libertadores.

A primeira vez foi em 1982, sem muito sucesso. Porém, no ano seguinte o Grêmio já emplacou seu primeiro título continental, derrotando o então poderoso uruguaio Peñarol. No ano seguinte, a frustração de perder um título em pleno Olímpico, contra o argentino Independiente.

Em 1995, o repeteco: de um início desacreditado, com vários %22refugos%22, o Grêmio montou um time coeso, sólido na defesa e veloz no contra-ataque. Assim, comandado pelo ascendente técnico Felipão, o tricolor viu o capitão Adílson levantar o caneco em Medellín, em uma final contra o colombiano Nacional.

O Grêmio ainda chegaria às semifinais em 1996, perdendo para o colombiano América de Cáli, e 2002, em uma dramática decisão por pênaltis para o Olímpia, do Paraguai.

Em 2007, quase se repetiu 1995: em um time novamente desacreditado, com alguns jovens valores como Lucas, Diego Souza e Carlos Eduardo, e um técnico emergente, Mano Menezes, o Grêmio foi longe na Libertadores. Eliminando os favoritos São Paulo e Santos, o tricolor chegou à final com uma campanha apenas mediana, mas de excelentes números em casa: 6 jogos, 5 vitórias e nenhum gol sofrido.

Porém a excelência do futebol de Riquelme e a vasta experiência do Boca Juniors, heptacampeão continental, acabou com o sonho do Tri. Por enquanto, dizem os gremistas. E esta história vai poder continuar em 2008. Basta o Grêmio manter o que está fazendo: jogando simples e eficiente.

Postado por Alexandre Perin